Vendo faixa de Miss Plus Size. Tratar aqui!

Por Renata Poskus Vaz

Miss Traga Plus Size, Miss Quece Plus Size, Miss Culhamba Plus Size, Miss Treça Plus Size… Escolha aqui a sua maravilhosa faixa de Miss Plus Size! Escolha a sua categoria, o tema, a cidade, com ou sem glitter! Baratinha, Baratinha!

É isso aí, minha cliente, você compra a sua faixa, já sai com ela pendurada no pescoço e eu ainda te dou o direito de dizer que a conquistou esse título por seu maravilhoso trabalho junto ao segmento plus size. Afinal, não é todo mundo que tem um público de seguidores tão grande assim: sua mãe, seu pai, seus oito irmãos… Uma legião!

Só não demore, cliente. Compre logo. Ou vendo para outra. O que não falta aqui é gorda sedenta por faixa.

Eu sei, parece cômico. Mas é quase isso que acontece por aí. Antes de mais nada, esclareço que existem produtores de eventos muito bons no segmento plus size, que realmente vestem a camisa, que organizam competições sérias e não saem distribuindo faixas por aí, sem critério. Os bons, graças a Deus, são maioria. Mas há uma meia dúzia que insiste em sair comercializando ou cedendo com interesses pessoais faixas de Miss para meninas que podem até ter talento, mas que são um tanto quanto despreparadas. Dificilmente essas garotas conquistariam prêmios logo de cara, se submetessem às competições de concursos sérios.

Soltas por aí com suas faixas compradas/dadas não se portam adequadamente, algumas acabam prejudicando o trabalho de quem se dedica muito e defende com profissionalismo essa área.

A necessidade atual de ter uma faixa de Miss é como a do passado, em que as gordinhas queriam ser modelo plus size a todo custo. Vocês se lembram (ainda acontece, né?)? Antigamente, toda gordinha queria ser modelo plus size para esfregar na cara da sociedade o quanto era boa, linda e poderosa. E faziam qualquer coisa para realizar esse sonho, desde trabalhar de graça até pagar para trabalhar, ou até fingir que um simples book era de fato um trabalho para alguma grife. Hoje há uma nova versão da gordinha modelo. É a gordinha Miss. Já não basta fazer um trabalho como modelo, ela precisa ostentar transpassada em seu corpo uma faixa cheia de brocados, nem que seja de uma cidade que ela nunca ouviu falar na vida.

Eu me recordo de uma situação interessante em um famoso concurso (olha a fofoca!!!). Uma das vencedoras do concurso de beleza era escolhida entre as próprias candidatas. Ou seja, as candidatas à Miss escolhiam uma das amigas concorrentes para ganhar um dos títulos. Minutos antes da votação, uma das candidatas passou a chorar e usar seu latim convencendo as amigas do quanto aquele título era importante para ela. Chorou, soluçou, falou com cada uma das candidatas. Uma amiga querida e muito próxima que participou daquele concurso, me disse: “Renata, eu pensei que se não votasse nela, ela iria se matar, morrer… Fiquei com dó”. E ela não foi a única que me disse isso. A candidata conquistou sua faixa por dó, piedade das amigas e não porque era realmente merecedora do título. Mesmo assim, a garota subiu ao palco sorrindo e mandando acenos, como se tivesse conquistado de forma justa aquele prêmio. Essa impressão nunca deixa as pessoas. Não adianta tentar ludibriar porque a verdade sempre vem à tona e o merecimento daquela faixa, mais cedo ou mais tarde, sempre será questionado.

O prazer de carregar um título todas querem, mas nunca vi uma Miss Plus Size fazendo um trabalho voluntário (inclusive minhas amigas pessoais que já ganharam títulos, acho que a única que fez algumas ações do gênero foi a Babi Monteiro). Não, eu também não faço nada para ajudar ao próximo e não me orgulho disso. Mas na história dos concursos de Miss sempre esteve muito claro esse objetivo de ajudar ao próximo. E se as Miss Paçoca me disserem: “ah, mas mostrando minha beleza estou ajudando outras mulheres a se aceitarem”. Não, não é verdade. Mostrando sua beleza você está valorizando seu passe para trabalhos como modelo no futuro. Você está ajudando a si mesma, apenas. 

A obsessão pela faixa é como a obsessão pela autoestima perdida. Mas a autoestima não está fora de você. Não adianta forçar isso. Ela tem que estar dentro e se não está, ser Miss não é a melhor forma de tentar reencontrá-la. Afinal, mesmo que falsa, um dia você terá que passar sua faixa e deixará seu ilusório título. Ou então, comparecerá a um evento e verá outras dezenas de gordas com faixas de Miss Paçoquinha, como a sua. Se você queria ser única, voltará a se sentir comum no mundo das faixas de gorda.

Curto concursos sérios e acho bacana quem se inscreva neles e prefira o risco de ser perdedora em um concurso real, do que a certeza de ser vencedora de um título de brincadeirinha.

Hey, antes que coloquem meu nome na boca do sapo, deixo bem claro que este texto não é para alguém em especial. É para todas nós e que sirva de reflexão.

Update: Pouco antes de postar esse texto aqui no Blog Mulherão, eu havia tido uma discussão em um post de uma carioca chamada Ingrid Gomes. Ela postara uma faixa recebida de um organizador de concursos locais, que a nomeou “hous concours” (é assim que se escreve?) e eu questionei essa distribuição indiscriminada de faixas.

Rolava uma patadinha aqui, outra ali, mas todo mundo, dentro do possível, debatendo numa boa.

O bate-papo rolou a madrugada toda e se estendeu até hoje, na página de outra menina que também é dentetora de uma faixa (leia aqui) Lá, deixei bem claro para ambas que meus questionamentos não era algo pessoal, que existem muitas mulheres na mesma condições que elas (com faixas dadas/compradas/presenteadas sem concorrência), que eera um apontamento genérico e que eu estava apenas apurando e comentando o que minhas leitoras me descreviam. Enfim, a resposta de Ingrid Gomes:

renata poskus

Como disse para Ingrid, essa resposta ficaria aqui até ela reconhecer que atingir a honra/religião de alguém é um crime previsto em lei. As pessoas podem questionar meu trabalho, mas jamais minha honra e tampouco zombar de minha religião que é sagrada e protegida por Deus e pela Lei.

Em nenhum post meu, nem mesmo nos mais acalorados, ofendi o ser humano Ingrid Gomes. 

16 Comentários

Arquivado em Concurso

16 Respostas para “Vendo faixa de Miss Plus Size. Tratar aqui!

  1. Carla

    Achei interessante o texto, me pego pensando em como serão respeitadas se cada uma tiver uma faixa de um concurso diferente. Infelizmente pelo pouco que conheço do meio as pessoas querem tirar proveito mesmo, lucrar em cima das gordas. E só tenho convicção do que escrevo porque escutei um dos envolvidos em um concurso de miss, que ele estava lá só pelo dinheiro, e depois da cara feia que a mulherada olhou para ele, ele tentou amenizar que também queria realizar sonhos. Acho que esses títulos de miss tem mais gosto de esfregação na cara das magras, que é gorda e é miss do que, vamos ajudar as gordinhas a serem respeitadas.

  2. Carolina Lages

    Eu juro que não entendo essa obsessão que tomou conta das gordinhas e faz com que algumas se submetam a situações constrangedoras por um título que não quer dizer nada!!!
    Algumas gastando $ que não tem e não desistem nunca.
    Sério, quer alguma coisa pra melhorar a estima, investe na terapia, porque a faixa não vai mudar porra nenhuma. Experiência de miss 😉

  3. Flavita

    Curti mil vezes… te conto até o preço que me cobraram aqui no RJ (eu não busquei o serviço, ok? Me ofereceram). O q mais gostei foi q me cobraria a passagem até a cidade (na qual não moro, mas meu pai tem casa). Tudo aconteceria desde q eu arrumasse o local para a cerimônia de posse do meu título pseudo-conquistado, daí eu tiraria mts fotos com a coroa e a faixa pelas quais eu teria pago. E o senhor tão gentil q me teria vendido, as colocaria no seu super badalado site (#sqn)
    #euri #rimtalto #euodeiogtsemnoção

    E para as amigas q acham q sou marrenta, reclamona e polêmica, reitero o q vc disse: “curto concursos sérios e acho bacana quem se inscreva neles e prefira o risco de ser perdedora em um concurso real, do que a certeza de ser vencedora de um título de brincadeirinha”.

  4. Carla Mirwa

    Falar mais oque!?
    Tem que ser muito fora da caixinha pra acreditar ser “fora de série” com a cara mais comum que a Gina!
    Ah!
    Antes que eu me esqueça…quanto sai a faixa Miss Maléfica!?
    Dá desconto se eu comprar junto a de Miss Pepeca Pluss Size!?
    Parcela no cartão!?
    Adooooro quando aparece esses posts para situar a mulherada, e me incluo dentro dessa!

  5. Luciana Correia (Jundiaí)

    kkkk… Concordo… E eu que definitivamente não faço parte desse mundo plus size (só da gordolândia) um dia desses me deparei com um “miss” de outro estado, me pedindo para ser add em meu face. Não aceitei, mas sequer me preocupei em dar alguma justificativa. Só não aceitei… Pra minha surpresa dias depois estava lá o novo convite… Não aceitei, mas por fim tive é muita pena. Alguém que poderia ter várias pessoas pedindo sua honrosa presença (é, fui irônica) no perfil de qualquer um, sai dando tiros (convites) pra todos os lados, só pra ter quantidade de seguidores, admiradores, “idiotores”… Enfim… No fundo (não tá lá no fundo) isso é falta de autoestima… Precisam ter algo (faixa, amigos, blábláblá) para se sentirem lindas e descoladas… Algo que pelo jeito nem elas tem certeza… 🙂

  6. Manuela Reis

    poisé, chega a ser ridículo a maneira que essas meninas e mulheres se auto intitulam ” modelo plus size” .
    tem cada uma que é inacreditável. falta bom senso total! enquanto meninas lindas e com talento estão esperando por oportunidades no meio, vemos mulheres FEIAS, BARANGAS, SEM CLASSE, desvalorizando o segmento PLUS SIZE.

  7. Cleide

    Infelizmente essa é a nova realidade do RJ e até meninas que não precisavam acabaram comprando. Não me ofereceram faixa, mas ofereceram para algumas amigas, sim algumas! Até como Miss bairro!
    O ruim é o vendedor se apresentar usando o nome de um organizador conhecido.

    • Flavita

      “Sou primo do Fulano. Qual é o seu bairro?”
      “Jacarepaguá”
      “Não gostaria de ser a miss Jacarepaguá?”
      “Amigo, mas a Fulana tb mora lá. Não tem de haver um concurso?”
      “Não, conheço uma pessoa que em 3 dias me entrega faixa e coroa por XXX reais. Marcamos um dia, um lugar em que possa ser coroada e pronto, será a miss Jacarepaguá. Tb preciso q pague meu deslocamento até o Rio de Janeiro, já q moro em Maricá”.
      “Ok, vamos amadurecer a ideia. Preciso ir, depois nos falamos”. /

  8. infelizmente acho que o mercado criou essa busca por faixas de miss. Já reparou quantas modelos vocês conhecem que não ganhou um concurso desse? Pois é. parece que o mercado da “moda” só dá oportunidade para modelos novas se elas ganharem algum concurso de miss.

    Como vc disse… antes todo mundo queria ser modelo plus né? A busca não mudou… todas querem ser modelo plus, mas acham que só vão conseguir se tiverem um “titulo”.

    Sou modelo, fiz cursos, me especializei e ainda busco especialização.. Em uma ano de carreira apenas duas marcas tiveram interesse em me contratar e apenas uma me contratou. Isso porque fiz mídia e tenho um blog o que me torna mais visível para o mercado, Enquanto algumas misses que nunca fizeram nenhum curso, mas ganharam o concurso foram “contratadas” pra no mínimo 10 trabalhos…

    Conheço modelos que a agencia obrigou a participar desses concursos para ter destaque, e olha que a menina dá de 10 em muita miss por ai.
    Não vou ser hipócrita eu mesma me inscrevi em um concurso esse ano pra tentar ter mais visibilidade.

    Enquanto a modelagem não for vista como um trabalho sério para o mercado só vão aparecer mais e mais pessoas com esses concursos .

  9. Achei o texto muito interessante para que as meninas pensem melhor. Já fui chamada para concursos, pagantes ou não, porém como modelo e psicóloga fico triste ao ver tantas mulheres com baixa auto estima por imposição de padrões sociais. Mas isso não acontece só no mundo Plus não, é generalizado. O fato de estar na mídia, estar em voga, no foco ou o que seja, é o que faz com que as pessoas busquem esse tipo de concurso. Assim como ex BBB ninguém sabe sobre as “Misses” do Brasil, sejam elas Plus ou não. Só mais uma vez defendo que o termo “gordo” ou “gorda” é sempre utilizado de forma pejorativa e preconceituosa, Odeio o termo e não propago!

  10. GENTE!!! morria e não sabia q tu era do babado! já curtia, agora mais ainda! #gentedobabado #adoroooo

  11. sharon fanny

    Ah vá….gente que não sabe argumentar sem ser preconceituoso!!!Santa ignorância!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s