Arquivo do mês: novembro 2011

Preta Gil emagrece 5 Kg e critica “moda plus size”

Por Renata Poskus Vaz

Em entrevista ao Portal IG, Preta Gil falou um pouco sobre sua carreira, sobre o preconceito que já enfrentou por ser gordinha e também desceu a lenha na moda plus size. Acompanhe o trecho:

A cantora ainda criticou a onda da moda ‘plus size’, feita exclusivamente para mulheres gordinhas. “Desculpa as adeptas, mas eu não sou. Sou adepta de gritar no ouvido dos meus amigos estilistas: ‘aumenta a grade’. Quero entrar em marcas como Prada, Reinaldo Lourenço e C&A e comprar uma roupa. Não quero ir em uma loja plus size. Acho isso uma sacanagem com a mulher, que, mais uma vez, recebe um rótulo e se sente diminuída. Sou a favor da moda plus size dentro das lojas, que a moda capte isso”.

O que vocês acharam do depoimento dela? Eu concordo, mas em partes. Quero um dia poder entrar nas mesmas lojas que minha irmã, que usa manequim 40, e comprar as roupas que quero, sem dificuldade. Isso, hoje em dia, raramente acontece. Quando encontro por aí um 46 que realmente me serve nem sempre é a roupa que quero, que escolhi, mas a roupa que me coube.

Entretanto, Preta Gil ainda tem o privilégio de poder pedir aos estilistas amigos que confeccionem modelos excluivamente para ela. Eu já não tenho essa vantagem. Então, recorrer à uma loja especializada em moda plus size faz com que eu economize meu tempo com bateções de perna que só me frustravam e, dessa forma, eu me sinto inserida na moda. Hoje, não preciso mais me contentar com os pretinhos básicos estilo saco de batata que as lojas tradicionais tentavam me impor. Assim como Preta também sou adepta de gritar no ouvido dos estilistas (mesmo que por megafone, porque estou longe deles pra c******) para aumentarem suas grades, mas enquanto isso não se concretiza, preciso sair, trabalhar, namorar e faço questão que seja com muito estilo.

63 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Vestidos pretos para gordinhas

Por Renata Poskus Vaz

Aqui no Blog Mulherão sempre incentivamos nossas leitoras plus size a investir em vestidos coloridos, ao invés do tradicional pretinho básico, isso porque ficamos escravas por anos das cores escuras com o pretexto de que elas emagrecem e de que cores clarinhas não servem para quem tem curvas, muitas curvas. Mas há quem simplesmente ame a cor preta, não porque ela emagreça, mas simplesmente por ser o sinônimo da riqueza…hahahaa. Ter alguns modelitos básicos em seu guarda-roupa, que servem para qualquer ocasião e podem ser adaptados com  cintos coloridos e sobreposições, sempre é bom. Veja algumas divas GG que ficaram divinas no tradicional pretinho:

Fluvia Lacerda

O que é essa fenda, meu Deus? Muito sexy! Usaria facilmente para fazer compras no Shopping. hahahaha… Brincadeira, meninas. O vestido é um luxo só e merece uma ocasião muito, muito especial mesmo para sair do armário.

Preta Gil

Quando vi este modelito no Famosas na Moda fiquei em dúvida se se tratava de um vestidinho ou uma composição de saia e blusa. O  que vale destacar nessa peça é o cintinho. Sim, porque a gente pode usar e abusar de cintos para marcar a cintura. A manga rendada também é um charme. No verão eu usaria uma na versão curta.

Adele

Falar de vestidos pretos plus size e não citar Adele é praticamente um sacrilégio. Reparem que o vestido acima é de malha, acinturado, como muitos outros que vemos por aí. O grande diferencial fica por conta das aplicações na gola e colo. Moderninho e retrô ao mesmo tempo, concordam?

Queen Latifah

A-DO-RO esse modelito. Tubinho, rendado e com um decote em V que valoriza a comissão de frente. Perfeito.

Veja alguns de modelos de vestidos pretos disponíveis na Loja Mulherão:

Vestido de elastano com decote em V Exuberance

Vestido em Jersey Maitê da La Mafê

Vestido de sarja Alice La Mafê

Vestido de malha com laço de cetim no decote Adriela La Mafê

7 Comentários

Arquivado em Moda e estilo, Uncategorized, Vestido de festa, Vestidos

Flúvia Lacerda em ensaio Plus Size

Por Keka Demétrio

Meninas, eu adoro moda, mas prefiro falar sobre como ser uma gostosa GG..ahahah. Porém não poderia deixar de mostrar para vocês algumas fotos que o Leo Faria fez da Flúvia Lacerda para a revista Cult de Uberlândia, e que tempos atrás trouxe euzinha, Keka Demétrio, em página dupla num bate papo muito bacana.

Confira, porque o trabalho ficou fantástico e vale muito à pena. Assim como também vale à pena dar uma olhadinha na revista http://netcult.com.br/br/ !

Fluvia Lacerda, a top model mais famosa do mundo, estampou a capa da edição de novembro, da revista Cult – Uberlândia/MG. A modelo que nasceu no Rio de Janeiro e se mudou para Nova Iorque há quase 13 anos, foi eleita a modelo do ano, durante a Semana de Moda Plus Size de Nova York em 2011. Para 2012, ela prepara o lançamento de sua grife no mercado nacional.

Créditos

Fotos Leo Faria
Produção executiva Vagner Fernandes
Make up Marcelo Mendonça
Produção artística Joyce Matsushita
Tratamento Heron Luiz
Roupas Carmakoma, Asos, Jean Paul Gaultier, Sonia Rykiel e H&M

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Concurso cultural: Bolsa Gucci, sapato Loubotim, Kit LÓccitane, jóia Antônio Bernardo e Make Mac

O Delas, canal do iG voltado para o universo feminino, promove a partir de hoje um concurso cultural com o tema “Quais são os seus planos para começar 2012 ainda mais poderosa?”.

Para participar do concurso, que se encerra no dia 11 de dezembro, as leitoras devem enviar uma frase respondendo a pergunta tema. Uma banca examinadora composta por editoras do canal feminino irá selecionar as melhores frases. As três primeiras colocadas serão premiadas:

1ª colocada: um par de sapatos Christian Louboutin, uma bolsa Gucci e um Kit L’Occitane;

•2ª colocada: uma joia Antonio Bernardo e um Kit L’Occitane;

 •3ª colocada: kit de maquiagem MAC. Participe do concurso acessando: delas.ig.com.br/promocao.

Participe do concurso acessando: delas.ig.com.br/promocao

1 comentário

Arquivado em Promoções

A bolacha premiada do pacote de biscoitos finos

Por Eduardo Soares

1992. O diálogo abaixo aconteceu na quadra de uma escola pública suburbana, durante o intervalo matinal.

– O que você vai ser quando acabar o segundo grau?

– Humm..não sei. Ainda estamos na oitava série! Mas, acho que serei médica. E você?

– Ih, que bobeira! Com esse negócio da Eco 92 (*), certamente vou ser empresário do meio ambiente! Tu vai rir quando me ver na TV, durante o jornal das oito!

Durante todo o segundo grau, ambos sempre foram os nerds da sala, apostas certas dos professores de que seriam grandes profissionais em qualquer área que escolhessem entrar. De fato, Cristina tinha enorme facilidade em aprender o funcionamento das moléculas, membrana, citoplasma, núcleo, glóbulos, estrutura do DNA, enfim, toda engenharia do corpo humano. Por outro lado, César lidava com números de maneira assustadora. Sua nota mais baixa foi um 7,5 durante todo segundo grau. Nas demais matérias, os dois também tinham desempenhos acima da media porém ela nas ciências e ele na matemática eram praticamente imbatíveis.

Como acontece com todos nós, o tempo passou rápido e sem perceber em 1997 a dupla prodígio estava na faculdade.

– Cinco anos atrás estávamos aqui na quadra brincando sobre futuro, lembra? Eu achava que seria medica! Ainda achava! Nunca me vi fazendo outra coisa! Mas, sei lá, agora que estamos entrando na faculdade fico nervosa…é um novo passo, o mais importante que vai construir nossa carreira!

– Relaxa, Cris! Cara, sempre fomos os melhores da turma! Você acha que agora iremos desaprender só por causa de nervosismo? Sem medo! Somos bons! Vamos “bebemorar”, minha linda!

Ambos estavam no calor hormonal dos 18 anos. Sem admitir, Cristina começou a sentir uma atração um tanto infanto-juvenil por César. Este por sua vez sentiu que ela tinha uma queda e resolveu curtir a situação. De vez em quando ficavam às escondidas nos intervalos da universidade. Ele, aproveitava despropositadamente os encontros enquanto ela alimentava um sentimento não declarado de carinho cada vez maior pelo “namorado/amigo”. Passou o tempo e Cristina, sempre dedicada, conseguiu realizar seu grande sonho de ser médica. Mas aquele momento era um misto de alegria e tristeza pois, enquanto ela impunha o diploma nas mãos, Cézar se perdeu no meio do caminho. De aposta certa ele transformou-se em triste promessa desperdiçada. Sua presença na faculdade era cada vez rara ao passo que a curtição tomava conta da sua vida. Por sorte, passou entre os dez melhores do pais no único concurso que prestou e com isso seu salário custeava a vida inconsequente que levava.

Com 25 anos de idade cada um, os amigos estavam com as vidas relativamente bem encaminhadas. Certa vez, ambos se esbarraram numa festa da alta sociedade. O encontro aconteceu anos depois de uma ausência “social” inexplicável da parte dele. Cristina continuava sonhando com aquele menino/adolescente alegre, inteligente e dedicado. Vê-lo anos depois, fez brotar naquele coração doce uma mistura de alegria e preocupação.

– Cézar! Não acredito!! Por onde tem andado? O que tem feito da vida, seu maluco? Me dá um abraço!

– Cris! Minha linda!! Como vai você, doutora??

O reencontro foi caloroso. Em certo momento ambos pareciam estar 12 anos atrás, na mesma escola, com a mesma vida humilde e o mesmo carinho juvenil. Depois de algum tempo de prosa, um beijo aconteceu. Ali, Cristina se entregou de corpo e alma enquanto Cézar não parecia estar muito animado. Perguntado sobre o motivo do visível desconforto, ele foi taxativo:

– Ehhh….Cris…quantos anos sem te ver, né? Então, por isso mesmo…você estava uma gata na época da faculdade! Eu sentia o maior tesão, papo sério! Mas, pô…agora tu deu uma engordada! Sei lá, ficou desleixada! Numa boa, tu deu uma queda considerável! Acho que a medicina deu um estrago no teu corpo! Bem, tu sabe…a festa é fina! Fica longe de mim, não vou precisar de você, me faz esse favor! Não queime meu filme! Foi mal, não quero passar vergonha com você do meu lado…se cuida, valeu?

Ao sair, ele entregou um cartão a ela onde dizia: CÉZAR MACHADO. PROMOTER. BOATE BELIZE.

Naquele instante ela associou as informações e lembrou que dias antes daquele encontro uma boate havia sido inaugurada. No mesmo dia, aconteceu uma briga que estampou boa parte dos jornais devido a uma pancadaria generalizada envolvendo um grupo de gordos que pretendia passar a noite naquele lugar mas que foram alvos de comentários preconceituosos com os donos do estabelecimento. Leia-se “donos do estabelecimento” por Cézar Machado e um amigo conceituado na high society carioca.

Cristina ficou petrificada por alguns minutos. Aquelas palavras entravam na sua cabeça como pedras enormes jogadas sem piedade. Dor. Raiva. O choro foi inevitável. E assim foi durante os dias seguintes, a cada lembrança latejante na sua cabeça.  O encanto de uma vida toda foi desfeito em fração de segundos sempre que a união de palavras infelizes ecoava a ponto de deixá-la com insônia:

“Eu sentia o maior tesão”

“Tu deu uma queda considerável”

“Você estava uma gata na época da faculdade”

“Não quero passar vergonha com você do meu lado”

Num salto do tempo, vamos para 2010. Cristina, então já renomada psiquiatra, chegou em casa depois de dar uma palestra sobre o novo perfil dos drogados pertencentes às classes A e B. Seu status era tamanho que o prefeito havia feito um convite para que ela ocupasse uma vaga na secretaria de saúde do Rio de Janeiro. Enquanto a proposta balançava seu coração, ela ligou a TV para relaxar um pouco. Zapeando os canais, descobriu que um playboy trintão fora assassinado devido a dívidas e seu amigo foi preso num estado deplorável. Tao deplorável que foi preciso passar um minuto para que Cristina associasse aquela imagem com a de Cézar. Na verdade ela soube que era dele devido ao nome daquele drogado, cujo corpo atlético cedera vez para um homem de 1,80 com inacreditáveis 52 quilos, dono de poucos dentes e portador de inúmeras feridas espalhadas na pele ressecada e imunda.

Cézar foi parar numa clinica de reabilitação para dependentes químicos. Naquela altura, qualquer tipo de ajuda seria bem vinda, pois sua vida acabou anos atrás e o que restara não era o suficiente para classificar aquele estado quase vegetativo como sub-humano. No primeiro dia, ele foi direcionado para a ala de apoio psiquiátrico. Humilde, pediu licença e entrou na sala. Viu que a doutora estava em pé, de costas, fazendo algumas anotações. Cézar sentiu atração por ela, dona de um corpo que vestia G ou GG, bem diferente das meninas esquálidas que ele pegava nas noites regadas a drogas.

– Cézar Machado, sente-se por favor.

A voz não era estranha. Calado estava, calado ficou e simplesmente atendeu ao pedido da doutora. Parecia um cachorro amedrontado, faminto, trêmulo. Ela continuava de costas quando soltou os seguintes comentários:

– “Tu vai rir quando me ver na TV, durante o jornal das oito”, lembra? Não, eu não ri. “Acho que a medicina deu um estrago no teu corpo”, lembra? Hoje, vejo que você suas escolhas deram vários estragos no seu corpo.  E contrariando sua frase…

Nesse instante ela ficou de frente para Cézar, sem fitá-lo cara-a-cara, deixou um cartão na mesa (onde estava escrito DOUTORA CRISTINA MUNHOZ. PSIQUIATRA) e seguiu em direção à porta, antes de concluir a frase.

-…sim, você vai precisar de mim.

Cézar ficou petrificado por alguns minutos. Aquelas palavras entravam na sua cabeça como pedras enormes jogadas sem piedade. Merecidamente.

E você, vai continuar achando que o mundo acabou só porque (graças a Deus) ouviu um “não quero passar vergonha com você do meu lado” daquele que aparenta(va) ser a bolacha premiada do pacote de biscoitos finos?

(*) Para quem tem menos de 20 anos, a ECO 92 aconteceu no Rio de Janeiro e serviu para buscar meios de conciliar o desenvolvimento sócio-econômico com a conservação e proteção dos ecossistemas da Terra (em outras palavras, iniciou-se ali o conceito do- hoje – propagado desenvolvimento sustentável).

 

 

40 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Look do Dia: vestido de sarja

Por Renata Poskus Vaz

Vocês vão me achar uma boba, mas sinto um frisson a cada vez que coloco um vestido de sarja, principalmente na cor caqui. Lembro de um filme que marcou muito a minha infância, o Indiana Jones. Enquanto os meninos vibravam com o protagonista, eu adorava a mocinha Marion Ravenwood, corajosa e audaciosa, interpretada pela atriz Karen Allen e que, vira e mexe, aparecia com um modelito surrado de linho ou sarja. Veja só:

 Abaixo, eu em minha versão Marion moderna, mas sem o gatão do Indiana Jones (unf!). Reaprem no cintinho que marcou bem a cintura e me deixou mais magrinha:

 Este vestido está à venda na Loja Mulherão.

13 Comentários

Arquivado em Vestidos

Seja madrinha de uma criança carente neste Natal

Por Renata Poskus Vaz

Tem muita gente que questiona o espírito de solidariedade que surge nos corações alheios apenas no Natal. Mas normalmente essas pessoas ficam de braços cruzados o ano todo e não fazem nada, nada mesmo, para ajudar ao próximo.

Esse não é o caso das meninas do Blog Como se Faz, Patrícia Mierzwa e Flávia Passoni, que arregaçaram as mangas para encabeçar uma campanha super fofa, em prol das crianças do Centro Educacional Cantinho Feliz.

A Instituição, localizada na Rua Santo Antônio de Lisboa, 237 – Vila Ede, aqui em São Paulo, cuida de crianinhas até 4 anos, para que suas mães possam trabalhar. Que tal ajudar esses pequeninos?

Basta montar um kit contendo: 1 roupa (de preferência um conjuntinho de bermuda e camiseta ou saia no caso das meninas) + cueca ou calcinha + meia + um calçado e um brinquedinho. As doações poderão ser feitas até 15 de dezembro. Entre em contato e cadastre-se nessa campanha: contato@comofazstore.com.br

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Campanha de Natal Pernambucanas

Genteeeeee, quando eu falo que sou chik de doer tem gente que não acredita. Mas eu sou sim. É fato. AHAHAHAH.
Em meados de outubro recebi o convite de ninguém menos que da JWT, uma das maiores agências de publicidade do mundo, para fazer parte uma ação onde eu e mais 14 blogueiras escolhidas teríamos que escrever textos contando sobre nossas experiências vividas no Natal, para o site da Pernambucanas. Pois bem, eu, Keka Demétrio, esta aqui que vos fala, ou vos escreve, você escolhe, rsrs, estou toda poderosa no “Receitas de Emoção”, um livro que vai te fazer entender porque o Natal é a época em que o AMOR realmente fala mais alto.
Acesse http://www.pernambucanas.com.br/natalmais/receitas/home.htmle veja como eu vou contagiar você.

20 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Vivências I

Por Keka Demétrio

Amores, olha eu aqui de volta com minhas ideias meio malucas, mas que fazem uma enorme diferença em minha vida, e espero que na de vocês também. Essa coletânea fala um pouco de mim, da forma como lido com as diversas nuances em minha nada mole, mas maravilhosa vida. Para quem não teve o prazer (essa minha modéstia ainda vai me render bons frutos. ahahaha) de ler os pensamentos publicados semana passada é só clicar aqui https://mulherao.wordpress.com/2011/11/08/vivencias e se jogar. Beijos!!

Qualquer coisa que lhe cause dependência, seja física ou emocional, te faz prisioneiro. E quando nos tornamos prisioneiros é porque estamos fracos diante de alguma coisa. Para nos fortalecer é preciso provocar uma mudança íntima, e esta mudança só começa quando transformamos a nossa mente.

Não, eu não me importo se estou certa ou não aos olhos das pessoas. O julgamento que me preocupa é o da minha própria consciência, sendo assim, é ela quem determina as minhas atitudes.

Ontem de noite me dei conta que colocava EU antes de DEUS. Então, fiz diferente, coloquei JESUS na minha frente, e foi restaurador.

Se a maioria das minhas amigas que eram magras ficaram gordas, porque que eu que sempre fui gorda tenho que emagrecer??

Detesto amores pensados. Daqueles que ficam analisando estratégias como se estivesse em um jogo. No amor, o único jogo que vale a pena é o da sedução. 

Eu sonhei com você. Foi interessante. Quando acordei percebi que voce nem faz tanta falta.

Eu sou intensa. Quando eu amo, eu amo. E então eu tenho urgência de tudo o que você pode me fazer sentir. De tudo o que eu quero sentir.

Descobri que eu sofro de amor. Antes assim, triste seria se eu sofresse de falta de amor.

Quando vc para de achar que é dono da situação e deixa DEUS te guiar é sinal de que tá valendo a pena abrir mão de certas coisas pelo fortalecimento da sua fé.

Aos poucos a gente vai entendendo que quem ama sempre corre o risco de derramar algumas lágrimas, no entanto, o amor é o sentimento que mais nos aproxima de DEUS. E quando vc para de achar que é dono da situação e deixa ELE te guiar é sinal de que tá valendo a pena abrir mão de certas coisas pelo fortalecimento da fé. Amar sempre. Incondicionalmente!

Eu me olho uma, duas, três vezes. Então retorno ao espelho e me olho de novo. Às vezes preciso confirmar algumas coisas para continuar a seguir em frente, e não é por isso que me acho menos, pelo contrário, é qdo percebo minhas fraquezas que entendo o quanto ainda posso ser grande.

Eu não quero uma vida cheia de quases e vírgulas. Mas posso te garantir que o dia hoje será cheio de novos parágrafos sem a limitação de um ponto final.

Eu não desisto. Vou me esfolando, buscando alternativas e quem sabe qualquer hora o destino acerta a mão e a gente se esbarra de verdade. Até lá, sigo acreditando piamente que acontecem maravilhas a todo o instante.

Eu acho ridícula essa historia de dizer que não tá sofrendo porque ganhou um pé na bunda. Tem razão, o que dói mesmo é o coração, e não a bunda.

Às vezes eu detesto ser emocionalmente afetada. Se o cara diz que te adora, ele te adora. É fato. Se ele diz que você tá linda, você tá linda. Ponto.

Quem quiser me add no Facebook vou adorar: http://facebook.com/​angelica.demetrio

E este é o meu Twitter: @kekademetrio

Beijosssss

Que Deus nos abençoe sempre

4 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento, Uncategorized

Camisas plus size de manga curta

Por Renata Poskus Vaz

Olá, mulherões! Minha dica de hoje são para aquelas que trabalham em escritórios e não abrem mão de usar camisa, mesmo no calor. Camisa não sai de moda nunca, muito menos a branca, que juntamente com a calça jeans e a calça preta ocupam lugares VIPS nos corações e armários de mulheres de todas as faixas etárias e manequins.Que tal  opções com manga curta, meia manga ou cavadas?

Vejam só esses modelos que estão disponíveis na Loja Mulherão:

Testei e aprovei:

E por falar em roupas claras, lembrei de um desodorante nota 10 que testei, usei e aprovei, o Invisible Black & White Clear, da Nivea. Ele é transparente e não deixa manchas amarelas em roupas claras e nem manchas brancas em roupas escuras.  Vale a pena provar. O único porém é que, embora o desodorante seja 24h, eu senti que ele “venceu” bem antes. E olha que nem transpirei tanto. Vocês já usaram?

19 Comentários

Arquivado em Camisas, Moda e estilo, Moda Verão