Arquivo do mês: julho 2012

Casting FWPS: 18 de julho, quarta-feira, das 10h às 16h

Por Renata Poskus Vaz

Olá, mulherões! Tudo bem? O Fashion Weekend Plus Size acontece nos dias 18 e 19 de agosto de 2012, no Centro de Convenções Frei Caneca. Vamos selecionar algumas modelos para completar o nosso casting. Ou seja, quem já desfila no FWPS não precisa se inscrever no casting, apenas as modelos que nunca participaram.

Local: segundo andar da Etiketa Plus Size

Endereço: Rua São João, 725

Horário: você pode comparecer em qualquer hoário entre 10 e 16h.

O que levar: 2 fotos 10×15 sendo uma de rosto e outra de corpo inteiro. Salto alto. Usar maiô ou biquini por baixo.

Quem pode participar: Residentes em São Paulo ou região, que usem do manequim 44 ao 50, bonitas e que desfilem bem.

Observação: Não há taxas para participar do casting. NÃO PASSAMOS INFORMAÇÕES SOBRE O CASTING POR TELEFONE.

11 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Amanhã no Hoje em Dia da Record: Dicas de cintos para gordinhas

Por Renata Poskus Vaz

Lembra aquela pauta sobre cintos para gordinhas que eu anunciei que teria no Hoje em Dia da Rede Record? Após ela ser cancelada 3 vezes (coisas de TV ao vivo) finalmente vamos ao ar, amanhã. Então, não percam, meninas! Os cintos são da Korukru e as roupas da Etiketa Plus Size.

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Vem aí o Fashion Weekend Plus Size Verão 2013

Por Renata Poskus Vaz

Olá, mulherões! Perceberam que eu andava meio sumida? É que estava preparando o Fashion Weekend Plus Size Verão 2013. O evento acontece nos dias 18 e 19 de agosto no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo. Embora o evento seja voltado para lojistas, com um salão de negócios em que eles poderão conferir e comprar em primeira mão as novidades plus size para o verão 2013, as consumidoras finais também terão a oportunidade de conferir os desfiles de pertinho. Fiquem de olho aqui no Blog Mulherão que em breve darei informações de como vocês poderão participar.

Lojistas já podem se increver para receber a credencial para o FWPS. Basta enviar nome, Razão Social, CNPJ, telefone, e-mail e endereço completo para cadastro@fwps.com.br

Fotos de divulgação

Uma das partes mais gostosas de preparação do Fashion Weekend Plus Size são as fotos de divulgação. Desta vez, saímos do estúdio em busca de uma foto que traduzisse muito mais que moda e que tivesse a cara do verão. Verão combina com praia e a próxima temporada traz a água e o mar como influências para a moda e o comportamento da estação. É neste clima de verão tropical, iluminado e alegre, que o ensaio fotográfico para divulgação do Fashion Weekend Plus Size – FWPS foi produzido na Praia de Camburi, em São Sebastião, SP, tendo a pousada Solar do Camburi como apoiadora.

As modelos Cleo Fernandes, Jacqueline Chicralla, Mayara Russi e Pamela Khan foram clicadas em momentos descontraídos num cenário típico do verão brasileiro. Cleo Fernandes, a Miss Brasil Plus Size e a nossa diva Mayara Russi vocês já conhecem e não poderiam ficar de fora dessa divulgação. A novidade ficou por conta da carioca Jacqueline Chicralla, loirinha que nunca trabalhou como modelo e que foi descoberta (por mim, claro!rsrsrs) há menos de 1 mês no Dia de Modelo Plus Size que realizei no Rio de Janeiro. Outra novidade no casting do Fashion Weekend Plus Size é a morena Pamela Kahn, modelo da Kauê que tem 7 anos de carreira e que pela primeira vez desfila no FWPS. Confesso que me surpreendi com a beleza dessa morena que veste manequim 50 e é uma versão mais bronzeada de Fluvia Lacerda. 

Fiquem com a primeira foto, apenas um tira-gosto (em breve vocês vão conferir as outras fotos desse ensaio lindíssimo!)

Pamela, Jacqueline, Mayara e Cleo

Sabe quem fez a produção? A própria Pamela Kahn em parceria com Carla Furlan, estilista da Kauê, que cedeu esses vestidos mullet  lindos. O make e cabelo ficou por conta de Fátima Palma. As fotos são de Katia Ricomini. 🙂

32 Comentários

Arquivado em FWPS

Vergonha

Por Keka Demétrio

Dizem que ser forte é saber demonstrar alegria quando não se sente, sorrir quando se quer chorar, calar quando se quer gritar. Pode ser, mas também dou a isso o nome de auto enganação. Procurar estar feliz é um exercício diário e constante, e assim como qualquer tipo de exercício, tem dias em que a gente tá com preguiça. Nesses dias, me dou o direito de estar triste, de chorar e de ficar quieta no meu cantinho. A tristeza ás vezes é uma forma que a alma tem de nos chamar a atenção para certas coisas que gritam por ajustes. Diferente do que todos pensam a quietude que nos toma quando estamos tristes, deve ser aproveitada para uma autoanálise profunda e já que está triste, aproveita e coloca pra fora, nem que sejam em forma de lágrimas, dores que vem pesando o coração. Isso faz bem.  Ao menos para mim faz.

Não sei porque pessoas tem vergonha de chorar, de assumirem estar tristes, de dizerem ter problemas, ninguém se torna menos por  assumir ser humano, por ter coragem de se desnudar diante da vida. Acho até que é através dessas atitudes que conseguimos tornar a nos vestir com uma roupagem mais adequada, mais condizente e límpida.

É, não dá para ser forte o tempo todo. Penso até que deve ser um tanto quanto estressante querer ser politicamente correto 48 horas por dia, tentando agradar a gregos e troianos, menos a si mesmo. Pior que tem gente que se acostuma tanto a essa mediocridade, que nem percebe que está cavando a própria sepultura, porque no fim, mesmo os hipócritas preferem pessoas dotadas de autenticidade.

Eu choro, fico triste, faço minhas terapias malucas, que dão super certo, deito no divã de DEUS e oro muito, e isso não me permite ficar lamentando. O lamento é um sentimento pesado, viciante, que nos afasta da alegria, do prazer de viver. Quem só lamenta torna-se persona non grata, e acho muito triste quando alguém se aproxima e as pessoas quando a veem ‘torcem o nariz’, porque uma das grandes dádivas da vida é ver o sorriso estampar o rosto das pessoas quando elas nos veem chegando.  Por isso, quando começo a perceber que estou perdendo o brilho dou logo um jeito de jogar purpurina na vida e me agarro na certeza de quer fui feita para brilhar.

Não tenho receio em dizer que teve dias em que chorei tanto que pensei que iria desidratar, assim como também não me constrange dizer que tenho meus dias de tristeza e solidão, quando às vezes me procuro e não me encontro em mim mesma.

Mas prefiro assim, ser livre para sentir amor e dor, porque ambos os sentimentos nos acrescentam, nos fazem crescer e oferecem todas as respostas que insistimos em buscar no outro, lá do lado de fora da gente. E vergonha teria que ter se eu não respeitasse o meu lado humano, esse lado cheio de falhas, passível de erros, mas ávido por aprender a acertar.

8 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Prazo para inscrição no Miss Brasil Plus Size da Impacto Produções encerra nesta terça-feira

Por Renata Poskus Vaz

Se você deseja participar do concurso Miss Brasil Plus Size produzido pela Impacto Produções tem até terça-feira para fazer sua inscrição. Para saber mais, clique aqui.

 

3 Comentários

Arquivado em Concurso

Moda plus size para as phynas e rycas do Rio de Janeiro

Por Renata Poskus Vaz

loja  (loja é coisa de pobre, rico tem boutique..rsrsrsrs) Boutique Duby Novak é uma espécie de Daslu de Ipanema. Lá você encontra modelos de marcas famosas e conceituadas do Brasil e da Europa. Para promover a sua coleção plus size que tem exemplares belíssimos como os do italiano Roberto Musso, Duby Novak contratou as modelos Tati Gaião e Renata Ximenes. Lindas e poderosas em modelos que custam de R$1600 a R$2500. Nada mal para quem muito estilo e milhares de reais na conta. A loja fica na rua Visconde de Pirajá, 351 – Ipanema.

Vestido bi color caqui e preto ROBERTO MUSSO R$1.690,00 Vestido liso caqui ROBERTO MUSSO R$2.463,00 Cinto TARA JARMON R$488,00.

Vestido Roberto Musso azul Royal R$2463,00

Casaco D. Exterior R$1.560,00 Vestido Paola Frani R$1.030,00

Casaco D. Exterior R$1.560,00 Vestido Paola Frani R$1.030,00

Créditos: fotos Denise leão


15 Comentários

Arquivado em Moda e estilo

Vem aí o Mulherão Makeover

Por Renata Poskus Vaz

Reecebemos uma sugestão super bacana de nossa leitora Amanda Ribeiro e eu tenho certeza que vocês também vão adorar. O Blog Mulherão vai escolher uma leitora para uma transformação completa de visual, incluindo mudança no corte e/ou coloração de cabelo, look novo, sapato e acessórios. Em breve vocês saberão direitinho como concorrer, ok?

Antes disso, para que este projeto dê certo, preciso da ajuda de empresas parceiras que topem apoiar e patrocinar essa iniciativa. Então, se você é dono de uma loja de roupas plus size, ou de marca de acessórios, sapatos, escreva para blogmulherao@hotmail.com ou ligue para (11) 6459-9514 e fale comigo (Renata). Também buscamos parceiros que tenham clínicas de estética, salões de cabeleireiros etc. Vamos começar com empresas de São Paulo. Mas se der certo (e vai dar!) a gente leva o Mulherão Makeover para outras regiões. 🙂

Mulherões, ainda não enviem seus emails para o Mulherão Makeover. Quem fizer isso será desclassificadas antes mesmo das regras serem divulgadas. Aguardem um pouquinho, valerá a pena! Beijão!

29 Comentários

Arquivado em Mulherão Makeover

Preta Gil para C&A: a cantora veste mesmo essa idéia?

Por Renata Poskus Vaz

A C&A acabou de lançar a coleção Special for You, com Preta Gil como garota propaganda, buscando atender a clientela que usa do manequim que vai do 46 ao 56. Pelo pouco que vi nas roupas (vocês também podem conferir abaixo), elas bem lembram o estilo periguete (que eu adoro!) da cantora se vestir. Muito animal print, roupa ajustada e decotes provocantes. Realmente é uma “assinatura” da cantora. Mas quem tem um estilo menos “vou ao baile funk” pode ficar decepcionada.

Mesmo assim, fiquei muito feliz com essa iniciativa da C&A em dar uma atenção especial para a coleção plus size. A marca já estava bem atrás das lojas de departamento neste quesito. Nas Lojas Marisa, por exemplo, hoje é mais fácil encontrar uma calça 46 do que uma 38, com opções que vão do social, esporte e balada. Falo porque estive na loja da Lapa, em São Paulo, com minha irmã, que usa manequim 36/38 e havia muito mais opções de looks moderninhos para mim do que para ela. Não é o máximo? Renner também sempre teve tamanhos maiores, embora com um ar de executiva mega sóbria e com pouca variedade. No fim das contas, só faltava a C&A fazer roupa plus de verdade. Ela até fazia um 46, 48, mas nada generoso.

Sobre a contratação de Preta Gil para assinar a coleção, achei uma boa escolha. Admiro a beleza bem brasileira e o estilo irreverente da cantora. Porém, não dá para esquecer as declarações de Preta Gil sobre a moda plus size feitas há pouco tempo atrás. Segundo Preta, ela é contra a moda plus size, porque toda loja deveria vender tamanhos maiores. Se só tivesse dito isso, tudo bem. E eu até concordo que deveria ser assim. Deveria mas não é, e é por isso que divulgamos e apoiamos lojas que vendam roupa GG. Porém, ela afirmou que sempre encontra roupas do tamanho dela nas lojas que frequenta. Nós, meras mortais, que não temos amigos estilistas e nem $$$ para investir em roupas caras, não temos esse privilégio e sabemos que se não fossem as coleções GG das lojas de departamento, ou mesmo as lojas que vendem exclusivamente tamanhos plus size, ainda estaríamos condenadas ao camisetão com legging.

Resumindo, faltou sensibilidade em Preta, no passado, para compreender que as lojas e/ou coleções exclusivas GG são necessárias enquanto as marcas não ampliarem suas grades com manequins maiores. Espero que Preta tenha reconhecido isso e, só por isso, ter aceitado assinar a coleção Special For You da C&A, e não pelo dinheiro. Sim, porque essa coleção é só plus size, não vai do 36 ao 56, como Preta Gil dizia no passado que todas as marcas deveriam ter.

Ainda não fui conferir a coleção de perto, mas espero que o manequim 46 realmente caiba em mim. Também espero que a C&A venda horrores e que veja a vantagem de investir também em peças 58 e 60, no mínimo. Respeitar estilos diferentes também é importante. Há garotas plus size que tem um estilo mais moderninho, ou mais formal e menos periguete. E todas esperam encontrar em uma loja de departamento, como a C&A, a roupa que tenha a ver com seu estilo.

Fotos gentilmente roubadas daqui: TPM

60 Comentários

Arquivado em Artistas, Moda e estilo

Gorda sim, por que não?

Por Keka Demétrio

Diante dessa avalanche de notícias, blog, sites, concursos e afins, posso dizer que a verdade é uma só: a maioria das mulheres estão afirmando que não se importam em estarem gordas, mas poucas são as que realmente se aceitam. Muitas ainda estão no caminho da autoaceitação e outras não se aceitam e nunca vão se aceitar. Fato. E mesmo se aceitando, ser ou estar gordo não é fácil para ninguém. Buscar a felicidade, e para isso ter que ir contra o que a maioria pensa ou determina, sempre foi motivo de sofrimento, porém, de crescimento e libertação.

A maioria das pessoas olha para quem está acima do peso com desdém, como se fossemos menos, como se capacidade fosse medida pela quantidade de quilos que possuímos. E isso arrasa qualquer pessoa. Embora os casos de obesidade possam ter diversos fatores, como genética, distúrbios físicos e emocionais, somos sempre vistos como quem está sempre cometendo o pecado da gula, desleixados e preguiçosos. Quer um exemplo claro? Quando numa festa ou restaurante uma mulher magra se levanta para se servir, ninguém nota o que ela colocou no prato, mas se for uma mulher gorda todo mundo fica reparando e diz: olha lá, por isto está gorda. E assim acontece em diversas outras áreas, somos observados sempre e na maioria das vezes para sermos criticados. Ou seja, de uma forma ou de outra incomodamos e as pessoas nos observam.

Acho tudo muito lindo quando vejo milhares de mulheres declarando se amarem. Tenho inúmeras leitoras, que me enchem de orgulho e alegria, porque muitas delas passaram a se cuidar através da leitura de alguns textos meus, onde, na verdade, eu estava querendo era chacoalhar a mim mesma. Por isso eu sei o quanto isso custa, quanta coragem é preciso para tirar essas palavras bonitas da boca e transformá-las em atitudes, em caminhos, em descobertas e estabelecer um novo modo de vida, enfrentando maledicência, estupidez de gente preconceituosa por alienação, porque não tem opinião própria e não sabe nem o que está dizendo.

Sabe aquele discurso que vivemos ouvindo sobre não precisar que ninguém nos aceite? Pois é, é mentira e nunca concordei com isso. O que sempre propus foi que antes de cobrarmos aceitação dos outros devemos nos aceitar primeiro. Poxa, vivemos em sociedade, e queremos sim que as pessoas nos aceitem, nos admirem, gostem da gente, e seria hipocrisia dizer que não se importa com isso. E sinto te informar que ninguém vai fazer isso antes que você mesmo se aceite, se admire e se goste.

Gosto não se discute e deve-se respeitar. Mas, só para citar como exemplo, alguns homens preferem estar ao lado de uma mulher magra e burra do que ao lado de uma mulher inteligente, descolada, culta, educada e gorda. E isso serve também para mulheres que preferem homens sarados e acéfalos, a estarem ao lado de homens inteligentes, que as valorizam e gordos. Sinto pena de gente assim, e quem for do sexo masculino e não quiser se aproximar de mim por causa do meu peso, por favor, não se aproxime mesmo, quero avisar que está me fazendo um grande favor, poupando-me e se poupando, porque minha preferência é por homens de verdade. E para aquelas que possuem ‘namorados’ que sentem vergonha de assumirem o ‘compromisso’, de as apresentarem para os amigos, digo para se valorizarem mais, porque se não, sempre terão como ‘companheiro’ alguém que pensa ser homem, mas que não passa de moleque.

Felicidade alheia incomoda, e se vier de uma gorda incomoda muito mais. Eu sei, eu sinto. No começo, quando essa onda de autoaceitação começou a crescer, percebia um monte de gente, diga-se mulheres, e alguns homens fúteis, me olhando de canto de olho como se eu fosse a maior das ridículas. Nestas horas, ao invés de marejar os olhos como acontecia anos atrás, eu dava um belo sorriso e fingia não notar, porque arma nenhuma é mais poderosa do que o desprezo, o ato de ignorar. Desta época para cá, comecei a fortalecer minhas idéias e percepções a respeito de mim e só eu sei quantas vezes dormi abraçada comigo mesma, como se a parte forte da Angélica quisesse acalentar e dar forças para a parte ainda doente e enfraquecida pelos anos de autoestima abaixo de zero.

Passei a focar no que eu queria ser, no que eu queria sentir, trabalhei meus pontos fracos e fortaleci o que sempre me evidenciou: minha alegria, meu sorriso e a minha sensibilidade. Pratico a terapia do Espelho, da Música e a Choroterapia, todas criadas por mim como forma de enfrentar a minhas fragilidades. Desenvolvi um trabalho mental de autoaceitação e amor próprio que excluiu da minha vida a vergonha de ser quem eu sempre fui: uma mulher gorda que tem todo o direito de ser e estar feliz, de buscar meu caminho, de lutar por meus sonhos e de não aceitar ser discriminada pelo tamanho do meu corpo. E de excluir da minha vida qualquer um que queira me fazer sentir menos do que sou.

Sou uma mulher acima do peso e sou feliz. Gosto de mim, aliás, me amo, exalo sensualidade, carisma, alegria de viver e não são poucas as pessoas que chegam perto de mim para dizer o quanto me admiram, e olha que tem muita magrinha corpinho de modelo fazendo isso. E homossexuais, também. Talvez porque eles sintam na pele o que é ser desrespeitado, humilhado e possam ver em mim uma mulher que tem tudo para ficar jogada dentro de casa vestida com uma roupa surrada, subir no salto, me jogar em meus vestidos, me maquiar, cuidar de mim e principalmente do meu sorriso. Encarando a vida sem medo do que os outros vão dizer, porque falar eles falam mesmo e minha energia é poderosa e abençoada demais para ser gasta me preocupando com esse tipo de coisa, prefiro investi-la no meu crescimento e aprimoramento intelectual e emocional.

Hoje, percebo que o que incomoda mais as pessoas não é o meu corpo roliço, mas a leveza da minha alma, o desprendimento que tenho em relação ao que prega o preconceito, e o amor próprio que faço questão de ressaltar. O incomodo que estas pessoas sentem é pela felicidade que tenho, e que elas, inconscientemente talvez nunca vão possuir, porque perdem tempo e energia demais em invejar o outro ao invés de ir atrás do que lhes é de direito, o direito de serem felizes. Não tenho um pingo de vergonha do que sou e de como estou, e por isso eu sempre digo: Sou gorda sim, e por que não?

72 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito

Carlota-rio com 50% de desconto

Por Renata Poskus Vaz

Mulherões, a Carlota-rio está com 50% de desconto das lojas físicas e também na loja virtual. Vale muito a pena!

 

2 Comentários

Arquivado em Moda e estilo, Promoções