Gorda sim, por que não?

Por Keka Demétrio

Diante dessa avalanche de notícias, blog, sites, concursos e afins, posso dizer que a verdade é uma só: a maioria das mulheres estão afirmando que não se importam em estarem gordas, mas poucas são as que realmente se aceitam. Muitas ainda estão no caminho da autoaceitação e outras não se aceitam e nunca vão se aceitar. Fato. E mesmo se aceitando, ser ou estar gordo não é fácil para ninguém. Buscar a felicidade, e para isso ter que ir contra o que a maioria pensa ou determina, sempre foi motivo de sofrimento, porém, de crescimento e libertação.

A maioria das pessoas olha para quem está acima do peso com desdém, como se fossemos menos, como se capacidade fosse medida pela quantidade de quilos que possuímos. E isso arrasa qualquer pessoa. Embora os casos de obesidade possam ter diversos fatores, como genética, distúrbios físicos e emocionais, somos sempre vistos como quem está sempre cometendo o pecado da gula, desleixados e preguiçosos. Quer um exemplo claro? Quando numa festa ou restaurante uma mulher magra se levanta para se servir, ninguém nota o que ela colocou no prato, mas se for uma mulher gorda todo mundo fica reparando e diz: olha lá, por isto está gorda. E assim acontece em diversas outras áreas, somos observados sempre e na maioria das vezes para sermos criticados. Ou seja, de uma forma ou de outra incomodamos e as pessoas nos observam.

Acho tudo muito lindo quando vejo milhares de mulheres declarando se amarem. Tenho inúmeras leitoras, que me enchem de orgulho e alegria, porque muitas delas passaram a se cuidar através da leitura de alguns textos meus, onde, na verdade, eu estava querendo era chacoalhar a mim mesma. Por isso eu sei o quanto isso custa, quanta coragem é preciso para tirar essas palavras bonitas da boca e transformá-las em atitudes, em caminhos, em descobertas e estabelecer um novo modo de vida, enfrentando maledicência, estupidez de gente preconceituosa por alienação, porque não tem opinião própria e não sabe nem o que está dizendo.

Sabe aquele discurso que vivemos ouvindo sobre não precisar que ninguém nos aceite? Pois é, é mentira e nunca concordei com isso. O que sempre propus foi que antes de cobrarmos aceitação dos outros devemos nos aceitar primeiro. Poxa, vivemos em sociedade, e queremos sim que as pessoas nos aceitem, nos admirem, gostem da gente, e seria hipocrisia dizer que não se importa com isso. E sinto te informar que ninguém vai fazer isso antes que você mesmo se aceite, se admire e se goste.

Gosto não se discute e deve-se respeitar. Mas, só para citar como exemplo, alguns homens preferem estar ao lado de uma mulher magra e burra do que ao lado de uma mulher inteligente, descolada, culta, educada e gorda. E isso serve também para mulheres que preferem homens sarados e acéfalos, a estarem ao lado de homens inteligentes, que as valorizam e gordos. Sinto pena de gente assim, e quem for do sexo masculino e não quiser se aproximar de mim por causa do meu peso, por favor, não se aproxime mesmo, quero avisar que está me fazendo um grande favor, poupando-me e se poupando, porque minha preferência é por homens de verdade. E para aquelas que possuem ‘namorados’ que sentem vergonha de assumirem o ‘compromisso’, de as apresentarem para os amigos, digo para se valorizarem mais, porque se não, sempre terão como ‘companheiro’ alguém que pensa ser homem, mas que não passa de moleque.

Felicidade alheia incomoda, e se vier de uma gorda incomoda muito mais. Eu sei, eu sinto. No começo, quando essa onda de autoaceitação começou a crescer, percebia um monte de gente, diga-se mulheres, e alguns homens fúteis, me olhando de canto de olho como se eu fosse a maior das ridículas. Nestas horas, ao invés de marejar os olhos como acontecia anos atrás, eu dava um belo sorriso e fingia não notar, porque arma nenhuma é mais poderosa do que o desprezo, o ato de ignorar. Desta época para cá, comecei a fortalecer minhas idéias e percepções a respeito de mim e só eu sei quantas vezes dormi abraçada comigo mesma, como se a parte forte da Angélica quisesse acalentar e dar forças para a parte ainda doente e enfraquecida pelos anos de autoestima abaixo de zero.

Passei a focar no que eu queria ser, no que eu queria sentir, trabalhei meus pontos fracos e fortaleci o que sempre me evidenciou: minha alegria, meu sorriso e a minha sensibilidade. Pratico a terapia do Espelho, da Música e a Choroterapia, todas criadas por mim como forma de enfrentar a minhas fragilidades. Desenvolvi um trabalho mental de autoaceitação e amor próprio que excluiu da minha vida a vergonha de ser quem eu sempre fui: uma mulher gorda que tem todo o direito de ser e estar feliz, de buscar meu caminho, de lutar por meus sonhos e de não aceitar ser discriminada pelo tamanho do meu corpo. E de excluir da minha vida qualquer um que queira me fazer sentir menos do que sou.

Sou uma mulher acima do peso e sou feliz. Gosto de mim, aliás, me amo, exalo sensualidade, carisma, alegria de viver e não são poucas as pessoas que chegam perto de mim para dizer o quanto me admiram, e olha que tem muita magrinha corpinho de modelo fazendo isso. E homossexuais, também. Talvez porque eles sintam na pele o que é ser desrespeitado, humilhado e possam ver em mim uma mulher que tem tudo para ficar jogada dentro de casa vestida com uma roupa surrada, subir no salto, me jogar em meus vestidos, me maquiar, cuidar de mim e principalmente do meu sorriso. Encarando a vida sem medo do que os outros vão dizer, porque falar eles falam mesmo e minha energia é poderosa e abençoada demais para ser gasta me preocupando com esse tipo de coisa, prefiro investi-la no meu crescimento e aprimoramento intelectual e emocional.

Hoje, percebo que o que incomoda mais as pessoas não é o meu corpo roliço, mas a leveza da minha alma, o desprendimento que tenho em relação ao que prega o preconceito, e o amor próprio que faço questão de ressaltar. O incomodo que estas pessoas sentem é pela felicidade que tenho, e que elas, inconscientemente talvez nunca vão possuir, porque perdem tempo e energia demais em invejar o outro ao invés de ir atrás do que lhes é de direito, o direito de serem felizes. Não tenho um pingo de vergonha do que sou e de como estou, e por isso eu sempre digo: Sou gorda sim, e por que não?

72 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito

72 Respostas para “Gorda sim, por que não?

  1. Elida Cosmo

    Por anos tentei ser assim, depois me entreguei a tristeza e a depressão, cheguei a bater nos 167kg. Hoje depois de uma bariatrica “mal sussedida” pois só emagrci 40kg estou com meus 127kg, me sentindo a mulher mais gostosa do mundo. Eh como se eu me olhasse no espelho e visse o padrão de beleza a ser seguido. Mesmo ainda acima do peso estou bonita, saudavel e mais sexy do que nunca. Homens de verdade que nunca se aproximaram de uma gorda antes, me cantam dizendo surpresso com o sorriso no meu rosto e o meu requebrado. Este texto eh uma ode a tudo que um dia acreditei, deixei de acreditar e hoje vivo intensamente. Se alguem tem alguma duvida de como isso pode acontecer, se olhe bem no espelho e pense você seria uma pessoa melhor com 40kg a menos? Pois eh eu nao sou uma pessoa diferente nem melhor, eu apenas resgatei a pessoa que se deixou encobrir por essa capa de gordura. Eu não sou o meu corpo… sou o meu coração, e o meu coração esta cheio de amor agora… por mim e pelo que eu ainda tenho a conquistar. Keka obrigada!

  2. Valéria Vanice

    Olá Keka, você está coberta de razão, parece que mesmo no século XXI as pessoas ainda não se acostumaram com as diferenças dos corpos, das almas e das mentes. É importante que nós, gordinhas, gordas ou mais que gordas reafirmemos a importância da nossa personalidade, a importância de sermos respeitadas do jeito que somos. Bjus.

    • Valéria, quando eu desrespeito o outro, estou na verdade desrespeitando a mim que utilizei meu tempo, algo tão precioso, para magoar o outro ao invés de fazer algo útil que me engrandeceria. Não importa a cor, a raça, o peso, a estatura, a religião, a classe social, o amor ao próximo, a compaixão, o respeito, devem ser ferramentas utilizadas com todos, a começar por nós mesmos.
      Grande beijo

  3. Simone Starck

    Adorei o texto… identifiquei-me por inteiro… tive todas essas experiência e hoje sei que me amo exatamente por essas experiências vividas… aceitar-se é o primeiro passo para qualquer coisa e realização, seja profissional, familiar, pessoal e, principalmente, amorosa… como querer que alguém te ame se vc não é capaz de se amar??? começa por ai…
    Essa aceitação não é fácil, nunca foi e ninguém disse que será, mas toda mudança necessita de um primeiro passo. A partir dai as coisas melhoram gradativamente….
    Antes me questionava pq determinadas pessoas se aproximavam de mim, como se não “merecesse” tal galanteio e acabava ficando deprimida e me afastava… hoje avalio quem se aproxima e, se valer a pena, invisto, mas sempre me respeitando, respeitando a segunda pessoa e exigindo que me respeite.
    Excelente texto.

    • Belíssima aula, Simone. Costumo dizer que é uma luta constante, diuturna, que demanda força de vontade, mas que nada no mundo é mais gratificante, enriquecedor e maravilhoso do que quando aprendemos a nos amar com nosso defeitos e qualidades.
      Beijoss

  4. Arrasou!! Keka,me identifico demais com seus textos. Vc tem o dom de expressar em palavras as coisas q tbém vivencio e levo dentro de mi. Porta-voz da minha alma rs Vc percebe o qnto Deus te usa fora das 4 paredes de uma instituiçao, nesse mundo de mulheres plus??? Acredito q td q passamos nos lapida como uma pedra preciosa e vejo q a cada dia mais estamos nos tornando diamantes de inestimável valor! Bjs no cuore!!

    • Ana, querida, marejei os ‘zóio’, porque sou dessas, sabe, me emociono. rsrs
      Me lembro que a muitos anos atrás eu pedia a Deus para me usar de alguma forma para ajudar as pessoas, e sei que o que escrevo tem a ver com este pedido, porém, jamais pensei que seria assim e que ao auxiliar tantas mulheres a descobrirem o seu valor eu passaria a descobrir o meu. Sou grata a Deus e a cada um de vocês, que se tornaram parte essencial da minha vida.
      Deus te abençoe, pedra preciosa!
      Beijos

  5. Arrasou!! Keka,me identifico demais com seus textos. Vc tem o dom de expressar em palavras as coisas q tbém vivencio e levo dentro de mim e acredito q de mtas mulheres tbém. Como uma porta-voz de almas rs Vc percebe o qnto Deus te usa fora das 4 paredes de uma instituiçao, nesse mundo de mulheres plus??? Acredito q td q passamos nos lapida como uma pedra preciosa e vejo q a cada dia mais estamos nos tornando diamantes de inestimável valor! Bjs no cuore!!

  6. Nao vejo problema algum em ser gordinho (a), o que vejo , é o preconceito de decadas, seculos, por pessoas que se julgam esbeltas , lindas e pensam de que o correto de ser é igual a elas, mas o que é correto? No meu entender, correto é ser uma pessoa de bem , ter amigos, e nao em estar magra e etc.. Quem determina o que esta certo? quem esta certo? vc é o que vc é e ponto final , se nao gosta de sua forma , mude- a, agora o que nao curto como homem são mulheres que são assim como falamos gosdinhas, que fique claro que nao existe problemas em ser gordinha, salvo em questão de saúde, mas o que irrita mesmo é ver uma destas mulheres se achando inferior as demais, sendo o que nos diferencia de outro ser é o QI e nao a forma fisica, se assumam como são e parem de choramingar, vcs são lindas de qualquer forma..

    • Paulo, querido, obrigada pelas palavras. Tenho certeza de que nossas leitoras vão poder absorver o que quis dizer, e outra, vc tem razão, choramingar não faz ninguém feliz, pelo contrário, só aumenta a frustração.
      Beijos

  7. Vanessa

    Kekinha, sempre bom ler seus textos. Acho que ainda passo por dificuldades de aceitação e ás vezes acontecem coisas que acabam comigo, mas sempre me levanto.
    E olha que não sou muito gordinha não, mas tem vezes que nem na rua quero sair. Outro dia conheci um cara lindo na net, nos vimos pela cam, ele se apaixonou até saber que eu era gordinha. Sumiu, desapareceu. Fogo né? Bjos

  8. Keka, fica ate complicado comentar algo diante de um texto tão maravilhoso …. amei o que vc falou, me tocou muito, vc consegue por em palavras muitas coisas que sentimos, me identifiquei completamente com teu texto e compartilho dessa reflexão
    Beijãooooooo

  9. Patricio Bentes

    Keka, seus textos compartilham angústias e ansiedades de milhares de mulheres que precisam lutar contra os estereótipos de que só mulheres compatíveis com os modismos impostos pela mídia são capazes de ser felizes.
    Suas reflexões, no meu entender, formuladas de maneira didática e honesta, despertam nas mulheres contemporâneas aquilo que mais necessitam: acreditar nelas e resgatar a altoestima.
    Sua missão é socialmente relevante. Vá em frente.

    • Patricio Bentes, vc sabia que é proibido sumir de mim, né??????rsrs
      Achei encantador seu comentário e o fato de ressaltar o quanto é importante estarmos auxiliando outras mulheres a resgatarem sua autoestima.
      Super beijo pra vc!

      P.S: Não esquece do PF

  10. Andréa

    Ola Keke!1º Parabéns pra nos, pq também fiz aniversário dia 25/06. Concordo com vc afasto de mim as pessoas que me fazem mal e não sou obrigada a aturar penso como o comercial do Boticário (não importa aonde vc vá mas que vc chegue linda) então é isso quando estamos bem consigo mesma as coisas fluem demorou pra eu acreditar mas é verdade. E meu ouvido não é depósito de m… pras aqueles que só sabem nos ofender..bj, Parebens atrasado evc escreve cada vez melhor…

  11. Gostei!
    Texto FORTE!
    “Sou gorda sim, pq não?”
    Bjus amiga!!!

  12. Tem como não te amar, criatura???
    Você toca o meu coração e sempre me lembra como eu devo ser importante pra mim mesma. Mil vezes obrigada por fazer parte da minha vida.
    “Hoje, percebo que o que incomoda mais as pessoas não é o meu corpo roliço, mas a leveza da minha alma, o desprendimento que tenho em relação ao que prega o preconceito, e o amor próprio que faço questão de ressaltar.”
    Cheiro…

  13. Lavinea

    Eu cheguei a 104,8kg. Já emagreci 10kg em 2 meses. Na boa cara, não existe gordo feliz.. e se existe tem alguém aqui que não é. Onde tem felicidade em ver aquela lingerie LINDA da vitrine e ter que comprar a calcinha que nao vai ficar caindo na sua barriga? Ou ver aquela roupa linda que você tanto queria usar e não poder comprar, porque a roupa que te escolhe. Comer 3, 4, 5, 20 vezes.. um doce, vai ter o mesmo sabor do que comer uma vez só! Todo mundo pode. Vigilantes do peso tá aí. Vale super a pena. O grande negocio não é sopa, ou ficar sem comer.. é mudar a CABEÇA e os HÁBITOS!

    • Lavinea, querida, continue sua dieta e espero que tenha êxito. Ao menos vc me parece bem empolgada e isso já é um grande passo. 🙂
      Sou um mulherão de muitos quilos, e sou feliz! Mas não conquistei esse amor próprio da noite para o dia, aliás, todos os dias cuido um pouquinho de mim. Como disse no texto, tem quem se aceite, quem está no caminho e quem definitivamente não vai se aceitar, mas o essencial é respeitarmos a individualidade de cada um. Mudanças de hábitos alimentares deve mesmo vir acompanhada de mudanças emocionais, e esta é sempre a parte mais difícil e dolorosa, mas não é uma regra, aliás, generalizar sempre foi, é, e será perigoso, por isto o respeito à individualidade, ao querer algo, ao sentir-se bem assim ou assado, sempre com um olho na saúde. Por falar nisso, meus exames estão bacaninha, e acho que a forma como encaro a vida e as adversidades ajuda muito no controle da minha saúde.
      Hoje, diante de tantas marcas de roupas plus size, não admito mais ser escolhida por elas e sei o que me cai bem, o que me valoriza. Se não posso usar aquela lingerie fantástica que foi feita pensando em uma mulher magra, procuro uma bem linda que foi feita pensando em mulheres como eu, fartas.
      Medos, receios, todas temos. Somos mulheres, humanas, e todas, sem exceção, temos aquele dia em que nos achamos horríveis, e é justamente neste dia que nossa autoestima é posta à prova, porque vai depender dela para que tornemos a nos dar o nosso devido valor.
      Depois vem contar pra gente essa sua história que deve ser bem interessante. 😉
      Grande beijo

  14. Paula Regina

    Keka, meus parabéns pela crônica absolutamente tocante e que lava a alma da gente.

    Certa vez, num restaurante, havia uma mulher linda, ultra bem vestida e que, após o almoço, rumou para a sobremesa. Pois bem, na mesa ao lado da minha 2 casais se cutucaram e disseram:
    – aposto que a chupeta de baleia vai atacar um pudim direto pra bunda e um quindão direto pro barrigão.
    A mulher, cheia de educação, estilo e classe retornou com uma pequena porcão de salada de frutas.
    Fiquei olhando para as mulheres do casal deselegante e percebi a frustração, o sentido perdido e o desequilíbrio que a opção de sobremesa de outra pessoa trouxe a elas.
    Percebi ali que o maior incômodo que aquela mulher acima do peso – mas que se vestia, se calçava, se comportava 10 mil vezes melhor – causava era inveja.
    Puro e simples recalque daquelas que queriam muito, desejam no absoluto, trocar, nem que por 1 segundinho, a vida morninha e enjoada, sem estilo fashion e glamour zero, por aquela que era “zombada”.
    Portanto, não acreditem muito quando ouvirem piadinhas e alfinetadas; a maioria das vezes é por puro recalque do que nos é farto e nos outro é completamente nulo.

    Bjks, lindinha =0**

    • Paulinha, sempre me encanto com seus comentários, e com este não foi diferente. Obrigada por sempre nos ajudar a reforçar a necessidade de cultivarmos o amor próprio nos libertando das amarras impostas pelos olhares maledicentes, pelas palavras que ferem.
      Beijos, lindinha! 🙂

  15. luziane

    O engraçado é que existem pessoas magras felizes e infelizes. Se peso fosse quesito de sucesso, como explicam isso?
    Sempre tive problema com meu peso. Ano passado passei por uma bariátrica porque, apesar de meus 37 anos (muito jovem, rss) comecei a ter problemas no joelho por causa do peso, mas, o fator peso nunca foi empecilho para eu me arrumar, me casar (um marido maravilhoso, que me respeita e me admira, está sempre do meu lado, nos bons e maus momentos) estudar, trabalhar e fazer grandes amizades, pois, sempre me respeitei, sempre mantive objetivos em minha vida. É fácil? Não, mas, se peso fosse quesito de sucesso, eu seria uma fracassada. Adoro essas discussões, nos trazem a reflexão (ainda sou um mulherão, apesar da cirurgia, e, sempre serei, pois, tenho 1, 74, ossos largos, rss, o que não cabe em uma pessoa pequena). A cirurgia mudou minha vida? Sim. Consigo caminhar melhor, tinha apneia, não tenho mais, porém, sinto que perdi um pouco do bom humor (é a falta de pratos substanciosos, rss).
    Sejamos todos felizes, apesar de …

    • Lu, também sou assim. Um dia uma nutricionista me disse: Angélica, vc nunca será magra, seus ossos são grandes, sua estrutura é grande. E sorri e disse: mas quem disse que quero ser magra? Quero só me sentir bem e feliz!
      Confesso que estou precisando dar uma agitada na vida que anda meio sedentária, e agora que completei meus lindos 40 aninhos, não dá mais pra ficar adiando. rsrs
      Beijosss

  16. Liane Martins

    É uma felicidade vir aqui e ler um texto que traduz tudo o que a gente está pensando.O caminho da aceitação é mesmo bastante complicado,e o engraçado é que muitas vezes nossas limitações vem de fora para dentro,ou seja,dos outros para nós.São eles que pensam que nunca seremos felizes,que não somos vaidosas, que não pensamos em outra coisa a não ser comida,que não namoraremos, que não teremos vida plena.Sempre admirei o corpo curvilíneo das antigas pin ups.Cresci e fui feliz sendo gordinha.Infelizmente tive que lidar com o preconceito e a mente atrasada de muitas pessoas,mas me fiz respeitar com o tempo,a cada vez que me reafirmava como esse mulherão que eu sou.Canto,danço,viajo,namoro,trabalho,estudo…as limitações eu deixo na mente desses bobos…eles ainda precisam evoluir muito.
    Post maravilhoso!Iluminou a semana!

    • Liane, querida, obrigada pelo carinho.
      Gordo ou magro, não importa, basta ser humano para sabermos que o caminho da autoaceitação é doloroso e muitas vezes complicadíssimo. Quantos vazios existem dentro de nosso ‘todo’ que nos faz ter atitudes que às vezes nos machucam, nos ferem, mas também que nos despertam, nos alicerçam e nos conduzem à evolução necessária. Quando percebo algum tipo de preconceito, não sinto mais raiva, nem fico triste, apenas penso como você, que eles ainda precisam evoluir muito. Não que esteja falando que eu também não precise evoluir, preciso e muito, mas graças a Deus, trabalho incansavelmente estes sentimentos dentro de mim.
      Grande beijo!

  17. Eu comentei o texto no início do dia, mas faço questão de relatar aqui o que passei a exatamente 20 minutos atrás em uma academia de ginástica aqui na minha cidade, interior do RJ, qdo fui tentar marcar uma avaliação (a minha fechou na parte da manhã):
    “- O médico disse que preciso perder mais 15 kg antes de eu fazer a cirurgia (estética/reparadora – perdi 34 kg);
    – Simone, não dá, tem que ser mais, senão vc ainda vai ficar gorda;
    – Mas fulano, eu não quero ficar magra até pq não é meu biotipo e não quero mudar quem sou… quero ficar bem e gosto de mim mais cheinha;
    – Simone, se vc acha que os caras vão dar em cima de vc gordinha tudo bem, mas acho melhor vc perder mais peso….
    (Parei e pensei por longos segundos)
    – Quem disse que quero ficar magra para os carinhas darem em cima de mim? Quem disse que é por isso que estou fazendo tudo o que fiz? Quem disse que preciso de homens atrás de mim?”
    Virei as costas e fui embora.
    Na boa meninas, mesmo hoje, ainda existe muito preconceito, seja ele qual for.
    Agora depende de nós filtrar a quem deremos ouvidos e quem deixaremos entrar em nossas vidas… esse perdeu, não serve para instrutor, não serve para colega, não serve para cumprimentar de manhã…
    Mente pequena, atitudes pequenas, vida pequena, alma medíocre…
    É isso… queria somente compartilhar essa experiência medonha que tive hoje e dizer que será necessário muito mais que isso para me derrubar ou diminuir o que sinto por mim mesma… isso se chama amor próprio e respeito, e isso ninguém tira de mim…
    Mais uma vez obrigada pelo espaço.

  18. Beatriz Fraga

    Felicidade alheia incomoda. As pessoas se sentem incomodada pelo que é “diferente do estabelecido como normal”. Quando fazia natação eu era a melhor nadadora da turma, e a treinadora me usava como exemplo para os outros alunos. Uma vez ouvi de uma petulante: até que vc nada bem para uma pessoa com seu peso! Dei uma resposta bem dada que a menina ficou com vergonha e foi até embora mais cedo da aula. Não é fácil se aceitar e manter essa postura. Eu ainda estou nesse caminho, as vezes desanimo, mas lembro de tudo que já passei por não me aceitar e dou a volta por cima. Não acho lindo ser gorda, não aconselho as pessoas a serem, mas eu sou, eu nasci gorda e gorda serei. Então o que vou fazer? me trancar em casa? Que me desculpem os incomodados, mas não deixarei de viver por causa disso.

    Me achei a Keka Demétrio agora! hahahaha

    • Bia, minha avó dizia: os incomodados que se retirem. Portanto, gata, para quem se incomoda com o meu peso a porta da sala da minha vida é a serventia da casa, então, por favor, retire-se. 😛

      P.S: Cuidado que essa Keka Demétrio é meio maluca. rsrsrs

      Beijosssss

  19. Sou gorda, sou gostosa, sou linda e maravilhosa kkkkkk

    E seus textos e as conversas seeempre me ajudaram muito e tu sabe disso, obrigada por usar esse dom maravilhoso ajudando a todos.

    Loviuuu ❤

  20. APatty

    Poxa Keka!!!
    Você a cada texto se supera, parece q entra dentro da gente e com seu dom de escriba, consegue interpretar tudo que não conseguimos expor nem para nós mesmos….
    Obrigada mais uma vez !!!
    Imagine todo esse preconceito e discriminação com as pessoas fora dos padrões comerciais de estetica, enriquecido com o preconceito com as pessoas com deficiencia, ou seja MULHER, OBESA E CADEIRANTE !!! BOMBA RELÓGIO PARA QUALQUER AUTO ESTIMA , NÃO ACHAM???
    ESTOU REFLETINDO SOBRE MUITAS COISAS AQUI , E ADORANDO TUDO !!!
    OBRIGADA +++++++++++
    ANA PATTY/ SANTOS SP

  21. Parabéns, keka!! Texto super bem escrito e tocante como de costume!!Só fico triste de saber, que algumas pessoas não entendem, que querer se cuidar, ou emagrecer um pouco ( não por adequação estética, mas por saúde), não é não se aceitar, ao contrário é se amar muitooooooooo!!VI um comentário, de quê nenhuma gorda é feliz…isso não é verdade, só não é feliz quem não tem o domínio do próprio corpo, quem não consegue estabelecer seu lugar no mundo!bjs, rafa

    • Sabe, Rafa, penso que não importa se é por estética ou por saúde, o que as pessoas precisam entender é que cada um sabe de sí e a dor e a delícia de ser o que é. rsrs
      Ainda bem que somos bem resolvidas, né gata?!!!
      Nos veremos no FWPS?
      bjoss

  22. Graziela

    Keka, mais uma vez vc arrasou ! Acho que quem gosta realmente da gente não olha para nosso corpo assim, olha para nossa ALMA e mesmo a gente estando acima do peso isso não faz diferença. Percebi isso qd encontrei com um ex, eu estava bem acima do peso e ele um pouco, não nos víamos há sete anos e ele nemmmm aí pra isso, achei engraçado e fiquei supresa, mas mais surpresa ainda qd seis meses dps nos encontramos novamente ele mais magro, eu QUINZE QUILOS mais magra E ELE NÃO NOTOU, CONVERSAVA COMIGO COM TANTA FELICIDADE E MEIO ” NERVOSO ” QUE ….desse dia em diante percebi que realmente QUEM GOSTA DA GENTE GOSTA DA GENTE, DA ALMA E O CORPO NÃO TEM NADA A VER! Quer dizer, pesa sim os quilinhos a mais qd não se tem essa ligação de alma, e acho que pesa muito pq toda vez que estou mais magra atraio muito mais homens, mas é MUITO MAIS e nunca tive facilidade para ter mais gordinha e qd vejo todo mundo dizendo que isso nunca foi problema, acho estranho. Bom, acho que deve ser um problema meu então, mas independente de tudo, isso nem me interessa mais PQ VI E VIVI QUE MEU HOMEM DE VERDADE E OS MEUS AMIGOS MESMOOOO GOSTAM TANTO DE MIM E DE TODA LUZ QUE O RESTO ELES PODEM ATÉ PERCEBER, MAS NÃO INCOMODA ! Parabéns pelo texto amiga ! Sempre haverá mesmo discriminação com os gordos, com os negros, com os homossexuais, com os ” diferentes do PADRÃO “, cabe a gente conviver com isso da melhor forma e não se ligar nisso. Acho até que o preconceito tem melhorado um pouquinho, mas é fato que ele existe e deixa ele pra lá, quero nem saberrrrrrr…. bjo, bjo, bjo

  23. Graziela

    Kequinha, vc já pensou em escrever um livro ?! Faz amiga, te dou o maior APOIO !

  24. thanks for posting your articles so often, every day i access your website and check for updates. so i am always informed.

  25. i like this subject and it will help me a lot with my homework. thanks for helping.

  26. thank you for posting such a useful website. your weblog happens to be not just informative but also very stimulating too.

  27. your blog article is very interesting and fantastic, at the same time the blog theme is unique and perfect, great job. to your success.

  28. really cool website. i loved it.

  29. recently came across your article and have been reading along. i want to express my admiration of your writing skill. great to know that!

  30. wow, awesome article…keep posting.

  31. JOSIANE ALMEIDA

    Adoro seus textos,e acredito q esse foi 1 dos q +me impactou!!!….Deus te usa de uma maneira explendida para acalentar nossos coraçoes!…realmente ele nos usa da maneira dele,é como vç disse ne 1 comentario,vç começou isso tudo para te ajudar a se aceitar a cada dia,e tudo isso transpassou vç e chegou até nós!!!…continue deixando Deus te usar através das palavras,pq pelo que percebi,ñ é só a mim que vç ta ajudando,é uma legiao de pessoas com o propósito de serem feliz!!!….e lendo 1 comentario,acho q a idéia é otima…Escreve 1 livro pra nós!!!bj

  32. Gente de Deus… só podia ser mineira mesmo, heim!.. Belo texto, belas palavras e o melhor de tudo: faz com que nós, leitoras, nos identifiquemos palavra por palavra!!!!!…. Estava precisando muito de um banho de auto-estima, e acabei de encontrar a \”cachoeira\” no seu texto.. Ou melhor, eu já sabia que por aqui iria encontrar mesmo!!!!… Andei meio \”out\”, mas sempre acompanho seus posts.. E pra variar, mais uma vez me identifiquei…. Sempre fui gordinha e nunca tive problemas quanto a isso.. muita namoradeira e baladeira, apesar dos kilinhos extras, balancei muito coração aqui em Ituiutaba (é, somos da mesma cidade).. Há alguns meses consegui chegar a 63kg para os meus 1,58 de altura, o que diga-se de passagem, foi uma conquista.. mas passou e engordei novamente.. Notei que tenho ficado um tanto quanto ansiosa por conta disso.. e desconto tudo na comida, pra ser mais exta nos chocolates.. E por isso, a balança hoje voltou para seus 69kg.. Mas o importante não é quantos kg estou pesando hoje.. Mas sim, a injeção de ânimo que acabo de receber lendo seu texto… Te acho linda demais e concordo com tudo que disse em relação ao fato de vc \”exalar sensualidade\”.. Espero que além de me referenciar em você para dar uma girada de 540º em minha vida, eu possa daqui uns dias voltar aqui e relatar que passei a ser a minha própria referência também!!!.. Isso ae mulherada, amor próprio em primeiro lugar… Obrigada Keka, pelo maravilhoso exemplo!!!!

  33. LARISSA RUBIA

    Olá Angélica!!
    ADOREI!!! às vezes a gente não se sente bem por estar acima do peso, mas temos que dar a volta por cima mesmo….. Continue elevando nossa autoestima, isso é muuuuuuito bom…
    Beijinhos….

  34. Sarah

    Keka, querida,
    Estou morrendo de sono, mas não resisti em ler o seu texto. Queria ler os comentários, como sempre faço, mas o sono não deixa….rsrsrsrss
    Mas não poderia deixar de te escrever e fazer o meu comentário. Você é muito linda, querida e é uma inspiração pra todas nós, mulherões poderosas. Eu vivia cheia de complexos, meu marido afirmava não gostar de gorda e me pressionava a emagrecer o tempo todo. Eu, boba, igual um cachorrinho, só fazia chorar. Resumindo: dei um basta e decidi me cuidar muito. HOje ele me olha, continua querendo que eu emagreça, mas nada de ofensas ou pressão. Tenho recebido inúmeros elogios, inclusive de estilistas de moda. Como diz o Dr. e escritor Augusto Cure: me libertei da ditadura da beleza.
    beijocas

  35. Gisele Ruiva

    Keka, que texto lindo!!!
    Sempre falei que a grande vantagem em relacionamentos, que quando o homem se interessa por vc, ele pôe de lado a opiniao da sociedade(digo preconceito velado), e enxerga a mulher maravilhosa que ele terá ao lado dele, e assim, já acontece uma peneira vantajosa no sentido de carater, já sofri muito e sofro ainda tudo que vc citou, mas assim como vc, as pessoas que me conhecem me dizem que a vontade de ser feliz e de viver que eu irradio, fazem elas irem a frente….
    Amo vc e seus escritos, estou sempre compartilhando no face, sou de longe, mas um dia ainda quero te conhecer, minha dyva linda!!!
    Beijos da ruiva!!

    • marcio

      Gisele,

      O mais importante de tudo é ser feliz, nos amarmos, e estar do lado de pessoas que gostam como somos. A vida é para ser vivida com prazer e felicidade.
      Como é bonito ver o por do sol.
      Vamos viver a vida.

  36. Sharon

    Eu não vou ser hipócrita….não é questão de aceitação….não acho bonita ser gorda não por causa dos outros….não acho bonito!!!Mas,acho que cada um tem que achar a felicidade mesmo….pq, no começo e no final do dia, quem está contigo….é vc mesmo…mais ng!!!

    Apesar de eu não achar e hoje está numa dieta que não só visa emagrecer mas, sim, manter a boa saúde que eu tenho….acho que a gente não pode se deixar ficar desleixado!

    Essa coisa de aceitação é importante….não importa se é magro…gordo…gay…..negro…branco….o que for!!!!Aceitação vai muito mais além do que ser algo para alguém!

    Já teve homem que não quis me namorar pq eu era gorda!A gente fica mal,mas,fazer o que né!!!Bola para frente!!!

    Vi um comentário de uma mulher que tava feliz pelos 127 kg…..acho isso um máximo!!!!A aceitação dela não é pq ela é gorda em si…..é pq ela passou a gostar dela!!!Pq tem muitas magras que não se acham bonitas!

    Mas, acho que a sociedade peca numa coisa!!!Sempre dizer que porque alguém é gordo….ele é doente! E a mídia faz questão de enfatizar isso!!!

    Eu tenho uma ótima flexibilidade….outro dia na aula na faculdade…era para todo mundo colocar as mãos nos pés….nenhum magrinho conseguiu!!!E ng anda…a maioria é sedentário e bebe muito e come só besteira!!!!

    Sabe o que me irrita….é ver um ex-gordo ou uma pessoa que é considerada sobre peso…digamos usando 44 e ficar falando mal de loja de gordinho ou se desfazendo de um!!!Acho isso uma pessoa totalmente sem noção e respeito ao próximo!!!

    Eu sou do tipo que não faça com os outros que vc não quer q eles façam contigo!

    Acho que resume “ser gorda ou não?” É uma escolha para muitos…..mas,o sociedade e os gordinhos tb tem que respeitar essa escolha!!!E não impor o que acha e pronto e acabou!!!

    • marcio

      Sharon,

      Em primeiro lugar temos que sempre que nos valorizar. Estar com as pessoas que gostam da gente.
      As outras que passem ao largo

      • Sharon Fanny

        Nos valorizar…sempre…independente de ser magro…gordo…o q for!
        Só acho que tem muita gente que fala q se aceita….quando não é a realidade!!!Mas,cada um acha um caminho para felicidade!Estamos ai nessa vida para isso!O importante é ser humilde….não passar por cima de ng e viver com muito entusiamo!:D

  37. marcio

    valorizacao, amor proprio sao imprescindiveis para o caminhar da vida

  38. Ahahaahah…….
    Que Post cheio de elegância…
    Ai que saudade,nossa sou gorda sim e daí?? né msmo…
    eu sei muito bem tdo isso que vc falou,as vezes vejo agumas mulheres dizendo que se aceita,mas algumas tem dificuldade de lidar,eu não critico pois cada um é cada um, enfin sejem feliz….Se não estão mudem,a minha alma é tão leve,que nem sinto o tamanho do meu peso…
    Amada obrigado …
    Fica com DEus….
    Minha admiração por vc é demais….beijasso

  39. Anita

    Olá, bom dia. Amo muito o blog de vocês e sou modelo plus size rs

    Outro dia navegando na internet encontrei um texto incrível, que falava exatamente o que vocÊ disse neste texto. Pra falar a verdade, era idêntico. era o MESMO texto.

    Naveguei por outros textos do mesmo site e vi que a maioria era copiado, não valia a pena ter meus comentários ou minhas visitas se eles não me respeitava como leitor. Nem uma notinha de onde veio o texto, poxa.O que custava?

    E sabe o que é pior? Era um blog de uma marca que diz se importar com nós gordinhas.Agora você vê. Se não respeita o trbalho dos outros, por que eu deveria respeitar o trabalho deles.

    Adorei o texto e fico feliz de ter achado um espaço para mim na internet.

  40. Luh

    Poxa! fikei emocionada! pois tenho 16 anos e peso 94kg. E td oq vc falou é vdd! tento me aceitar mas nao consigo, mas sei q um dia eu saiu dessa melancolia! bjs

  41. Nossa quero ser como você quando crescer, acredito em tudo que está escrito ali em cima. Venho batalhando para me aceitar e não aceitar quem não me aceita como sou. Obrigada!! Precisava ler isso.

  42. Luís Carlos

    Parabéns Keka o mundo precisa de pessoas como você,que chegam a esse nível espiritual de entender que somos mais do que pele,osso,cerne e etc,, você tem ajudado muitas mulheres que antes viviam deprimidas e hoje se aceitam e se amam,a verdade sempre foram lindas e precisavam de um guia,alguém que lhes ajudasse a entender isso.
    Sou teu fã,aqui,no face e em todo lugar que você tem estado e ajudado as pessoas a compreenderem sua verdadeira natureza.

    Shalom aleichem
    Luís ben Sérgio

  43. Gabriela

    Agora de noite, quando o sono vêm, eu me perco em lembranças distantes, quando pesco uma bem das estranhas: nos tempos de recepcionista, a dona da loja em que trabalhava veio pra mim, em tom irônico, dizendo:” mulher pra mim tem que ser bem magrinha”. Hoje, me olhando no espelho, me pergunto: QUE DIABOS DE GORDURA EM MIM AQUELA MULHER ESTAVA FALANDO??? ela não sabia o que era mulher gorda. Tão pouco eu sabia. E a nostalgia bate. Frases que minha mãe pseudo-preocupada diz todos os dias pra me lembrar o que eu não consigo esquecer reforçam esse sentimento misturado: é culpa, é impotência, é remorso. É estranho notar como algumas pessoas que me conhecem a algum tempo olham pra mim sem me ver, e outras que me conhecem a pouco estranham em ver tanta vida e rapidez em uma “gordinha” (como se eu pudesse ter o luxo de ser alguma coisa “inha” em minha vida…Sempre foi tudo em exagero, tamanho, voz, um escândalo encarnado!). Eu que nunca tinha julgado o conteúdo pela capa às vezes me surpreendo ao sentir na pele esses valores ainda em vigor na sociedade. Achava que preconceito por ser mãe solteira seria imbatível até conhecer a gordofobia. Poderia dar mil exemplos (piadinhas de mal gosto, conselhos de “saúde”, comentário ingratos), mas vamos ao que interessa: como eu REALMENTE ME SINTO PERANTE TUDO ISSO? Antes de ser gorda, eu sou mulher, e TODA MULHER (que eu conheci, pelo menos) se preocupa com a aparência, e esta serve a alguma finalidade. Eu, que sempre fui relaxada full time e fazia questão de ostentar isso, nunca me preocupei em me arrumar pra me sentir bonita, até o momento em que não me achei mais. Acham que eu comecei a me arrumar? Pelo contrário, não sobra nem tempo pra tomar banho direito com medo de que a bebê acorde. Então quer dizer que eu morro por causa disso? Não. Há vida além dos esteriótipos de rotina feminina que pintam por aí. E quanto a tal finalidade, é aí que mora a graça: cada um escolhe a sua nas aparências que permeiam o mundo, ou seja, na própria e na dos outros. TODA mulher quer ser notada, toda mulher quer ser bonita ou agradável no mínimo. TODA mulher quer ser elogiada, toda mulher quer ser reconhecida, por qualquer razões que sejam. E todas usam sua aparência para demonstrar seu fim. Honestamente, eu sempre procurei aceitação pelo o que eu pensava, e não pelo meu 1,80m e cabelos lisos naturais, com pinta de modelo. E hoje, depois de alguns anos nessa pegada, o que eu colhi? Uma MENTE AFIADÍSSIMA A PLENO VAPOR e um corpo obeso. E eu acho perfeitamente natural perante duas gestações em um curto período de tempo (embarangamento é um processo natural após gestação, nada mais estúpido do que ir contra a natureza rs), num estilo de vida estressante (já que eu sou uma pessoa tão tranquiiiiiiiiiiiila…) e a comida sendo um dos poucos prazeres de fácil acesso no meio do turbillhão diário, além do que, não se planta tomate esperando colher manjericão. Eu colhi EXATAMENTE o que eu plantei, nada mais justo. Se eu tivesse malhado, ido em clínicas de estéticas e colocado minha aparência em primeiro lugar, hoje eu teria um corpo bem diferente. E SABE O QUE É O MELHOR? Eu me sinto livre. LIVREEEEEEEEEEEEEEEEEE!!! Fora dessa “ciranda do reconhecimento”. É como se eu não precisasse provar nada pra ninguém, lutar contra nada. O que já está feito, está feito. Eu já tô gorda mesmo, longe do esteriótipo de perfeição feminina, o que vier é lucro, meu bem! Eu não TENHO mais que SER BONITA e SER NOTADA. Já que se convencionou que gordos não são agradáveis e não vão ficar bonitos de jeito nenhum por apenas serem gordos, então eu NÃO TENHO MAIS QUE SER AGRADÁVEL!! ESTOU LIVRE PRA SER O QUE EU QUISER!!!! Tem coisa melhor na vida?? Todas cobranças assim vão pra puta que as pariu, porque nada disso tem sentido. As pessoas acham o que elas quiserem de você, sendo você magro ou não. Isso não é sua responsabilidade e nem seu poderio. Nem deveria ser de sua importância! Quem tiver que gostar de você vai gostar pelo o que você é. Aparência é importante? Sem dúvida. Mas nada, repito, NADA supera o CONJUNTO COMPLETO. E o mais engraçado de tudo? É que antes, quando eu não era gorda realmente, eu me achava gorda e feia (graças a comentários infelizes e irreais como os da minha ex-chefe), e hoje, quando eu realmente sou gorda, eu não me acho mais tão feia assim. Que coisa! Eu tenho muito mais graça agora do que antes, porque me conheço mais e me respeito muito mais também! Se eu soubesse que ir contra os padrões me traria essa clareza de mente e espírito, já tinha virado gorda a muito tempo!!! OBRIGADO POR TER ESSA EXPERIÊNCIA AINDA EM VIDA!! Me orgulho de ser o que sou porque levei muito tempo pra saber o que de importante eu sei!

    E pra minha ex-chefe, só digo uma coisa: mulher TEM QUE SER MAGRINHA? Eu tanto NÃO SOU MAGRA, QUANTO POSSO CONTINUAR A NÃO SER, POIS VIVA AQUI ESTOU ASSIM pra te lembrar disso. E sou mulher. E uma mulher e tanto 😉

  44. Larissa

    Adorei seu texto, parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s