Arquivo do mês: outubro 2012

Maiôs e biquinis plus size na Loja Mulherão

Por Renata Poskus Vaz

Quinta-feira é dia de Hoje em Dia da Rede Record, com dicas de moda praia plus size. Os maiôs e biquinis que vou levar ao programa são da Cachopa Brasil. Depois eu vou postar aqui as peças que foram desfiladas ao vivo.

Ah, mas antes, queria dizer para vocês que já existem alguns lançamentos de verão da Cachopa Brasil na Loja Mulherão. E você pode comprar as peças separadas e montar um conjunto à sua escolha. Aproveite!

5 Comentários

Arquivado em Loja Mulherão, Operação biquini

Últimas vagas para o Dia de Modelo Plus Size no Rio de Janeiro

Por Renata Poskus Vaz

Meninas, é o último Dia de Modelo do ano no Rio de Janeiro. Para quem ainda não conhece, o Dia de Modelo é uma sessão fotográfica para mulheres plus size, com produção completa: make, cabelo e empréstimo de roupas. Mande seus dados para blogmulheraorj@hotmail.com e receba mais informações.

2 Comentários

Arquivado em Dia de Modelo

Dicas de moda praia para gordinhas no Programa Hoje em Dia da Rede Record

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Chega ao fim o Jornal da Tarde

Por Renata Poskus Vaz

São Paulo está em chororô porque um jornal popular, lido há mais de 46 anos pelos paulistanos, não será mais publicado. O Jornal da Tarde era uma versão “primo pobre” do O Estado de São Paulo. Editado pela mesma empresa, era mais compacto, com matérias curtas, fáceis de ler e com fotos bem chamativas.

Eu, que estudei jornalismo, sabia que mais cedo ou mais tarde jornais impressos deixariam de existir. Ninguém mais tem paciência ou tempo para ler o jornal. A internet parece ter contribuido também com isso.

Uma curiosidade: o Jornal da Tarde foi o primeiro jornal impresso a me entrevistar. A matéria contava sobre a primeira edição do Fashion Weekend Plus Size, obteve destaque na capa e contribuiu – e muito – para o sucesso do meu trabalho. Olha só como eu estava magrinha na foto!

Sentirei saudade do JT! 😦

4 Comentários

Arquivado em Dia de Modelo

Adesivo para unha é ideal para quem tem um compromisso de última hora

Por Denise Vasconcelos

Sabe aqueles dias em que a gente tem um compromisso super importante, que exije uma apresentação impecável, mas não temos tempo de nos preparar adequadamente? Uma solução para quem precisa fazer as unhas às pressas é usar unhas postiças ou adesivos. Muito mais rápidos e práticos do que tirar a cutícula, pintar e esperar secar o esmalte.

Encontrei uma loja na região da 25 de março, em São Paulo, onde vende todos os tipos de apliques para unha, vários modelos de unhas postiças, adesivos para decorar parte da unha e adesivos para decorar a unha toda. Comprei alguns tipos de adesivos e estou testando aos poucos. As cartelas variam de R$ 8 a R$25 e a variedade de modelos é muito grande.

Passo 1

Os adesivos para unha são muito práticos e fácil de usar e o melhor de tudo é que o resultado é incrível. Antes de aplicar o adesivo é necessário preparar as unhas para que ele dure por mais tempo. Primeiro passe uma lixa para polir as unhas e depois passe uma camada de base incolor.

Passo 2

O adesivo tem uma ponta arredondada e outra ponta um pouco mais quadrada. Você escolhe qual parte usar pelo modelo da sua unha mas geralmente a parte redonda se usa nas mãos e a parte quadrada se usa nos pés. Depois de passar a base nas unhas já pode colocar o adesivo, na posição escolhida para seu modelo de unha, e arrumar os cantinhos com a ajuda de uma espátula(No kit vem 1 espátula e 1 lixa). Como mostra na foto, fica uma sobra grande de adesivos nas pontas das unhas. Corte essa sobra (essas sobras eu uso para fazer o pé), lixe as unhas para tirar todas as rebarbas de adesivos e para finalizar passe uma camada de base incolor.


Na embalagem vem escrito que a duração é de 15 dias, mas nas minhas mãos ele fica bonito por apenas 1 semana. Mesmo assim, compensa, uma vez que cada embalagem vem quantidade suficiente para fazer 2 vezes. Esse modelo que escolhi, com 20 unhas (adesivos), custou R$ 10. Fez o maior sucesso!

14 Comentários

Arquivado em Beleza, Mulherzinha

Mulherão internacional: Comprando lingerie em Londres

por Litha Bacchi

Uma coisa que todo mundo deveria fazer enquanto no exterior é comprar lingerie. Mais especificamente, sutiã. Aqui eles têm tamanhos diferentes para tamanho do tórax e tamanho do busto, o que proporciona um caimento muito melhor e conforto infinito!

Hoje eu vou falar de lojas físicas porque normalmente nós não sabemos qual é o nosso tamanho em outros países, o que exige experimentar os modelos disponíveis. Há várias opções de lojas que vendem tamanhos plus, mas a maioria não tem preços tão amigáveis (pagando em libras, poucas coisas têm preços amigáveis, haha).

Primeira dica: a loja Evans, que é especializada em tamanhos grandes. A melhor parte da Evans é que tem uma moça no provador que te ajuda a descobrir o tamanho correto. Lá estava eu catando sutiã de todos os tamanhos pra tentar saber qual era o meu, quando ela me aborda e oferece o serviço, que é gratuito. Isso foi muito importante, porque eu ia comprar tudo errado, hahaha.

Evans da Oxford Street (perto da estação Bond Street)

Os preços são justos pelo produto que se está comprando. Os sutiãs estão em torno de 25 libras, o que dá perto de 80 reais. Um sutiã no mesmo nível de qualidade no Brasil custa em torno de 100 reais (ou mais) e normalmente é completamente plano, sem enfeites, sem renda, etc. O que eu acabei comprando foi esse:

 

 

O problema da Evans são as calcinhas de padrão europeu. São bem grandes. Mas é possível achar calcinhas padrão brasileiro na Primark por 1,70 libras! Outros sutiãs da Evans:

 

 

 

E tem opção mais barata? Tem a Primark, mas a maioria dos modelos só vai até o tamanho de tórax 38 (o meu é tamanho 42). Mas pra quem tem um tamanho de tórax pequeno e seios grandes, tem vários modelos bonitos que vão até o tamanho H de bojo (é um bojo BEM grande). Eu consegui achar um modelo de tamanho 40DD, que ficou longe do ideal, mas tenho um daqueles expansores de sutiã bem comuns no Brasil que ajudará bastante. A melhor parte é que foi 6 libras.

A calcinha não é par do sutiã. O problema da Primark é que pode ser bem difícil de achar o par das coisas. Mas a calcinha dessa foto foi encontrada no balaião de 1,70 que a gente adora, do modelo que eles chamam de “brazilian”:

Uma coisa que é bacana nos sutiãs da Primark (além do preço) é essa tabelinha que se encontra no cabide. Assim você fica sabendo se existe seu tamanho naquele modelo que escolheu:

No fim a minha favorita foi a Evans, mesmo que não tenha nenhum modelo “push up”, que é o meu modelo favorito (brasileira piriguete hahaha). Os modelos são muito confortáveis, bem feitos e bonitos. Está recomendado 😉

18 Comentários

Arquivado em Lingerie, Moda e estilo, Mulherão Internacional

Eu continuo indo de Marisa

Por Renata Poskus Vaz

Na última semana foi ao ar uma propaganda das Lojas Marisa, em que uma mulher magra aparecia agradecendo à todas as saladas, leguminosas e frutas que comeu durante o ano e que fizeram suas refeições menos alegres, mas que, segundo ela, farão o seu verão mais feliz.

Comigo a repercussão dessa propaganda não foi muito diferente do que, possivelmente, aconteceu com outras blogueiras plus size e formadoras de opinião.  Recebi dezenas de e-mails e mensagens em minhas redes sociais repletas de indignação. A grande maioria de minhas leitoras que se pronunciou sobre esse comercial das Lojas Marisa se declarou muito ofendida.

Demorei para escrever esse texto porque eu não me senti ofendida com a campanha e considerava que minha opinião, naquele momento em que os ânimos estavam tão exaltados, poderia não ser compreendida. Sendo assim, eu precisava deixar o tempo passar e entender melhor o que havia magoado tão profundamente as minhas leitoras.

Quando assisti essa propaganda pela primeira vez eu estava vendo novela com meu pai. A música clássica me chamou atenção. Eu, que falava sem parar durante o intervalo da novela, fiquei quieta e prestei atenção na televisão. Foi quando começou o monólogo da modelo, agradecendo às saladas, leguminosas e frutas que a deixaram magra para o verão. Quando vi aquilo, não me senti ofendida e nem discriminada. Olhei para meu pai e disse:

 “- Que babaca! Ela comendo mal o ano inteiro para ficar feliz no verão. Eu como coisas gostosas o ano todo, não me torturo como ela e fico feliz o ano inteiro”

 Acho que eu estava tão bem naquele dia, me sentindo tão feliz e bonita, que mesmo sendo gorda enxerguei a propaganda da Lojas Marisa diferente do que outras mulheres plus size enxergaram. Naquele momento vi claramente que a Marisa não falava comigo. Falava com uma mulher repleta de neuras, que faz dietas malucas para se manter magra o ano inteiro, assumindo, inclusive, que suas refeições eram menos alegres. Óbvio que ninguém precisa se empanturrar de carboidratos como eu, mas se condenar à tomar sopas ralas é inaceitável! Acho que mesmo que fosse magra, não ia curtir que tirassem sarro das minhas dietas malucas desta forma. Mas teve muita mulher que curtiu, que se identificou e viu seu sacrifício pelo corpo perfeito reconhecido por uma grande marca (digo isso com base nos depoimentos que li no Facebook “Vou de Marisa”).

Embora não tenha gostado da propaganda e tenha achado o monólogo da personagem digna de pena, não me senti ofendida. Ela não falava comigo, ponto. E não creio que lojas de departamento tenham que se comunicar com todos os seus clientes ao mesmo tempo. Às vezes fazem campanhas dirigidas para crianças, outras para adolescentes, outras para homens e outras para mulheres que comem apenas chuchu o ano todo. Um dia, tenho fé, lojas como Marisa, Riachuelo, C&A e Renner farão campanhas só com gordinhas e não quero ler magrinhas reclamando que isso é uma apologia à obesidade. Há espaço para todas.

Isso me fez lembrar das campanhas do desodorante masculino AXE. Vira e mexe colocam em suas propagandas de homens esquisitos, sem muita beleza e pouco charme, atraindo mulheres lindíssimas após passar o desodorante AXE. E eu nunca vi nenhum homem consumidor dessa marca de desodorantes se queixando dos seus representantes no comercial.

 Antes que alguém venha com mimimi, fui modelo da Marisa por duas campanhas seguidas (Dia dos Namorados e Dia das Mães) e me orgulho muito disso, mas nada me impede que eu venha aqui e fale o que quer que seja da marca ou de suas propagandas.  Além disso, sou cliente das lojas do Shopping Metrópole em São Bernardo do Campo e na da Lapa, em São Paulo. Muitas de minhas leitoras já me viram por lá. Sendo assim, não vou boicotar uma loja, deixar de comprar seus produtos ou encabeçar uma campanha como a “Não Vou de Marisa”  porque ela errou em uma propaganda. De todas essas lojas de departamento, ela foi a primeira a investir em moda plus size. Muito antes de C&A, por exemplo, contratar Preta Gil, Marisa já vendia para as gordas.  E hoje, lá, existem roupas moderninhas e joviais por um preço camarada. Além de ser o único lugar que eu tenho o prazer de conseguir comprar roupas junto com a minha irmã Barbara, que usa manequim 36.

Na minha opinião, ela merece uma segunda chance. E é por isso que eu continuarei indo de Marisa.

33 Comentários

Arquivado em Moda e estilo