Preta Gil emagrece 5 Kg e critica “moda plus size”

Por Renata Poskus Vaz

Em entrevista ao Portal IG, Preta Gil falou um pouco sobre sua carreira, sobre o preconceito que já enfrentou por ser gordinha e também desceu a lenha na moda plus size. Acompanhe o trecho:

A cantora ainda criticou a onda da moda ‘plus size’, feita exclusivamente para mulheres gordinhas. “Desculpa as adeptas, mas eu não sou. Sou adepta de gritar no ouvido dos meus amigos estilistas: ‘aumenta a grade’. Quero entrar em marcas como Prada, Reinaldo Lourenço e C&A e comprar uma roupa. Não quero ir em uma loja plus size. Acho isso uma sacanagem com a mulher, que, mais uma vez, recebe um rótulo e se sente diminuída. Sou a favor da moda plus size dentro das lojas, que a moda capte isso”.

O que vocês acharam do depoimento dela? Eu concordo, mas em partes. Quero um dia poder entrar nas mesmas lojas que minha irmã, que usa manequim 40, e comprar as roupas que quero, sem dificuldade. Isso, hoje em dia, raramente acontece. Quando encontro por aí um 46 que realmente me serve nem sempre é a roupa que quero, que escolhi, mas a roupa que me coube.

Entretanto, Preta Gil ainda tem o privilégio de poder pedir aos estilistas amigos que confeccionem modelos excluivamente para ela. Eu já não tenho essa vantagem. Então, recorrer à uma loja especializada em moda plus size faz com que eu economize meu tempo com bateções de perna que só me frustravam e, dessa forma, eu me sinto inserida na moda. Hoje, não preciso mais me contentar com os pretinhos básicos estilo saco de batata que as lojas tradicionais tentavam me impor. Assim como Preta também sou adepta de gritar no ouvido dos estilistas (mesmo que por megafone, porque estou longe deles pra c******) para aumentarem suas grades, mas enquanto isso não se concretiza, preciso sair, trabalhar, namorar e faço questão que seja com muito estilo.

About these ads

63 Comentários

Arquivado em Uncategorized

63 Respostas para “Preta Gil emagrece 5 Kg e critica “moda plus size”

  1. Também concordo em partes com ela, também gostaria de entrar em lojas “NORMAIS” e encontrar roupas para mim, porém como isso não é possivel no momento tenho que comprar em lojas Plus size.

  2. vaniapaulaa

    Eu concordo com ela, a modinha plus size veio pra nos ajudar a encontrar roupas bacanas sem ficar parecida com nossa vó, mas o que eu quero mesmo é entrar numa loja comum e comprar uma roupa comum que me sirva. Algumas lojas ja estão ajudando, comprei umas bermudinhas em sarja lindas na Marisa, mas quando tenho um evento mais chique é tenso, e ainda ouço a frase: que vestido lindo, comprou la naquela loja de tamanhos especiais?

  3. Keque

    Não interpretem mal a Preta, o que eu entendi é que não dever ter segregação ou seja as lojas devem ter roupas para todas, magrinhas, magras, gordinhas e gordonas! é isso que eu entendi.

    • renatavaz11

      Eu não interpretei mal. Foi isso mesmo que entendi do depoimento dela, que a gente tem o mesmo direito das magrinhas de encontrar roupas para o nosso tamanho nessas lojas. Mas, na minha opinião, o que nos salva enquanto isso não acontece, são as lojas plus size.

  4. Alessandra Galego

    Também concordo em partes, pq odeio entrar em uma loja e não ter o meu nr., portanto estou sempre comprando aqui na minha cidade nas mesmas lojas, pra não ter tanta frustração.

  5. Hum… eu entendi do depoimento dela é que ela quer uma “democratização” dos tamanhos maiores. Que ela não quer ter que porcurar uma loja especializada… quer entrar em “qualquer” loja e ter uma roupa do tamanho dela.

    Neste ponto eu concordo plenamente e acredito que estejamos caminhando para isso nas redes de lojas.

    Hoje em dia eu não vejo mais problema nenhum em entrar numa loja “plus size”, pelo contrário… queria era ganhar mais dinheiro para entrar em todas e comprar as coleções completas… mas…. deixa esse detalhe para lá.

    • Rosana Quevedo

      Concordo com vc Pamella…infelizmente a moda ainda não é democrática, mas está em construção. Nas lojas mais populares os preços são mais acessíveis, porém nem sempre o tamanho é o ideal para o corpo da mulher, que precisa trabalhar muito pra poder dar em média 200 reais em um vestido na maioria das lojas plus size. Isso não é pra qualquer uma…
      Defendo a moda a alcance de todas e todos (e não sou política..rsrsrs).
      bjs

  6. Então Renata…

    Uma vez comentei em outro blog plus, sobre isso da gente poder entrar na loja que eu quiser e encontrar aquele modelo que eu amei do meu tamanho… Nisso eu concordo sim!

    Mas hoje, a moda plus não deixa NADA a desejar… Nada mesmo!

    Acho que nisso, a Preta foi infeliz nos comentários.

  7. Mandou bem, Rê……..
    Parabéns!

    Paulo Lima Limão BH/Manaus
    redebrascon.com.br

  8. Márcia Uracs

    EDUCAÇÃO!!!…em minha humilde ignorância, SOMOS BRASILEIRAS… mulheres (com uma mistura democratica de raças e raizes) com um corpo MOLDURADO…temos “BUNDA”…cintuda, quadriz. As escolas dos estilistas deveria por obrigação ENSINA A RESPEITAR…NOSSA BELEZA (DA MULHER BRASILEIRA). Digo isso pois…sempre brincaram comigo, “que passei várias vezes na fila para ter a “BUNDA”…que DEUS me deu”. Vou na Rua Jose Paulino fazer compras….; uma das proprietárias de Lojas, estava recebendo um lote de roupas de sua confecção…SUPER REVOLTADA!!!, INDIGNADA!!!..pois a estilista que havia contratado para a coleção…fez a tamanho GG…que coube na minha secretária da época que vestia PP…nós não merecemos isso. Cadê as normas e medidas DE NOSSO BRASIL????

  9. Não achei que ela falou absurdos…o titulo do post fez eu achar ela uma idiota…mas quando li vi que não era por ai….eu acho que as lojas deveriam mesmo era tomar vergonha na cara e fazer roupa pra todo mundo…mas concordo com a iniciativa da slojas plus sizes por que se não fossem elas…arf…enfim…
    abraços

  10. Já eu não concordo, eu não me sinto num um pouco diminuída por entrar em lojas plus size, hj temos lojas lindas com modelos maravilhosos, mas como eu nunca me importei em ostentar marca famosas, prefiro o que caiba bem no meu corpo, não tenho duvidas em ir direto para uma via plus ou kaue da vida.

  11. Acho , sinceramente q ela foi infeliz no seu comentário , quando se refere na moda plus size , as lojas q trabalham com esta moda , q ao meu ver a maioria das brasileiras , reais,procuram , não se sentem inferior, por estar dentro de uma loja plus size , e sim diminuidas por preconceitos de quem coloca o rotulo ( ala vc foi na loja de gordas ?), e dai ??? a moda por acaso so acontece nas lojas q ela citou ? me poupe vai Preta Gil , os profissionais destas lojas , são tão ou mais competentes , q estes lugares , afinal eles produzem e fabricam moda para mulherres reais …sem photoshop …

  12. Ka

    Eu concordo com a Preta Gil e acho que quanto mais mulheres “aderirem ao movimento” dela, principalmente considerando o quanto os meios digitais têm força atualmente, mais “rápido” teremos nossos tamanhos em lojas “normais”.
    Confesso que da minha parte há preconceito e certo incomodo em recorrer a lojas plus size, já comprei duas vezes, mas não conto para ninguém. :(
    Sei que hoje o conceito de modo plus size realmente existe é não se resume a roupas de SENHORAS e “coisas” que nenhuma adolescente quer usar….(já sai da adolescência faz um tempo, mas sofri demais para comprar roupas….principalmente no interior – hoje moro em São Paulo).
    Vou aproveitar e compartilhar com vocês um pensamento e uma historinha!.
    Acho as confecções atuais burras, sobre tudo as que diminuem a padronagens de tamanhos “universais”, sabemos que muitas fazem isso…acontece que para satisfazer uma “P” que vai vestir um “PP”, frustam outras tantas “G” ou “GG” que óbvio não usam “M”!!!
    Meu manequim era 48/50 (jeans Fórum) e tempos atrás uma tia me deu uma calça que ela não gostou, cós baixo, provei a calça e ela ficou mega justa, olhei a numeração e pasmem era 52!!! Quase morri de catapora roxa….emagreci nos últimos tempos e atualmente meu manequim é 44/46 (jeans Fórum) e adivinhem qual calça me serve, sem estar “larga”??? Pois é…a tal 52…é ou não é uma confecção burra?
    Beijos

  13. Concordo com a Preta, acho que todas concordamos, que o ideal seria todas as marcas com grade plus.
    Mas se sentir rotulada e diminuida por entrar em uma loja plus size, pra mim é um comentário de uma mulher que não conhece a variedade de loja plus que há no mercado e pior não se aceita como plus.
    Claro que eu também quero o vestido da ultima moda da loja famosérrima no meu manequim, massss hoje eu tenho a tranquilidade de saber que posso encontrar o que eu quero vestir no meu tamanho em lojas plus size =)
    Acho que faltou informação da parte dela sobre o meio da moda plus.

  14. Bem Renata;
    O que eu entendi na entrevista da Preta Gil é – que ela não se aceita “Gorda”. Ou seja, ela quer entrar em uma loja de magras e encontrar uma roupa para Gorda, certo? Para isso é fácil…só emagrecer, com todo o dinheiro dela e não consegue???!!!!!!!!! Vai ter que ir na loja Plus Size SIM Pretinha, ou ficar recorrendo aos seus amigos!!! Hehehe…

  15. Paula Borges

    Eu entendi o ponto de vista dela e acho que na posição que ela se encontra ela deve mesmo ajudar falando nos ouvidos dos amigos estilistas.
    Nós, reles mortais, devemos esperar e enquanto isso nos deliciar com as coleções plus size maravilhosas que tenho visto por aí.

  16. Paula Borges

    E quem tem dificuldade em encontrar moda festa para gordinhas procurem lojas que vendam marcas de Belo Horizonte. Como sou mineira e morei 12 anos lá antes de vir pra SP conheço bastante marcas que vendem moda festas para nós!!!

  17. Ka

    Para moda festa tenho uma boa dica: Feira do Vestido de Festa, no Bom Retiro, acho que a é na Rua Julio Conceição.
    Se você olhar o site não vai gostar….mas a loja é muito boa. Está dividida em três lojas: i) $$$; ii) $$ e iii) $.
    Na loja três há maior variedade de tamanhos realmente plus size e modelos. Como há muuuuita coisa precisa ter paciência, gostar de procurar e se pegar uma vendedora que não goste (aconteceu comigo uma vez) peça para trocar, afinal você vai pagar e tem que ser bem atendida!!!

  18. Raquel Teixeira

    Concordo com ela sim…Comigo é um problema sério…As lojas Plus Size são muito caras, acho um absurdo um vestido simples de malha custar mais de 100 reais e uma camiseta 90 reais…Nas lojas como C&A, Marisa. Leader a maioria das roupas tem uma estampa horrível, um corte horroroso e o pior, por experiência própria, fui a uma loja Marisa pq gosto muito dos modelos dela (quando acho algo que caiba) e fui experimentar uma blusa social 48 que não coube ,sendo que meu sutiã é 46. Daí, fui na seção de modelos especiais e a blusa tamanho 50 que dava duas de mim…
    Outra coisa que me incomoda, é chegar nas lojas de tamanhos especiais e o tamanho P ficar largo em mim…Beijo para todas.

  19. Vanessa

    eu concordo com ela… pois pelo que eu entendi ela quis dizer que esse pessoal estilista tem que enfiar na cabeça deles que não somos uma minoria, e sim uma parte das mulheres!!!

  20. Ana

    Tá cuspindo no prato q já comeu…rs….Eu, vira e mexe emagreço e engordo, vivo na oscilação de peso….mas uma certeza tenho: Sempre serei gordinha por mais q emagreça. Amo a moda plus size e não me sinto diminuida por isso, pelo contrário! Tenho amigas magras q me perguntam aonde compro minhas roupas. Acho q é uma questão de cabeça….autoestima. As vezes encontro roupas em outras lojas…qdo não encontro vou atrás de onde tem….já me deprimi muito com isso no passado….agora, ligo um dane-se e procuro me amar e me aceitar como sou. bjos

  21. Entendi o ponto de vista dela, e concordo. Acho que qualquer pessoa de qualquer tamanho deveria ter acesso fácil a roupas de marca e “qualidade” facilmente.
    Mas nada impede que determinadas marcas foquem exclusivamente em tamanhos maiores, ou que se dêem ao luxo de não produzir em tamanhos maiores. Se esse papo de fashionismo for algo realmente artistico como dizem, o estilista pode não visualizar “sua” arte exposta numa tela cujo tamanho não condiz com seu projeto. Se é que me entendem.

  22. Mais até concordo,pois ela tem didin ai é facil, mas concerteza deveria sim agregar os tamanhos maiores nas marcas famosa, mas enquanto não agrega vou deixa de me vestir??? (coragem)!!!

  23. Adriana Ricardo dos Santos Nabas

    Gente , vamos ser honestos com nós mesmos , se até a Preta que tem dinheiro tem dificuldades, imaginem eu por exemplo, funcionária publica parabens Pretinha comentário perfeito……..

  24. Têm gente q reclama de barriga cheia, faço Spinning,musculação e sou Gorda me amo pacas,se não têm roupas pra gorda e porq os donos são uns “burros”, somos brasileiras q de magra não têm nada, somos campeãs em comprar roupas,se não têm,eu digo: vcs não sabem trabalhar e ganhar dinherio porq gordinha gasta….e MUITOO.parabéns por ela perder 5 kilos…daqui a pouco ela ganha 10,não adianta,eu não preciso pedir ao LORENZO OU PRADA.porq se aquilo ali é roupa q a Preta usa…cruz credo e muito do cafona.vou na minha costureira ou em Madureira e faço a festa.
    estamos aqui pra ser feliz e eu sou !!!
    GORDA É TUDO !!!

  25. Aline

    Também não vi como critica destrutiva a declaração de Preta Gil, e também vejo em entrevistas da Flúvia Lacerda o mesmo discurso. Que fora do Brasil ela não tem dificuldade em encontrar roupas do tamanho dela, nas marcas que ele quer.
    O que entendi é que a Preta Gil pede mais para uma “conscientazação” dos estilista em fazer roupas que caibam em topos os tipos de corpo. Ela pede uma democratização da moda.

  26. Meninas,
    concordo com a Preta e com a Renata: não dá pra se deixar rotular e também não dá para ficar esperando o dia em que os estilistas vão nos enxergar.
    Acho que o lance é a gente se manifestar. E acredito que o Mulherão é um excelente veículo para nos fazer ouvidas.
    Aqui na minha cidade (Paraty) tem uma loja multimarcas que NUNCA tem tamanho G (quase sempre é só até o 40). Eu reclamo sempre. Outro dia deixei por escrito : SRA. PROPRIETÁRIA, OU EU NUNCA DOU SORTE DE ENCONTRAR TAMANHO G EM SUA LOJA OU DEFINITIVAMENTE A SENHORA PENSA QUE NA CIDADE SÓ TEM GENTE MAGRINHA, BEM MAGRINHA. EU AMO A MARCA TAL E SABE O QUE FAÇO? EXPERIMENTO NA SUA LOJA O TAMANHO M E COMPRO ON LINE, PQ LÁ EU ENCONTRO G.
    Esta semana uma das vendedoras me viu na rua e me avisou que a nova coleção já havia chegado e que minha reclamação funcionou.

  27. A Preta não se sente tão bem com o corpo que tem como queria demostrar antes :(

    Eu concordo a 100% contigo Renata!

  28. Eu concordo plenamente com ela até porque entendi que ela não falava de estilistas fazerem exclusivamente pra ela as peças, mas pra todas as mulheres. Gostaria muito de poder comprar roupa por preço justo – e não mais cara só porque é pra mulheres maiores – em qualquer loja que fosse porque é triste, deprimente, comprar o que me serve e não o que gosto.

  29. paula shimenne

    Penso que muitas vezes devemos ter o bom senso na hora de nos vestir e saber que muitas vezes uma roupa que fica bem em uma magrinha não fica em uma gordinha e o contrário também acontece, algumas amigas me magrinhas me invejam por rechear a calça com o bundão, o quadril , o peito e ainda sim uma cintura marcada que elas não tem. Temos que dizer sim as diferenças e parar de achar lindo esse bando de mulher que está parecendo saindo tudo da mesma linha de produção ” meu Deus” as próteses são do mesmo tamanho, a lipo feitas no mesmo cirurgião, o mesmo personal, as mesmas séries de exercícios, a mesma ração humana, espero que não dividam o mesmo namorado…kkk VIVA A DIFERENÇA E A INDIVIDUALIDADE, nossas digitais continuam

  30. Ana

    Poder entrar em Q-U-A-L-Q-U-E-R loja, escolher uma roupa e – ops! – ter p seu tamanho, realmente não tem preço. Mas, enquanto a indústria têxtil não acorda p/ isso, Renata tem toda razão… precisamos sair, namorar, trabalhar, de preferência com muito estilão. Por que, então, “procurar” frustração nas lojas tradicionais? A moda plus está ai p/ suprir essa falha do mercado e, diga-se de passagem, tem feito seu trabalho muito bem.

  31. Embora eu não me sinta nada diminuída por entrar em uma loja plus…eu também gostaria de poder comprar qualquer coisa em qualquer loja.

    Por essas e por outras que a minha loja preferida é a Rubinella, onde você encontra TODAS as roupas do tamanho 36 ao 52 – não são separadas em roupas normais e roupas plus, mas sim: roupas para mulheres de (quase) todos os tamanhos!

  32. levi.cardoso@yahoo.com.br

    Meninas, por favor, observem que a maioria dos vosso comentários são carregados de preconceito contra um observação pessoal, não uma verdade absoluta.
    Será que o deficiente gosta de ficar esperando horas por um onibus adaptado? Acham que todos tem direito á locomoção? Então por que todos os ônibus não são adaptados?
    Será que a gordinha gosta de ficar rodando em diversas lojas e levando aquela famosa resposta”- xiii… acho que o teu número eu não tenho não…” e aí sair da loja se sentido o botijão que quer se vestir?
    Eu saio pra comprar roupas para minha esposa e sei bem as lojas que as vende, mas com certeza gostaria de varia um pouco, pois ás vezes vejo modelos maravilhosos que ficaria lindos em minha esposa, se não fosse…. o tamanho.
    Portanto, vamos deixar de mágoas e rusgas contar uma classe social. Ela falou das marcas e estilstas do mundo dela. Nosso mundo é outro.
    Concordo em gênero e grau com ela: quero as mesmas roupas lindas que todos usam para minha esposa. Queremos ter o direito de escolher e não tê-las como escolhidas – por uma minoria de lojas.
    E quero mais: quero tirar o rótulo de Plus Size, roupas de magras nas lojas de Plus e muito mais: quero os estilistas de nosso mundo atento que a brasileira não é cabide, mas as cabides são mulheres tanto quanto as Plus são.

    Poronto. Falei!

  33. Não acho que ela criticou a moda ou as lojas Plus Size, todas gostariam de encontrar roupas maiores em qualquer loja de departamento! Não entendi! Também acho péssimo comprar “o que serviu” e não o que vc gostou! Acho que é isso que ela quis dizer, além do mais quem pode usar grifes (como obviamente de ser o caso dela) Realmente tem que estar no padrão, senão não tem! Aí tem que emagrecer e não é só 5Kg. Eu adoraria ter um amigo(costureiro) famoso para mandar fazer um 48 pra mim….

  34. Lenara da Cruz

    Lendo o comentário da Preta Gil e o comentário da Renata, posso afirmar que por ter Loja Plus Size e por ser tamanho Plus Size, fico muito feliz em saber que existe pessoas que pensam também nas mulheres de tamanhos maiores. Pedir para os grandes estilistas , e para modificar todo um conceito de que mulher bonita é mulher magra, é bem complicado, pois o mesmo já faz parte do pensamento da maioria. Adoro saber que felizmente, existem mulheres que se aceitam, e que não tem preconceito em comprar em lojas especializadas, pois estas também existem para mulheres magras, a única diferença é a quantidade de lojas e que as mesmas nao sao rotulas como Loja para magras. O preconceito está na cabeça do ser humano. Por isto o negócio é nos sentirmos bem e termos peças que valorizem o nosso corpo e que cada vez mais nos sintamos lindas !

  35. Priscila

    Concordo com a Preta!!! Apoiada!!!
    Teria q globalizar sim em todas as grifes e marcas os tamanhos grandes!!!
    Apesar d q ter uma loja já especializada é muuuuuuuuuuuito bom, adooooooro!!! Porém, nem sempre tem o q vc quer do seu estilo!!!
    Moro no Japao e aki nao tem lojas específicas!!! A maioria das lojas ja trabalham com numeros grandes, as vezes nao tao grande mas ja atingindo com certeza 44/46! Q me deixa hiper feliz, pois adoro fazer compra junto com minhas amigas, imagina …elas irem p uma loja e eu p outra loja sozinha?!!?! Muuuuuuuuuuito chato!!!

  36. engraçado. apesar de eu não ser o que podemos chamar de fã das ideias da Preta, entendo a linha de raciocínio dela. o discurso tem sim o seu fundo de verdade. também acredito que o ideal seria se todos tivessem acesso aos mesmos produtos, indempendente de tamanho, forma… e corte… sim!, os cortes! meu senhor cristinho, como me chateia ir até uma loja e o simpático vendendor vir com aquelas roupas com cortes estranhos, tentando nos convencer que é a última palavra em look pós-últra-mega-moderno… bem, isto quando delicadamente – claro – não tentam nos empurrar o peças de diferentes conjuntos para compor um terno. ora! chega até ser divertido.
    aliás, estou descobrindo o mundo dos “plus blogues” agora e estou feliz com o que tenho lido. parabéns aos administradores desse espaço!

  37. Raphaella

    Eu acho legal que as pessoas acima do peso tenham a opção de comprar em lojas especializadas, mas normalmente essas lojas são bem mais caras que uma C&A ou Renner da vida, pelo menos aqui onde moro. Tenho uma amiga que veste 48/50 e quase nunca acha nada que sirva em lojas convencionais, quando encontra compra logo, porque sai bem mais em conta que as lojas plus size. Eu concordo que as lojas deveriam ter sim modelos em todos os tamanhos, como acontece nos EUA. Aqui, além da numeração quase nunca ir além do 46, ainda existe o problema do molde pequeno, eu visto 40 normalmente, mas em certas lojas nem o 44 entra em mim!!! Acho que deveria haver uma padronização melhor dos tamanhos e peças para todas….

  38. Precisa falar mais nada! E tomara que um dia a moda seja uma só, enquanto isso vamos torcendo pelo crescimento das loja plus!

    Beijossss

  39. Simone Silva

    Concordo plenamente com a Preta. Gostaria de entrar em qualquer loja e ter o meu número, que é 48. Não é que me sinta diminuída ao entrar em loja plus size, mas nem sempre se encontra loja pra tamanhos grandes facilmente. Aqui no Rio, por exemplo, se eu quiser ir ao Norte Shopping, que é perto da minha casa, comprar uma roupinha mais fina para uma festinha, não acho. Só tem uma loja que vende umas roupas de malha ( nunca acho vestido de tecido, acho que eles pensam que malha é melhor pra gordinha, porque estica), daquelas que se lavar 3 vezes já fica velha. Sem contar o preço, porque loja plus size mete a mão no preço, e a gente acaba pagando pois quando achamos algo legal e que serve na gente , não olhamos o preço.
    Quando fui aos Estados Unidos, fiquei impressionada porque lá se acha, na mesma arara, desde o tamanho PP até o 18 ou 20 deles. Aqui tinha que ser assim também, mas tenho certeza que vamos demorar muito para chegar a este ponto.

  40. elisandra

    Tem muito empresário do segmento plus size que não quer nem ouvir falar em democratização da moda, mas eu como consumidora adoraria ver isso acontecer e pagar o preço justo por uma roupa.

  41. LudT

    Sinceramente, não me incomodo em comprar em lojas plus size, até pq temos nossas roupas exclusivas e qdo saio, as slim´s perguntam: “nossa, que lindo! onde comprou?” Numa loja plus size, gata!…, mas isso não significa que gostaria de comprar um modelito de uma loja comum.

  42. Pois é Simone, eu estive nos Estados Unidos em Outubro e quase enlouqueci com as peças que são lindíssimas e os preços?! Não tem como comparar com a qualidade e o preço no Brasil. Eu sou mais pesimista que vc, acho que o Brasil vai demorar muito para chegar nesse ponto…..

  43. Paula Regina

    O que entendi na leitura da matéria foi uma mulher ficar indignada com a inexistência de números maiores nas grifes que ela frequenta.
    Acho corretíssimo a colocação de Preta Gil. Quero entrar em qualquer loja e encontrar modelos que caibam em todos os biotipos, sem que, necessariamente, só tenha opção de bem vestir-me em lojas especializadas. Quero ter opções no mercado de roupas. Todas as opções, em todas as lojas e todas as grifes/marcas.

    Concordo com os comentários da Débora, Raphaella e da Simone Silva.

    A indústria fashion brasileira ainda não acordou para, não percebeu o enorme filão que existe em apostar fazer números considerados maiores em suas lojas/araras. Tem muita mulher, com grana para gastar, que adoraria entrar em grifes/lojas badaladas e comprar as roupas dali; mas nem sempre essas mulheres entram num 40 ou num 44.

    Vão encher os cofres de estilistas, lojistas antenados, em terra gringa.

    Quem perde com isso? O Brasil! Se deixa de colocar dimdim brasuca e esquentar o mercado daqui, gerando empregos e divisas. O cofre acima da linha do Equador é que bate palmas!

    E concordo com a Renata. Há um tempo atrás, e não é tanto assim, não havia mercado para mulheres plus size e hoje já podemos desfrutar de roupas com modelagem bacana e estilosa e não apenas “com os pretinhos básicos estilo saco de batata que as lojas tradicionais tentavam me impor”.

  44. Renata, faço minhas as suas palavras. Você expressou sabiamente o que eu penso!

    beijos

  45. Sara Souza

    Boa Tarde Meninas, seguinte eu concordo sim, que temos que ter uma moda voltada para nós plus size em qualquer loja seja ela a lojinha da esquina da sua casa seja um estilista mega bafo……Isso é fato. Afinal, temos o mesmo direito que qualquer magrinha por ai tem….Mais o que me incomoda nessa historia toda com todo o respeito ao trabalho da Preta Gil é o seguinte ela é uma gordinha que podia defender mais a causa e não o faz e se faz faz mal feito, sempre leio reportagem dela dizendo que ela não tem dificuldades em encontrar roupas coisa e tal mais acredito ser uma grande mentira pois no mundo real que a gente vive , todas nós ou a maioria de nós encontrou dificuldade em entrar em uma calça ou uma blusa ….enfim acho que ela não se admite gordinha e não motiva e incentiva que curti e segue o trabalho dela….Esta é a minha opinião e ai deixo em pauta a pergunta quem não é amiga do Reinaldo Lourenço, não acha roupas em grandes magazines não mereçe ter uma loja plus size aonde possa entrar e encontrar roupas para o seu tamanho?

  46. Se você não encontra um 46 que te sirva, Rê, imagina eu? Que sou 54! Hoje a moda Plus Size é excelente! Tem mais opções que antigamente, mas ainda pode melhorar, não é mesmo? O problema da Preta Gil é que ela me parece frustrada por ser gorda. Ela já saiu por aí falando que era 44 uma vez, lembra? Mentindo descaradamente! Pra que, gente? Ela já se entupiu de remédios pra emagrecer e já admitiu isso também! Então não devemos levar em consideração o que ela fala!! Vamos ser felizes e pronto! Beijão!!

  47. Concordo com a Preta sobre a falta de roupas maiores nas grandes lojas. Mas não sou contra as lojas e grifes exclusivas da moda plus size. Nem todas as lojas e grifes são grandes. Então, é normal que tenham preferência em atender públicos específicos (homens,gordas,crianças,surfistas,etc.), não é pecado nenhum. O problema é quando muitas se negam a ganhar dinheiro por deixar de lado alguns tipos de público por pura birra.

  48. Lucinda

    Concordo!!!!! Concordo!!!! Concordo!!!!!!! e um detalhe as lojas tipo Leader que fazem números maiores, pensam que as gordinhas são imbecis, pois as roupas são horrorosas!!!!!!! Eu olho para o lado e vejo em outras seções roupas bonitas que poderiam ser feitas em nº maior, mas não só fazem roupas ridículas.

  49. Ada

    A moda plus size é maravilhosa e agrega qualquer tipo de medida.Vivemos em um país cheio de hipocrisia em que o belo é mais valorizado que o caráter das pessoas. Ninguém vê um comercial de lingerie com modelos plus,e olha que existem cada lingerie linda e feminina,assim como modelos lindas!!
    Enquanto houver a mentalidade de que para ser feliz tem de ser ‘plus thin’,vamos ter muito noticiário de pessoas que perdem a vida em busca do padrão da felicidade.
    A felicidade reside em nosso interior e exterior;temos que estar de bem conosco e não seguir atrás de algo que a sociedade nos quer impor.

  50. Thaís

    Sou do Pará, e digo a vocês, SOFRO MUITO pois aqui só há lojas Plus Size CARAS e de BAIXA QUALIDADE!
    Semana passada fui comprar um vestido para a formatura da minha melhor amiga. Não achei nada que custasse menos de R$ 500 (quinhentos reais), e que ao mesmo tempo fosse de acordo com a minha idade (22 anos). Tive que recorrer a uma costureira, para poder ter algo jovem, bonito e em conta para ir a festa.
    Não adianta dizer que só loja Plus Size dá jeito nos nossos problemas, quero entrar numa loja de departamento e encontrar roupa que caiba em mim, e no meu bolso! Claro, sem perder o mínimo de qualidade.
    Visto tamanho 52/54, e comprar calça jeans é um pesadelo! A maioria das roupas que compro é quando viajo pra São Paulo para visitar minha família! Isso é um absurdo!
    Concordo com a Preta, as grades precisam mudar, a moda precisa atender a TODAS AS MULHERES, e não só uma parcela das brasileiras. Afinal, como ficam aquelas que não podem comprar em uma loja especializada em moda Plus Size? Ou pior, que nem tem acesso a lojas desse tipo?

  51. Concordo com o nosso amigo Levi Cardoso, em genero, número e grau. Nós gordinhas já estamos cansadas de tantas discriminações. Gostariamos de ter a liberdade de entrar em uma loja NORMAL e sai de lá com a roupa que gostou, sem ter que rodar o mundo para achá-la.

  52. Ana Paula

    bom dia olha no meu modo de vista preta tem odio de ser gorda e quer da uma de liberal com sua gordura ela nao aceita se nao nao teria perdido 5 kilos so para aparecer na globo amo poder entra em uma loja e ter o meu numero ainda mais se nao precisar ficar escolhendo lojas e lojas melhor entramos em lojas chiques feita exclusivamente rsrsrs beijos !!!!

  53. LORENA

    A PRETA TEM CARISMA,TALENTO PROPRIO,E CLARO UM BOM ESCUDO QUE É SER HERDEIRA DE FAMOSO,ISSO NO BRASIL FAZ TODA DIFERANÇA,EM TODAS AS PROFISSÕES,EU CONCORDO COM ELA QUE TODAS AS LOJAS DEVERIAM TER NUMEROS MAIORES A NOSSA DISPOSIÇÃO,POIS É HUMILHANTE TER QUE IR EM LOJAS GG,AINDA MAIS QUE NO BRASIL O UNICO LUGAR QUE TEM ESTAS LOJAS,É NA RUA SILVA PINTO NO BOM RETIRO EM SÃO PAULO,E SÓ PODEMOS COMPRAR NO VAREJO DE SABADO DE MANHA,QUEM É DE FORA TEM DE VIAJAR ATÉ SP PARA COMPRAR EM POUCAS E MOVIMENTADAS HORAS NO SABADO,É O UNICO LUGAR ONDE TEM 24 LOJAS DE MODA GG, COM ROUPAS DE DESIGNER,CASO CONTRARIO,NO RESTO DO BRASIL,AS LOJAS SÃO DE ROUPAS ULTRAPASSADAS,DE VISCOLYCRA,ENORMES,VERDADEIRAS CAPAS DE BUTIJÃO DE GAZ,E AS ESTAMPAS,SÃO PIORES QUE DE PANO DE CHÃO,E CONVENHAMOS….O 46 QUE A C&A VENDE É SIMPLISMENTE UM 42 PARA QUEM PESA 60KG,EM QUANTO NA VERDADE 46 DEVERIA SER UM NUMERO A CABER EM MULHER COM 80KG,COM TUDO CHEGUEI A CONCLUSÃO QUE SER OBESA NO BRASIL,É VIVER EM UM ESTADO DESGASTANTE DIARIO DE GUERRA SOCIAL,UM TERRORISMO PSICO SOCIAL,QUE NOS AGRIDE A ALMA DE TAL FORMA QUE NEHUMA PORCARIA DE TERAPIA RESOLVE EM DIVÃ,POR FIM ACABO TOMANDO COCA COLA,E COMENDO CHOCOLATE PARA ACALMAR MEUS NERVOS,COM ISSO CADA VEZ MAIS OBESA E HUMILHADA,PARABENS AS QUE CONSEGUEM VIVER O CONTO DE FADAS DE SER (OBESA E FELIZ NO BRASIL) POIS EU INFELIZMENTE NÃO CONSEGUI CRIAR ESTE MUNDO MAGICO NA MINHA ALMA,QUE ESTA PERDIDA NO FUNDO DO POÇO,DA EXCLUSÃO SOCIAL………AFINAL,SE EU VIM AO MUNDO É PARA CONVIVER COM OS QUE VIVEM NELE,E NÃO QUERO SER EXCLUIDA,SE DEUS QUISER UM DIA EU VOU CONSEGUIR EMAGRECER,PARA DE VEZ EXORCIZAR ESTE PROBLEMA DA MINHA VIDA,VOU ENTRAR NUMA LOJA E VESTIR UM 40 COM ORGULHO,POIS NÃO QUERO SER DIFERENTE,QUERO SER ACEITA,FAZER PARTE,SER VISTA COM OLHOS DE ADMIRAÇÃO E NÃO COM OLHARES FEROZES DE CRITICAS………
    QUE CADA UM FAÇAM SUAS ESCOLHAS,VIVER NA FANTASIA,E COM RISCO DE ENFARTE,OU VIVER ACEITA E SEM RISCO DE ENFARTE?
    SER OBESA NO BRASIL É TER QUE PAGAR UM PREÇO MUITO ALTO POR ISSO,E QUE NÃO ESTOU MAIS DISPOSTA A PAGAR.

  54. Preta! Wow!
    Optimo que esta indo tudo bem. Assim que puder mande noticias…
    Abraço e força!

  55. Danielle

    É ilusão esperar essa democracia, a gente entra numa C&A ou outra loja qualquer e lá dentro tem um stand escrito “Tamanhos Especiais” ou “Plus Size”, seremos sempre discriminadas. Um estilista deu entrevista e disse que jamais faria a mesma roupa para uma magrinha e uma gordinha pois quer que as esbeltas se sintam especiais e diferenciadas das obesas, assim mesmo. Se as gordinhas forem aceitas o que será dos laboratórios que vendem remédios pra emagrecer? das prateleiras de produtos diet e light dos supermercados? Dos spas e consultórios especializados em emagrecimento? Estamos lascadas mesmo, as estampas são sempre hor-ro-ro-sas para as gordinhas, modelos breguíssimos que sempre se repetem, coisa de velha ou senhora de meia-idade. Sabe o que eu fiz? Arrumei uma boa costureira e copio tudo das magras das revistas, faço adaptações. Dificilmente compro em lojas. Até porque eles só trabalham com modelagem para corpo no formato pêra, como o da Preta, e o meu é uma pera invertida, preciso compor para equilibrar minha silhueta. Compro uma blusa de magra com uma estampa em aplique e brilhos irados recorto e customizo para uma blusa MINHA, mas não fico sem a estampa, ah… não fico mesmo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s