Pelo direito de não ser mãe

Por Renata Poskus Vaz

Quando desejei pela primeira vez ser mãe eu era apenas uma garotinha. Obvio que eu ainda desconhecia a maneira safadinha como os bebezinhos eram gerados e muito menos sabia como e por onde eles nasciam. Porém, no meu imaginário, me sentia especial ao ninar as minhas bonecas. E fazia isso com tamanha delicadeza e carinho que até parecia embalar um bebê de verdade. Mesmo com essa natureza maternal latente desde a mais tenra infância, reconheço o direito de outras mulheres que não querem ter filhos. Afinal, mulher nasceu mesmo para ser mãe?

Antigamente, muitas vezes impedidas por seus pais ou maridos de trabalhar, sem autonomia para decidir a própria vida, as mulheres só tinham uma única função na sociedade: casar e parir. Hoje, a idéia de que a mulher nasceu para ser mãe tem sido combatida por uma nova geração de mulheres que optaram por não ter filhos.

Silvia e Marcus Neves

Este é o caso de Silvia Neves, 38 anos, modelo plus size mineira, que é graduada em pedagogia, mas também trabalha como secretária e cantora lírica (ufa!) e é casada com Marcus. “Nunca tive vontade de ter filhos, simplesmente não quero tê-los, sem motivos… Acredito que colocar uma criança no mundo vai muito além de ser um sonho, você tem que ter estrutura emocional, física e financeira.”, declara Silvia.

Quando optam por não ter filhos, casais são vistos com certo preconceito e estranhamento. “A família já se acostumou com a idéia de não querermos ter filhos, mas sempre comentam com ar de espanto e até tristeza pela decisão. Alguns amigos entendem, outros acham que nunca serei feliz, mas desde quando filho é sinal de felicidade?”, esclarece Silvia.

Ela completa que as pessoas estão acostumadas a colocarem suas expectativas e sonhos em outras pessoas, geralmente nos filhos, e que acabam se frustrando mais ainda quando não são correspondidos. “Já fui chamada de egoísta em uma entrevista de emprego a um tempo atrás, acredito que egoísmo maior é colocar uma criança no mundo sem a menor condição de amparo”.

Clarissa Guedes: mais liberdade sem filhos

O gostinho pela liberdade pode fazer com que mulheres decidam não ter filhos. Clarissa Guedes, maquiadora, diz que não conseguiria abrir mão de seus desejos e prioridades por ninguém, mesmo que por um filho. “Em algum momento da minha vida eu o culparia pelas coisas que teria que abrir mão por ele”, declara Clarissa. Essa postura pode causar estranheza, mas não estaria ela sendo sincera com relação aos seus sentimentos? Quantas mulheres não dão à luz apenas para suprir uma expectativa dos outros que a cercam e se tornam péssimas mães?

Muitas vezes acusadas de serem egoístas por não desistirem de seus planos e carreira para ter filhos, essas mulheres são unânimes ao concordar que egoísta é ter filhos pensando em ter alguém para cuidar delas na velhice. “Não necessariamente são os filhos que cuidam dos pais na velhice”, afirma Clarissa.  Silvia concorda “não me preocupo por enquanto, e já vi muita gente que tinha muitos filhos totalmente abandonada quando precisava. Filho não é segurança de amparo na velhice, infelizmente”.

Não importa se você quer ou não ser mãe, essa é uma escolha sua. Porém, sempre seja honesta com seu parceiro em relação às suas escolhas. Lembre-se, você pode não querer ser mãe, mas e se ele desejar ser pai?  O ideal é que esta conversa role assim que vocês iniciarem os primeiros planos para um futuro a dois.

**********

Deixe sua opinião.

68 Comentários

Arquivado em comportamento

68 Respostas para “Pelo direito de não ser mãe

  1. Agatha

    DESDE PEQUENA TBM SEMPRE TIVE VONTADE DE SER MAE TANTO QUE HOJE TENHO 3 RSRS E NAO CONSIGO ME VER NAO SENDO MAMAE.MAS RESPEITO A OPNIAO DE QUEM ESCOLHE NAO SER,BJS.

  2. Tamara Macedo

    Eu concordo com tudo o que foi dito aí. Eu fico chocada com pessoas que ainda acham que família é apenas ‘casar e ter pelo menos 3 filhos’ porque ter um só também é estranho! Nós estamos em 2012 e isso deveria ser algo totalmente normal,respeitar a decisão de um casal em não querer ter filhos deveria ser normal. Eu tenho 20 anos e ainda não sei se gostaria de ter filhos um dia,eu gosto de crianças mas gosto mais ainda quando elas não choram,quando elas não fazem drama querendo brinquedo no mercado,,quando elas não fazem xíxí na cama pra eu limpar. Sou egoísta por isso? Talvez sim mas é melhor ser egoísta do que hipócrita.

    • renatavaz11

      Isso mesmo, Tamara. Quem escolhe ter apenas um filho também é visto como anormal. Logo é julgado por querer mimar demais o filho etc, como se quisesse encher um único ser de amor e bens materiais.

  3. Não quero ter filhos e pretendo marcar uma vazectomia para breve. Pra mim, essa ânsia toda que muita gente tem em ter filhos beira o fetichismo, aparentemente muitas mulheres “já sabem” o quanto é bom ser mãe, antes mesmo de serem, é como se crescessem condicionadas a perpetuar uma tradição irracional, como e ainda fossemos seres tribais… enfim…

    • lithabacchi

      Sabe que isso me lembrou outra coisa que me irrita muito! Uma mulher que confessa que a gravidez foi difícil, por exemplo…. Se sentiu doente, cansada, inchada, etc… Se ela admite isso, ela é vista como um monstro, porque gravidez TEM QUE SER uma coisa mágica pra todo mundo. Isso não tem cabimento, cada mulher sente coisas diferentes na sua gravidez.

      Só porque eu tenho um aparelho reprodutor completo não preciso usá-lo. Tem gente falando de como é séria a decisão de não ter filhos, eu acho que é bem pelo contrário. Ter um filho é a decisão mais séria de todas, é pra vida inteira.

      • Exatamente Litha. Temos que tirar a maternidade debaixo desse “manto sagrado” e traze-la à luz da razão. Quando mais cedo as mulheres perceberem que a gravidez é um processo puramente orgânico (não místico) mais racional será sua escolha futura…

      • Luciana

        Ter um filho é a decisão mais séria de todas, é pra vida inteira.
        Concordo absurdamente com essa frase. Sofro preconceito quase todos os dias em não querer filhos e o que mais me impressiona é o fatos das pessoas colocarem filhos no mundo com “carteira de trabalho assinada”, alegando que como vou ficar na velhice, sozinha? Sozinha eu, caso eu venha ter um filho , por algum motivo que me fuja do controle eu quero que meu filho/a seja livre e tenha livre arbítrio para fazer o que ele acha que deve fazer e que seja compatível com a educação que ele recebeu e não pensando na minha sobrevivência futura, ou seja quem vai cuidar de mim. Por favor né!!!!!
        E o pior, vão colocando filho no mundo sem as mínimas condições de educação, carinho e sobrevivivencia e acham isso o máximo. Eu sou a louca?????
        Repito a frase da litha: Ter um filho é a decisão mais séria de todas, é pra vida inteira.

  4. Li em algum lugar, algo que dizia que se a humanidade, não tivesse entre suas características mais fortes, o ímpeto sexual muitas vezes desenfreado, já teria sido dizimada.
    Concordo com o Fabio Rodrigues, quando cita “tradição irracional”, sem querer julgar ou criticar quem deseja ter filhos, mas acredito que se as pessoas racionalizassem mais esse ato, não o fariam.
    Também decidi muito cedo que não teria filhos, exceção de raros momento de paixão enlouquecida, quando cheguei a cogitar remotamente a possibilidade, a lógica e a sensatez sempre me levou a me questionar, se é correto as pessoas atenderem a um sentimento egoísta da necessidade de gerar um filho, ser pai e mãe biológicos, sendo que temos tantas crianças abandonadas, e quem não tem a intenção de adotar, respeito total, aí já entro em uma parte dos meus mais loucos medos…
    Uma vez uma chefe minha, sondando minha vida pessoal, questionou se eu não tinha vontade de ser mãe, ela acabara de ter um filho, e eu não me toquei disso.
    Eu disse a ela que não queria ter filhos, ela indignada me me questionou como eu podia ser tão INSENSÍVEL, eu de bate e pronto… respondi que falta de sensibilidade, era trazer ao mundo uma vida inocente sem poder garantir que esse ser terá daqui dez anos, oxigênio para respirar e água para beber. Não preciso dizer que ela me tomou como louca….
    Sou radical às vezes.
    Respeito as escolhas dos outros e espero que respeitem a minha. Seu texto foi excelente Renata, e mostra que pessoas são diferentes, ainda bem!

    • Quero me retratar e me desculpar, por não ter tido a capacidade de me expressar corretamente.
      Quando respondi desta maneira, foi para aquela pessoa que estava me julgando insensível, pra tentar fazê-la ver que dependendo da perspectiva, do ponto de vista, as opiniões mudam e podem ganhar razão.
      Eu me emociono com amigas que ficam grávidas e trazem crianças lindas ao mundo, são anjos e são necessários à continuidade da vida!
      Apenas digo que eu não o faria, não por não querer, não desejar, mas sim por racionalizar mais do que devia esse ato. Racionalizo tanto que beiro à insanidade!!!
      Algumas pessoas foram ao meu face, me cobrar por terem se sentido extremamente ofendidas com a minha posição, falando que eu estava “jogando praga” para que crianças não tivessem água nem ar.
      Deus sabe dos meus pensamentos, conhece meu coração e eu nunca desejaria isso a qualquer espécie de vida. Mais uma vez peço perdão pelas palavras mal colocadas.

      • renatavaz11

        Não acredito. Pq essas mesmas pessoas não escreveram aqui, já que estávamos debatendo abertamente e de maneira civilizada?

      • andrea freire

        Nossa Carla, achei que nos dois textos vc se expressou muito bem! Vc n precisa ficar dando explicaçoes para ninguem, especialmente para quem realmente nao quer entender.

  5. Cris Zaidan

    Ter filhos é uma responsabilidade muito grande, e sinceramente existem mulheres que não nasceram para serem mães e eu me incluo nessa categoria. Acho que fazer filho é muito fácil, difícil mesmo é criar.

  6. Na minha opinião a maternidade é super estimada como algo indispensável para a felicidade feminina. Hoje o mundo dos pais gira em torno das crianças e as mulheres se sacrificam para perseguir esse objetivo. Parabéns às duas por se posicionarem tão corajosamente sobre um tabu absurdo.

  7. Eu acrescentaria também o direito de escolha da mulher ser feliz sozinha. Ter alguém ao lado é muito bom, mas é uma cobrança descabida quando a mulher decide não ter um homem debaixo do seu teto até toda-eternidade-amém. É um tal de revista ensinar como fisgar o gato/ como segurar o gato/ como levar o gato para o altar/ como garantir uma boa pensão do gato/ como fisgar seu segundo gato….eu,hein?
    E em relação à maternidade, sou mãe de 2 não planejados, acho maravilhoso, mas se não fosse mãe também não estaria reclamando e acho absurda essa imposição da mulher de perpetuar a espécie. Aí ela coloca no mundo e dá para adoção, é linchada moralmente.

  8. Lívia Moraes

    Esse é um tema delicado e requer coragem para assumir essa postura, respeito e até concordo, de que adianta gerar uma vida em cima de cobranças de familiares ou parceiro.
    Sempre tive vontade de ser mãe, mas quando isso aconteceu me perguntei se queria mesmo ter filho, se estava disposta abrir mão da liberdade, das viagens que sonhava, das festa que ainda não tinha ido, e tinha até medo de não existir água potável daqui a 15 anos. E daí que tudo mudou, depois do nascimento da minha filha minha essência mudou, minha fé existe de uma forma diferente, é um amor puro, sem cobranças, sem necessidade de recompensa, me sinto mais mulher, todos os dias tenho motivos pra levantar da cama feliz e realizada, e quando lembro de cada lagrima que derramei quando descobri q estava grávida me arrependo amargamente.
    Mas eu entendo e respeito a decisão de quem não que ter filho.

  9. Patricia Roschel

    O fato é que a sociedadfe vai te julgar SEMPRE !!!! Tendo filho, nãoos tendo…tendo um ou tendo cinco…. se não os tem, como já foi dito aqui, vc é egoísta, se os tem, vc é doida por perder sua liberdade, se os tem “cedo”,estragou sua vida, se os tem “tarde” perdeu muito tempo; se tem um, como dia o ditado: ” quem tem um não tem nenhum”, se tem cinco, onde já se viu colocar tanto filho no mundo….VAI ENTENDER ?!?!?!?
    Eu, Patricia, optei por não te-los, por uma série de questões e por quase todos os motivos já ditos pelas outra meninas aqui…vc perde sua liberdade, é mta responsabilidade, filho não é garantia de amparo no futuro….e etc…. mas antes de me casar, deixei meu companheiro ciente da minha opção. Não foi uma coisa discutida e conversada não… eu tomei a iniciativa e fui bem clara e honesta antes de nos casarmos…falei pra ele que se ele tivessse o sonho de ser pai, que eu não seria a mulher certa pra ela, que ele deveria se casar comigo ciente das minhas vontades e limitações e nunca, jamais, em tempo algum, poderia me cobrar por isso. Acho que maternidade não é uma “questão negociável”…. ou vc quer ou vc não quer…. é um dos pouquissímos caminhos na vida que não tem como voltar e não aceito a possibilidade de ser uma mãe “mais ou menos”….do tipo Zeca Pagodinho sabe…deixa a vida me levar !
    Acho que cada um sabe das suas vontades, limitações, desejos, anseios, medos…. o que cabe a todos nós é, antes de mais nada, respeitar nossas próprias convicções e não julgar os outros por ter convicções diferentes das nossas!
    Bjos

    • Joana Ceia

      Concordo com você, Patricia. Sempre seremos julgadas, independente da nossa decisão. E acho muito importante o que você disse sobre deixar clara a sua posição. Conheço casais que a mulher sempre disse que não queria, e hoje os maridos reclamam.
      Quando eu namorava meu marido, sempre disse que queria ter filhos e ele concordou. Hoje, temos 6 anos de casados e ainda não temos, mas somos muito felizes. Já ouvi de amigos, com filhos, que acham impossível ser completamente felizes sem filhos. Tenho certeza que quando os filhos vierem serão para partilhar a nossa felicidade e não serem responsáveis por ela.

      Beijos

      • Luciene

        Super concordo com a Patrícia e com você Joana!
        O grande mal da humanidade a meu ver, é essa necessidade latente de julgar a tudo e a todos!!! Tenho dois filhos lindos, que foram super planejados.
        Tive os meus filhos quando achei que era o momento, com o homem que escolhi para parceiro de uma vida e de comum acordo com ele, e com mais ninguém! Aprendi no decorrer da minha vida a não me influenciar pelo o que as outras pessoas pensam… quando quero uma opinião,peço!Caso contrário, escuto mas não me influencio! E é como mãe dedicada que entendo e apoio todas as mulheres que por qualquer que seja o motivo decidem não ter filhos… porque essa não é e não deve ser de modo algum uma decisão baseada nas necessidades e desejos dos outros… ser mãe exige entrega e compromisso, exige doação! De tempo, de carinho, de amor, de paciência, de atenção… Quem em sã consciência poderia exigir tamanha entrega de alguém que não esteja disposta a isto?
        abraços

  10. Não querer ser mãe, não quer dizer que não gosto de crianças, pelo contrário gosto muito e por incrível que pareça onde quer que vou atraio as crianças para mim. Tenho 2 sobrinhos/afilhados lindos que pude acompanhar desde o nascimento e os amo com paixão mas a decisão em não querer ter “os meus” filhos foi algo muito pensado, muito discutido. Como disse anteriormente, egoísmo maior é colocar uma criança no mundo sem dar o mínimo de estrutura para ela, e não somente a questão finaceira pesa, vai muito além. Observando algumas amigas e outras pessoas do convívio vi que é muito fácil fazer (isso eu já sabia, rsrs) e colocar uma criança no mundo para que babás e avós cuidem só para que a pessoa tenha o “título” de mãe, para mim um título não diz nada. Não sou e não quero ser mãe mas admiro quem tomou esse papel para sua vida e como a matéria mesmo frisa temos o direto de escolher o que quisermos para as nossas vidas mesmo que isso fira as “tradições” do mundo.
    Parabéns Rê pela matéria, sua escrita foi super bem colocada para um assunto (ainda) tão delicado. Bjs amiga

    • Concordo PRINCIPALMENTE, com a parte que diz do título de mãe. Ainda tenho dúvida se vou ter filho ou não, mas se decidir por ter, quero ser mãe presente e atuante, como tive a minha. Não fui criada por babás nem avós e não acho certo ter filho e deixar na casa dos pais enquanto vou trabalhar. Ou com os pais, ou em creche, ou hotelzinho. Meus pais, se tiverem netos, têm também o direito de voltar a ser um casal como foram um dia, voltar a passear, a namorar e pelo menos curtir os netos. E não, criar meus filhos, para que eu possa trabalhar e apenas comprar coisas pra eles. Meus pais não tem obrigação de criar os netos. Quando me questionam se não vou ter filhos eu digo que talvez não. Se eu sentir que não dou conta, não vou colocar filho no mundo pra dizer que sou mãe. Deixá-los de lado vai ser das primeiras coisas a se fazer. Porém, ainda tenho um esposo que quer muuuuuuuito ter filhos, e isso me pesa demais.

  11. Acho um assunto bem complexo. Não acho que toda mulher nasça com vontade de ser mãe mas acho que é o principal papel de uma mulher. Sinceramente, eu tenho pena de casais sem filhos, acho que a vida deles poderá ser ótima, quando realmente pautado no amor. Mas também acho que, em certo momento, eles sentirão falta de mais alguém ali com eles.

    Tenho 37 anos e não tenho filhos. Não aconteceram enquanto estive casada e acho egoísmo ser mãe porque quero mas sem ter um pai ao lado deles. Mas também acho egoísta dizer que não quer ter filhos porque isso atrapalha a vida, porque quer ser livre…

    Sou muito feliz porque tenho sobrinhos adoráveis, amorosos, que me paparicam um monte, mas eu sei que um sobrinho nunca será como ter um filho.

    • Amaranta

      Essa questão de egoísmo é de uma bobagem sem tamanho… Como ser egoísta com um ser que não nasceu? Sua fala é inundada de achismos, Sheila, não paute a vida dos outros pelos seus pensamentos…

    • Mariane

      Deixa eu ver se entendi: Você acha que o principal papel de toda mulher é ter filhos e sente pena de casais sem filhos, mas não teve nenhum? Você mesma contraria o que disse.

      Sua cabeça é cheia de senso comum, muitos casais vivem em perfeita harmonia e felicidade em um lar cheio de amor. Um filho não é garantia de felicidade e muito menos de amor.

      • Andréa

        Pena de casais que não têm filhos? Eu sou casada, não tenho filhos, e creia, sou muito feliz, e a cada dia que passa penso cada vez mais que não os terei. Acho absurda a ideia de que o principal papel da mulher é ter filhos (isso valia há uns cinquenta anos atrás!), pois hoje temos muitos outros papeis, e acredito que até mais importantes!
        Ainda, isso é muito cultural, na Europa, há vários países em que é comum não ter filhos, e ninguém fica nessa cobrança como fazem por aqui, como se faltasse alguma coisa à mulher que não tem filhos!
        Sou feliz assim!

  12. Liliane

    Acho que a decisão de não ter filhos deve ser respeitada principalmente pelos que convivem com a pessoa. A família gosta muito de cobrar o fato da mulher de 30 ainda não ter filhos. Perguntas do tipo “…e aí quando vc vai ter um filho?” “..daqui a pouco vc vai ser avó ao invés de mãe…” “olha a menopausa” me irritam muito. Adorei o que a Alcione disse no De Frente com Gabi….que por um tempo em que esteve casada não quis ter filhos, depois o casamento acabou veio outro relacionamento e ela resolveu que queria ser mãe, mas a vida não permitiu…e que está super tranquila e não se sente diminuida!!! Acho que podemos hoje não querer e seguir com esta convicção e sermos respeitadas, mas também podemos mudar de opinião depois, somos livres….bom pelo menos deveriamos ser!!!

  13. Erica Alessandra

    Como fica o mundo se ninguém mais quiser ser mãe !? rsrsrsrs , brincadeiras a parte , a decisão de não ter filhos é muito séria e importante e tem que ser respeitada como qualquer outra decisão na sua vida , cada um sabe o que é melhor para si…eu tenho dois e quero ter mais um , não imagino minha vida , sem meus tesouros…mas respeito e não vejo com estranheza nenhuma se um casal decidi não os te-los.

  14. Paula Regina

    Infelizmente ainda é uma decisão polêmica (e não deveria mais ser, concordam?).
    Filho é algo para sempre e que, voce gostando ou não, precisa administrar por toda a vida e com todos os encargos que vem em anexo. E tais encargos, hoje em dia, são absolutamente irreais à grande maioria dos brasileiros.

    Renata, adorei o chamamento do post para um assunto tão complexo, mas merecedor de muito debate pela sociedade.
    Acho cruel, torpe de verdade, pessoas que hostilizam e debocham de casais que não desejam ter filhos por qualquer razão. E assino embaixo de quem fez o brilhante comentário que filhos não são peças para dar amparo aos pais na velhice. Filho não é acompanhante de idoso….

    Renata, parabéns pelo assunto em pauta e pelo brilhantismo aqui nos comentários.

  15. Eu acho a postura de quem chama de egoísta as pessoas que não querem ter filhos extremamente agressiva, mas também acho agressivo quem diz que é egoísmo colocar filhos no mundo sem saber se haverá água e oxigênio para a criança respirar quando crescer. A verdade é que a gente deve fazer o que acha melhor (ter ou não ter) e que nenhuma das duas posturas está certa ou errada, são só posturas diferentes. Às vezes quem tem filhos se ressente de quem não tem e usa frases como “Ah, você tem tempo agora, mas espera só pra ver quando você tiver filhos” ou “Mas ela não tem filhos, claro que a vida dela é assim”. Por outro lado, pessoas que não têm filhos muitas vezs falam coisa como “Ah, resolveu ter filho, agora aguenta”. A verdade é que a maior parte das pessoas costuma sem bem insenssível com as escolhas dos outros. Eu não tenho filhos, às vezs acho que quero ter, às vezes acho que não. Consigo me identificar com as duas posições e entendo os motivos para não querer ter e para querer ter. Detesto, no entanto, essas pressões sociais. Tenho uma grande amiga que acabou de ter um filho; para poder trabahar ela deixa acriança na creche. Todo dia alguém pergunta pra ela “Nossa, coitada, você deve sofrer muuuito de ficar longe dele, né?”. Ela, que é corajosa responde “Não, eu gosto muito do meu filho mas é bom demais ter um tempo só pra mim também e eu não estou sofrendo, sei que ele está sendo bem cuidado”. As pessoas viram os olhos e abrem bocas chocadas! É terrível que as pessoas estejam smpre julgando uma às outras. Tem que ter filho, tem que ter alguém pra ser feliz, tem que sofrer na hora de se dividir entre filho e trabalho, tem que ter mais de um filho, tem que isso, tem que aquilo…. Sério, vamos superar os “tem ques”!!!

  16. Giselle Valentim

    Adorei a matéria, sou casada a 5 anos e sempre passo por isso nas reuniões de família, meu marido é filho único e assim como eu não deseja ter filhos, a famílai dele me cobra e disse que preciso de tratamento por não querer ter filhos. Sou feliz do jeio que sou, eu e ele e não acho que um filho me faria mais ou menos feliz. Simplesmente optamos por não ter. Acho que uma criança precisa muito mais do que simplesmente amor…

  17. Estou grávida de 15 semanas,acho bacana a posição dessas mulheres,cada um sabe da sua vida,não podemos julgar quem não quer ter filhos,eu não queria ter filho nesse momento,porém aconteceu e estou muito feliz,não acho coisa de outro mundo uma mulher não querer ser mãe.

  18. lithabacchi

    Também não quero ser mãe e sinto um enorme preconceito por causa disso. A resposta mais comum é um olhar de “tu é menina e não sabe de nada” acompanhado da frase “quando teu relógio biológico começar a bater, tu vai mudar de ideia”.

    Olha, tenho motivos bem racionais pra não querer ter filhos. Um dos mais importantes, tenho uma doença hereditária muito chata. Também optei por uma carreira artística, sem garantia nenhuma de que vou ter dinheiro todo mês. Se é pra passar um mês sozinha sem dinheiro pra porcaria nenhuma, eu sei que aguento. Agora, com filhos… Isso fica meio impossível. Também acho que não tenho temperamento pra ser mãe. Quando vejo mães maravilhosas e cheias de paciência, sinto uma enorme admiração. Mas não me acho capaz disso. Sou muito estressada e impaciente, e tenho medo de virar uma mãe, como muitas que já conheci, que descarregam seu stress nos filhos. Tenho muito medo de fazer isso, porque não é justo e deixa várias cicatrizes emocionais..

    Acho que a vontade de ter filhos é uma coisa muito pessoal e todas as opções devem ser respeitadas. Li em algum comentário acima que a pessoa tem PENA de quem não quer ter filhos. Achei isso extremamente arrogante.
    Eu tenho facilidade de entender as pessoas que querem ter filhos e respeito muito a escolha delas. Gostaria que o mesmo fosse oferecido a mim e a todas as mulheres que não gostariam de ser mães.

  19. Jéssica Aparecida da Cunha

    Eu não quero ter filhos, soube disso a partir do momento em que minha irmã teve um filho por todos os motivos errados e não quis cuidar, simplesmente o entregando a minha mãe e hoje ele mora conosco em nossa casa e ela mora sozinha com o marido. Pelo amor que eu sinto pelo meu sobrinho, que é como se fosse meu irmãozinho eu já sei que se eu tivesse um filho que dependesse exclusivamente de mim, que precisasse de mim como mãe eu iria jogar tudo pro alto só pra me dedicar a ele e isso não me faria feliz, eu seria feliz apenas por ele, e eu? Tenho vários planos e objetivos, sou jovem e pretendo realizar todos e simplesmente não seria completa se abrisse mão de alguns deles. Eu acho que devem optar pela maternidade mulheres que estão dispostas a abrir mão de muitas coisas e principalmente PRIORIDADES, ter um filho muda tudo o que é importante pra você e eu sei que não estou pronta para deixar de ser minha própria prioridade, pode parecer egoísta, mas acho que egoísta mesmo é ter um filho e não dá-lo a devida importância, um filho na vida de uma mulher deve ser sua prioridade, e se eu sei que não consigo fazer isso. Como já disse uma vez para minha mãe, se eu tivesse um filho, do jeito que eu sou preocupada e neurótica, pararia minha vida só para me dedicar a ele e não conseguiria fazer nada paralelamente a ele, e isso de certa forma ia me deixar incompleta, então é melhor não ter.

  20. paula

    Achei muito interessante este depoimento da Silvia, aliás, melhor dizendo, este desabafo…Até que enfim alguém pensa como eu.
    Filho é um bem de luxo, e entendo vocês. Hoje, tenho 37 anos e sou mãe de um menino de 19 anos, um príncipe, de um caráter impar, um menino do bem, que trabalha desde os 17 anos, faz faculdade, não bebe, não fuma, não curte balada, não usa drogas, cultua o corpo e tem uma namorada linda e fofa.
    Legal! Dei sorte, pq não existe manual para educar filhos, claro que a educação ajuda na formação do caráter, mas não é tudo.
    Eu me arrependo muito de ter tido meu filho, e quando digo isto, logo recebo um monte de cartões vermelhos, e ouço um monte de besteiras. As pessoas são hipócritas, e ficam esperando histórias tristes para justificar certas opiniões e atitudes.
    É praxe dizer frases prontas, tipo: “Ser mãe é padecer no paraíso”. Essa é pior besteira que já ouvi, quem foi que disse isso? Ser mãe é um saco, o parto dói, o bebê chora a noite toda e vc não sabe o que é. E nunca mais vc terá uma noite de sono tranquila na sua vida. E ser PAI não chega a um terço do que é SER MÃE, e os filhos serão sempre da MÃE.
    Ai me perguntam: “Se vc se arrepende, então não ama seu filho?” Uma coisa não tem nada a ver com a outra, claro que amo meu filho!!! Aliás, tá ai mais um motivo p/ me arrepender, é um amor que dói, sofrido, a gente ama muito, muito, muito. Se o filho sofre a gente sofre junto, se ele chora corta o nosso coração, se a gente briga com ele, só falta querer morrer, tá louco! Isso não é vida!
    E tudo isso p/ que? Eles crescem e te acham um saco. E você sempre estará em segundo plano, PORQUE ELE NUNCA VAI AMAR VC COMO VC O AMA.
    Então não tem nada demais a gente falar a verdade; amo meu filho, somos muito amigos, saímos juntos, e inclusive ele sabe muito bem deste meu posicionamento e assina embaixo. Eu o criei para ser independente e quando ficar velhinha quero ir para um asilo p/ ficar de boa, não quero ficar implorando o amor e atenção de ninguém. O ser humano sofre por criar expectativas. E digo mais, quando se é mãe de mulher é mais fácil ter o filho ao seu lado, mas um filho homem não, porque num relacionamento normalmente quem dita às regras é a mulher.
    No fundo sei que muitas mães pensam como eu algumas vezes, mas acham “pecado”pensar assim…
    Tudo que construi e tenho até hoje, devo ao imenso amor que sinto pelo me príncipe Nathan, mas eu poderia ter pensado melhor antes de optar por ser mãe com 18 anos. Ganhei um filho maravilhoso, mas perdi muitas outras coisas e uma delas é a paz. E quem sabe, se outras mães tivessem perdido a paz como eu, não haveriam tantas crianças jogadas por ai, na rua, na balada, no funk e sei lá mais onde…

    • Paula,aplaudo a sua coragem em assumir isso. Uma das coisas que se ouve quando se verbaliza a falta de vontade em ser mãe é que o amor “brota”. Não duvido que as pessoas passem a amar seus filhos,mesmo não os tendo desejado, mas acho doentio incentivar uma pessoa que não quer ter filhos a parir, apostando no surgimento automático do “instinto materno”. E trabalhando há 11 anos na Educação Infantil e vendo o descaso com as crianças dia após dia,tenho certeza de estou pensando de modo correto.

  21. Meu nome é Ana Paula, tenho 39 anos, sou gestora em uma loja do varejo e universitaria, fui casada por 8 anos e optamos por não ter filhos e na minha opinião foi a melhor coisa, o casamento acabou e não existe vinculo que me ligue ao meu ex marido. Adoro crianças tanto que comecei a fazer Padagogia para poder lecionar para crianças; Mais isso não quer dizer que tenha a necessidade de ter uma na minha casa, para amar-la mais. Posso muito bem dedicar o imenso amor que tenho sem necessariamente ter tido de gera-la. Prendo (um dia quem sabe), rsrsrsr, casar novamente mas uma das coisas que deixarei bem claro pro meu novo parceiro é que filho so os dos outros, sobrinhos e afilhados (diga-se de passagem que tenho uma linda que é o chamego da dinda). E sou muitissimo feliz com essa decisão.
    bjs a todas

  22. Cristiane

    Vivo me questionando se a maternidade é mesmo um instinto, se todas mulheres passarão por este desejo tão antropológico de procriação, ou se é mera cobrança da sociedade, um acontecimento cultural, imposto pelas pessoas. As poucas vezes que pensei na possibilidade de ter filhos, foi por pura empolgação momentânea, motivada por ver amigas minhas tendo filhos também, era mais uma questão de competitividade, de não ficar para trás… Então procurei, procurei e procurei o tal do instinto maternal dentro de mim e não encontrei…Descobri que não nasci para ser mãe, e que não há nenhum problema nisso. Foi libertador me livrar dessa culpa e desse peso! Difícil é ficar dando explicação para as pessoas, que não entendem esta decisão. Mas acho que as coisas já estão mudando!

    • Estão mudando sim!Ainda somos vistas como ETs,mas já podemos falar no assunto,o que é uma evolução. Acho muito mais sensato pensar a respeito e assumir que não quer do que parir e passar a vida fingindo que está feliz por algo feito apenas para satisfazer aos outros.

  23. silvia maria mendes da silva

    Uma atitude consciente, corajosa e responsavel gostei…

  24. Ninna

    Tenho 30 anos e optei por não ter filhos. Não fico comentando pq essa é uma decisão minha e ponto, mas sempre que o assunto surge e eu falo que não quero, as pessoas se espantam e ainda tem aquelas que querem me convencer a ter! Acho isso uma falta de respeito. Conheço uma pessoa que não tem a menor condição financeira de ter um filho e teve logo dois, só por ter! Isso é que eu acho egoísmo, mas se ela quis assim, ela é que sabe, né?

  25. Silvia, me adote, please. hahahahha

  26. Thalita

    Concordo, afinal é melhor reconhecer que não nasceu pra maternidade, do que sair parindo desenfreadamente, só sendo mais bocas mal alimentadas pelo mundo, mas também acredito que se todo mundo for esperar ficar rico, ter uma casa rosa com jardim e cercadinho para ter de seu ventre, ou de seu coração (adoção), não teremos mais filhos, afinal essas são condições para uma grande minoria, e minoria essa que não costuma ter mais que dois filhos, afinal são sempre muito bem planejados. Tenho uma filha por enquanto, mas sei que foi a melhor coisa que fiz da minha vida, graças a Deus podemos dar uma boa estrutura pra ela. Quanto a achar que se criam os filhos para depois cuidar dos pais na velhice, creio que fazemos o melhor para nossos filhos e não esperamos nada em troca, apenas que ele seja uma pessoa feliz e realizada, mas se bem criamos nossos filhos, isso se torna um fato, afinal, você não vai deixar seus pais no fim, vai? Ter um filho é a decisão mais importante das nossas vidas, é uma responsabilidade que nunca mais terá fim, por isso concordo, filho tem que ser amado antes de ser gerado, a mulher tem que nascer com vontade de ser mãe!

  27. Gostei muito do texto. É raro encontrar alguém que fale sobre a não-maternidade de forma sensata.Parabéns!
    Faço parte do grupo de mulheres que não desejam ser mães. Tomei consciência disso aos 17 anos e hoje,aos 30,estou plenamente certa de minha decisão. Ainda ouço comentários do tipo “vai se arrepender”, “você é nova e vai mudar de ideia”, mas não me aborreço. Sei o que quero para minha vida e não vou pôr uma pessoa no mundo só porque todos dizem que eu “tenho que ter”. Para algumas mulheres, a realização pela é ser mãe. Para mim, a realização plena é ser livre. Disso,não abro mão.

  28. Mulher corajosa e consciênte. Acho que as pessoas ainda não estão acostumadas com isso.

  29. marcio

    olha eu respeito o direto que toda mulher tem se ela quer ou não ser mãe , mas ela tem que deixar de ser egoista consigo mesma uma criança e uma benção e não um monstro cm está sendo pintada e sim e dificil criar uma criança educar ms e uma felicidade quando se chega em casa e que a esposa ou o marido não está e aquela monstrinho chega pra vc e diz pai ou mãe dá um beijinho o quer um carinho isso não tem preço. Mesmo assim eu respeito quem quer ou não ter um , pq a vida está muito corrida cheia de compromisso ms e otimo quando chegamos e tiramos aquele estress brincando cm ele ou eles ms isso e o meu pensamento pq eu sou pai de tres filhos e sei muito bem sobre a dificuldede de cria-los mas eu e minha esposa os colocamos no mundo não foi para quando estivermos velhinhos e sim para dar continuidade a familia e não acabar esquecida ou perdida no tempo e isso não e nostaugia e nem hipocrisia e o meu jeito de pensar não sou egoista e nem hipocrita ms eu vj a vida cm outros olhos.Feliz do hm ou mulher que tem uma famila completa .Sim filhos e para a vida toda cm dizia meu avô” se não aguenta cm o pote nâo segura na rudia” o velho era um sabio e ele sempre me falava que um dia não terião crianças mas no mundo e isso sim levaria o homem a extição pelos seus atos do passado . Desculpe se ofendi alguem ms eu o meu jeito de pensar e meio torto mas quem nessa vida não tem um pouco de medico e louco .

    • Filho é bênção quando é desejado e planejado. Nem todo mundo quer ter filho,e tê-lo nessas condições não é bênção, e sim um castigo. É muito bonito ficar romanceando a maternidade e a paternidade, mas a realidade é bem diferente. Filho não é só carinho,fofura e amor. Filho é final de semana em pronto-socorro infantil, filho é deixar de tomar uma cerveja porque o filho precisa de uma fralda, filho é deixar de sair com os amigos porque a criança tem que dormir cedo.Quem está disposto a pagar o preço,que o faça.Quem não está, o melhor que tem a fazer é ser feliz sendo livre e sem filhos.Tem muita gente aí com filho debaixo do braço e infeliz. Filho não garante nada a não ser despesas e aborrecimento. Cabe a cada um decidir o que quer pra si.

      • Clarice

        minha cara, não estenda seu ódio por crianças para todo mundo…Não venha pra cá afimar que filho é só despesa e aborrecimento..você NÃO TEM FILHOS então, NÃO AFIRME COISAS QUE VOCÊ NÃO SABE… Se voce optou por não ter filhos, é um problema seu, e azeda como você parece ser, melhor que não tenha mesmo, porque coitada da criança…mas não venha pra cá afirmar esses absurdos….Diante de uma situação que voce não vive, melhor você ficar de boca fechada, ok?

      • Marcia

        Clarice, a pessoa não precisa passar por uma coisa pra saber como é.
        Nunca levei um tiro, mas posso imaginar que deve doer muito e ser assustador.
        Também nunca ganhei na loteria, mas imagino que deve ser muito bom.
        E isso que não conheço ninguem que tenha levado um tirou ou ganhado na loteria.

        Agora, mesmo quem nunca teve filhos, já foi filho de alguém. Não é uma experiência tão distante assim.
        Todo mundo foi filho de alguém e quase todo mundo tem filho. E a maioria das mulheres só sabem falar sobre seus filhos, então não se precisa ter filhos pra saber como é e falar no assunto.

  30. Seria muito bom um mundo onde todos respeitassem a opinião dos outros, mas o problema é que não é assim que funciona. Todos julgam e são julgados.

    A solução deve sair de nós, em não nos importarmos com as opiniões dos outros. As pessoas podem te julgar, mas ninguém te obriga a nada, a decisão ainda é sua! Seja forte, ligue o “Foda-se” e seja feliz!!! =)

  31. Andressa dos Santos

    Amei tudo que foi dito. Pensei que era louca ou anormal por não querer ter filhos… Achei muto interessante quando você disse que egoismo é colocar um filho no mundo para ter alguém pra cuidar de você na velhice. Agora sei que não sou doente e que eu posso tomar as minhas próprias decisões.

  32. Quando dizem que seremos infelizes por não termos filhos, estão limitando a felicidade, agora se ter filhos traz felicidadde porque um número tão grande de mulheres-mães são tão infelizes a ponto de desenvolver doenças como depressão, transtornos de humor, ansiedade, estresse, gastrite nervosa, etc.?

  33. Anonima

    Realmente, se fosse pra voltar atras e escolher eu não teria tido meu filho, q está com 10 meses. Ele me dá muito trabalho, 24 hs por dia, nunca dormiu à noite direito e isto está ficando pior a cada dia. Até agora não vi nenhuma vantagem, beleza, encanto, magia, e td mais de bonito que as pessoas falam da maternidade. Me arrependo muito de ter tido um filho, mas agora é tarde, tenho que criá-lo. Repito: se pudesse escolher nao teria tido ele.

  34. Anônima… você teve escolha! A quantidade de métodos contraceptivos que temos hoje, são exatamente para dar a mulher a decisão de ter ou não filhos! Eu sugiro que agora você procure ajuda profissional para resolver essa questão em sua cabeça, e tomar atitudes corretas na criação dessa criança inocente, e isso é um tanto urgente, para que ela não sinta, vindo da pessoa que a gerou, esse sentimento negativo e destrutivo de rejeição.
    Alguns métodos que uso e já usei para garantir minha decisão em não ser mãe:
    Pílula anticoncepcional
    Camisinha masculina
    Camisinha feminina
    Pílula do dia seguinte
    E por último, e muito eficaz, em alguns momentos..abstinência.

    • sem identificação

      Mais triste do que não querer ou poder engravidar é ter a criança e depois mostrar q isso lhe é um enfado e arrependimento.
      Cuidado anônima, sua decepção pode afetar muito essa criança, podendo vc chegar até a agredi-lá, sem contar os traumas emocionais q ela terá.

  35. sem identificação

    Amo demais crianças, sou tia babona, mas na hora de decidir ser mãe, isso até me entristece, pq no fundo não tenho grandes vontades de engravidar. Não sou workaholic, não seria esse o motivo para essa negativa, na verdade nem eu me entendo o porque disso.
    Sou casada ha 7 anos e por mim esperava mais 10 anos para pensar em engravidar de novo, mas a idade grita, já tenho 32 anos e tenho medo de hoje decidir por não engravidar e quando já for tarde eu querer.
    Não sei, essa duvida e ao mesmo tempo o sentimento de ter q ser mãe principalmente pelo,eu marido é que me faz mal e me faz ter o sentimento de tristEza ligado a esse tema.

  36. Lia

    Críticas? O ser humano que nao tem nada para fazer sempre estará se metendo e criticando a vida dos outros tentando se auto-convencer de que ele, a sua vida, é melhor e parece que criticar as mulheres é rotina. A mulher que tem filhos será criticada da mesma forma que uma que decide nao ser ou que nao pode ser.

    Aquela que é mae e decide deixar de trabalhar fora será criticada porque dirão que ela esta se anulando em relacao aos filhos e ao marido, deixando de ser ela mesma. aquela que decide ser mae e continuar trabalhando será criticada porque lhe farão se sentir culpada por nao ser uma mae em tempo integral. Aquela que decide nao ter filhos será criticada porque dirão que nao esta “cumprindo com o seu papel” mesmo que nao possa te-los porque se insistira a que deva adotar.

    Entao essa é a história do burro, do menino e do avô. Podemos nos aborrecer, ficar chateados mas sempre seremos criticadas. Entao vc escolhe: viver segundo os teus princípios ou o dos outros.
    Analise e veja o que é melhor pra VOCÊ. esqueça os outros. Os que insistem para que sejam mães, nao cuidarão do seu filho, os que dizem que nao se deve ter filhos tampouco poderão decidir por você.

    A minha postura é muito clara: estou próxima aos 40 anos e sou solteira e sem filhos. Se ter um filho é gostoso? Vale a pena? Nao sei, mas acredito que tenha coisas maravilhosas. Uma vez a minha sobrinha ficou uns meses comigo, chegou ate a me chamar de mamãe e entao senti aquilo que todo mundo fala que é indescritivelmente maravilhoso: sim! É gostoso que uma pequena criatura te brinde amor, dependa de vc, te chame de mamãe, te de abraços. Mas isso é egoísmo nosso também e no dia seguinte quando a minha sobrinha foi se encontrar com uma amiguinha sua nao me queria por perto. E fiquei chateada. Puro sentimento egoísta meu. Reconheço.
    Entao sim, ter uma criança é maravilhoso, mas vira adolescente e te acha um saco e -plagiando frases de uma mae em outro site – quando a criança aprende a te respeitar e a ser gente entao vc ja esta velha demais para aproveitar.

    Eu nao sei se é assim, como disse nao tenho filhos. Os motivos que me levaram a nao te-los foi a falta de estrutura. Eu sou muito firme na posição de que sem pai eu nao poria um filho no mundo. Sei que muitas vão me criticar, minha melhor amiga o fazia porque dizia que nao podemos esperar um homem pois temos relógio biológico, mas sinto muito, eu nao acho legal nem pra criança nem pra mim. Em segundo lugar como era sozinha eu tinha que trabalhar muito para pagar as minhas contas, o meu trabalho me exige viajar, eu nao posso por um filho no mundo para deixa-lo com a minha mae que ja é idosa ou pagar para uma estranha. E em terceiro lugar eu fazia as contas e nao era possível trazer um filho no mundo sozinha.
    Esses foram alguns motivos, embora tenham outros.

    Mas o mais importante é que eu sempre fui fiel a mim mesma, nao posso cuidar de uma criança entao eu nao tenho. Talvez se tivesse tido um companheiro que me desse apoio econômico e emocional nessa questão eu teria mudado de idéia, mas nao sei, talvez eu preferisse curtir o meu marido e viajar, curtir a vida. Uma criança nao é um boneco, eles crescem e vão pro mundo e vc nunca mais dorme tranqüila. Tem que pensar muito, embora as mães dizem que se pensar muito nunca se é mae. Principalmente eu acho que tem que ter aquela vontade que nasça dentro do coração, como a autora do blog disse que sempre quis ser mae. Entao nao existem desculpas e vc será mae. Talvez o meu pensamento também sejam desculpas porque no fundo eu nunca quis ser mae.

    Tudo bem, o importante e nao se importar nada com o que os outros pensem. Lembrem-se nao sao eles que vão cuidar do seu filho. No máximo farão “bilu bilu”. Qd alguma vez alguém fica insistindo a que eu posso adotar ou ainda posso ter filhos, etc. Eu so respondo “vou pensar” e mudo de assunto, nao da pra dar conversa que nao leva a nada. Mas eu nao sofro com essa pressão porque tenho o mais o que fazer, aconselho a todas, mães e nao mães que deixem de se importar com. O comentário dos outros

    Abraço a todas

  37. Ali

    Adorei o comentário da Mariane, “seja forte, ligue o foda-se e seja feliz”!!É assim mesmo que eu sou. A ideia de família é um casal lindo e feliz, que tem filhos e se ama. Isso em 70% dos casos não existe. Meus pais se amavam no início, mas ai mudou e eles deixaram de se amar, foi traumático Então pela 1 vez eu pensei: não tenho garantia que meu casamento será para sempre, então prefiro não ter filhos para que eles não sofram o que eu sofri. Minha experiência de infância não foi boa, e toda vez que têm 1 bebê na rua e as pessoas vão lá e começam: ai, que lindinho, coisa fofa, pena que cresce… e eu simplesmente não me identifico com elas, não consigo ficar babando pelo bebê, não sinto nada. E não venham me xingar, porque eu só estou falando a verdade: não sinto nada. Eu acho o mundo triste demais, ruim demais….o que não é impedimento para os que querem ter filhos, mas é 1 motivo a mais pra quem não quer. Agora vamos ser racionais: a vida é minha, eu faço o que eu bem entender com ela, ninguém paga as minhas contas no fim do mês, ninguém iria lá pra aguentar a criança chorar a noite inteira, trocar fralda, dar de comer, se preocupar todos os dias com o que ele tá fazendo, se ele tá bem, se ele não tá doente e quando ele cresce você tem de ouvir : “vai pro inferno” “se vira” “não pedi pra nascer” e isso que você não tem garantia nenhuma de que ele não vá se viciar em drogas, virar um assaltante e outras coisas piores. Quem resolve correr esse risco que corra, que passe pela tal fase maravilhosa e transformação da vida, amor incondicional , etc…problema de cada um eu não tenho nada a ver com isso só queria que as pessoas não ficassem insistindo em me dizer: você diz isso agora, quando o relógio bater, vai querer,” “eu também dizia isso, e agora tenho 2 filhos e os amo, você vai ver vai acontecer a mesma coisa com você”. Queria que todos se respeitassem e entendessem!

  38. Roberto de paula

    Eu decidi que não quero ter filho mesmo sendo filho unico. afinal quem e esta sociedade fetida e suja de lama ate a cabeca a me exigir alguma coisa? banana a eles eu quero e ver o sistema incendiar cada vez mais

  39. Ariane Sanches

    Quando se tem dinheiro para empregada e babá, boa escolinha e ótimo plano de saúde, acho perfeito ter filhos. Se eu fosse a Angélica teria mais uns 2 bebês. Agora, quando a mulher trabalha fora, o orçamento doméstico é justo, o marido colabora pouco em casa, há faxineira apenas 1 x por semana, não há sogra ou mãe com saúde para ajudar … A mulher fica sobrecarregada, cansada, nervosa, a libido e os cuidados pessoais diminuem, o que sobra de energia logicamente vai para cuidar dos filhos, brigas com o marido acontecendo… a separação é quase inevitável… O homem vai embora e reconstrói a vida….

  40. priscila

    Sou frustrada, irritada, cansada, deprimida, sobrecarregada, louca, ou seja.. sou mãe. Ser mãe é um martírio, critiquem-me se quiserem,é a minha opinião, é assim que me sinto, com um enorme fardo nas costas. Pelo amor de Deus NÃO TENHAM FILHOS!!!!! Estraguei minha vida, é desgastante demais, as vezes penso que estou perdendo a sanidade, vontade de voltar no tempo, de ir pra marte com uma passagem só de ida… Sei lá, espero que um dia isso tudo passe, pois a criança não tem culpa.

  41. Jo

    Até me imaginei, quando mais nova sendo mãe, tendo uma família grande e feliz. Mas o tempo passou e vi que ser mãe pra mim não serve. Deixe eu explicar: minha mãe teve meu irmão caçula com 31 anos e foi trabalhar logo em seguida pq meu pai ficou desempregado, como mais velha assumi a casa pra ajudar, eu tinha só dez anos, minha irmã tinha oito então não podia contar muito com a ajuda dela, então era eu com dez anos cuidando da casa de dois irmãos sendo um bebê, um pai frustrado e violento e ainda tinha que ter boas notas na escola. Com quatorze anos tive uma briga feia com meu pai, ele já estava trabalhando então não teria motivos pra briga, mas ele achava que o que eu fazia em casa era pouco e não ajudava em nada então alem de cuidar de tudo ainda tinha que arrumar um “empreguinho” pra ajudar nas despesas e parar de dar prejuízos, acho que a adolescência deixa a gente cheio de coragem respondi pra ele e meu premio foi um murro na cara, nunca mais respondi e atá hoje não nos falamos direito. Eu sei que essa briga teve origem na maneira que eu cuidava dos meus irmãos, como minha mãe passava o dia todo no trabalho ele transferiu a responsabilidade de todo o trabalho doméstico pra mim. Assim passei a minha adolescência toda cuidando de casa e dos meus irmão, resumindo fui mãe aos dez anos e quando resolvi crescer e ter o direito de ter minha vida… vi que não queria repetir a mesma coisa… foi ai que resolvi que não quero ter filhos, não quero perder o resto da minha vida pra fazer os outros felizes, eu nunca tinha tempo pra mim. Enquanto as outras meninas namoravam e saiam pras baladas da vida eu ficava em casa pregada de cansada pq de manhã bem cedo levantava tinha que ir pra escola, chegava correndo fazia o almoço pra poder levar os dois na escola, voltava e tinha que arrumar a casa, lavar a roupa cuidar das contas pra minha mãe chegar em casa tranquila com jantar pronto e meus irmãos de banho tomado e tarefa pronta… já vi todo o ônus que essa vida de “maternidade e família feliz” pode trazer mas os bônus até hoje não os tenho. Tenho meu emprego, meu namorado é um cara mais velho que eu, acho que criei uma tendencia gostar de coroas, mas mesmo assim ainda tenho que dar um jeito nas coisas aqui, então ter filhos pra mim está fora de cogitação, tenho verdadeira aversão ao tema mesmo achando hoje que estou grávida e pensando seriamente em por um fim.

  42. Jaqueline

    Fui educada pra ter filhos, toda menina é quando ganha sua primeira boneca. Por incrível que pareça eu sempre gostei de carrinhos. Porém nunca brinquei pq ” é coisas de menino”. Tinha vontade quando via mães felizes com bebês no colo, cresci. Mudei meu pensamento quando comecei a ver que meu pai nunca ajudou minha mãe com os filhos, e eu dou muito trabalho a ela. Então, decidi… sem filhos! Muitas pessoas se escandalizam com a situação, porém sou feliz com o meu amor e acho que isso que mantém nossa relação. Nao querendo generalizar mas diversos casais sao rodeados de filhos porém beirando um divórcio. Filhos não significa completa felicidade. Sou feliz sim.. e nunca pensei em mudar de ideia!

  43. socorro vieira

    Estou um ppouco arrependida por nao ter tido um filho antes dos 30, agora estou co 38 e tenho medo de tentar e nascer uma cria n;a especial.allem disso atualmente sou um pessoa extremamente nervosa, tenho crises terriveis ,nao suporto ver nem o meu irmao( tem sindrome de down) sofrendo, passo mal e acabado tendo crises de choque ficando sem ar!imagino se fosse um filho meu.
    As pessoas me criticam bastante, as vezes fico desesperada sem saber o que fazer!

  44. Vanessa

    Eu sou a Vanessa,casei com 29 anos e agora com 33 anos fiquei gravida porque queria,mas infelizmente sofri um aborto espontâneo.Confesso que fiquei muito feliz quando soube da gravidez apenas um mês de gestação.
    Eu senti muitas cólicas e me medicaram com Profenid e Buscopam, e o aborto aconteceu, pedi informações mas não tive respostas.
    Enfim, me senti desapontada com tudo isso e estou pensando em não ter mais filhos. Sofri muito, me senti muito mal, me sinto mal até quando vejo um bebe , Amo crianças ,mas acho que não é pra mim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s