Arquivo do mês: julho 2009

A importância de se valorizar

Lu

Por Luciane Russo

Cada dia mais me convenço da crueldade da sociedade em relação as pessoas tidas como fora dos “padrões”. Ao folhear as revistas, nunca nos deparamos com imagens de pessoas comuns, aquelas como nós, que andam pelas ruas e que cruzamos todos os dias.

Concordo que para vender sonhos e desejos é necessário despertá-los, mas porque não com pessoas normais? Claro, bem arrumadas e produzidas, creio que nenhum de nós faria feio ou deixaria a desejar aos modelos. Com a diferença, de que, pessoas normais, você conhece e se identifica. Ao contrário dos modelos, que são padrões quase inalcançáveis pela grande maioria, não por falta de vontade, mas sim porque cada um tem seu biotipo que nunca será idêntico ao do outro. E aí está a beleza da coisa.

Já imaginou se todos fossemos altos, corpos malhados e louros de olhos azuis? Que graça teria? Seríamos um bando de robôs, sem diferença nenhuma. Sendo assim, se você  ficasse com fulano ou beltrano, daria na mesma, por isso Deus na sua imensa bondade, fez-nos diferentes, únicos, nem mesmo gêmeos idênticos são iguais, só na aparência, porque o que conta de verdade é o interior. Seremos mais ou menos bonitos, dependendo daquilo que temos em nosso interior.

Sendo assim, o que eu aconselho é que nos amemos, mas de verdade. Não da boca pra fora, com o intuito de encobrir um grave problema de auto-estima.

Cuidemos de nosso jardim para que as borboletas venham. Só seremos felizes com alguém, quando aprendermos a ser felizes com nós mesmos, quando tivermos prazer em nossa prórpia companhia, quando nos olharmos no espelho e enxergarmos uma criatura divina, com defeitos sim, mas cheia de virtudes e beleza também.

Aprendamos a nos valorizar como pessoa, profissional, namorada, noiva, esposa, mãe, avó,enfim, como um ser humano que merece todo amor e respeito, de quem quer que seja, mas só teremos isso se primeiro o fizermos com nós mesmas.

Estar fora do padrão não é crime nenhum, e por isso temos de abrir os olhos das pessoas para que elas enxerguem a realidade e se valorizem como são, não como os outros querem que ela seja, só assim teremos um mundo mais belo e justo.

Então, comecemos abrindo os nossos olhos.

Pense nisso. 

 

7 Comentários

Arquivado em comportamento

AJUDE A FAZER A LETRA DA MÚSICA EM HOMENAGEM A NÓS, MULHERÕES

O cantor e compositor Cléo Motta cria letra em homenagem às gordinhas e conta com sugestão das leitoras para fazer da canção um sucesso. A música é de Sérgio Murilo, que já compôs para ninguém menos que Bellô Veloso. Participe!

Meninas, faltava uma música moderna para homenagear as meninas acima do peso. Sim, o Rei Roberto Carlos já fez uma para gordinhas, mas nos faltava uma música com roupagem mais moderna, condizente com o nosso espírito jovem.

Então, solicitei ao cantor Cléo Motta ( cuja voz  embala a nova roupagem de uma música de Fagner, a “Revelação”) que criasse uma canção com a cara das leitoras do Blog Mulherão. A música é de Sérgio Murilo, que mantém parceria artística com a cantora de MPB Bello Veloso.

AJUSE A CRIAR UMA LETRA COM A CARA DO BLOG MULHERÃO

O cantor e compositor Cléo Motta vai acompanhar os posts da comunidade para detectar os nossos anseios. Por isso, deixe aqui o seu comentário. Você pode ajudar a criar a trilha sonora de nossas vidas! Imagine, uma canção sob medida para todas nós!

O que você gostaria de ouvir numa cançar destinada às mulheres que estão acima do peso?

Escreva!

http://www.myspace.com/cleomotta

 

 

5 Comentários

Arquivado em Música

Esta semana: série de reportagens sobre beleza no Jornal da Record

Gente, a Record produziu uma série de reportagens sobre beleza, que estão indo ao ar todos os dias desta semana no Jornal da Record. Segunda-feira passou uma participação minha. Ontem, foi a vez de nossas amigas Danúbia Riolo e Carol Procópio falarem.

Nossa amiga Danúbia deu um jeitinho de gravar o video. Confiram o depoimento dela, que mandou muuuuuito bem!

3 Comentários

Arquivado em Entrevistas

Dança do ventre para todas

Shakira 2

Num pequeno desabafo inicio este artigo. Eu, SHAHIRA BURKAN ,formada em técnico de danças há 18 anos, já pesei 54kg. Prestei faculdade de Direito, e nos entremeios de uma profissão onde justiça e lei são irmãs brigadas, eu engordei 40kg, onde os quais eu já eliminei 20kg. E sabe como?!?! Quando no penúltimo ano do Curso de DIREITO  abandonei tudo e voltei a dançar…40kg a mais. Feliz, realizada, eu era eu novamente. Mas a única dança que me “ACEITOU” sem perguntar de onde eu vinha, pra onde eu queria ir, se eu era gorda ou magra, foi a DANÇA DO VENTRE. A única coisa é que ela me SEDUZIU, me acalentou em meus refúgios mais íntimos, cobriu minha chagas, e me tornou uma MULHER LINDA, ESTONTEANTE, SENSUAL, SEDUTORA, como nunca havia sido, nem quando eu era bailarina clássica com meus “aceitáveis” 54 kg.

E tendo assim sido “seduzida” por esta ARTE  MILENAR  FEMININA, eu me deixei levar por ela, mergulhei fundo em suas ORIGENS, sua CULTURA, as DANÇAS FOLCLÓRICAS que celebravam o ventre feminino no cotidiano de um povo onde a mulher é quem manda em seu corpo, em sua casa, e celebra sempre a vida a cada dia, completamente diferente do que se acredita a respeito dos ÁRABES. Apaixonada , segui estudando as danças deste povo lindo, e passei 2 anos só me preparando.

Montei meu JADE CENTRO CULTURAL ÁRABE o único na minha cidade, e abri turmas de DANÇAS ÁRABES ( DANÇA DO VENTRE E FOLCLORE ÁRABE), e com 2 meses de aulas competimos no maior evento de DANÇA DA CIDADE, e pasmem, minhas meninas foram chamadas de MENTIROSAS quando disseram as outras bailarinas ali existentes que somente tinha 2 meses de aula.

Eis que surge uma gordinha de Branco em meio a bailarinas clássicas e toma o PALCO, essa mulher esbanjando CONFIANÇA em si, chamava-se SHAHIRA BURKAN, nome marcado no cenário da DANÇA ÁRABE da cidade de Ribeirão preto. Em 2 semanas fiz meu nome, o nome da minha escola, desafiei padrões e sigo assim até hoje.

Em minha CIA DE DANÇAS ÁRABES abrigamos mulheres e seus ventres dançantes, magros, gordinhos, malhados, flácidos, mas todos LINDOS. E seguimos sendo elogiadas por isso.

Quando entitulei este artigo “DANÇA DO VENTRE PARA TODAS” quis mostrar e provar que isso é possível, pois desde que fui “acolhida” por essa dança, já se passaram quase 10 anos, e me tornei uma MULHER DOS SONHOS DE MUITOS HOMENS, e objeto da ADMIRAÇÃO DE MUITAS MULHERES.

Inicialmente a DANÇA DO VENTRE era dançada por mulheres com padrões completamente diferentes do atual, onde os movimentos técnicos foram criados para “enfatizar” a  gordurinha do VENTRE, em tremidos sensuais, pois essa “gordurinha” era , na época, sinal de sensualidade. Muitas bailarinas MAGRAS relatam sua dificuldade em dançar essa dança pois não tem muita gordurinha pra mexer, pode ser, mas eu ainda acredito que é uma dança pra todas.

E hoje, ao desafiar padrões, percebi que a DANÇA DO VENTRE permite mulheres de todas as formas, etnias, altura, CELEBRAREM SEUS VENTRES DANÇANTES e serem aceitas por isso.

Apesar de tudo o que foi aqui relatado, eu sentia dificuldade era achar ROUPAS pro meu padrão, pois eu achava cinturões pro quadril(pronta entrega) mas pros meu busto não. E tinha que lidar com minha ansiedade na espera do BUSTIE REFORMADO…rsrsrs

Então, resolvi tomar novamente as rédeas da minha vida, e criei minha GRIFFE DE ROUPAS PRA DANÇA DO VENTRE E FOLCLORE ÁRABE, onde temos ROUPAS pra todos os tamanhos e estruturas, mas com uma LINHA ESPECIAL PRA GORDINHAS.

Assim podemos dançar LINDAS e FELIZES com seu corpo, seus novos padrões de vida, de auto-confiança, amor-próprio emoldurados em lindas ROUPAS BORDADAS, BRILHANTES, ESTONTEANTES.

Se dêem essa oportunidade, DANCEM ,  PONHAM SEUS VENTRES PRA DANÇAR, MOSTREM  A SUA SENSUALIDADE, E O PODER QUE O FEMININO TEM, NÃO INTERESSANDO FORMAS. PORQUE SE FOSSE ASSIM, A TERRA É REDONDA, LINDA E NOS ABRIGA NO SEU VENTRE. PORQUE ESSA “IDOLATRIA” PELO RETO, PELO ANTICURVELÍNEO??? PAREM E PENSEM, ATÉ DEUS CELEBROU A FORMA REDONDA , AÍ ESTÁ A TERRA QUE NÃO ME DEIXA MENTIR, NOS ABRIGANDO EM SEU VENTRE AZUL. É PRA SE PENSAR??!?!

 VAMOS MARCAR UM AULÃO COM TODAS AS AMIGAS DO VENTRE PRA CELEBRARMOS NOSSA SENSUALIDADE???? QUE TAL MENINAS?!?!

Muitos beijos de Luz  a todas da SHAHIRA BURKAN!!!

 

.http://www.shahiraburkan.hd1.com.br

(16)38778279 / 99936289

 Shakira

Shahira e suas alunas

21 Comentários

Arquivado em Dança

Magrinhas x Gordinhas nas passarelas

Renata Poskus Vaz - Desfile Mega Polo

Dia 28/07, terça-feira, participei de um grandioso desfile de moda no Mega Polo. Éramos em sete modelos plus size, entre elas Simone Fiuza e Andrea Delgado, contra um batalhão de modelos fashion, com uma média de 16 anos de idade e pesando metade do que pesamos.

Contrariando minhas expectativas, não fomos discriminadas pelas meninas (embora algumas delas não tenham controlado o seu olhar de repulsa e indignação), mas sim pelos meninos, que até mesmo soltaram piadinhas do tipo: “essa aí precisava emagrecer uns 25 Kg para ficar legalzinha”.

Não deixei barato. Preste atenção no diálogo que tive com um dos modelos:

Renata – Quanto um modelo masculino ganha para fazer um catálogo de moda, dessas marcas com menos projeção?

Modelo – Um modelo famoso?

Renata – Não, um modelo decsonhecido como você.

Modelo – Poxa, mas eu sou modelo internacional… A gente ganha uma média de R$500 por catálogo.

Renata – Só isso? (gargalhadas). Sabia que modelos Plus Size ganham em média R$1200 para fazer um catálogo de confecção GG? Sim, um mil e duzentos reais,. E modelos como aquela que você e seu amigo ridicularizaram agora a pouco.

Não preciso nem dizer que o rapaz e os outros modelos ficaram totalmente sem graça.

28 Comentários

Arquivado em Moda e estilo, Modelo GG, Preconceito

O que os homens preferem?

Por Luciane Russo

Luciane Russo

Nós gordinhas, sempre achamos que a preferência masculina é por mulheres esculturais, com corpos perfeitos e que comem só alface….ledo engano!

Conversando com muitos dos meus amigos homens, descobri que eles admiram sim as de corpo perfeito, mas só para olhar. Na hora do “vamos ver”, o que eles querem mesmo é sustância! Querem alguém alegre, simpática, brincalhona, que encare o sexo como uma brincadeira deliciosa, onde não há espaço para estrias, celulites e luz apagada. Eles querem uma mulher de verdade, que se ame e se entregue com todo desejo e felicidade aquele momento, sem neuras, sem temores e que seja ela mesma.

Pode parecer engraçado, muitas dirão que não é verdade, mas porque achamos que não  é verdade?

É simples, muitos homens tem vergonha de admitir que amam e adoram uma gordinha, com medo da reação dos familiares e dos amigos (pricipalmente) e acabam por namorar mulheres que não lhes trazem o mínimo de satisfação ou outras vezes, saem com as gordinhas, mas não passam disso, ficam só escondidos, sem mostrar ao mundo seu verdadeiro desejo, não a apresentam a ninguém.

Bom, eu, em particular, já  passei por isso. O amor da minha vida saiu comigo muitos anos, eu disse anos, sempre me disse que a intimidade que nós tínhamos, ele nunca teve com ninguém e o sexo…. Ah, o sexo era maravilhoso, sem igual. Mas na hora de ficarmos juntos pra valer, acabei ouvindo que eu não era o tipo de mulher dele. Dele ou dos outros? Se eu era tão boa em tantas coisas pra ele, porque não para ser namorada, somente uma amizade colorida?

Bom, continuo amando-o, mas desisti totalmente dele, pois se ele não tem coragem de me assumir, ele não me merece. Acho que devemos agir assim em nossa vida, aqueles que não nos respeitam, não merecem nosso respeito e consideração.

Agora existe o outro lado também, homens que não tem vergonha de assumir suas grandes mulheres e de desfilar, orgulhosos, com elas em todos os lugares para que todos vejam seu amor.

À esses homens, com “H” maiúsculo, meus parabéns por seu amor e sua coragem de mostrá-lo ao mundo, sem se preocupar com o que os outros irão falar e preocupando-se tão somente com sua felicidade ao lado da sua grande mulher.

Por isso, em momento nenhum devemos nos sentir inferiores ou diminuídas com relação as mulheres que seguem padrões impostos, devemos sim ter consciência de que elas são só uma casca moldada pela sociedade, nós somos de verdade.

110 Comentários

Arquivado em Relacionamento, Sexo

“Tem gente que se orgulha de ser gordo”

Às vezes recebo e-mails nada educados de mocinhos que nos enxergam como objetos sexuais, mas raramente recebo e-mails desrespeitosos de garota. Geralmente, recebemos muito apoio e incentivo da ala feminina.

Entretanto, no domingo, recebi um comentário de uma garota ofendendo minhas amigas e a mim, simplesmente pelo fato de sermos felizes mesmo sendo gordinhas. Essa pessoa ofendia uma das meninas em especial. Apaguei o post, é claro, para não dar crédito às idéias dessa maluca, mas me certifiquei de saber de quem se tratava pedindo detalhes à principal ofendida. Investigando e pesquisando no Orkut, descobri que essa garota ainda espalha preconceito pela internet, conforme podem ver no scrap abaixo:

 

 

 

“Humm q bacana!! Vc está trabalhando como vendedora? Me passa o endereço da vou lá e vc me ajuda!! Agora posso.. já estou bem mais magra..rsss. Graças a Deus! Ainda tem gente que acha bacana ser gorda neste mundo que vivemos. Afff!”

orkut

 

 Minha opinião sobre quem tem preconceito contra gordinhas

Quando eu estava acima do peso, jurei para mim mesma que, se um dia emagrecesse, não trataria as gordinhas da forma como eu não gostaria de ser tratada. É muito fácil operar o estômago, fazer lipo, tomar uma tonelada de medicamentos controlados, ir ao SPA para emagrecer e tentar ser feliz. O mais difícil é ser feliz se aceitando do jeito que é. Agora que emagreci eu poderia acabar com o Blog Mulherão e criar o Blog Mulherzinha. Mas não, quero ajudar a lutar pela “real beleza”.

 Já disse e repito milhares de vezes: não fazemos apologia à obesidade. Apenas queremos provar que é possível estar acima do peso e viver com saúde e esbanjando felicidade. Não é orgulho de ser gorda, como disse a mocinha no post acima, é orgulho de ser mulher, guerreira, decidida, independente do tamanho da cintura ou da manequim que se veste.

Não sou psicóloga, mas acredito que atitudes como esta se resumem a uma só coisa: INVEJA. Inveja por não ter a coragem que temos de nos expor. Ah, e mais uma coisinha. Gordura é relativa. Eu, por exemplo, achei a autora do post bem rechonchuda, tanto quanto as minhas amigas leitoras do Blog. Muito parecida fisicamente, por sinal. Só com uma diferença: uma tristeza nítida no olhar, talvez fruto da sua não auto-aceitação.

Obs: desfoquei a imagem para preservar a identidade da moça. Amanhã, ela poderá integrar nosso grupo e será muito bem-vinda. Afinal, quem de nós já não se sentiu ameaçada com a felicidade alheia em um momento de baixa-estima?

 

 

18 Comentários

Arquivado em Preconceito