Nossos irmãos, nossos melhores amigos

Por Renata Poskus Vaz

Meu irmão Raphael, 26 anos, está há três meses fora do país, estudando inglês. Ele é chato, muito chato, parece até um velho ranzinza. Mas confesso que estou cheia de saudades daquele alemãozão de 1,90m, olhos azuis e com um mau-humor nato, que às vezes chega a ser cômico de tão caricato. Sou cristã, espírita e acredito que há um propósito todo especial por ter nascido nesta família. Meus pais não foram predestinados a serem meus pais por acaso. Da mesma forma que meus irmãos também têm uma missão a ser vivida junto comigo.

Fico pensando como posso amar três pessoas de forma tão intensa e especial, mesmo sendo tão diferentes de mim. Somos em quatro irmãos: eu (28 anos), Raphael (26 anos), Barbara (18 anos) e Luiza (1 ano e 2 meses), cada um com sua personalidade e um jeito todo especial de ser.

No hospital, assim que foi atestado o óbito de minha mãe, ele me abraçou e disse: “agora precisamos parar de brigar”. Raphael tinha uma proximidade muito grande com minha mãe e creio que ele tenha sido o que mais sofreu com a morte dela.. Não estou dizendo que ele a amava mais do que nós, mas minha irmã tinha 10 anos e muitos adultos paparicando-a e zelando por ela, o que minimizava seu sofrimento. Eu recebia o carinho e paparico das tias maternas e tinha muitas amigas mais velhas que faziam o papel de “mãe postiça”. Já meu irmão, criado para ser forte e “homenzinho”, ficou mais sozinho, isolou-se.

Entretanto, o tempo passou e reestruturamos nossa vida. Hoje, olho para ele, tão lindo e bem-sucedido profissionalmente e me encho de orgulho. Ainda brigamos muito, feito crianças. Fiz a faculdade da intolerância e implicância, mas nesse quesito ele é PHD. Entretanto, nunca viramos as costas um para o outro. Ele sempre está lá quando preciso dele e ele sempre está ao meu lado. Ai quem mexa com a “Tata” dele e ai de quem se meta à besta com o meu “Faiel”.

Quando eu tinha 10 anos e ele 8, nossa irmãzinha Barbara nasceu. Hoje, uma moça linda com 18 anos. Imagine uma bebezinha no meio de dois pré-adolescentes?! Hummm… Ela é um semi-monstro, bonita e extremamente inteligente.rsrsrsrs…. Quando minha mãe morreu, claro que nos sentimos responsáveis por ela e, até hoje, fazemos tudo para suprir suas necessidades (Até além da conta. Acredita que a chamamos de nenê até hoje? Mimada, né?). Foi ela a razão de nos mantermos unidos e esperançosos por um futuro melhor.

 Em 2009 a Luiza chegou. Filha do segundo casamento do meu pai foi motivo de crises existenciais minhas e um ciúme quase infantil. Hoje, ela alegra nossos dias. Fico feliz em “estragá-la” (sua primeira palavra foi coca, por causa da coca-cola. Gracinha, né?rsrsrs). Sou praticamente uma tia para ela…rsrsrs…. Quando ela chega em casa já dormindo e não posso ver aquele sorriso lindo, me sinto como se meu dia não fosse completo.

Bom, cá estou eu desabafando sobre minha estrutura familiar e você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com sua vida, não é mesmo?

Às vezes achamos que estamos sozinhos, que precisamos de amigos. Valorizamos mais as pessoas de fora, os estranhos, do que aqueles que convivem conosco todos os dias. Não demonstramos amor por eles declaradamente com a certeza que sempre estarão lá, ao nosso lado, para sempre. Uma coisa aprendi com a vida. Há alguns amigos que são como irmãos, mas nossos irmãos sempre serão nossos amigos. Amigos de verdade. Afinal, eles não têm “rabo preso”. São sinceros, não mentem, falam o que precisamos ouvir e não o que queremos ouvir. Eles, sem dúvida, são aqueles que nunca nos abandonarão, porque nos amam livres de qualquer interesse.

Muitas vezes os conflitos familiares são inevitáveis. Afinal, mesmo recebendo a mesma criação e estudo, cada pessoa tem sua índole, individualidade, personalidade e caráter. Não há como exigir que seus irmãos pensem como você ou concordem com todas as suas ações. Mas há como se ter a certeza eterna de que eles te amam muito e amarão para sempre.

A nossa missão em família não está em transformar nossos irmãos em pessoas melhores para conviver conosco, mas respeitar suas diferenças e aceitá-los mesmo assim, com muito orgulho e amor.

31 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir

31 Respostas para “Nossos irmãos, nossos melhores amigos

  1. Vanessa Jacinto

    Estava cá eu, fuçando o site de vocês, deixando comentários cá e lá e vi este texto que parece ter sido colocado agorinha…
    Adorei, também amo meus irmãos, brigamos muito, muito ciúme rola mas..o amor está lá.
    Meu irmão mais velho (39 anos) é meu porto seguro, com quem eu posso contar para tudo (só não vale falar de namorado que a coisa aperta).
    Meu irmão do meio é mais caladão, mas é também meu amor.
    Minha mãe então? Dona Tininha, Dona Cris, sei lá…mamãe linda!!!!!!!!!!!!rs…
    Enfim, não há lugar melhor do que nossa casa!

    • renatavaz11

      Oi Marlene…. Sim, foi colocado e feito agorinha.
      Ando meio sentimental, ultimamente. A gente fala muito do amor passional por aqui. Ou então do amor próprio. Achei que seria bacana falar do amor por nossos irmãos.

      Beijos,

      Renata

  2. Marilene

    E como diz aquele “Filtro Solar”: “Seja legal com seus irmãos. Eles são a melhor ponte com o seu passado
    e possivelmente quem vai sempre mesmo te apoiar no futuro.”
    Lindo seu texto…
    Minhas irmãs são meus maiores exemplos e só Deus sabe o meu amor por elas.
    Beijo grande

    • renatavaz11

      Aiii, que graça. Suas irmãs são mais velhas?

      • Marilene

        São sim, Rê…São 9 anos mais velhas e gêmeas. Qqr dia te conto a história d uma delas…daria, com certeza, uma bela história…tanto a do casamento dela quanto a de luta contra o câncer (anos de luta)…

  3. Aiii que lindaaa Frooo!!
    Adorei os posts!!!

    Beijosss!!!

  4. maria elizabeth lapenna riscalla

    realmente nossos irmãos são nossos melhores amigos e cumplices, tb somos em 4 tres mulheres e um homem, mas a quatro anos atraz Deus chamou meu irmão, sinto muito sua falta e saudades dele, tb sou espiritualista e sei que ele esta bem as vezes chego ate a sentir ele perto de mim e sei que um dia vamos nos encontrar, esses dias qdo estava colocando uma foto dos quatro irmãos em meu orkut senti ele e meu pai muito proximo de mim, hoje choro de saudades e não de tristeza por ele ter partido, mas a vida e assim mesmo a unica certeza que temos e que um dia iremos partir, eu e minhas irmãs nos damos bem, mas tb brigamos, isso acho que e normal em qualquer familia estruturada, bjs em seu coração

  5. Simone Fiuza

    Deu vontade de voltar pra casa!!! Saudades das minhas irmãs…das brigas, de tudo!

  6. Cynthia

    Verdade Renata, “…nossos irmãos sempre serão nossos amigos. Amigos de verdade.” É assim que sinto! Comigo, na verdade, é assim que é.
    Cheiro!

  7. Lorena Lennertz

    Muito bonito, Renata!

  8. Keka Demétrio

    Tenho uma irmã mais velha e uma mais nova que eu, e sempre digo a elas que sou o recheio do sanduiche, e por isso mesmo a mais gostosa (tá bom, eu sou nojenta mesmo…rsrs). Mas de que adiantaria um recheio sem duas fatias de pães deliciosos o envolvendo?? Lucianna, Angélica e Adelina…o melhor sanduba que mamays e papys poderiam ter feito!!! 🙂

  9. Kelly

    Que lindo Re… Sou de Brasilia, estou em SP á 3 anos, meus dois irmão ficaram lá. Sinto muita falta mesmo!
    Por isso é importante que quando estamos perto, aproveitemos ao máximo, pois não sabemos o que vai acontecer… Hoje que estou distante, ás vezes meus olhos se enchem de lágrimas de saudades, mais se parar pra pensar, não aproveitei como deveria o tempo que tive quando estavam do meu lado…
    Amar acima de tudo, é o meu pensamento hoje, com amigos, família e até os que são somente meros conhecidos.

    Semear o amor, assim colheremos o bem!

    Ótimo dia meninas…

  10. Fabiana Camilo

    Não é à toa que me identifico tanto com seus textos. São lindos e cheio de sentimentos puros e verdadeiros.
    Minha família é o meu tudo… com todos os defeitos e qualidades de uma família “perfeita”.
    Um pai durão, cheio de regras; uma mãe neurótica com arrumação de casa e bem estar dos filhos; uma irmã mais velha que pouco fala, mas ficou muito amável depois que nos tornamos adultas e um irmão mais novo (casado) que é o filho que ainda não tive.
    A combinação perfeita de uma estrutura conflitante, mas extremamente feliz!
    O que me deixa muito mais orgulhosa e feliz é constatar que mesmo com casamento, saída de casa pra fazer outra faculdade e trabalho não nos separou.
    Almoço em família no domingo é sagrado e várias ligações durante a semana (as vezes pra não dizer nada, só ouvir a voz) nos mantém unidos… como se nunca tivéssemos saído debaixo da asa dos nossos pais.

  11. Vivi Oliveira

    Bem…não tenho irmãos….sou filha única filha de um filho único…meus pais são primos….minhas avós eram irmãs (nossa que rolo) rs!!!!
    Meu contato com os 2 sobrinhos da minha mãe é zero, afinal nossa diferença de idade é absurda além de termos sido criando em ambientes e situações bem diferentes.
    Na infância nunca senti falta em ter irmãos, hoje, com 37 anos após conhecer a dor da perda de pessoas amadas, hoje sim descobri a falta que sinto em ter um irmão…aquela pessoa do mesmo sangue, que te olha e gera briga ou gera um imenso sorriso….daquele em que a única descrição é: “-Oi, te amo, sei quem você é e estaremos sempre juntos.”
    Tento suprir a falta dos irmãos de carne, pelos irmãos de alma…não é fácil, mas é possível! Hoje afirmo que tenho em minha vida duas pessoas, talvez três que fazem o verdadeiro papel de irmão. Um cara, que cuida de mim desde muito criança…nos conhecemos com 6 anos de idade…é de vc sim que estou falando Vinicius, seu chato…além dele veio a Karen, brigas, desavenças, mas uma união fora do comum…extra sensorial a ponto da mãe dela dizer: você é mais irmã da Karen que os próprios irmãos dela…nunca te disse Karen e Vi, sou péssima falando e boa escrevendo…AMO VOCÊS KAREN E VI!
    Pois é, eu havia citado três amigos irmãos, esta última surgiu a pouco, muito pouco tempo, mas faz e fez por mim, muita coisa que jamais tive, demonstra sentimentos até então desconhecidos por mim e me faz expor os meus sentimentos, coisa muitoooooo difícil pra mim, fui criada pra ser durona…insensível mesmo que aparentemente. Nos chamamos gentilmente de “vaca”…rsrsrs…o importante é que começo a descobrir que estes 3 vieram justamente para suprir a falta dos meus irmãos de sangue.
    Obrigada por vocês existirem! Os amo muito e desculpe a chatice, sei que falo demais, critico demais e exijo perfeição demais…sorry…rs
    Bjs

  12. Vivi Oliveira

    Bem…não tenho irmãos….sou filha única filha de um filho único…meus pais são primos….minhas avós eram irmãs (nossa que rolo) rs!!!!
    Meu contato com os 2 sobrinhos da minha mãe é zero, afinal nossa diferença de idade é absurda além de termos sido criados em ambientes e situações bem diferentes.
    Na infância nunca senti falta em ter irmãos, hoje, com 37 anos após conhecer a dor da perda de pessoas amadas, hoje sim descobri a falta que sinto em ter um irmão…aquela pessoa do mesmo sangue, que te olha e gera briga ou gera um imenso sorriso….daquele em que a única descrição é: “-Oi, te amo, sei quem você é e estaremos sempre juntos.”
    Tento suprir a falta dos irmãos de carne, pelos irmãos de alma…não é fácil, mas é possível! Hoje afirmo que tenho em minha vida duas pessoas, talvez três que fazem o verdadeiro papel de irmão. Um cara, que cuida de mim desde muito criança…nos conhecemos com 6 anos de idade…é de vc sim que estou falando Vinicius, seu chato…além dele veio a Karen, brigas, desavenças, mas uma união fora do comum…extra sensorial a ponto da mãe dela dizer: você é mais irmã da Karen que os próprios irmãos dela…nunca te disse Karen e Vi, sou péssima falando e boa escrevendo…AMO VOCÊS KAREN E VI!
    Pois é, eu havia citado três amigos irmãos, esta última surgiu a pouco, muito pouco tempo, mas faz e fez por mim, muita coisa que jamais tive, demonstra sentimentos até então desconhecidos por mim e me faz expor os meus sentimentos, coisa muitoooooo difícil pra mim, fui criada pra ser durona…insensível mesmo que aparentemente. Nos chamamos gentilmente de “vaca”…rsrsrs…o importante é que começo a descobrir que estes 3 vieram justamente para suprir a falta dos meus irmãos de sangue.
    Obrigada por vocês existirem! Os amo muito e desculpe a chatice, sei que falo demais, critico demais e exijo perfeição demais…sorry…rs
    Bjs

    • Mandis

      Que linda Vivi! Você teve muita sorte!

      Também sou filha única! E meus primos ainda que próximos se distanciaram muito de mim quando ficamos adultos, não estão mais por perto como irmãos…

      E os meus amigos, na verdade um que tenho consideração de irmão, acho que ele não percebe o quanto eu preciso da presença dele por perto… tudo o que eu falo acaba sendo cobrança, sabe?! E não queria ter que “implorar” atenção, é bem difícil.
      A gente acaba se sentindo muito sozinha, parece que não tem ninguém para cuidar…

      Morro de medo só de pensar no dia que os meus pais e minha avó falecerem, tenho medo de acabar sozinha, sem ninguém para olhar por mim, para me acompanhar…
      Quando pequena não sentia tanta falta de um irmão, mas hoje em dia, acho que muitos dos meus medos seriam diferentes….

      Fico feliz que tenha achado pessoas tão especiais, espero que meus amigos se tornem pra sempre assim como os seus!

      Beijoo

  13. Mandis

    Que lindo texto!!!
    Me senti mais sozinha ainda por ser filha unica. Deve ser por isso que cobro tanto atenção dos meus amigos, acho que quero que eles supram essa ausência…
    Mas infelizmente não posso cobrar isso deles!
    Acho que eles não percebem, ou não sentem como eu né?! =[

  14. Virgínia

    Concordo com vc em tudo. Toda sua história é parecida com a minha mais ao contrário de vc perdi o meu pai aos 11 anos, sou a caçula de tenho um irmão de 37 Laércio e mais 2 do primeiro casamento do meu pai. Valte e Vilma. Temos contato, mais muito pouco, estava mais frequente, mais esfriou. Mais com o Laércio é diferente. Somos realmnete unidos, brigamos e muito mais sempre na intenção de ajudar. Ele tem uma linda filha com 8 anos que e´a alegria das nossas vidas…de uma beleza incrível e doce como o algodão doce faz jus ao nome que tem. E assim caminhamos para que tudo amanhâ seja diferente.
    Bjus Re

  15. irmão é tudo de chato e de bom ,não tenho irmã só um irmão mais novo que eu, com 52 e ele com 50 já passamos meio século de vida e se fico alguns dias sem falar com ele sinto uma saudade danada,tem razão familia é o nosso ponto de referencia um beijo

  16. Danielle

    Adorei o texto! É bom pararmos p/ pensar sobre o q realmente importa… tenho duas irmãs e somos bem diferentes, mas é muito bom contar c/ elas q sei q estarão sempre do meu lado apesar das diferenças. Amo vcs maninhas!

  17. Raquel Barros

    Ai Re…
    Acredita que chorei lendo seu texto! Também pudera né, somos em 8 irmãos (hj todos adultos) 5 meninas e 3 meninos imagina o “piseiro” hoje só tem 2 solteiros e perdemos nosso pai há 3 anos, me identifiquei d+ com o texto, eis aí o motivo do choro! Amo todos eles o engraçado é que nós de “dentro” podemos brigar e muito + se pelo menos desconfiarmos que um de “fora” pensou ou falou algo… “viramos a mesa”
    bjos

  18. Joice

    Amei seu texto.Assim como a Raquel tmbm me emocionei com ele.Tenho cinco irmãos,dois homens e tres mulheres,entre as mulhares sou a mais velha.Sou meio mãezona de todos,ajudei a cuidar deles quando eram pequenos e ainda cuido.Dou conselhos amorosos,ajudo nas lições do colégio,ajudo com sobrinhos doentes e no mais que for necessário.Amo meus irmãos,ás vezes brigo com eles,mas é só ás vezes…Sei que serei muito chato a vida sem eles.BJS

  19. PAMELLA REIS

    Conheci minhas irmãs quando a do meio tinha 11 anos e a mais nova 3. Eu não queria conhecê-las de jeito nenhum… recusava-me a aceitar que eram minhas irmãs!

    Hoje, morro de paixão e de orgulho por elas! São minhas princesinhas e apesar da diferença de idade acho o máximo poder sair por aí dizendo que são minhas irmãs!

    Hoje, as familias realmente não são mais estruturadas como eram antes, mas o que faz uma família é mesmo o amor.

    Beijos à todas

  20. Barbara Poskus

    Também to com saudade do gordo bola.

  21. Élen Carvalho

    EU BEM SEI COMO ISSO É FOGO. TENHO 5 IRMÃOS, SOMOS 6 FILHOS DA MSM MÃE DO MSM PAI, IMAGINAMM SEMPRE FOI BRIGA ATRÁAAS DE BRIGA, AINDA É. MAIS É QUE AS IDADES SÃO REALMENTE UM CONFRONTO DE IDEIAS. UM COM 26 ESTUDA DIREITO O OUTRO 24 ESTUDA MEDICINA, EU 21/22 ESTUDANDO PEDAGOGIA, UM DE 18 TENTANDO SER FUZILEIRO DA AERONAUTICA, UAM DE 14 QUE ESTÁ INSSUPORTÁVEL AFINAL ENTROU NA ABORRECÊNCIA E A DE 11 QUE É MEIGA, FOFAAA E MIMADA AFINAL É A CAÇULAA. É CONFLITO EM TD. qUANDO CHEGA AS FÉRIAS ESTÃO TODOS EM CASA E OCIOSOS. VC TEM NOÇÃO DO QUE VIRA? LÓGICOO TEM COISAS MARAVILHOSAS QUE ACONTECEM MAIS TBM BRIGAS INESQUECÍVEIS..KK AO MSM TEMPO QUE SINTO CIÚMES DO TRATAMENTO QUE MINHA MÃE FAZ DE UM E DE OUTRO, TBM HÁ AS CRÍTICAS QUANTO AS ESCOLHAS PROFISSIONAIS. AH É CONFUSOO E ESTRANHO DE FOR ESCREVER TD AKI É MUITA COISA. MAIS COMO SEMPRE DIGOO AMIGO É MEU UBIGO E PARENTE É A CARNE DE MEUS DENTES..RSRS BRINC. AMOO ELES E SEI QUE ACIMA DE TD SÃO ELES QUE SEMPRE ESTENDERAMMM AS MÃOS PARA ME ACOLHER E AJUDAR E ASSIM TEM SIDO. EM MEIO AS LOUCURAS AOS DESTRATAMENTOS E AOS CARINHOS AGUDOS..RS SEMPRE TEM AQUELES MOMENTOS DE LEMBRANÇAS E ZUEIRAS.

  22. viviane

    Nossa adorei esse texto..foi o primeiro do blog mulherao que me fez chorar e ver que preciso tomar umas atitudes em relaçao as minha atitudes(rsrsrs…desculpe a repetiçao,nao consegui evitar)Amei mesmo…Inclusive as fotos..Bjos a todos.

  23. Adorei o texto..Parabéns por ter a capacidade de escreve-ló
    Um grande Abraço

    Geh

  24. lorraine

    noosa amei o texto achei super lindo *_*
    infelismenti meu irmão faleceu, AMAVA eli dimais i amo ate hoje sinto mt falta deli mt mesmo ! por isu que eu digo aproveiten todos os momentos con seus irmãos porque quando agente perde e que vamos dar o valor que eli merecia ..

  25. Giovanna Nunes

    AMeeei ooo textooo ! Mee emcioooneeeiii !

  26. Rê,sou filha única e adotiva,mas sei que tenho uma irmã por ai nesse mundo(minha mãe adotiva me contou esse fato recentemente).As vezes sinto falta desse carinho,sempre tive muitos primos e primas,mas sei que um irmão é diferente.Me sinto perdida em saber que em algum lugar, alguem nesse mundão, pode parecer comigo,ter os mesmos traços geneticos,carregar a mesma “herança” familiar, pois desde que eu me conheço por gente não sei o que isso significa.
    Imagino só.
    Bjo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s