Arquivo do mês: novembro 2010

Festinha do Blog Mulherão neste sábado. Já fez sua inscrição?

O nosso encontrinho será na Lapa. Das 15h às 19h. É muito importante que façam o dépósito e me avisem via e-mail, enviando o comprovante scaneado. Não aceitaremos pagamentos no local, nem mesmo das meninas que já conheço pessoalmente.

As empresas que estão nos apoiando com brindes: La Mafê, Wish Fashion, Elegance, Eveiza, Exuberance, Fernanda Avila -massoterapeuta, David Cabeleireiro, Morango Craft, Madame Valentine, Anna Joana, Chica Loca, Fuchicaria e muitos outros.

17 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Papai Noel chegou na La Mafê!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Sugestão para as gaúchas

Meninas do sul,

Fuçando pela net encontrei a grife M B Curvy, com peças joviais e super descoladas. Ela fica em Porto Alegre e Canoas e vende roupas do tamanho 44 ao 60. Anotem os endereços:

Rua Coronel Bordini, 793 – Porto Alegre/RS – fone: 51 3012.0937

Shopping Total, loja 1181 – Porto Alegre/RS – fone: 51 3018.7181

Canoas Shopping, loja 53/54 – Canoas/RS – fone: 51 3476.0220

Agora vejam que gracinha os looks:

A modelo da campanha é Camila Cura, blogueira do Fofashions

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Tati Gaião na capa do EXTRA, jornal do RJ

Por Renata Poskus Vaz

A nossa Tati Gaião, participante do Dia de Modelo do Blog Mulherão e Miss Plus Size RJ, é a capa do cardeno Bem Viver, deste domingo, no Jornal Extra. Além de Tati, a matéria sobre gordinhas traz entrevista com Camila Cura, do Blog Fofashions, Preta Gil e Fabiana Karla. Comprem o jornal e votem aqui para comentar, que tal?

30 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Tara Lynn

Por Renata Poskus Vaz

O que dizer desta foto de Tara Lynn tirada pelo fotógrafo Bob Wolfenson? Simplesmente linda!

26 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Proseando sobre teimosia e nostalgia

Por Eduardo Soares

Homem é bicho teimoso. Não existe um marmanjo barbudo na face da Terra que não seja assim. Adoramos dar broncas épicas nas mulheres (namorada/mulher/irmã/filha) quando estas não se cuidam, mas raramente honramos nossas palavras quando o assunto é o cuidado pessoal. Você conhece algum médico fumante que vive a dar conselhos contra o cigarro, certo? Pois bem, com a cambada masculina ocorre mais ou menos da mesma maneira. Pensamos que tudo de ruim só acontece com o bestalhão-cara-de-pastel do vizinho, mas esquecemos de olhar para o próprio umbigo. É por causa dessas que o quarentão só vai fazer exame de próstata quando está com suspeita da doença. E outra: todo homem tem medo de agulha, sim. Arrepiamos até os pêlos da alma quando vemos aquele pitoco de metal fininho entrando na carne. Analisando assim, percebemos o quão sábia é a natureza. Imagine um sujeito parrudo (como esses caras de jiu jitsu) dando a luz…ah, hora do parto seria tragicômica: a pancadaria comeria solta na parede, cama, guardinha, médico, enfermeira,  anestesista;  com xingamento, aflição, choro contido para enfim…ver o filho recém nascido deitado no peitoral suado paterno. Em seguida os amigos iriam cumprimentar o pai-que-pariu: aê camarada, você provou que é macho! É assim que se faz! ficou tranquilão, sem draminha!

Não, melhor nem pensar nisso. Vai que a medicina avance a tal ponto! Vixe!

Partindo do princípio da teimosia masculina e contrariando os pedidos da minha médica (rapaz, você está um pouquinho além da conta), acabei de comer um monte de besteiras pós-almoço. Desta forma, fica difícil imaginar que pretendo perder alguns quilos antes do meu aniversário (tenho três semanas para obter um resultado satisfatório). Bom, assim como acontece com os ursos polares, estou tentando fazer minha gula hibernar por um período indeterminado. Confesso que não é de hoje que como “de olho grande”, ou seja, devoro um monte de bobeira sem fome alguma. Isso é um péssimo habito e prometo que irei falar sobre o tema nos próximos dias.

Como diria o outro, sem querer justificar, mas já justificando, o que me fez parar para apreciar o biscoito foi o sabor de nostalgia que encheu meus olhos de imediato. Não sei quanto a fama nos demais estados, mas o biscoito Skiny fez o maior sucesso no RJ durante um bom tempo. E agora ele voltou com o mesmo layout! Para agradar pais e filhos.

Perto do meu trabalho existe uma loja de doces, dessas tão comuns espalhadas pelas grandes cidades. Ao fazer uma rápida checagem no local, presenciei guloseimas que fizeram parte da minha infância e, assim como o Skiny, estão de volta no mercado, o que comprova a tese da força dos anos 80 em nossas vidas.

Fora as lembranças clássicas: Diplink (aquele pirulito ruim demais enfiado num saquinho com pó de vários sabores), biscoito Monsters, Frutopan (trecos que inchavam quando eram fritos, não tinham sabor de nada, mas faziam o maior sucesso), balas Juquinha, Soft e 7 Bello, Gamadinho (balinhas quadradas, são na verdade uma pasta de amendoim cuja marca registrada é a embalagem cinza com coração sorridente – daí seu nome -), a  temida Zebrinha da Loteca no Fantástico, Show de Calouros no final de domingo, os eternos tênis All Stars, as cabeleiras das mulheres, o visual black power da rapaziada, vitrolas, discos coloridos, fitas K7, marcas de aparelhos como Sanyo, Telefunken, Sharp, cartas, telex, guaraná Taí, Crush, Avanço, Cachemire Bouquet, Cremucho, Claybom (a da menininha do Nhac), Cassino do Chacrinha, Clube do Bolinha, TV Manchete, cinema lotado com filme dos Trapalhões, Thundercats, Caverna do Dragão, Bob Pai & Bob Filho, cartolina nos trabalhos da escola (alguém ainda usa?), ficha no orelhão, cruzeiro, cruzado, cruzeiro novo, a Vendedora da Yakult na porta da nossa casa…

Hoje a moda entre a garotada é o Bob esponja, antes era a Família Dinossauros;

Lady Gaga de hoje era a Cindy Lauper de ontem;

O fenômeno Crepúsculo já teve sua versão brazuca: era a novela Vamp;

Blogs? Que nada! A febre eram os cadernos de respostas (verdadeiros confessionários dos adolescentes);

Passione faz sucesso? Você não viu o estouro do Que Rei Sou Eu? ou Guerra dos Sexos…

Chega por hoje. Daqui a pouco vou me sentir tão velho quanto o Mr Magoo.

 

31 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Sapato rosa-choque

Por Renata Poskus Vaz

São 1h da manhã e eu e a Nathy ainda estamos trabalhando para fechar a turminha do Dia de Modelo que acontecerá no dia 21/11. No meio de nossa conversa por meio do MSN eis que a Nathy me manda a foto da sua nova aquisição: um sapato rosa-choque lindooo! Tô morrendo de inveja, óbvio. O sapato é da Via Marte e tem salto baixo, super confortável. Eu usaria com um jeans e blusinha clara. E vocês?

 

17 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Amor ou submissão?

Por Keka Demétrio

Ninguém deve fingir que aceita os sonhos e as vontades do outro, cada um tem sua própria vida para escrever e não temos o direito de rasurar a história de ninguém, e quando pensamos em relacionamentos a coisa fica ainda mais complicada.

Quando estamos na fase da conquista, tentamos nos mostrar como aquele que está ali para completar a vida do outro, e se quer somos capazes de parar para pensar se realmente é isso que desejamos, ou se é carência, ou se estamos vivendo a fase “deixa a vida me levar”. E então o egoísmo nos cega e o que realmente passa a importar naquele momento não é o que o gato deseja, mas sim o que você quer, e naquele momento o que mais almeja é poder sair desfilando por aí com o dito cujo. Ou vice versa.

 Nesse caso você está buscando a auto afirmação e não um relacionamento pautado no amor. Amor é coisa bem diferente. O amor é algo muito profundo e não brincadeira que a gente começa e termina na hora em que bem entende. O amor é o que é, não precisa de tradução, de explicação, e qualquer teoria apenas tenta expor em palavras o que o coração sente quando está em profunda sintonia com a alma. Dizem que um relacionamento construído no amor não é egoísta, nem se prende a convenções, e ao contrário do que muitos pensam, é leve como uma pluma, e avesso a qualquer tipo de poder que possa levar alguém a se sentir subjugado.

Amor não tem nada a ver com poder. Entre duas pessoas que se amam não pode haver hierarquia, pois isso destrói a capacidade das pessoas de se declarar humano, dotado de virtudes e defeitos, sonhos e desejos. Quando se vive um relacionamento onde um se sobrepõe ao outro, é como se vivesse em um regime escravocrata, e sendo assim, não há troca, mas apenas submissão.  E a submissão não se pratica sozinho, assim como o amor é preciso que haja duas pessoas, porém, diferente do amor que engrandece e nos torna fortes diante das intempéries da vida, a submissão nos faz pequenos, ínfimos, machuca nossas asas e nos impede de voar.

Portanto, cuide das suas asas, não permita que seus sonhos sejam anulados ou esmagados pela sua pouquíssima autoestima. Trabalhe o que tem de melhor e se permita voar. Acredite, tem muito jardim que você precisa conhecer.   

40 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Mulherão no Japão

Por Karina Abe

Queridas leitoras do mulherão, me chamo Karina Abe, tenho 32 anos.

Sou filha de japonês, neta de italiano e mãe de 2 lindos filhos. Resido na terra do sol nascente há 12 anos. Voltei por 2 vezes ao Brasil, porém minha estadia foi bem curta.

Vocês devem estar se perguntando o que um *mulherão* está fazendo do outro lado do mundo!!?? Enfim, minhas queridas, é uma longa história, mas não vamos nos desviar de nosso assunto.

Como vocês, sou um MULHERÃO que desde a tenra idade começou a fazer as dietas tão esperançosas para perda de  peso.

Posso ser sincera?? Nada adiantou, queridas! Tive que passar pelas frustrações, solidão de adolescente, olhares inibidores no meio da rua, preconceito e humilhações. Mas, hoje, estou aqui VIVA, cheia de charme, sensual, maravilhosa e com meus 32 anos bem vividos. O Japão me ensinou profundamente, que a BELEZA depende de quem está a observando.

Estou em um país  que o padrão de beleza é de 45 a 48 kilos. Magra não seria a palavra certa. Mas OBSCESSÃO ao padrão pré – estabelecido de beleza neste país. Somos discriminadas e pré – julgados  visivelmente. Mas como disse, anteriormente, a beleza depende de quem está observando.

A começar por nós, queridas, nos aceitando, nos amando e nos enchendo do que a vida há de melhor. Sempre, em toda a minha vida,  fui vaidosa ao extremo, de passar creme em cada parte do corpo, de comprar os melhores xampus, de escolher os melhores sapatos e jamais ficar por baixo de ninguém…. Não ser soberba, mas me aceitar assim mesmo como sou.

Sempre fui apaixonada, sim, apaixonada, pela raça NEGRA… Acreditem se quiser, rsrsrs. Uma japinha com um negro…Um arraso minhas queridas, eu garanto!!! rsrsrs….

Enfim, meus amores, tenho TPM, sou geminiana, faço salgadinhos como minha fonte de renda, cuido dos afazeres domésticos, faço compras, tenho meus *pits* e, acima de tudo, tenho meus sonhos e desejos, que podem ter certeza ,são inúmeros.

E depois de tantos anos neste país, surgiu meio que de repente a oportunidade de mostrar a esta nação tão preconceituosa, que nós, mulherões, temos aptidões, virtudes e qualidade de vida. Em dezembro, irei participar do primeiro evento plus size aqui no Japão. Dia 12/12.

Aqui no Japão, somos nós, brasileiras e estrangeiras de outras etnias que sofremos com a ditadura da magreza. Vocês devem estar se perguntando, mas não existe japonesa PLUS???? Queridas, acreditem se quiser, as que tem, estão ocupando um papel engraçado em algum programa de humor. Modelo PLUS SIZE!!?? Nunca vi.

A partir de hoje integro o time de colunistas do Mulherão. Vou contar tudo o que estiver rolando em terras nipônicas para vocês. Se tiverem sugestões, críticas ou idéias me escrevam. Será um prazer estreitar amizades e matar um pouco desta saudades do meu BRASIL.

Então, aguardem mais curiosidades e notícias Made in Japan

Beijos sabor sushi Ká

                    

66 Comentários

Arquivado em Mulherão Internacional

Lenços removedores de maquiagem e esmalte

Por Renata Poskus Vaz

Bonitas, novidade quentíssima. No encontrinho da Nega em Campinas, ganhei duas latinhas de lenços da Océane Femme. Uma lilás para remover esmaltes e outra rosinha para remover maquiagem. Uso e aprovo!

Tem gente que não gosta. O lencinho é pequenino e muitas vezes você precisa de diversas unidades para limpar as unhas ou os olhos. Para mim, ele funciona para emergências. Em casa, uso demaquilante para retirar os resíduos de maquiagem e acetona com algodão para retirar o esmalte. Mas e na rua? Acidentes sempre acontecem, como maquiagem borrada e unhas descascadas. E é aí que entram os lencinhos da Océane Femme. São práticos, você carrega na necessaire, e pronto. Não rola usar todos os dias, até porque são muito caros.

 Uma latinha custa em média R$8 reais e vem com 20 lencinhos. Para retirar uma maquiagem leve usei 2 lencinhos. Isso quer dizer que a latinha duraria apenas 10 dias. Total de R$24 no mês. Rola mais ter um demaquilante no armário, né?

8 Comentários

Arquivado em Beleza