Para afastar gordas, loja se recusa a fazer roupas largas

Por Renata Poskus Vaz

A matéria abaixo foi extraída na íntegra da Época Negócios. Gostaria de salientar que o caso retratado na matéria, em que lojas não ampliam suas grades pois não querem ver pessoas gordas (leia-se feias, sim porque eles acham o gordo feio) usando suas roupas, é comum no Brasil também. Acredito que as marcas tenham o direito de fabricar para quem eles quiserem e que não são obrigados a vender tamanhos maiores, porém é interessante observar a visão que eles tem de nós, gordas.

Confiram:

abercrombieefitchSe você estiver acima do peso, você não é uma consumidora em potencial para a Abercrombie & Fitch. A empresa, para evitar que sua marca seja levada por mulheres gordas, nem sequer fabrica roupas nos tamanhos G e GG. A estratégia foi explicada no livro The New Rules of Retail (As Novas Regras do Varejo, em tradução livre) pelos autores Robin Lewis e Michael Dart.

A calça mais larga da Abercrombie tem tamanho 10, enquanto a concorrente H&M tem peças até o tamanho 16, e a American Eagle, até 18. Esta é uma atitude tomada por Mike Jeffries, CEO da empresa, para que a marca só seja usada por pessoas “bonitas”.

“Ele não quer que pessoas gordas comprem em sua loja. Ele quer pessoas magras e bonitas. Ele não quer que seus principais consumidores vejam pessoas que não são tão bonitas quanto eles usando as roupas”, explicou Lewis, autor do livro, ao Business Insider.

A posição da empresa já havia repercutido em 2006, quando o CEO deu uma entrevista ao site de notícias Salon. “Em toda escola há adolescentes que são legais e populares, e há aqueles que não são tão legais. Nós estamos atrás dos legais. Nós vamos atrás de todos os adolescentes atraentes com muita atitude e muitos amigos. Muitas pessoas não pertencem às nossas roupas, e elas nem podem pertencer. Nós somos excludentes? Absolutamente”, afirmou o executivo, pouco incomodado em perder consumidores. Ele defende que as outras companhias, que possuem numerações maiores em suas araras, se complicam ao tentar atingir todo o tipo de consumidor. “Você se torna totalmente comum. Você não exclui ninguém, mas você também não empolga ninguém”, disse.

26 Comentários

Arquivado em Para Refletir

26 Respostas para “Para afastar gordas, loja se recusa a fazer roupas largas

  1. Eles tem direito de atingir o público que quiserem, mas, nessa reportagem existente um paradigma, que acredito que precisa ser quebrado: DE QUE TODO MAGRO É BONITO E TODO GORDO É FEIO. Isso sim que é ridículo! Pq nem sempre é verdadeiro.

  2. Thays

    É por isso que o mundo tá tão cheio de ódio, indiferença, desrespeito, por causa de pessoas com esse tipo de pensamento, lamentável..

  3. Aaaaaa tem muita gente magra e feia, muita mesmo, até brega que nem sabe combinar roupa.. Não tem nada a ver isso… Essas pessoas estão desinformadas. Eles tinham que falar que gente feia não entra na loja né. Deveriam colocar seguranças e uma analistas na porta de cada loja.. Queria ver pra quantas pessoas eles iam vender hein e se iriam continuar com esse conceito duvidoso de beleza. rsrsrsrs

  4. Ayme Businhani

    É uma pena as pessoas pensarem dessa forma, realmente eu tenho pena. E espero encarecidamente que o CEO da A&F venha passar lindas férias no Brasil, de preferência na época da copa do Mundo para descobrir que a marca dele, que somente deveria ser usada por pessoas LINDAS E PERFEITAS, caiu nas graças dos vidas lokas e afins =DDD séria cômico se não fosse trágico, assim como a humilde decisão e opinião dos mesmos. Mas não se enganem gordinhos e gordinhas do meu Brasil, não estamos muito longe desse tipo de preconceito, conheço lojas brasileiras que são exatamente assim.

    • Nathalie

      Super concordo com você, Ayme! Queria que este CEO desse uma volta em alguns bairros de São Paulo e visse as pessoas “bunitas” que usam A&F (original ou nem tanto…).

      É muita estupidez da marca associar sobrepeso e obesidade a pessoas feias, mas fazer o quê?? Tem gente ignorante para tudo neste mundo. É por isso que está a bosta que está 😦

      • Nathalie

        Renata, desculpe-me pela palavra de baixo calão aqui no blog, mas não consegui pensar em palavra melhor.

  5. Pior que isso é grife brasileira que só faz tamanhos grandes não querer que gordas tirem fotos para os seus catálogos.

  6. Diana

    Não me troco por muitas magrinhas que além de horrorosas ainda tem mal gosto pra se vestir……….Quem disse que sou feia por ser gordinha feia são essas roupas que não vestem bem só servimos de outdoor…………

  7. Sandra

    Eu acho que a colocação da reportagem tem tom malicioso. O fato de a empresa delimitar para quem quer produzir roupas não a torna preconceituosa por isso. Basta vermos as roupas da moda surf…alguma de vcs já conseguiu comprar algo nessas lojas do seu tamanho? Os biquínis são pp, short, calças, blusinhas, td super pequeno, pq é direcionado para um público que pratica o surf a na sua maioria são meninas magrinhas. Eu adoraria q fizessem roupas em tamanho maior, mas será q as vendas seriam as mesmas. As empresas investem dinheiro no q elas julgam q lhes dará retorno. Outra, tenho camisetas e camisas da Abercrombie & Fitch e eles fabricam SIM alguns modelos em tamanho G e GG.

  8. Carol Fernandes

    Marcas para gente magra é normal. Acho otimo eles avisarem…assim nem perco tempo entrando lá. Ja entrei em loja querendo uma roupa pq uma atriz GORDA usou e pedi…simplesmente não existia…perdi um tempão indo lá. Prefiro mesmo que avisem!!! Meu tempo é precioso.

  9. Gente o que é ser normal? Quem realmente pode se julgar normal!! E muito bom se sentir elegante mas para isso não precisamos vestir manequim 36 a beleza a elegância está no seu interior e se espelha no seu exterior confira eu 45 anos 170 120 kg me amooo

    http://fofocasdebeleza.blogspot.com.br/2013/05/look-inspiracao-do-dia-unhas-frou-frou-2.html?showComment=1368071901405#c1429975617542394263
    bjks

  10. Laura Muniz

    lamentável!

  11. Caroline®

    Não me espanta em nada. A Abercombie é bem radical nas táticas pra delimitar seu público-alvo. Por exemplo, eles chegaram a oferecer dinheiro pros participantes do Jersey Shore (pra quem não conhece, um reality americano da MTV estrelado por “personagens” equivalentes aos pitboys, panicats, mulheres-fruta e BBBs do Brasil) NÃO usarem as roupas da marca. Segundo a loja, estavam queimando o filme da Abercrombie, voltada para playboys e patricinhas.

  12. Paula Regina

    Creio que o que incomoda, ou deixa as consumidoras GG aborrecidas, não é o fato da loja ser exclusivista, o que, afinal, é de direito dela, e sim o fato de associar magreza à beleza, e que, alusivamente, vem carregado de preconceito (sugerir que beleza é estar magra; que sucesso é estar magra etc).
    Por esse prisma eu concordo com o comentário da Sandra, que muito assertivamente colocou sobre lojas de roupas para surfista/atletas. Seria preconceito supor que atletas ou desportistas são enxutos e com numeração de roupa baixa? Para meu olhar, de maneira alguma.
    Tenho pena é da Abercrombie, que nunca verá a cor do meu dinheiro ou do meu cartão de crédito.
    bj grande.

  13. Divas,
    Quando morei no Canadá, fiquei doida pra dar um pulinho em Seattle e comprar na loja da A&F mas não deu e acabei comprando itens da American Eagle e da Roots. Quando voltei ao Brasil, respirei aliviada de não ter comprado A&F porque os camelôs do bairro estavam vendendo essa marca. Vocês acham que eu vou me desvalorizar a tal ponto? hahaha Só pra vocês saberem, eu amei a Roots e a American Eagle; achei o meu tamanho nas duas, em peças que eu escolhi (e não as que sobraram), e fui super bem atendida.

    Não me sinto ofendida mas acho uma baita duma burrice estratégica. Sou gorda e sou bonita. Como maquiadora, aprendi a apreciar a diversidade na beleza e tenho olho apurado para o que é belo. Agora é bom mesmo que as marcas Plus Size comecem a mostrar suas criações em modelos plus sizes tb. Ninguém acredita numa marca para gordas que expõe seus produtos em modelos magras.

  14. Airan

    Se essa dita empresa queria ibope em relação a essa ridicularidade , ela conseguiu.. Parabéns!
    Mas que observe que a empresa que investir em roupas de tamanhos G e GG ganhará bem mais que ela..
    Pois sabemos que há dificuldades em encontrar roupas legais e que nos faça nos sentir bem vestindo.
    Ser gordinha na maioria das vezes não é opção, acho que no minimo deveriam ter total respeito.

  15. Esse tipo de pensamento deixa a gente indignada! Também acho que cada marca tem o direito de direcionar seu público alvo como quiser, mas a maneira como esse pessoal expõe seu ponto de vista dá nojo.
    Bjus, vem me visitar: ape63.wordpress.com

  16. Suzelei de Moraes

    VAMOS SAIR PELADONAS POR AÍ, QUE VS ACHAM??????

  17. Indignada

    Falar o quê da Abercrombie & Fitch, né? Sempre que vejo alguém usando essa marca sei que é filhinho de papai mimado e superficial, que comprou pelo nome da etiqueta e não pela peça. Pq, sério, a marca nem mesmo se dá o trabalho de ambicionar fazer moda-arte, é golinha pólo e moletom de cima a baixo.

  18. keathlleynn

    Realmente isso é um absurdo eu concordo com juliana polarini e na m.inha opiniao tem varios gordos bonitos no mundo do q magro algums magros podem ate ser um pouco bonitos mais uma loja dizer q so vende para magros isso e um absurdo se forem a sim vao perde a loja? Q loja tem q vender para qualquer pessoa magro alto gordo baixo… Essa e a primeira vez q vejo um absurdo desse..?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s