Transplante cardíaco

Por Eduardo Soares

Quarenta e dois anos atrás, mais precisamente em 26/05/68 aconteceu o primeiro transplante de coração do país. O feito ficou a cargo da equipe chefiada pelo Dr. Euryclides Zerbini que desde então virou referência mundial na então nova área da medicina. Relatos de pessoas próximas afirmam que o Dr. Zerbini trabalhou até o fim da vida (faleceu aos 81 anos em 1993), não apenas efetuando suas famosas cirurgias como realizando palestras e conferências.

Falar das nossas qualidades é sempre maravilhoso. Basta um elogio:

– Ooohh, Maricota! Como você está linda hoje! Está parecendo uma Barbie serelepe e pimpona do subúrbio! Sua cútis nunca esteve tão lisa! Já sei: o marido anda comparecendo às segundas, quartas e sextas com bônus aos sábados, domingos e feriados, né? Sua danadinha…

Não importa se ele vem daquela sua amiga tipo “fura-olho” que dá uma de “estou aqui para tudo” mas na verdade não segura a língua e desanda a falar da sua intimidade para todos os bairro. Se tivesse outdoor, ele colocaria anúncios como: “Faz uma semana que Maricota não menstrua. E ela anda às turras com Juventino. Ontem voou panela na cabeça dele. Chupa essa manga, amiga!!!”.

Agora uma coisa é fato: se a mesma amiga fura olho pisar no seu calo, inevitavelmente você vai mandar um “o que vem de baixo não me atinge” para depois ficar sem falar com a pessoa por uma, quem sabe até duas semanas. Recebemos e aceitamos elogios sem pensar qual é a procedência deles, diferente do que acontece com as criticas. Aliás, você exerce autocrítica?

Ninguém melhor para analisar meus erros do que eu mesmo. Só eu sei o que vivi, quais foras as vitorias e derrotas, o que tive de bom e ruim ao longo da minha historia e por fim o que fazer para tirar as coisas nocivas de mim. Posso falar com propriedade sobre determinado tópico dentro desse assunto, pois é algo que trabalho bastante para amenizar ou eliminar de vez da minha vida: sou vingativo e nutro certa simpatia por esse sentimento.

Sabe, às vezes fico imaginando o que ocorre dentro de nós quando alimentamos coisas ruins: com o passar do tempo, na medida em que guardamos sentimentos nocivos como rancor, egoísmo ou ódio dentro do coração, visualizo-o mudar de cor, passando do vermelho vivo para o preto e aos poucos sua aparência ganha contorno asqueroso, ficando ressecado, imundo, podre. Ganhamos então um coração em estado vegetativo. Continuamos vivendo, mas sem percebermos somos apenas mortos-vivos, fantoches em farrapos daquilo que um dia sonhamos ser.

Se você acha que no estado atual as seqüelas existentes dentro do seu peito são grandes demais, que sua confiança, admiração, respeito e entrega foram retribuídas através de porradas dadas por aqueles que tiveram tudo isso de ti, faça um transplante de coração. Jogue o atual fora, pois ele fará com que seus sonhos sejam mortos e até aqueles elogios vindos de pessoas que gostam realmente de você serão apenas boas lembranças do passado.

Como todo transplantado, você terá uma nova vida. Você estava fraca, desanimada, apenas vivia, sem ter a menos noção do significado do verbo “viver’’. Conjugue novos verbetes: resgatar, alegrar, idealizar, amar. Tudo aquilo que a insuficiência cardíaca não permitia, agora você poderá e irá fazer. Troque seu coração antes que sua vida entre em coma irreversível.


31 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

31 Respostas para “Transplante cardíaco

  1. Fernanda Ávila

    Vc Edu, sempre escrevendo o que precisamos ler…
    Parabéns!!!

  2. Carla Gisele Leme

    Bom dia Edu, Bom dia Meninas e Meninos
    Ter o coração puro e livre de amarguras e ressentimentos realmente é algo que todos deveriam procurar ter, pois quão triste deve ser a vida dos que sentem o “ÓDIO” . Graças à Deus, eu acredito nunca ter sentido isso em meu coraçãozinho. No máximo, uma raivazinha passageira… uma vontadinha de esganar alguém… mas não com ódio, acho essa uma palavra e um sentimento muito pesado para nós.
    Se somos a imagem e semelhança de Deus, se nosso corpo é templo do Espirito Santo, não faz sentido cultivarmos sentimentos tão negativos…
    Devemos é entregar nosso coração prá Deus, fazer com que ele nos conduza. E aos que não crêem em Deus, simplesmente viva uma vida boa e tranquila, guardando somente o que nos faz bem, com certeza absoluta viveremos beeeem melhor…

    Bjokas e tenham uma ótima terça-feira

    • Edu Soares

      Carla,

      Tento abolir de vez o tal “carinho” que sinto por vingança. Dificílimo, mas não impossivel. Basta querer. E claro, pedir ajuda a Papai do Céu.

  3. Netyele

    o legal é a cada dia nos tranplantarmos, pois todos os dias vivemos boas e mas situações, e cada dia precisa ser unico…

  4. Kássia

    Nossa, texto magnífico. Eu passei a refletir sobre o mal que esses sentimentos fazem há aproximadamente 1 ano e meio… Então eu tento me reciclar toda vez que eu sinto essas coisas ruins, até brinco que os sentimentos ruins são exteriorizados em feiura, pq geralmente quando estou com a “alma lavada” só com sentimentos puros, é quando mais sou elogiada em relação a minha beleza. 😛

    Nem sei se deveria estar comentando esse tipo de coisa, neste post, até creio que não seja muito adequado, mas como é meu primeiro comentário, vou me permitir…

    Gurias e gurizes, gostaria de agradecer vocês imensamente, por manterem esse blog MA-RA-VI-LHO-SO, descobri há pouco tempo (início de maio) e sou fãzaça já. O Blog Mulherão equivale a sessões de terapia pra mim posso afirmar que vocês valem mais que mto psicólogo!

    Aproveitando, sou de Porto Alegre RS e sou uma “mula” em relação a moda, fui criada com meninos e mantive meu “uniforme” (camisetão e jeans) até pouco tempo atrás. Mas de uma coisa eu bem sei, todas as lojas de gordinhos que eu fui até hoje vendem roupas de vovó. Dá até uma tristeza de ver. Dos problemas em ser gorda, comprar roupas é, sem sombra de dúvidas, o segundo que mais me afeta. O pior de todos, que me faz pensar seriamente em mandar minha mantinha de adiposo embora, é pensar que posso perder uma vaga de emprego pra alguém menos capacitado que eu, só pq meu “corpitcho ocupa muito espaço”. Isso é tenso e me magoa bastante.

    Enfim, peço uma desculpinha básica pelo comentário = tratado de tordesilhas, mas tava hiper empolgada pra comentar aqui, desabafar, etc sahuashuhsuashusa… então, mais uma vez parabenizo vocês e agradeço pelo apoio pros massudinhos *-*

    • Edu Soares

      Kássia,

      Se o blog é seu divã, nada mais justo do que soltar tudo o que vem a mente!

      Agora quanto a relação feiúra/beleza, creio que seja uma reação involuntária de nós. Afinal, ninguém consegue ficar lindo(a) com a cara emburrada! Nem com aplicações do melhor botox no mundo!

  5. Bruna

    Edu,

    Mto legal a metáfora que vc usou do coração transplantado, e seguindo ainda nesse seu raciocínio, o pós operatório de um transplantado é um período mto crítico, que requer mtos cuidados e disciplina física e alimentar, para que seja alcançado o resultado esperado.
    Assim tbm deve ser o nosso “pós operatório”, não basta apenas reconhecermos os nossos erros e defeitos. Para que a mudança seja verdadeira e duradoura, temos que policiar nossas atitudes, nossas palavras, temos que ser exemplo de amor e não mais, gerar discórdia. Para se ter um novo coração, livre de rancor e amargurar, temos sim que perdoar a amar, mas tbm temos que conseguir fazer com que os outros tbm nos perdoem e nos amem.

    E a melhor maneira de se “trocar” de coração é praticando a caridade e cultivando as amizades, mas principalmente cuidando para que esse novo coração, nunca mais se deixe envenenar. Sejamos a teoria e a prática, sejamos exemplos de amor!

    • Edu Soares

      Concordo com cada vírgula, Bruna. Evitarmos qualquer tipo de recaída é o ideal, pois como sabemos, o mais dificil da conquista é mantê-la no mesmo patamar. Para isso é preciso sabedoria e perseverança.

  6. Vivi Oliveira

    Edu e meninas, bom dia.

    Mais uma vez tenho que me render a seu texto Edu, além de bem elaborado, ele é absolutamente verdadeiro…reflete muito do que somos, do que nós humanos, seres racionais, somo ou não capazes de fazer, gerar e transformar.
    Eu diria como Lavoisier…:”- Na natureza nada se cria e nada se perde, tudo se transforma.”….Nossos corações também fazem parte desta extensa natureza humana logo, cabe a nós mesmos transformá lo para o bem, para o melhor, para o crescimento.
    Bom feriado e resto de semana a todos!
    Beijocas!

    • Edu Soares

      Vivi,

      De vez em quando leio uma resposta tão perfeita (como a sua) que tenho receio de “comentar o comentário”, com medo de estragar o conteúdo..rs

      Acho que vou perder meu posto de colunista…

  7. Flávia Danila

    Ai ai Edu…obrigada pelas palavras!!!!

  8. Juliana Luz

    Realmente .. muito interessante, vou trocar o meu, antes q seja tarde! rsrs
    Bjksssssss a todos do blog…

  9. Werônica SouZA

    Preciso de um novo…

    • Edu Soares

      Você, Wéu? Imagina! Poucas pessoas têm um coração tão bacana! Não deixe uma “nuvem passageira” tomar conta de você.
      Sabedoria, moça…tenha sabedoria.

  10. Eliana

    Edu.. sabe que vc tem razão?
    Quando o coração da gente bate às minguas, suplica por socorro, desespera por atenção, nos entregamos e morremos cada dia um pouco.
    Matamos pessoas, lugares, sentimentos, momentos e com eles tudo de bom que existia grudadinho ali.
    É por isso que a troca é melhor. A renovação, simples assim… ar fresco.
    Adoro poder respirar ultimamente…
    Bjos

  11. Cynthia

    Edu, texto de bom gosto e, principalmente, de extrema verdade.
    Um cheiro!

  12. OI EDU!..EU ENTREI NESSE COMA… MAS ELE NAUM É IRREVERSIVEL…DURANTE 5 ANOS EU VIVI SEM SABER SE MEU CORAÇAO BATIA…TINHA UM CORAÇAO MAGOADO, TRISTE …SEM VIDA , MAS AGORA LENDO SEU TEXTO EU VI QUE EU JA FIZ ESSE TRANSPLANTE, E NEM TINHA PERCEBIDO, MAGOA ?, TRISTEZA?, HJ EU NAUM SEI O QUE É ISSO SOU FELIZ…EU AMO E MEU CORAÇAO ESTA CHEIO DE ALEGRIA….BJUSSS

  13. Charlene

    Queridos, Boa Noite!! É a primeira vez que escrevo aqui, mas acompanho vocês a um tempo. Como é bom entrar nesse blog e ler um texto desse, que parece que foi escrito pra gente!! Lendo este texto vi que meu coração está quase entrando em coma… Mas agora vou tratar de fazer um transplante, não sei o caminho, mas força de vontade não me falta. Obrigado pelo texto maravilhoso!!!! Bjs

  14. Carla Santos

    Oi Edu !

    Ótimo texto !!

    Reconhecer nossos erros e defeitos é muito dificil, ouvir elogios é maravilhoso, quem não gosta, já as criticas, hum, aí é que são elas. Ninguem gosta de ser contrariado, antigamente desejava o pior a quem me contrariasse, desejava mesmo, se possivel evitava um maior contato com a pessoa, ou melhor, ela não existia mais em minha vida. Guardava um rancor terrivel, quase assustador, e passava a me alimentar desse sentimento cada vez que lembrava do individuo e do assunto. Também não existia em minha vida a palavra desculpa, é claro que também não a praticava, eu era sempre a voz da razão, o topo da cadeia.
    Com o tempo fui percebendo o quão terrivel tinha me tornado, e passei a me analisar todos os dias, buscando nessas tais criticas uma melhora em mim. Não foi facil, mais contei com uma ajuda muito importante, minha mãe, aliás ela era uma das pessoas que me criticavam.
    Aprendi que só os inteligentes mudão, a convivencia se torna mais agradável, vc passa a se compreender e a ser compreendido. Abrir mão da defensiva é maravilhoso, se doar também. Consigo sorrir com mais naturalidade, e hoje até pergunto aos amigos como estou me saindo, passei a aceitar e conviver com naturalidade as criticas, pois elas também fazem parte de nosso crescimento, da evolução espiritual.

    Bjussss adoro vc !!

  15. Vanessa Jacinto

    Ótimo texto! Um abraço…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s