Como reagir quando seu médico te discrimina por ser gorda

Por Vitor Mattoso

Veja o e-mail que recebemos de uma de nossas leitoras questionando a forma como os mpedicos tratam pacientes obesas:

“Escrevo porque gostaria de ver a opinião de vocês sobre uma coisa que tem me incomodado bastante nos últimos tempos: a falta de respeito com que profissionais de saúde tratam a mulher gordinha. Vi esta notícia aqui e me identifiquei:

Comigo não chegou a tanto, mas noto uma evidente má-vontade dos médicos quando vou consultá-los. Pra ser sincera, tenho até evitado ir ao médico, porque tudo que me acontece ultimamente, para eles, é culpa da gordura. Não nego que a obesidade traz problemas de saúde nem acredito que o médico não pense na nossa saúde. Mas o que venho notando é que, para eles, o fato de estar gordo dá a eles o direito de humilhar o paciente e fazer diagnósticos apressados, muitas vezes sem nem ouvir o que temos a dizer. 
Digo por mim mesma. Tenho SOP (síndrome do ovário policístico) desde que comecei a menstruar. Todos os sintomas estão lá: menstruação abundante e dolorida, pelos em excesso pelo corpo, etc. Nunca consegui encontrar um médico que me desse um tratamento eficaz e fui, para minha infelicidade, tentar de novo, desta vez com uma médica. Depois de me examinar, ela veio me dizer que a SOP é causada pela obesidade (!!!) e que eu precisava de ajuda. Olhem, desde os 12 anos eu menstruo. Desde essa idade sofro com os sintomas. E eu era magra. Estou com 33 anos agora, será que não conheço meu corpo? De nada adiantou eu dizer a ela há quanto tempo tenho o problema. A médica disse estar ‘convencida’ de que minha obesidade está envolvida nisso e que, se eu estivesse magra,os sintomas seriam muito menores. Bom, ao que parece ela conhece mais da minha vida do que eu mesma. Lembro-me de, mesmo quando estava 30kg mais magra sofrer com a menstruação, a ponto de não conseguir levantar da cama. Ah, e lembro também de sempre ir à depiladora para remover os pelos do meu rosto. Quem sabe a cirgurgia que fiz, há 13 anos, para tirar um cisto de ovário do tamanho de uma laranja? E eu pesava pouco mais de sessenta quilos! (Tenho 1,59). No entanto, ela nem parecia ouvir o meu relato.
A médica pediu vários exames. Quase perguntei para quê ela estava fazendo isso, já que estava convencida do meu diagnóstico. Por que fazer exames, então? Não me entendam mal. Sei que devo cuidar da saúde, sei que a obesidade pode me trazer problemas. O que não me conformo é ser maltratada por um médico pelo fato de estar gorda, ou ter que ouvir insinuações, ou ser tachada de mentirosa, que foi o que essa médica praticamente fez. Ela ignorou meu histórico e pôs a culpa de tudo na minha obesidade. Saí de lá arrasada. Penso em fazer os exames, mas procurar outro médico para vê-los. Mas confesso que estou com medo, porque parece que está escrito na minha testa: ‘SOU GORDA, DOUTOR. ME HUMILHE!” É como se a magreza fosse pré-requisito para ser aceita, amada, bem-tratada por quem quer que seja. Me senti uma criminosa. E senti raiva. Porque posso mesmo estar precisando de ajuda. Mas não preciso ser humilhada para conseguir essa ajuda. Se a médica que consultei quis me chocar e me fazer acordar para o que quer que esteja na cabeça dela, o efeito foi o contrário. Não tenho a menor vontade de voltar a vê-la. 
Ao ver a notícia lamentável que citei no começo, percebi que não é só comigo. Deveríamos fazer alguma coisa para combater isso. Tenho certeza de que o médico que receitou um cadeado para essa moça nem vai ser punido. Pelo que soube, raramente o CRM condena um médico. Enquanto isso, continuaremos sendo alvo de bullying por parte de quem deveria cuidar de nós sem nos julgar. O tal juramento de Hipócrates, pelo jeito, foi parar no lixo. “

Resposta:

Querida Leitora,

Primeiramente, toda a equipe do Blog Mulherão agradece pela mensagem enviada, pois isso mostra a confiança depositada em nosso trabalho. Meu nome é Vitor Mattoso, e sou o mais novo recruta desta tropa de elite, que trabalha firme para mostrar que ser feliz independe de qualquer situação! Além de Advogado, sou Coordenador do Projeto BULLYING Nunca Mais , o qual irão conhecer melhor durante os próximos meses.
Sobre a notícia apresentada, não tenha dúvidas que todos nós também achamos um verdadeiro absurdo, e tenha certeza que uma das minhas razões de estar aqui é mudar esta realidade! Vamos, agora, cuidar especialmente de você, ok?! Não deixe de ir ao médico. Em primeiro lugar, por ser importante manter um programa de avaliação continuada; em segundo, por ter a certeza que você irá encontrar um profissional que é do seu agrado!
Eu mesmo já passei por uma situação semelhante, só que com problemas respiratórios! Até encontrar um médico de confiança, foram mais de 8 anos! Veja pelo lado positivo: você conhece muito bem o seu corpo e como ele reage em determinados períodos, concorda?! É só uma questão, agora, de acertar o profissional e ver como as coisas irão bem! Faça esses exames sim, leva até ela sim, e, caso não goste das respostas, procure outro médico sim! Sim, sim, sim, simples assim!
Em todas as profissões irão existir os bons profissionais e os “nada profissionais”, afinal, ser um PROFISSIONAL não é só ter um certificado bonitinho na parede. É amar, respirar e viver o que escolheu como forma de ajudar na construção de um mundo melhor!

Agora, vem a parte mais importante da resposta:

Você está PROIBIDA de pensar coisas negativas, ouviu?!?! Isso não irá ajudar em absolutamente nada!! Portanto, mocinha (“mocinha” sim, afinal, você tem apenas 33 aninhos), trate de levantar esta cabeça e pensar que você é mais do que tudo isso, e que pode conseguir tudo o que deseja! É só uma questão de ter a mente aberta e a atitude correta!
Sobre o seu pedido, tenho boas notícias: já estamos fazendo alguma coisa – ou melhor, MUITA coisa – para combater isso! Veja só a bela parceria que se formou entre o Blog Mulherão e o Projeto BULLYING Nunca Mais?!
E acredite: isso é apenas o começo! 2013 que nos aguarde!!

Fico à sua disposição, assim como de todas as leitoras (e leitores) do Blog Mulherão, naquilo que me julgarem útil e estiver ao meu alcance.

Vamos em frente!

Vitor Mattoso
www.vitormattoso.com.br

25 Comentários

Arquivado em Bullying Nunca Mais, Preconceito

25 Respostas para “Como reagir quando seu médico te discrimina por ser gorda

  1. Fico muito indignada com tudo isso, te entendo também tenho SOP desde os meus 15 anos de idade (hoje estou com 30), e me admira a médica dizer que a SOP é causada pela obesidade, não deveria ser o contrário….. a SOP é um fator que ajudar a estarmos obesas, em função, da grande quantidade de hormônios que temos que ingerir durante toda a vida para não aumentar o tamanho dos cistos… Fora o aumento de volume da mama, este é o que mais me incomoda, motivo pelo qual sempre busquei solução com vários ginecologistas e nada… sempre falavam que era em função do remédio, e que depois passaria. Nunca passou, e eu com meu “sutiã” 42 aos meus 15 anos.. hoje já estão no 52.
    Infelizmente, o descaso médico existe, e não é só em hospitais públicos não, já paguei convênio para ver se melhorava o atendimento, mais é difícil, já cheguei a ficar mais de um ano sem ir no ginecologista em função de um exame mal realizado por uma “médica”, sai da sala chorando muito, me sentindo um lixo… Sem poder fazer nada, pois estava tão abalada que não consegui nem reclamar…
    Mais bola para frente.. temos que sobreviver…
    Boa sorte minha querida.. tenho fé, as coisas estão mudando para nós grandes mulheres, porém o preconceito sempre existirá, mais estaremos aqui para comba-telo.
    Beijos

  2. silvani vicente da hora

    Gente que matéria.
    E por esse e outros motivos q passo aqui no blog todos os dias, de preferência antes de sair de casa, pq ai depois q leio as matérias, saio de casa com espirito de mulherao.
    Mas falando dessa nossa amiga, eu passei e passo por isso sempre q procuro um profissional da area. A matéria citada sobre o CADEADO, aconteceu aqui no meu estado, mais prescisamente na minha cidade.
    Isso me deixar indignada. Hoje na verdade eu faço tratamento com psiquiatria por causa do trauma, causado por pessoas preconceituosas e por profissionais

  3. silvani vicente da hora

    Cont…dessa area. Estou malhando, mudei minha forma de alimentação, meu medico né passou um medicamento para me ajudar na ansiedade, e estou vivendo bem.
    VITÓRIA MATTOSO parabéns e obg pela resposta a nossa colega, afinal vc falou pra muitas de nós s. Bom dia. Sil

  4. Paula Regina

    Muito lamentável que um/uma profissional, que deveria estar ali para ser colaborativo, atencioso e educado, seja, irônico e preconceituoso.

    Já passei, pelo menos foi somente 1 vez, com um comentário infeliz de um Dermatologista, que culpou uma micose na unha do meu pé ao fato de estar com sobrepeso.

    É aquela pecha prenoção e deselegante que todo preconceituoso carrega em si. Se fosse uma pessoa bulímica, pode contar que o diagnóstico seria o de estar magra demais…

    Teve até um episódio da série House que, um homem obeso passou o episódio inteiro dizendo que sua doença não estava associada à obesidade, ao seu peso.

    Ou seja, a falta de educação e ausência completa com seu compromisso profissional e com o Diploma, fala diversas línguas.

  5. Cássia Bernardini

    Estou com 49 anos,menstruo desde os 10 , tenho pelos pelo meu corpo todo, hoje bem menos graças a Deus. Peso 93 kgs e tenho 1,62 de altura,tenho ovário policístico, não tenho dores ao menstruar,e menstruo normalmente ainda,rsssssssss Sofrí preconceitos desde os meus 11 anos,quando já tinha corpo de mocinha mas todo coberto de pelos igual aos dos meninos na puberdade. Evitava sair durante o dia, mas um dia parei prá pensar: Essa sou eu a Cássia! E tenho que ser feliz e brilhar pela vida a fora do jeito que sou!Comecei a trabalhar fora no comércio, e meu pai pagou 1 tratamento com um endocrinologista que me receitou injeções de hormônios que eu tomava toda semana e sessões de depilação com cera que duravam mais de 1 hora ,rssss saía de lá vermelha igual tomate,rss Resolví levar a vida na esportiva, e sorrir prá ela. Bem, pr´pa resumir, ainda sou gordinha ,peludinha,mas muiiiiiiiiito amada e sabem porque? Porque eu há muitos anos atrás, resolví me amar!
    Beijos a todas mulheres plenas e absolutas !!!!!!

  6. Conheço esse assunto bem de perto e achei ótimo abrirem este espaço para falar do preconceito dos médicos com os obesos. Eu já pude vivenciar algumas experiências nada agradáveis. Uma vez, fui realizar um exame ginecológico e o médico sem paciência nenhuma, só reclamava: ” Você precisa emagrecer, é muito dificil realizar o exame em você por causa da gordura ” e falava com uma expressão de tipo: Acorda, gorda! Emagreça! Pra piorar a situação, ele foi tão agressivo realizando o exame que doeu e doeu muitooooo, sai de lá parecia que tinha feito uma micro cirurgia, tamanha a agressividade que ele realizou o exame, na época eu achava normal, acreditava que o exame fosse assim agressivo, e que doía mesmo, mas não, o exame mesmo não tem nada demais que necessite uma agressividade na qual fui submetida. Tempos depois quando encontrei uma boa médica, relatei a situação pra ela e a mesma se mostrou indignada, e confessou pra mim: “…Médicos não gostam de gordos… Mas, vc não tem culpa de ser gorda, ele não precisava ter agido assim…” ela ficou muito revoltada com este médico e eu também, pois naquele momento eu havia descoberto que aquele médico tinha me tratado sim, com preconceito.
    Em uma outra ocasião, estava com muita dor na batata da perna, uma dor em forma de peso que já estava ficando difícil até para me locomover, fui em uma emergência médica e lá fui me consultar com uma clinica geral, a mesma só ouviu meus relatos, perguntou se eu tomava anticoncepcional, e ao constatar que sim, ela logo disparou: Isso é trombose. Você é obesa e toma anticoncepcional, você está com trombose. Ela nem se quer encostou na minha perna, passou o doppler das pernas para eu fazer em um laboratório e me mandou pra casa. Neste caso, houve duas condutas erradas, primeira: Ela me dar um diagnóstico de algo grave, sem nem me examinar direito. Segundo: Um paciente que apresenta um quadro de trombose que é considerado um quadro grave, deve realizar o doppler com urgência e ser internado imediatamente. Ela não fez nada disso, se eu estivesse mesmo com trombose, de repente nem estaria mais aqui relatando este caso, enfim. Não satisfeita com a resposta, procurei outro médico e o outro sim, me examinou e de cara constatou que era impossível ser trombose e acabou constatando um problema ortopédico, do nervo ciático.
    É lamentável a falta de respeito dos médicos com os obesos, conheço casos de obstetras que recusam realizar o parto de uma mulher obesa, o que é um absurdoooo!
    Sabias palavras do querido Vitor Mattoso, seja bem vindo nesse nosso espaço!

  7. Aparecida

    É, então eu tenho de ser muito grata à minha endocrinologista, que começou a me acompanhar desde antes de remover a tireoide. Ela é jovem, mas tem se mostrado uma pessoa correta desde a primeira consulta, quando concordou integralmente com a posição do cirurgião de cabeça e pescoço de que a glândula precisava ser totalmente removida e me orientou sobre a faze difícil que iria passar, mas sem me desanimar.
    Se eu já era fofolete antes, depois a coisa ficou mais complicada. Mas ela tem sido um incentivo a buscar qualidade de vida – até mais do que um resultado estético que é surreal.
    Desejo a colega que encontre o seu ponto de equilíbrio e um profissional que entenda e saiba acompanhar suas peculiaridades.
    Não desista!

  8. Também sou uma vítima gordinha da SOP. Fui diagnosticada com a Síndrome quando usava manequim 42 e já apresentava quadro de resistência à insulina. Hoje, 30 kg depois, já ouvi dezenas de vezes de médicos que a CAUSA da minha SOP é a obesidade, quando sei por experiência própria que a causa da minha obesidade foi a SOP. Muito embora eu reconheça que os sintomas pioram com o ganho de peso e que emagrecer certamente favoreceria meu quadro, eu levei mais de dez anos pra encontrar uma endocrinologista que de fato me ouviu e se dispôs a me ajudar.

    Mas o mais chocante de tudo: ao mudar de cidade, fui buscar um gineacologista e ele me pediu para suspender o anticoncepcional para fazer novos exames. Com o (milésimo) resultado de SOP nas mãos, ele me disse que se eu quisesse engravidar um dia naturalmente, teria que emagrecer ao menos 15% do meu peso. Eu insisti num pedido de BHCG (o exame de sangue de gravidez) uma vez que minha menstruação estava atrasada há 3 meses. E ele me respondeu que com SOP e acima do peso eu não poderia estra grávida, logo não precisaria fazer um exame.

    Teimosa que sou, me recusei a tomar os remédios receitados e fiz o tal exame. Estou grávida de 5 meses hoje. Mais um médico no cantinho da vergonha por achar que minha obesidade é a causa de todos os meus problemas…

  9. renatavaz11

    Há uns quatro anos, senti terríveis cólicas e tive um sangramento escuro e escasso. Meu pai me levou ao Hospital Geral de Guarulhos, administrado pela Santa Casa. Na época, ele trabalhava em uma empresa que prestava serviço para a Santa Casa e achava o atendimento de lá excelente. Como não tinha convênio, ao invés de ir até o hopsital mais próximo da minha casa, aceitei ir a esse. Chegando lá, expliquei a situação e fui atendidada por uma ginecologista muito grossa. Ela perguntou se eu poderia estar grávida. Eu disse que não sabia. Aí ela disse: “então você não se previne? sai transando sem proteção e engravida sem planejamento?”. Ela gritou comigo na frente de todo mundo! Fiquei chocada. Aí, me pediu inúmeros exames pois desconfiva que eu tivesse sofrido um aborto espontâneo. No exame de toque ela me machucou. Foi tão grossa que nem gosto de lembrar. Eu, que não levo desaforo para casa, fiquei quietinha, com medo de que a médica me fizesse um novo exame e me machucasse ainda mais. Resumindo: o ultrasson mostrou que eu tinha inúmeros cistos que, provavelmente, me faziam sentir as fortes cólicas, além de ter os escapes. Na receita, havia o nome da médica. Fiz uma reclamação de 2 folhas frente e verso em papel A4 sobre ela, sobre a forma como me atendeu e coloquei em uma caixinha de reclamação presa à parede do corredor. Para minha surpresa, recebi 1 ligação da assistente social na semana seguinte, além de outra ligação da chefe do departamento de ginecologia e obstetrícia pedindo desculpas pelo ocorrido. Tenho certeza de que essa médica vai pensar duas vezes antes de agredir alguém. Quando alguém sem instrução reclama de um atendimento médico, parece que não levam tão a sério. Mas quando nós, que escrevemos bem, conseguimos expor a forma grosseira e desumana como fomos tratadas, a coisa é bem diferente. Acho que se isso acontecesse novamente, eu não ficaria quieta mais uma vez.

  10. Marlene

    Meninas é horrível já estamos fragilizadas e vamos procurar ajuda e nos deparamos com médicos desprovidos de humanidade,já teve vezes em que sai da consulta soluçando e mais rasa que o chão. )=

  11. Beatriz Fraga

    Como foi dito na resposta, existem profissionais de todos os tipos. Graças a Deus nunca cruzei com um médico desse tipo, mas se cruzar simplesmente agradeço e nunca mais voltaria nele. Vários médicos já me recomendaram emagrecer, mas com razão, devido a pressão alta por stress e por problemas articulares. Quanto a SOP, tb tenho a anos, e minha médica me disse que as causas podem ser variadas e até mesmo não identificada, mas ela facilita a obesidade. Veja bem, ela facilita mas não é a causa. Procure outro médico até que ache um que vc goste e se sinta segura.

  12. Patricia

    Vi explicitamente meu histórico nas mensagens acima. TODOS os médicos que me atendem me falam a mesma coisa: seu problema é obesidade.Ainda que seja uma unha ecravada!!!!!!!!!!!!!!! Lamentável…

  13. Barbara

    Fui à uma médica endocrinologista porque tenho hipotireoidismo e faço consultas regularmente, ela me receitou diversos medicamentos porque tinha certeza que eu tinha diversos problemas devido a ter engordado muito recentemente e por ser vegetariana há décadas. Detalhe: ela “diagnosticou” meus problemas de pressão, colesterol alto, deficiências de vitaminas e anemia só de olhar na minha cara, sem pedir um exame, só de (mal) olhar na minha cara. Me recusei a aceitar as receitas de medicamentos sem fazer exames e adivinhem? Não tenho nenhum dos problemas diagnosticados por ela. Imaginem se eu não fosse uma pessoa esclarecida e seguisse cegamente o que ela me recomendou? Quantas pessoas não se submetem diariamente à opinião de médicos irresponsáveis?

  14. Maria Faria

    Quando vi a reportagem e o post, entendi que não é só comigo que acontece isto. Cabelo oleoso é obesidade, dor de dente, é obesidade. Mudei de ginecologista por causa disso, ela achava que tinha que acabar com minha obesidade, em momento nenhum focava a consulta no que me interessava: ginecologia. O mais engraçado foi há 2 semanas quando acompanhei minha mãe ao geriatra, ele deixou minha mãe para escanteio e começou a me consultar, aliás, disfarçadamente me dava sermão. Educamente, contei para ele que a paciente era minha mãe e agora, me recuso a acompanhá-la porque o maldito geriatra invocou comigo. Deve estar escrito na minha testa: “Salve a gordinha!”. Mas eu tenho auto-estima e não levo desaforo para casa, médico que age assim merece ser punido e comigo não tem vez.

  15. Kaka

    Dei muita sorte nesse aspecto…cheguei em um novo ginecologista depois de engordar 30kg e ele nunca tratou o meu peso como problema ate que EU colocasse o assunto na mesa, muitas consultas depois… Antes disso ele me deu sim, desde o comeco, tratamento para hipotireoidismo, para SOP, mas isso pq me pediu exames, como um medico serio deveria pedir…
    Tive muita sorte por encontrar um medico respeitoso e sensato.

  16. Sharon Fanny

    Resumidamente: fui no endocrinologista….ele nem receitou nada….falou para eu ir no médico para fazer cirurgia de estômago….pq na época eu tava 50 kg acima do peso….achei absurdo….hj,tenho q perder 40!E por minha causa….médico tosco!

  17. Mariana

    Gente, é o seguinte: eu faço medicina, e entre as duas coisas que a gente mais ouve no curso estão os perigos da obesidade para a saúde do paciente e a importância de tratar bem quem chega ao consultório procurando ajuda.
    Qualquer paciente obeso ou com sobrepeso que apareça no consultório de um médico, deve ter seu problema investigado independentemente dele ser ou não relacionado com o peso. Adicionalmente, se necessário em outra consulta, a questão do peso deve ser abordada.
    Se o médico não te tratou bem porque vc é gordinha, simplesmente reclame bastante dele e troque de médico, porque na minha humilde opinião, esse povo tosco não deveria estar exercendo a medicina.
    Beijos e força a todas.

  18. Shaiane

    Nossa, também tenho SOP, problema de família (quase todas as mulheres da família tem, inclusive mãe). Engordei 38kg, minha gineco diz que “não engordei por causa da SOP, mas ajudou no processo e perder peso diminui sintomas”. Ela não sabe se a SOP apareceu com o ganho de peso ou foi o ganho de peso que facilitou o aparecimento, e que nem tem como saber uma coisa dessas. Fez vários exames, me mandou para a nutricionista, disse para eu cuidar de mim por mim, não pelos outros. Disse que eu não preciso ficar magra, mas perder uns 20 kg já ajudaria a prevenir possíveis outros problemas do meu histórico familiar (problemas nos ossos, vários problemas ginecológicos, câncer de mama e ovário…).

    Acho que tudo que ela disse está certo, apesar de bater na tecla “perca peso”. Tenho um histórico feio de problemas do coração na família e faço eletrocardiograma todo ano, então entendo a preocupação médica (e não preconceituosa) com o peso. Agora estou para voltar a consulta, ver se os cistos diminuiram ou se vou precisar de outro tratamento (ela explicou que me deu o mais fraco e vamos aumentando a dose hormonal conforme eu respondo, de 4 em 4 meses examinando meu sangue e fazendo ecografias).

    Apesar da recente experiência boa, tive várias péssimas com endocrinologistas, ginecologistas e depiladoras. Sim, depiladoras! Não são médicas, mas reclamava do meu peso e que a pele fica mais “mole”, por isso acabava assando na depilação decorrente de muitas puxadas. Mas elogiava quando eu perdia peso, incentivava minha academia (eu fazia na época) e tirava cada pelinho, do jeito que eu gosto.

  19. ALINE

    Impressionante como isso acontece com frequencia!
    Farei a cirurgia de redução do estômago, pois estou sofrendo com hipertensão e gordura no fígado, e tenho participado de um grupo virtual onde várias mulheres tem relatado episódios de discriminação e mau atendimento durante a realização de exames médicos.
    Isso não pode ficar assim!

  20. Ana

    Gostei muuuiiito da resposta de Vitor Mattoso,parabéns,a luta pelo nosso espaço é dígna.Essa é a primeira vez que estou vendo esse blog,fiquei sabendo da existencia pelo programa de hoje da Super Nani,e estou achando ótimo,sou obesa e me identifiquei , como é bom ter com quem compartilhar nossas vivencias,encontrar sugestões,ver que existem roupas bonitas,enfim…um espaço para sermos femininas apesar de obesas!Gostei.

  21. Eu sou da opinião de que obesidade não faz nenhum mal. O que faz mal é sedentarismo, estresse e má alimentação. É um mito achar que se uma pessoa se alimentar bem e fizer atividade física, NECESSARIAMENTE ela será magra. Existem biótipos e não podemos ignorá-los. E também não podemos condená-los!

    Adorei a resposta do Vitor. Espero ver ele sempre presente no blog, muito interessante o projeto dele!

    Beijos gordos e saudáveis da Taís.

  22. sueli reis

    AO meu ver parece que os medicos estudaram para maltratar e humilhar as pessoas,no caso essa moça foi humilhada por ser gorda,em 2006 um médico humilhou minha mãe por ela estar muito magra,ela vinha sentindo dores fortes,ia aos médicos,eles pediam exames e não descobriam nada,detalhe isso foi na Bahia,minha irmã levou ela numa consulta particular,para ver se os médicos conseguiam diagnosticar o problema dela,ele disse q ela tinha problemas de estomago,e DISSE ” SE A SENHORA TIVESSE DINHEIRO EU GARANTO Q TE DEIXAVA NOVINHA EM FOLHA”esse medico alem de incapas de exercer a profissão,julgou minha mãe pelo seu estado físico,e não foi capaz de tentar descobrir oque ela tinha,bem resumindo minha mãe e minha irmã sairão arrasadas elaestar pela forma com que este profissional a tratou a trouxemos para são paulo para fazer tratamento e descobrir as causas dela estar perdendo tanto peso,Descobrimos aqui que ela estava com cancer em estado avançado foi muito bem tratada e muito bem acompanhada enquanto estava viva,existem profissionais bons e profissionais ruins,que são incapazes de olhar as pessoas que os procuram com carinho,se essa moça fosse cheia da grana ela seria bem tratada por essa péssima profissional,estes tipos de medicos não podem exercer essa profissão q é tão linda.

  23. eu já me preocupei muito com meu excesso de peso hoje eu me preocupo mais não muito..sem [ neura] rssrss,sempre fui magra,comecei a engordar faz uns 4 anos ,qdo entrei na menopausa hoje eu estou mais gordinha mais sou feliz,sou uma gg [grande e gostosa] rsssrsss, tenho 1.65 e peso 85 kg,faço caminhadas todos os dias evito massas e frituras enfim procuro ter uma vida saudável,mais sem me preocupar muito com os meus quilinhos a mais..sou feliz sou casada há 27 anos tenho um casal de filhos maravilhosos e um marido carinhoso e muito apaixonado portanto amigas [ bola pra frente e para de se sentir inferior[ somos lindas ,maravilhosas e ÙNICAS……….rssrss ame vc mesma do jeito que vc é…..bjs e fiquem com Deus…………..

  24. Luciana Verônica

    Oii minha querida , não é só com vc não , os médicos em geral (principalmente d convênios), estão em uma onde de exterminar pessoas obesas , pois dizem aumentar muito o gasto com hospital e afins , qualquer fim que vc vá ao médico se estiver acima do peso , será discriminada e nem sequer vão ouvi – la , já passei isto com dois médicos e como sou bocuda , eles falaram o que quiseram e ouviram o que pediram , fui ao médico para ver meu tornozelo pois torci em uma queda e estava fazendo fisioterapia , o médico que me tratava era um doce , mas como ele morreu o convênio me indicou outro , e ele me diz antes de qualquer coisa que eu era gorda e iria me indicar para o endocrinologista , e eu bem seca respondi ; não te perguntei nada sobre meu peso , isto eu discuto com meu nutricionista vc como ortopedista têm que se ater apenas com a sua parte e com o que eu estou lhe passando , meu corpo é problema meu e não seu , ele ficou doido e disse que era falta de respeito e frisei bem pra ele que tava pagando caro , que não era de graça a consulta e que se queria respeito que me respeitasse tb …. o outro foi um cirurgião plástico , precisava tirar um nódulo que me apareceu nas costas e ele disse que era estético , acontece que eu já havia feito todo procedimento e necessitava tirar e fazer biopsia e havia sido indicação da dermatologista que passo a mais de 4 anos , ele bem nervoso disse que eu deveria ir procurar um nutricionista e não um cirurgião , e eu disse que ele deveria virar gente para depois atender em hospital , este caso virou uma briga terrível , um processo e ele foi suspenso durante 2 anos de atuar como médico e foi indicado a ele tratamento psicológico , sempre tive sobrepeso , mas nunca tive doença nenhuma ligada a questão do peso , me exercito , faço parte de um grupo de obesidade e tudo mais , mas as pessoas acham que gordo não é gente , que é relaxado , eu já fiz tudo e o que me mantei “na linha” é dieta constante e exercícios físicos , lamentavelmente a coisa ta ficando pior a cada dia …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s