Arquivo do mês: outubro 2010

Tal pai, tal filho?

Por Keka Demétrio

O tamanho e as formas do corpo não medem o caráter de uma pessoa, mas sim as atitudes em relação à própria vida e o respeito que dispensa aos seus semelhantes. Preconceito sempre irá existir, de formas diversas, e é fato de que não serão totalmente extirpados, já que somos todos dotados, em menor ou maior grau, de sentimentos menos nobres.

Ninguém é obrigado a gostar, ou mesmo tolerar, em seu convívio, uma pessoa obesa, aliás, ninguém é obrigado a gostar de ninguém, mas isso não quer dizer que também possa desrespeitá-la da forma que for.

O ato desprezível intitulado “Rodeio das gordas” é a prova inconteste que devemos repensar com muita cautela a forma como estamos educando nossas crianças, e em quais alicerces e pilastras estão sendo erguidas a conduta moral e ética desses cidadãos que amanhã serão as molas propulsoras da nossa sociedade. A base familiar, sempre tão discutida, parece apresentar rachaduras, cujas infiltrações podem levar ao desmoronamento total.

O absurdo desrespeitoso a que fomos apresentados por estudantes da UNESP, deve abrir uma discussão profunda sobre quem é o culpado por atos assim: o jovem delinqüente, que de tão vazio de princípios e de qualquer tipo de respeito por si mesmo, e que sendo assim, se acha no direito de tratar seu semelhante como um animal, e precisa desesperadamente humilhar outro ser humano para se sentir minimamente alguém, ou se nós, pais, estamos amando tão pouco nossos filhos. Porque amar de verdade é impor limites, mostrar caminhos sem querer caminhar por eles, é ensinar que as quedas nos fortalecem e não os superproteger como bibelôs feitos de cristal. Criar um filho qualquer um cria, mas educar um filho só quem realmente ama o faz.

Se um filho meu estivesse envolvido em um ato dessa natureza, eu, como mãe, estaria com o sentimento de fracasso e decepção sangrando meu coração e corroendo minha alma. E não adianta pedir que Deus me livre de passar por uma situação dessas, porque Deus não irá se envolver nisso se meus filhos não tiverem dentro de casa o ensinamento dos princípios básicos do amor, do respeito, da dignidade, da honestidade e da ética.   

Toda essa conduta vergonhosa vem sendo noticiada pela mídia, portanto, momento oportuno para não mais nos calarmos, não mais baixarmos a cabeça e deixar o sentimento de inferioridade mais uma vez tomar conta. Ao exigirmos a continuidade do processo de apuração, e não aceitarmos qualquer tipo de punição, estaremos, quem sabe, impedindo que outras pessoas sejam transformadas em cachorrinhos encoleirados nos corredores de alguma outra universidade.

Mas, por obséquio, universidade não é lugar de gente inteligente???   

25 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Rodeio das gordas: Andrea Boschim emite sua opinião ao jornal da MTV

3 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Rodeio das gordas: alunas da UNESP são agredidas por colegas

Por Renata Poskus Vaz

Colaboração de Thalita, Fran e Andrea Delgado

Matéria extraída da Folha Uol, escrita por Eliane Trindade e Daniel Bergamasco. Leiam o absurdo:

“Um grupo de alunos da Universidade Estadual Paulista, uma das mais importantes do país, organizou uma “competição”, batizada de “Rodeio das Gordas”, cujo objetivo era agarrar suas colegas, de preferências as obesas, e tentar simular um rodeio –ficando o maior tempo possível sobre a presa.

A agressão ocorreu no InterUnesp 2010, jogos universitários realizados em Araraquara, de 09 a 12 de outubro. Anunciado como o maior do país, o evento esportivo e cultural, que reuniu 15 mil universitários de 23 campi da Unesp, virou palco de agressão para alunas obesas.

Roberto Negrini, estudante do campus de Assis, um dos organizadores do “rodeio das gordas” e criador da comunidade do Orkut sobre o tema, diz que a prática era “só uma brincadeira”. Segundo ele, mais de 50 rapazes de diversos campi participavam. Conta que, primeiro, o jovem se aproximava da menina, jogando conversa fora –“onde você estuda?”, entre outras perguntas típicas de paquera.

Em seguida, começava a agressão. “O rodeio consistia em pegar as garotas mais gordas que circulavam nas festas e agarrá-las como fazem os peões nas arenas”, relata Mayara Curcio, 20, aluna do quarto ano de psicologia, que participa do grupo de 60 estudantes que se mobilizaram contra o bullying.

No Orkut, os participantes estipulavam regras para futuras competições, entre elas cronometrar as performances dos “peões” e premiar quem ficasse mais tempo em cima das garotas com um abadá e uma caneca. Há relatos de gritos de incentivo: “Pula, gorda bandida”.

Com a repercussão, a página do site de relacionamento foi excluída. Cópias dos posts espalharam-se pelo campus em Assis. Em murais aparecem frases como “Unesp = Uniban”, referência ao caso a Geisy Arruda, que foi xingada por usar um vestido curto.

As vítimas não querem falar. “Uma das meninas está tão abalada que não teve condições de voltar à faculdade. Teme ficar conhecida como ‘a gorda do rodeio'”, afirma a advogada Fernanda Nigro, que acompanhou, na última terça-feira, uma manifestação de repúdio.

O grupo foi recebido pelo vice-diretor da Faculdade de Ciências e Letras, do Campus de Assis, Ivan Esperança. “Vamos ouvir os envolvidos e estudar as medidas disciplinares, mas não queremos estabelecer um processo inquisitório”, disse ele à Folha.”

116 Comentários

Arquivado em comportamento, Preconceito

Kelly Osbourn engorda, emagrece e não para de mudar o visual

Por Renata Poskus Vaz

Olá, meninas! Roubei descaradamente o post da minha amiga Milu, do Blog da Milu. Na verdade, achei o máximo os cortes de cabelo da Kelly Osbourn que provam que gordinha pode, sim, usar cabelo curto.

Veja o post, na íntegra:

Muitas leitoras me perguntam se gordinha pode usar cabelo curto ou se esse estilo deve ficar restrito às magrinhas. Kelly Osbourn, cantora e atriz, é um bom exemplo de mulher com rostos arredondado, que investe em cortes curtos, modernos e fica linda.

Aos 25 anos, a filha do roqueiro Ozzy Osbourn vive em constante briga com a balança. E neste engorda e emagrece ela sempre muda o estilo do corte e a tonalidade do cabelo. Tirando algumas extravagâncias e deslizes básicos, ela costuma surpreender os críticos de moda e influenciar fãs.

O que vocês acharam dos cortes de cabelo de Kelly Osbourn? “

5 Comentários

Arquivado em Beleza, Cabelo

Moda Moldes deste mês traz opções em moda mineira

Por Renata Poskus Vaz

A Moda Moldes deste mês trouxe nossa querida modelo Silvia Neves vestindo grifes mineiras. Os modelos são da Exxclusiva e da Atmo. Vale a pena para quem for de BH, visitar as lojas.

 

17 Comentários

Arquivado em Moda e estilo, Modelo GG

Marcia Spinelli é a nova modelo Carlota

Por Renata Poskus Vaz

A modelo paulistana Marcia Spinelli é a nova modelo da grife carioca Carlota. Em breve vocês irão conferir o novo catálogo da grife, aqui no Mulherão.

6 Comentários

Arquivado em Curiosidades, Moda e estilo, Modelo GG

Renner se rende e investe em manequins maiores

Por Renata Poskus Vaz

A partir deste mês, as araras de 50 lojas da Renner começam a receber um mix de peças plus size. Diversos modelos de calças, vestidos, jeans e blusas das marcas Cortelle e Marfinno, exclusivas Renner, passarão a ser encontrados em numeração que vai do 48 ao 54*.  Roupas coloridas e estampadas e com modelagens modernas são opções para as mulheres que não querem esconder as curvas vestindo peças largas ou escuras. 

 

*Cortelle: do 48 ao 52

*Marfinno: do 48 ao 54

25 Comentários

Arquivado em Uncategorized