Arquivo do mês: abril 2011

Blog Mulherão realiza Dia de Modelo especial de Dia das Mães na Magnólia Plusize

Por Renata Poskus Vaz

Neste dia das mães, o Blog Mulherão quer proporcionar para você, sua mãe e/ou suas filhas, de todas as idades, um Dia de Modelo diferente, com direito à maquiagem, cabelo e produção de moda com looks modernos da loja Magnólia Plusize. Vocês farão um book especial, individual, mas também poderão tirar algumas fotos juntas, para guardar de recordação.

Será montado um estúdio profissional na sobreloja, com fundo infinito branco, garantindo a mesma qualidade de sempre do Dia de Modelo Plus Size promovido pelo Blog Mulherão.

 Data: 7 de maio

 Local: Loja Magnólia Plusize

Avenida São João, 725 República

Horário: das 9h às 13h ou das 13h às 19h

 Valor: R$400 em até 3 vezes ou R$360 à vista.

 Valor especial para mães e filhas: Cada uma paga R$300 à vista.

Inscreva-se no blogmulherao@hotmail.com ou por telefone: (11) 7434-8807 com Nathy Arias, ou (11) 8574-3558 com Barbara Poskus.

 

 

 

6 Comentários

Arquivado em Dia de Modelo, Moda e estilo, Modelo GG

O coração tem razões que a própria razão desconhece

Por Eduardo Soares

Blaise Pascal era um frasista de marca maior. Além dessa pérola, temos outra frase bastante conhecida (e utilizada no presente) do mesmo autor: “Quanto mais conheço as pessoas, mais gosto do meu cão.” Pascal morreu em 1662 porém suas frases continuam atuais o que deixa uma interrogação na minha cabeça. Seria o francês uma espécie de visionário, aquela pessoa que vive anos luz da sua realidade?

Recentemente uma amiga veio desabafar. Moça nova, foi precoce em quase todos os aspectos da vida como por exemplo o casamento. Com menos de vinte anos (precisamente aos desenove) ela ostentava um aliança na mão esquerda. Mas até chegar nesse ponto, muita coisa aconteceu antes.

Cintia (nome fictício) era daquele tipo de menina caseira que vivia para estudar, estudar e estudar. Timida, não era do tipo que fazia muitas amizades. Mas ao mesmo tempo, ela chamava atenção por onde passava devido a sua beleza impactante: pele branca, cabelo preto na altura da cintura e olhos castanhos claros. Dificil não notar sua presença, mesmo que ela não fizesse nada para aparecer. Num desses dias em que saía da escola, surgiu Pedro, verdadeiro sujeito maluco beleza. Roqueiro assumido, cabeludo, barba por fazer, andava sempre de preto para todos os lugares, com direito a pulseiras de couro, botinas, bandanas e até anéis de aço em formatos de caveiras. Criatura mais punk, impossivel. Através de conversas despretenciosas ele foi entrando naquela mente praticamente intocável de Cintia e esta ao mesmo tempo começava a conhecer um lado romântico daquele quase ogro. Ambos pareciam os personagens do conto A Bela e a Fera. Ela, linda, amorosa, delicada; ele, sujo, avesso a cultura, parecia um Peter Pan bêbado largado na madrugada.

Sabe-se lá por qual motivo, Cintia começou a ficar interessada em Pedro que por sua vez abriu o coração para receber todo encanto da menina. Juntos, adolescentes, pessoas de mundo completamente diferentes, dois jovens com perspectivas distintas a respeito da vida (ela já traçava algumas metas enquanto ele traçava garrafas de uísque ao som de qualquer banda heavy metal), e talvez fosse esse o único motivo compreensível para justificar o romance inusitado, ambos eram iniciantes na arte do namoro.   Ela começou a trabalhar numa pequena loja enquanto ele só vivia para estraçalhar as janelas da casa ou os tímpanos dos vizinhos com aquela musica alta, cujas letras eram praticamente incompreensíveis, dada a rapidez que os vocalistas utilizavam para “cantá-las”. O amor de Cintia era tamanho que ela fazia de tudo para que Pedro fizesse parte do seu mundo, ou seja, ele precisava desplugar-se do som para ficar plugado na vida, no futuro, nos estudos, numa carreira qualquer. Reticente, Pedro sempre saia pela tangente e de certa forma conseguiu tapear Cintia por cinco anos. Sim, metade de uma década foi dedicada para que alguém, o dono daquele amor inexplicável, pudesse ser um homem de verdade e não uma caricatura de gente grande.  Dias, meses, anos e o panorama era o mesmo. Os adolescentes já estavam beirando os vinte anos e por isso era hora de tomar atitudes condizentes com a idade. Cintia se perguntava o porquê daquele amor. Outro dia citei uma frase mais ou menos assim “gosta-se da pessoa errada; sabemos que essa pessoa não trará nada de bom para nós, mas mesmo assim continuamos gostando”.  O coração tem razões que a própria razão desconhece.

Era hora do ultimato. Cintia percebeu que daquele jeito não havia amor no mundo que justificasse sua estagnação para a vida. Com isso, aconteceu um imenso conflito interno: o amor inexplicável, grandioso e delicioso versus os fatos recentes que apontavam um fracasso no que diz respeito a pouca perspectiva de vida ao lado de Pedro. Foi nessa hora em que a razão falou mais alto e Cintia deu um basta em tudo. Pedro ficou sem chão afinal ela era seu alicerce, a menina de família que daria o mundo por ele não aguentou a triste e imutável realidade. Deram um tempo, ela tocou a vida e ele também. Só que vem a famosa recaída e três meses depois, ambos voltaram. Cintia pensou que tudo seria diferente, afinal Pedro tinha aprendido a lição. Ledo engano. Para simplificar, como diriam os antigos, a emenda saiu pior que o soneto e o namoro recém-retomado perdeu o rumo de vez. O amor de Cintia era tamanho que, mesmo sem culpa, ela cultivava um inexplicável fracasso por não ter conseguido mostrar a Pedro como a vida realmente deveria ser aproveitada.

Uma semana depois do término, Pedro sofreu um acidente de moto onde veio a falecer aos vinte e três anos de idade. Agora, era o mundo de Cintia que não possuía solo. Todos os piores sentimentos existentes ecoavam em sua cabeça. Os três meses seguintes foram terríveis e, mesmo fragilizada, a moça retomava aos poucos o rumo da vida. Carente, confusa, amedrontada, na mesma época ela cedeu aos encantos de um rapaz que dias depois vinha a ser seu marido.

 

O casamento perdura até hoje e na verdade parece ser uma cópia fiel do que foi o primeiro namoro. Perdida entre remorso, ausência total de sentimentos e doces saudades, Cintia sobrevive, aos vinte e dois anos, com coração cansado de quem teve (e talvez nunca mais terá) um adorável amor bandido.

Em meados do século XVII, Blaise Pascal disse que o coração tem razões que a própria razão desconhece. Quatrocentos anos depois os tempos são outros e os desafios que cercam o amor são os mesmos. E talvez nunca mudem.

20 Comentários

Arquivado em comportamento, Relacionamento

Noivas Curitibanas

Por Renata Poskus Vaz

Olá, garotas! Foi tudo perfeito em Curitiba, PR. Desfilamos para Edson Eddel no “Noivas Curitibanas”. Foi bom rever a cidade em que morei por mais de um ano e poder fazer novas amigas, além de estreitar os laços com amigos que já conhecia. Fomos em 6 modelos paulistanas, mas ao todo desfilamos em 4o.

Eddel foi um show à parte. Para ele, como sempre, não bastava desfilar. Era necessário causar. E causou! Todos aplaudiram suas coleções e performances bem -humoradas (sim, ele também é ator!).

Fiquei lisonjeada em abrir o desfile de Edson Eddel. Fiz uma breve apresentação, salientando as contribuições do estilista à moda GG. Entrei com um modelo em material reciclado e, depois, com um longo frente única de noiva, lindo.

E minha passagem por lá não foi só a trabalho. Pudemos curtir bastante também. Veja só, a gente, no bar Santa Martha:

 

13 Comentários

Arquivado em Mulherão Viaja, O que rola por aí, Vestido de festa, Vestido de festa para gordinhas

Sorteios

Garotas, mais uma vez pisei na bola com vocês. Deixei de divulgar o resultado de alguns sorteios e também de postar um montão de outras novas promoções com prêmios bacanas. Meu e-mail travou, a internet de casa pifou e, de quebra, tive alguns compromissos que me impossibilitaram de entrar na internet na última semana. Amanhã estarei em São Paulo e prometo colocar o barraco em ordem, ok?

beijos,

Renata

2 Comentários

Arquivado em Sorteios

Encontrinho de mulherões cariocas na Via Plus nesta terça-feira

Por Renata Poskus Vaz

Mulherões cariocas, a Via Plus realizará um dia especial de consultoria em jeans para gordinhas. Comparecendo à loja, você conhecerá modelagens e lavagens que favorecem sua silhueta. Tudo grátis, não implicando na obrigatoriedade de adquirir produtos na loja. Mas se quiser levar alguma calça da loja, pagará com 15% de desconto. Essa promoção só vale amanhã.

Para saber mais, clique aqui.

3 Comentários

Arquivado em Moda e estilo, Moda Inverno

Renata Poskus desfilará para Edson Eddel, neste domingo, em Curitiba

Nesta semana, Curitiba sedia o grande salão Noivas Curitibanas. Edson Eddel, estilista que virou figura emblemática no Fashion Weekend Plus Size, apresentará, às 19h de domingo, um desfile com looks especialmente elaborados para o público plus size.

Lauren, a garota-propaganda plus size do Edson Eddel 

Entre as modelos convidadas, Lauren Sieminsk, o rostinho que ajudou a consagrar a marca de Edson Eddel entre o público GG. Lauren, além de conceituada modelo GG em Curitiba, atua como cerimonialista de eventos. Para conferir o blog de Lauren, clique aqui.

Edson Eddel (de camiseta bem-humorada do Mickey) 

Esta semana, as modelos Curitibanas que também integram o casting da marca, participaram de programas de TV local. Renata Poskus foi especialmente convidada para o desfile, que também contará com a presença das modelos Andrea Boschim e Nadja Leitão.

Veja quando, onde, como assistir ao desfile. Clique aqui.

9 Comentários

Arquivado em Uncategorized

#ZeroMakeDay

Por Dani Lima

A Kalli lançou a idéia e nós a pescamos sem pestanejar. Passar o dia 15/04 inteirinho mostrando nossa real beleza. Um dia em que vamos deixar a pele descansar dos cosméticos que vivemos nos entupindo para disfarçar imperfeições! UM DIA SEM MAKE ou, um #ZeroMakeDay!

A proposta é permitir que nosso rosto por si só, expresse o que temos de bonito, sem subterfúgios; sem máscaras!

OOOOPS!!!! E o papo é bonito, né, povo? Difícil é botar o carão limpo pra jogo! hahaha

Mas aqui só tem Mulherão CORAGI! Bora?

OI, OLHEIRAS! =D

Participar do #ZeroMakeDay é ótimo! O tenso é sair de casa nessa vibe! haha Fui olhar as modas ontem de tardinha com meu best e lembrei que precisava ter uma foto sem make pra hoje! Resultado: saí de cara lavada, levei a câmera e pronto! Me senti meio zombie com as olheiras à mostra, mas a gente faz a linha, né? Ahn, devido a isso, estou no #ZeroMakeDay desde ontem de tarde, rs. Haja ar puro pra minha cutis 😉

Falei correndo com a Keka ontem de noite também e ela se jogou no carão sem make! Só ficou com receio de mandar mal, mas gente bonita nem fica com cara feia, concordam comigo? rs

O bacana de toda essa campanha é que, além de prestarmos atenção em quem somos de verdade e encararmos nossas imperfeições como uma consequência e não como um problema, nossa pele irá agradecer por esse dia em que poderá respirar livremente!

Não sei vocês, mas eu tenho um ritmo de trabalho super averso à rotina, sendo muito mais criativa pós-00h, então troco o dia pela noite! E isso me causa olheiras sem precedentes, que me obrigam a andar de corretivo all day long (e ainda assim eu trabalho o estilo num óclão fazendo a disfarçada haha)! E eu SEMPRE digo que vou passar um dia sem maquiagem, mas o máximo que consigo é um dia com menos maquiagem! rs O problema é que até o dia com o mínimo de pó e aquele blush só pra dar saúde mesmo, entristece a nossa pele! Passar um diazinho deixando ela respirar é tudo que precisamos =)

E você também pode participar desse momento liindo em que todas estamos encontrando beleza no nosso lado Fiona! haha A Kalli  vai receber fotos de todas as bonitas na vibe #zeromakeday para montar um vídeo que vai acompanhar a camapanha LoveYourBody. Para participar, você deve:

  1. Postar sua foto em seu blog, twitter, facebook ou qualquer outra rede social, nunca esquecendo da hashtag #ZeroMakeDay e mandando o link para o formulário que está anexando NESTE POST do blog Beleza Sem Tamanho, ou…
  2. Se você não utiliza nenhuma rede, não tem problema! É só mandar a foto para o email belezasemtamanho@gmail.com.

E antes que o vídeo seja feito, todas as fotos serão reunidas no Facebook do Beleza Sem Tamanho ao longo do dia 15/04!

Meninas, vamos participar e espalhar a notícia por aí! Asloka do twitter podem trabalhar o dedo nervoso pra levar o #ZeroMakeDay pros TT’s!

Ahn, e quero ver todas as leitoras do Mulherão mostrando que, como diz a Kalli no mote da camapanha, “Ser bonita de maquiagem é maravilhoso, mas ser Maravilhosa sem nada é ainda mais especial“! 🙂

12 Comentários

Arquivado em Beleza

Magnólia Plus Size procura modelo masculino gordinho para a sua loja virtual

Por Renata Poskus Vaz

Olha lá, homenzarrões (kkkkkk….viu, como sou letrada?!) ! Vocês que tanto solicitavam uma chance para mostrar seus dotes fofuchos como modelo, agora podem se candidatar a uma vaga na futura loja virtual da Magnólia Plus Size. Para participar, clique aqui e siga as instruções. Boa sorte, rapazes!

Bruno Russi, acima, é modelo da Kauê

19 Comentários

Arquivado em Modelo GG

Conversa de pré-pai para quase filhas

Por Edu Soares

Hoje escrevo exclusivamente para nossas queridas leitoras adolescentes. Estou com 32 primaveras nas costas e começo a exercitar meu lado paternal (sem maldades) da melhor forma possível: proseando. Adoro debater, ouvir/ler opiniões distintas, conhecer os dois lados de um mesmo assunto. Exceto em raríssimos casos, unanimidade gera preguiça cerebral.

Acidentes de trânsito acontecem em sua maioria por dois motivos distintos:

Embriaguez – incrível como algumas pessoas teimam em beber e dirigir. Esquecem que álcool é combustível apenas para os veículos e não para seus condutores. Na verdade fico preocupado não com o motorista (caso este se prejudicasse sozinho, beleza) e sim com as pessoas que podem sofrer por causa da imprudência de um sujeito imbecil.

Excesso de confiança – para alguns, afundar o pedal direito e ouvir o motor roncando alto significa pilotagem profissional. Infelizmente estive envolvido indiretamente neste exemplo. E até hoje sofro por isso. Muita molecada bate com o carro por excesso de confiança. Fora isso, conheço gente que mal tirou a habilitação é já pensa em pilotar um carrão que vai de 0 a 100 em sete centésimos de segundo. Dizem que a mulherada é mais prudente do que nós, homens. Pode ser, mas imprudência independe de sexo, idade, nível de escolaridade ou classe social. Afinal de contas, ser atropelado por um Fusca verde ervilha 1969 ou um Mustang GT 500 gera a mesma fratura.

Bom, vamos pautar no segundo exemplo. Quantas vezes cometemos erros por excesso de confiança? Seu chefe (muitos adolescentes trabalham, pois eles influenciam no sustento da família e tenho certeza que alguns de vocês se enquadram neste perfil) pede aquele relatório que você sabe fazer num piscar de olhos e por isso, a tarefa fica para depois. Só que acontecem quinhentas coisas ao longo do dia e quando a ficha cai, começam as cobranças de todos os lados, criticas, pressão…

Sua inteligência é evidente. Sabendo disso, você dedica pouco tempo para fazer uma revisão naquela matéria complicada da faculdade. A prova está chegando mas sua atenção está voltada em mil e uma coisas, exceto na dedicação para a tal prova. Eis que chega o dia e…deu branco! Como pode? O que aconteceu? Você sabia de tudo!!

E quando o assunto é coração, a confiança pós-juvenil/pré-adulta ganha ares inatingíveis. Aquela pessoa que mexe com você resolve investir pra valer na ficação (ou namoro, quem sabe). Para conquistar alguém, fazemos de tudo. Ou melhor, falamos de tudo. Citamos, concordamos, acatamos, prometemos. Mas nem sempre a pessoa que faz juras cumpre com as promessas. Confiar desconfiando é a melhor solução? Não sei, mas confiar cegamente em tudo o que você lê/ouve certamente não é atitude mais sensata.

Mas não tem jeito, o maior sábio do mundo pode enchê-las de conselhos só que todo e qualquer assunto referente a sentimentos só é acatado quando nós passamos por atribulações. Lembra do exemplo “só aprende a andar de bicicleta quem cai”? Pois é, o mesmo ocorre com quase todos nós.

Bem, antes que as quedas forem hematomas cada vez maiores, pise no freio. Antes que o excesso de confiança ganhe ar de prepotência, seja mais humilde. Antes que o chefe assine sua rescisão, pense na sonhada promoção (não a do shopping e sim a profissional).  Confie nos outros, mas seja precavida. Confie em si. Não em excesso e sim na medida certa para que suas qualidades façam a diferença e não a descrença. E não esqueça: se for dirigir, não beba. Prefira a barrinha de chocolate. Diet, claro.


12 Comentários

Arquivado em comportamento

Quem muito escolhe, acaba satisfazendo a si mesmo

Por Keka Demétrio

Quem muito escolhe, acaba sendo escolhido. Sempre ouvira esse ditado, porém não entendia ao certo o porquê de não poder escolher o que quisesse na vida, e então caiu na armadilha da pressão social e com medo de ficar pra titia casou-se com aquele moço mesmo.

Havia no gráfico do tempo uma curva onde ela via as emoções se modificando: no inicio tudo azul, depois, o comodismo foi chegando, a falta de entusiasmo tomando conta e quando perceberam estavam em um estágio de maturidade chato e rotineiro que levou a relação ao declínio.  A separação era inevitável.

Depois de tempos sem um amor, ela se viu encantada por ele. Feições séria, bonito, inteligente, culto…  e extremamente ciumento. Isso! Essa era a deixa que ela precisava para se livrar rápido do sentimento de amor que começava a fazer com que o fluxo sanguíneo acelerasse os batimentos cardíacos causando taquicardia e suor excessivos. Tinha decidido a não ser mais escrava dos sentimentos e então, mais do que nunca, passou a escolher a dedo os homens com quem deveria se relacionar. No fundo, esperava que chegasse algum e arrebatasse o seu coração já não tão novo assim. O tempo também escorria pelo vão dos seus dedos.

Sentia-se solitária, embora tivesse companhia, e por ser como era, sem coragem de assumir de verdade seus relacionamentos, era vista como egocêntrica, egoísta e arrogante. Não sabiam que no fundo ela só queria relembrar os tempos de adolescência quando seu coração subia até a boca numa mistureba emocional desenfreada. Ela tinha direito a isso. Assim pensava.

Um dia surgiu a vontade de recomeçar do nada, do zero, e decidiu acalmar o coração ansioso e volúvel. Fez a lista de predicados essenciais que ele precisaria ter. Parecia que seria como ir às compras para buscar um vestido que iria deixá-la mais bela, mas ele não estava à venda onde procurou. Porém, ela insistia em querer escolher, e batia o pé dizendo que não faria diferente.

Então, o destino, cansado de tanta teimosia, resolveu dar uma mãozinha e trouxe alguma coisa diferente no ar. Havia uma distância, na verdade a geografia nunca fora sua amiga, mas mesmo assim houve a presença de ambos. Fome e comida, carne e alma, emoção e razão, dia e noite. Era urgente o que sentiam e tudo aconteceu sem planejar, sem procurar, simples assim, só aconteceu.

Bom, ao menos é assim que ela espera que aconteça. E, pensando bem, seria uma ótima maneira para ela recomeçar a viver.

33 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento