As mal comidas x as mal casadas

Por Renata Poskus Vaz

Outro dia li um texto pela net, em que uma mulher defendia que preferia ser solteira do que casar com qualquer um só para dizer que não ficou para titia. Aquilo me intrigou, porque é óbvio que é preferível ser solteira do que casar com um “zero a esquerda”, mas há a possibilidade também de conhecer um “zero à direita”.

Nem todo mundo que casa cedo, ou com um cara que conhece a pouco tempo, fez um péssimo casamento. Conheço muitos casos de casais que tinham tudo para dar errado, por divergência de comportamento, pouca convivência e até mesmo um casamento celebrado às pressas por causa de uma gravidez não desejada, porém, estão aí, firmes, fortes e apaixonados.

O casamento pode ser maravilhoso, cheio de bossa e iê iê iê. Nunca casei, mas tenho fé, escuto testemunhos de pessoas próximas.

Por outro lado, também não é difícil encontrar senhoras casadas chamando solteiras de “mal comidas”, como se o fato de uma aliança no dedo garantisse uma vida sexual ativa para alguém. Eu sempre me pergunto isso. Como pode uma mulher que se diz bem casada, com filhos, perder tempo ofendendo solteiras por aí? Será que ela é bem casada de verdade? Algumas dessas casadas agem como se fossem seres superiores por terem um marido e acham as solteiras menos mulheres por não terem conseguido ainda um marido, ou simplesmente por terem optado em viver na solteirice.

Se fôssemos resumir nossa existência ao sexo, de fato teríamos 3 tipos de solteironas:

  • As que não transam porque não querem (sim existem as celibatárias!), ou porque não conseguem um parceiro que consideram à sua altura;
  • As que são mal comidas (sim, porque ninguém transa sozinha, e na solteirice você nunca sabe se o gato com quem vai começar a se relacionar, é um fusquinha ou uma ferrari e nem sempre vocês tem como chegar à um entendimento na cama, se o envolvimento é passageiro);
  • As bem comidas aquelas que tem um namorado, parceiros fixos ou eventuais e que transam de vez em quando, ou muitas vezes, várias vezes… Ui

E ainda há uma quarta solteira, a que consegue ser não comida, mal comida e muito bem comida… Tudo junto, porque a vida é uma caixinha de surpresas. 😉

Ah, e tenho um segredo. Existem também 3 tipos de casadas, quando nos referimos a sexo. E quer saber de uma coisa? Ela também pode ser mal comida, bem comida ou nunca ser comida. Ou tudo isso junto! E as que saem causando contra as solteiras, quase sempre transam uma vez por ano e ainda engravidam neste único e santo dia de bimbadinha e ainda ficam felizes, porque podem continuar fingindo ter uma vida sexual ativa e fazendo piadas com as solteiras (Beijo no ombro, Rê).

 Enfim, o que eu queria mostrar é que vocês, mulheres, são muito machistas consigo mesmas.  Madre Teresa de Calcutá não era casada, nem trepava e ainda assim era muito mais evoluída do que eu e vocês juntas. Ou seja, o que te define como ser humano não é quantas bimbadas por dia você dá ou se não dá, se tem um boy fixo, um amante, um boy que te enfiou uma aliança no dedo e te chama de “minha fêmea” , ou se você tem uma mulher, ou se tem vários parceiros ou se não tem ninguém.

Cuide menos da vida da pepeca alheia e cuide mais do seu interior!

p.s: sei que usei umas palavras e expressões chulas que não costumamos usar neste blog. Mas é justamente assim que as solteiras e casadas andam se comportando por aí.

14 Comentários

Arquivado em comportamento

14 Respostas para “As mal comidas x as mal casadas

  1. Cleide

    Cuidar da vida sexual dos outros é deixar claro que na sua não rola nada!
    Adorei Rê! Tenho sorte de não conhecer esse tipo de gente tão preocupada com a vida alheia.

  2. Carolina Lages

    Caramba, isso é tão relativo.
    Eu acho que é uma questão de amor próprio e segurança.
    Eu já fui muito bem comida por uma pessoa que me deixava com a estima no chão e muito mal comida por um ser que me fazia sentir o máximo.
    O melhor, é claro, é unir o útil ao agradável e ser bem comida, sempre, por alguém que faça a diferença na sua vida.
    Porque gente mal amada (principalmente por ela mesma) é um porre.
    Mas sexo e casamento é bem relativo e não é segurança de nada.

  3. Luciana Bulhões

    Bem dito Carolina Lages, casamento não é segurança pra nada, muito menos para sexo…porque muitas vezes nos temos em casa é um fusquinha.

  4. Sthefânia

    Realmente é tudo relativo nesta vida…Não tem receita, temos que nos jogar para ver no que vai dar. Eu namorei meu marido 3 meses, nos casamos, ninguém acreditou que fosse dar certo e olha nós ae, indo ao sétimo ano juntos. Agora, uma pessoa criticar a vida sexual alheia é atestado que a sua não anda nada bem…Porque somos obrigadas a casar e termos filhos? Quem disse que isso é sinônimo de felicidade e realização? Posso optar em me manter solteira e ser tão realizada quanto uma mulher casada. Posso tb não querer ser mãe e ter outras ocupações que me deixem tão feliz quanto. Não rotulemos nada nesta vida, pois cada um sabe onde aperta seu calo, o que te faz ou não feliz mas a questão é, se você tem coragem ou não de assumir seus desejos e vivê-los.

  5. flavia

    as vezes um zero a esquerda pode ser um dez a direita ,mas também pode ser um a bomba relógio nas suas mãos. Mas quem arrisca não petisca,cada cabeça uma centensa.

  6. Paula Regina

    Renata, ô cronica para um baita debate, hem?!
    Conheço uma mulher que, a despeito de ser a única que ainda não havia se casado na família, juntou-se a um cretino psicopata só para não carregar o dedo apontando-a de solteirona.
    Passou 5 anos amargando um relacionamento onde ele não atendia como provedor, colaborador e bom pagador e ainda “chupinizava” a família dessa mulher, já que, não pagava 1 conta sequer.
    Ou seja: trocou sua solterice promissora (tinha um empregaço antes de casar, carro e casa) por um status que a levou à ruína só para, atualmente, dizer que é separada e não solteira.

    Bem ou mal, aprendi, com essa história acima, que a sociedade cobra mesmo que mulheres bem sucedidas, amadas e resolvidas devem ter parceiro fixo e aliança no dedón, porque se isso não ocorre as maledicentes logo criticam e apontam línguas venenosas.

    bjks Renata.

  7. Taniah

    Rá! Amei! Falou tudo!!!

  8. “O casamento pode ser maravilhoso, cheio de bossa e iê iê iê. adorei essa parte, disse tudo, não sou casada mas pretendo me casar logo, logo..
    meu pensamento, não podemos viver a vida dos outros, não podemos achar que fulano é melhor ou pior do que o alfa kkk, podemos buscar o nosso caminho e tornar ele maravilho, cheio de ie iê iê, como vc disse…
    o tempo não eh nosso, iremos encontrar a pessoa certa no tempo certo e com isso nao podemos julgar ninguém, casar não casar, fazer ou fazer a opção é nossaaa, então se alguém não concorda com seus atos, cabe vc perguntar a pessoa q esta com vc ou a vc mesma se esta te fazendo FELIZZZZZ..
    vamos viver o nosso… vamos regar nossa grama….
    lembra a grama do viszinho sempre esta verde…
    lembrete: Esse vizinho pode ser VC!

  9. “O casamento pode ser maravilhoso, cheio de bossa e iê iê iê. adorei essa parte, disse tudo, não sou casada mas pretendo me casar logo, logo..
    meu pensamento, não podemos viver a vida dos outros, não podemos achar que fulano é melhor ou pior do que o alfa kkk, podemos buscar o nosso caminho e tornar ele maravilho, cheio de ie iê iê, como vc disse…
    o tempo não eh nosso, iremos encontrar a pessoa certa no tempo certo e com isso não podemos julgar ninguém, casar não casar, fazer ou fazer a opção é nossaaa, então se alguém não concorda com seus atos, cabe vc perguntar a pessoa q esta com vc ou a vc mesma se esta te fazendo FELIZZZZZ..
    vamos viver o nosso… vamos regar nossa grama….
    lembra a grama do vizinho sempre esta verde…
    lembrete: Esse vizinho pode ser VC!

  10. O tempo passa, mas parece que não muda. Parece que estamos na época das nossas bisavós: se vc não é casada, não tem filhos, então não pode ser bem resolvida. E se for “bem” resolvida, ganha vários nomes. O mesmo ocorre com a outra situação: se vc casou e teve filhos, tem que ser frustrada.

  11. Valter Sanches

    Olhem meninas a minha visão é do outro lado da estória. E na minha opinião vocês não tem que se preocupar em casar ou continuar solteiras. Dar uma boa bimbada ou não, aqui ou ali com quem desejar. O mais importante ao meu ver é ser vocês mesmas. Se sentirem felizes da maneira que acharem melhor. Com anel no dedo ou não. Se tiver um parceiro que as completem, aproveitem e gozem muito. Casados ou não. A sociedade que vá tomar …. Lembrem-se: A vida é de vocês. A sociedade não paga as suas contas. O importante é amarem e serem amadas. Da forma que acharem melhor.

  12. Sandra

    Dou graças por me encaixar no terceiro tipo de solteira! UI!!

  13. Lendo o post, só pensava em como a sociedade impõe regras e julga. Algumas pessoas fazem qualquer coisa só para não ficar solteiras. Casamento pode ser uma experiência maravilhosa, desde que seja algo sincero e não para cumprir regras.

    Genial o comentário sobre a Madre Teresa!!!

  14. Sabrina

    Eu me casei sendo mal comida, e quando lembrava da época de solteira, como muitas opções,me sentia com vontade de pular a cerca, mas juntei minha experiência com a vontade do meu marido de fazer, e hoje ele come super beeem!!!!! e pra solteiras q não tem um fixo ainda, aproveitem, pq dps q casa vc so vai ter o msm tamanho, gosto…mas o prazer pode ser de vrs maneiraaaas!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s