Derrubando a máscara do natal.

Por Keka Demétrio

E viva o Papai Noel, as luzes que enfeitam as avenidas, as promoções do comércio e a incoerência de alguns.

Nessa época, geralmente, algumas pessoas vestem a máscara do “espírito natalino” e se esquecem da habitual prática de ofensas que comete contra seus semelhantes no decorrer do ano. Acho fantástico esse clima de amor e carinho que toma conta de todos nós, mas penso que não precisamos usar máscaras e sim através da nossa evolução como seres humanos deixar que nosso coração ofereça luz todos os dias do ano.

O que será que nos impede de sermos calorosos o ano todo, de desejarmos felicidades às pessoas, de oferecermos um sorriso ou uma palavra de carinho em um dia qualquer? Por que será que deixamos escapar no ano 363 chances de nos cercarmos de amor para nos contentarmos com míseros dois dias? Como diz um amigo gato, inteligente, futuro economista e tudo de bom (meninas depois passo o e-mail dele…ahahahaha): ”Keka, vivemos em uma sociedade hipócrita e individualista, pois quando chegam os dias do feriado natalino percebemos uma repentina mudança em relação à solidariedade. Por que não somos solidários e “bonzinhos” constantemente? Isso reflete uma sociedade que vive de muita aparência e pouca essência.”

Ok, eu sei que falar é tarefa fácil, difícil é realizar, pois exige esforço sobre humano, já que somos imperfeitos demais. Às vezes deixamos de viver nossa própria vida para vivermos a vida dos outros porque não temos coragem de olharmos para dentro de nós mesmos e encararmos as escolhas erradas que fazemos, passamos a julgar os outros porque é dolorido fazer o próprio julgamento descortinando imperfeições, mentimos para o nosso coração como se fossemos capazes de esconder de nós mesmos o que carregamos na alma.

Natal é época de confraternização, mas de que adianta querermos ofertar amor ao próximo se não amamos a nós mesmos, se não reconciliamos conosco. E isso não se faz da noite para o dia, não é como uma discussão com um amigo que logo depois conversamos e voltamos às boas.

Para estar de bem consigo mesmo é preciso ter autoconhecimento, entender que não somos santos e nem demônios, mas seres em constante evolução e que a forma como renascemos todos os dias é que irá determinar o tamanho do amor que poderemos oferecer nessa época em que o FILHO de DEUS faz crescer dentro de todos nós a fé e a esperança de que somos todos irmãos.

 

14 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

14 Respostas para “Derrubando a máscara do natal.

  1. Falou e dsse!!! Chega de hipocrisia!!!

  2. FABIANA SOARES

    Realmente, as pessoas passam o ano todo discutido, maltratando e humilhando as pessoas e quanto chega a época de natal todos viram pessoas boas e sensatas

    Este seu amigo é sabio mesmo, nossa sociedade é hipocrita e individualista, concordo em tudo

  3. Juliana Luz

    Bom..particularmente..hj em em dia não sou muito fã tbém de Natal não…(festejo, pois tenho meu fiote de 07 anos q ainda acredita em Papai Noel)…então invento mil coisas, brincadeiras, etc…por ele!!!!!!
    Pois acho essa época um tanto hipócrita, não generalizando claro, mas existem pessoas que perderam o sentido do Natal…e DE REPENTE… ficam boazinhas, doando roupas, brinquedinhos, cestas básicas….”NÃO é só nesta época q deviam ajudar…. pois tem gente que precisa disso tudo o ano inteiro… (penso eu q elas acham q vão ser beneficiadas nesses últimos 15 dias do ano… pelo bem q não fizeram o resto do ano q passou)….
    Mas, tudo bem… cada um….., cada um…né
    Bjsss
    lindo texto…

  4. Juliana Luz

    D. Keka…
    Na verdade copiei esse meu comentário…
    de outro dia que o deixei num texto do Edu…
    mas coube perfeitamente aqui novamente!
    Bjks
    muitasss FELICIDADES, PAZ , AMOR,..PRA VC!
    Pelo menos aqui encontramos calor humano o ANO INTEIROOO!!!
    RSRS

  5. Karina Abe

    Aleluiassssssssssssss!!!!!!!!!!!!!
    kekinha acredita que e isso que vivemos escancaradamente aqui no Japao????
    So Jesus mesmo para colocar o AMOR diario nos coracoes….
    beijos sabor sushi Ka

  6. Olá, Keka. Parabéns pelo excelente texto. Bom, eu acredito que o Natal é uma época em que nós devemos repensar tudo aquilo que fizemos durante os outros dias que antecederam. Uma espécie de balanço do nosso coração. É talvez a grande oportunidade para refletir sobre tudo aquilo que fizemos de bom ou ruim, tudo aquilo que dissemos que confortaram ou machucaram outra pessoa. Refletir também sobre como podemos crescer, superar nossos limites, como nos tornamos homens e mulheres melhores. Tal como você quis dizer, é a chance de olharmos para dentro dentro de nós mesmos, pro nosso próprio coração.
    Bom, é isso. Abraços e beijos e um feliz natal. Que Papai Noel possa te dar aquilo que você mais deseja.

  7. Cynthia Alonso

    Natal feliz, só incluindo o aniversariante! Aí também incluimos de forma sincera os bons e verdadeiros sentimentos. E eses sentimentos se estendem durante um ano inteiro, por uma vida inteira, porque são construídos de forma sólida.
    Amo Natal! E, para mim, eles tem sido sempre felizes!
    Cheiro pra tu, Keka, amiga linda e especial.

  8. Alê Bergoce

    Kekaaaaaa!!!!

    Ti adoruuuuuuuuuuuu

    Feliz Natal!!!!!!!!!!!

  9. Ada Cristina

    Parabéns, Keka!

    Seu texto mostra bem a realidade que assola as pessoas nesses dois dias de Natal.
    É tanta hipocrisia, que nem dá vontade de ligar a Tv, ou sair às ruas…tudo comércio e nada mais. O verdadeiro sentido…que sentido?…do Natal, ninguém se lembra durante o ano todo…é uma pena!
    Enfim, grande beijo e Feliz Natal a vc e a toda sua família e a quem mais amar!

    Beijos,

    Ada Cristina

  10. Oi flor! Belo texto…mais uma vez. Parabéns! Acho que deve fazer um livro, uma coletânea desses texts. Bem meu cunhado escreveu um texto bem legal. Achei a sua cara: crítico, reflexivo…enfim…
    “Natal – Novamente (Por Iorlando Beletti Júnior)

    Novamente o natal, novamente pinheiros enfeitados com neve em um país tropical, novamente o aumento do movimento nas ruas, nas lojas, comércio, luzes, canções…
    Novamente “papais noéis”, novamente presentes, novamente sorrisos obrigatórios e abraços compulsórios.
    Novamente amigos secretos, congestionamentos e muita, muita comida e bebida…
    Novamente a felicidade superficial, a religião superficial e o amor passageiro…
    Quando o ritual é comercializado, o crente transforma-se em consumidor e apela-se para seus sentimentos em uma verdadeira chantagem emocional, com o objetivo de lucro.
    Em uma sociedade que nos parece hipócrita, está na hora de olhá-la com uma nova mente, de uma forma diferente, de uma nova perspectiva.
    Olhá-la não para sua aparência, mas para o que a aparência oculta, para seus interstícios…
    Assim, o que nos parece falso, fala-nos da necessidade que temos de autenticidade e, o que nos parece superficial, faz-nos pensar em aprofundarmo-nos em nós mesmos, conhecermo-nos, tornamo-nos autênticos. Autenticidade que não precisa ir contra o “status quo”, mas que o interpreta e a ele reage fundamentado em seu ser mais profundo.
    Momento, portanto, de interiorização, de silêncio em meio aos ruídos natalinos.
    Para uns, o retorno às origens, para outros o caminhar na direção apontada pelos símbolos ancestrais reinterpretados.
    De uma forma ou de outra, cabe-nos a responsabilidade, não da revolta (pois esta é inócua), mas da resposta autêntica e profunda; momento em que a Presença é indispensável para que nossos atos sejam a expressão de nossa doação àqueles que amamos.
    Que em meio à correria, possamos, no ano que se avizinha, sermos cada vez mais nós mesmos e, desta forma, sermos cada vez mais homens e mulheres, partícipes da comunidade a que pertencemos, respeitando nos outros as nossas contradições.
    Feliz Natal e um Ano Novo de muita realização Pessoal.

  11. Fernanda

    Adorei o texto!!!!!É isso mesmo…
    Como ex magra sofro um pouco na época das festas, a alegria mesmo é estar com meu marido e filha que me aceitam como eu sou, mas o resto vive de observações e piadinhas, tipo casou e virou um bucho. Na hora da sobremesa me sinto observada. Uma lástima e acreditem uma das pessoas que mais me critica (inclusive publicamente) é minha mãe que está se acahndo muito magra( por conta da diabetes!!!) e se acha no direito de me escrachar, chamando de berriguda, ve se emagrece em 2011, estas coisas.
    E se eu quiser ficar com os 25 kg que ganhei? Como vc era magra, como vc era linda, etc e tals. Eu posso garantir que sou a mesma pessoa não mudei nada. Quero que passe logo estas festas.

  12. Valéria Terriaga

    Nossa Keka, vc falou tdo mesmo!! As pessoas deveriam olhar para si antes, de atacar o seu semelhante.. Pq não somos bons o ano tdo invés de usar uma máscara de bonzinho, o mundo seria tão melhor. Uma lição q eu uso diariamente é, para mudar o mundo ao meu redor, primeiro procuro mudar meu interior!!! Amo seus textos, vc é uma mulher de contéudo realmente, q só tem acrecentar no nosso dia a dia. Parabéns e um excelente 2011!!!! bjs

  13. kelli cristina

    nosa keka vc falou a pura realidade as vezes eu penso qe o povo melhor o homem em sim eles gostam de brincar de polici e ladrão o bom e o vilão a princesa e o plebeu é isso mesmo tem qe cair na real qe ser bom caridoso não e só em data natalina temos qe ser constante mente umilde e amigos.parabéns…qe Deus posa te espirar sempre com suas poesias e seu aprendisagem de vida bjks..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s