Arquivo do mês: fevereiro 2014

Procuro paulistana que esteja triste por ser gordinha

Por Renata Poskus Vaz

Meninas, preciso da indicação de uma mulher para uma matéria para a TV.

1) Paulistana

2) Acima do peso

3) Com dificuldades para encontrar roupas do sue tamanho

4) Que esteja infeliz/ depressiva

5) Que já tenha feito de tudo para emagrecer e que mesmo assim ainda não se aceita gordinha.

Enviar foto, telefone e história de vida para blogmulherao@gmail.com

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Vendo faixa de Miss Plus Size. Tratar aqui!

Por Renata Poskus Vaz

Miss Traga Plus Size, Miss Quece Plus Size, Miss Culhamba Plus Size, Miss Treça Plus Size… Escolha aqui a sua maravilhosa faixa de Miss Plus Size! Escolha a sua categoria, o tema, a cidade, com ou sem glitter! Baratinha, Baratinha!

É isso aí, minha cliente, você compra a sua faixa, já sai com ela pendurada no pescoço e eu ainda te dou o direito de dizer que a conquistou esse título por seu maravilhoso trabalho junto ao segmento plus size. Afinal, não é todo mundo que tem um público de seguidores tão grande assim: sua mãe, seu pai, seus oito irmãos… Uma legião!

Só não demore, cliente. Compre logo. Ou vendo para outra. O que não falta aqui é gorda sedenta por faixa.

Eu sei, parece cômico. Mas é quase isso que acontece por aí. Antes de mais nada, esclareço que existem produtores de eventos muito bons no segmento plus size, que realmente vestem a camisa, que organizam competições sérias e não saem distribuindo faixas por aí, sem critério. Os bons, graças a Deus, são maioria. Mas há uma meia dúzia que insiste em sair comercializando ou cedendo com interesses pessoais faixas de Miss para meninas que podem até ter talento, mas que são um tanto quanto despreparadas. Dificilmente essas garotas conquistariam prêmios logo de cara, se submetessem às competições de concursos sérios.

Soltas por aí com suas faixas compradas/dadas não se portam adequadamente, algumas acabam prejudicando o trabalho de quem se dedica muito e defende com profissionalismo essa área.

A necessidade atual de ter uma faixa de Miss é como a do passado, em que as gordinhas queriam ser modelo plus size a todo custo. Vocês se lembram (ainda acontece, né?)? Antigamente, toda gordinha queria ser modelo plus size para esfregar na cara da sociedade o quanto era boa, linda e poderosa. E faziam qualquer coisa para realizar esse sonho, desde trabalhar de graça até pagar para trabalhar, ou até fingir que um simples book era de fato um trabalho para alguma grife. Hoje há uma nova versão da gordinha modelo. É a gordinha Miss. Já não basta fazer um trabalho como modelo, ela precisa ostentar transpassada em seu corpo uma faixa cheia de brocados, nem que seja de uma cidade que ela nunca ouviu falar na vida.

Eu me recordo de uma situação interessante em um famoso concurso (olha a fofoca!!!). Uma das vencedoras do concurso de beleza era escolhida entre as próprias candidatas. Ou seja, as candidatas à Miss escolhiam uma das amigas concorrentes para ganhar um dos títulos. Minutos antes da votação, uma das candidatas passou a chorar e usar seu latim convencendo as amigas do quanto aquele título era importante para ela. Chorou, soluçou, falou com cada uma das candidatas. Uma amiga querida e muito próxima que participou daquele concurso, me disse: “Renata, eu pensei que se não votasse nela, ela iria se matar, morrer… Fiquei com dó”. E ela não foi a única que me disse isso. A candidata conquistou sua faixa por dó, piedade das amigas e não porque era realmente merecedora do título. Mesmo assim, a garota subiu ao palco sorrindo e mandando acenos, como se tivesse conquistado de forma justa aquele prêmio. Essa impressão nunca deixa as pessoas. Não adianta tentar ludibriar porque a verdade sempre vem à tona e o merecimento daquela faixa, mais cedo ou mais tarde, sempre será questionado.

O prazer de carregar um título todas querem, mas nunca vi uma Miss Plus Size fazendo um trabalho voluntário (inclusive minhas amigas pessoais que já ganharam títulos, acho que a única que fez algumas ações do gênero foi a Babi Monteiro). Não, eu também não faço nada para ajudar ao próximo e não me orgulho disso. Mas na história dos concursos de Miss sempre esteve muito claro esse objetivo de ajudar ao próximo. E se as Miss Paçoca me disserem: “ah, mas mostrando minha beleza estou ajudando outras mulheres a se aceitarem”. Não, não é verdade. Mostrando sua beleza você está valorizando seu passe para trabalhos como modelo no futuro. Você está ajudando a si mesma, apenas. 

A obsessão pela faixa é como a obsessão pela autoestima perdida. Mas a autoestima não está fora de você. Não adianta forçar isso. Ela tem que estar dentro e se não está, ser Miss não é a melhor forma de tentar reencontrá-la. Afinal, mesmo que falsa, um dia você terá que passar sua faixa e deixará seu ilusório título. Ou então, comparecerá a um evento e verá outras dezenas de gordas com faixas de Miss Paçoquinha, como a sua. Se você queria ser única, voltará a se sentir comum no mundo das faixas de gorda.

Curto concursos sérios e acho bacana quem se inscreva neles e prefira o risco de ser perdedora em um concurso real, do que a certeza de ser vencedora de um título de brincadeirinha.

Hey, antes que coloquem meu nome na boca do sapo, deixo bem claro que este texto não é para alguém em especial. É para todas nós e que sirva de reflexão.

Update: Pouco antes de postar esse texto aqui no Blog Mulherão, eu havia tido uma discussão em um post de uma carioca chamada Ingrid Gomes. Ela postara uma faixa recebida de um organizador de concursos locais, que a nomeou “hous concours” (é assim que se escreve?) e eu questionei essa distribuição indiscriminada de faixas.

Rolava uma patadinha aqui, outra ali, mas todo mundo, dentro do possível, debatendo numa boa.

O bate-papo rolou a madrugada toda e se estendeu até hoje, na página de outra menina que também é dentetora de uma faixa (leia aqui) Lá, deixei bem claro para ambas que meus questionamentos não era algo pessoal, que existem muitas mulheres na mesma condições que elas (com faixas dadas/compradas/presenteadas sem concorrência), que eera um apontamento genérico e que eu estava apenas apurando e comentando o que minhas leitoras me descreviam. Enfim, a resposta de Ingrid Gomes:

renata poskus

Como disse para Ingrid, essa resposta ficaria aqui até ela reconhecer que atingir a honra/religião de alguém é um crime previsto em lei. As pessoas podem questionar meu trabalho, mas jamais minha honra e tampouco zombar de minha religião que é sagrada e protegida por Deus e pela Lei.

Em nenhum post meu, nem mesmo nos mais acalorados, ofendi o ser humano Ingrid Gomes. 

16 Comentários

Arquivado em Concurso

Nova marca de lingerie plus size desfilará no Fashion Weekend Plus Size

Por Renata Poskus Vaz

Olá, meninas! Outro dia postei aqui uma carta emocionada para os fabricantes de calcinhas. É claro que foi uma brincadeira exagerada, mas como toda brincadeira tem um fundo de verdade, eu espero do fundo do meu coraçãozinho gordo que alguém me leve a sério. rsrsrs

Na próxima edição do Fashion Weekend Plus Size, por exemplo, a Vislumbre desfilará. A inspiração da coleção são os concursos de Miss e a garota propaganda é a eterna Miss Brasil Plus Size Cléo Fernandes.

Tem de tudo na coleção: as calcinhas mais larguinhas e as mais safadinhas também. E sutiãs, um mais lindo do que o outro… Tô puxando o saco mesmo!

Deem uma olhadinha:

calcinha 1Vislumbre plus size 3Vislumbre plus szie 1

A partir do dia 15/02 os convites para o FWPS estarão à venda no site Ticket 360.

 

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Pre-pa-ra: Carnaval 2014

Por Cíntia Rojo

sucos

 

As férias já se foram mas nós respiramos aliviadas porque ainda temos o Carnaval.  Eu não viajei em janeiro e estou ansiosa para curtir os dias de folia de um jeito bem tranquilo. É, eu não sou daquelas que tem samba no pé e como não vou torcer no sambódromo, pretendo esticar meu corpinho em alguma praia – de preferência sossegada .

Não tenho neuras com período pré-praia mas confesso que um detox, de vez em quando, vai bem para eliminar toxinas e hidratar o corpo de dentro para fora. Além de cortar refrigerantes, aumentei o volume de ingestão de água. Já percebo os resultados na aparência da pele e isso é bem animador! Além de água, também conto com chás e sucos naturais – gosto bastante de suco de laranja batido no liquidificador com morangos. É delicioso!

Não gosto daqueles sucos de couve, cenoura e beterraba. Acho estranho fazer um suco de uma verdura! ECA!  E se você é como eu, vai gostar dessas três receitas muito refrescantes e que potencializam a eliminação de toxinas. Pegue um copo bem bonito e faça do seu momento detox o melhor do seu dia!

Melancia e hortelã   1 copo (200 ml) de suco de melancia (2 fatias médias), 2 folhas de hortelã, 1 pitada de gengibre em pó e 1 colher de sobremesa de semente de linhaça.

Abacaxi e hortelã1 copo (200 ml) de suco de abacaxi (3 fatias), 2 folhas de hortelã, 1 pitada de gengibre em pó e 1 colher de sobremesa de semente de linhaça.

Morango e hortelã1 copo (200 ml) de suco de morango (5 unidades), 2 folhas de hortelã, 1 pitada de gengibre em pó e 1 colher de sobremesa de semente de linhaça.

(Foto: Internet)

 

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Quem quer casar com um milionário?

Por Cíntia F Rojo

Caro emerald

Não, não estou falando sobre o clássico filme de Marilyn Monroe. Foi uma pergunta direta mas, se você quer fisgar um partidão e está acima do peso, esqueça! A psicóloga Eliete Medeiros, da agência de casamentos Eclipse Love, deu algumas “dicas” à Revista Veja SP:

 “Ninguém gosta de mulher carrancuda. Milionários são ocupados e não têm tempo para crises de mau humor.

É preciso ser magra, saber se portar em público e ter nível superior.

Nada de escândalos em público. Deve-se engolir o ciúme.

Não é simpático dizer que é muito ocupada. O ricaço quer alguém com agenda maleável.

Sabe a Aline, da novela Amor à Vida? Tem de ser como ela. Só não pode cegar o marido! Os milionários são carentes e querem mulheres receptivas e carinhosas.”

Bem,  eu e meu manequim 48 estamos definitivamente fora da disputa (hahaha). Mas fiquei pensando: tendo em vista que a maioria das mulheres reclama da dificuldade em emagrecer, será que alguma estaria disposta a perder peso para fisgar um partidão? O que vocês acham?

 Foto: Caro Emerald, cantora holandesa cheia de curvas (internet)

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Carta aberta e emocionada aos fabricantes de calcinhas para gordas

Prezados senhores fabricantes de calcinhas para gordas,

 Bom dia!

Meu nome é Renata. Sou gorda e gosto de usar calcinhas safadas.

Tenho seios fartos, uma barriga farta, coxas fartas, bumbum farto. Então, como é de se imaginar, tenho uma pepeca farta também. Acredite, é muita fartura! Muita fartura mesmo!

Sabe, senhores, como disse lá em cima, eu curto uma calcinha safada. Dessas modelo fio dental, que entram no bumbum (sem incomodar, é claro!). Não que eu saia por aí exibindo-a para Deus e o mundo, mas eu curto. Mesmo que ninguém saiba que eu a esteja usando, mesmo que coloque por cima um super-body-compressivo-esmaga-banha, eu curto usar por baixo a calcinha safada.

E é aí que meu problema começa, Srs. Fabricantes. A maioria de vocês acha que nós não gostamos de calcinhas safadinhas. Tem mania de pensar que achamos nossos excessos um defeito. Mas não, não achamos! Não fabricam modelos fio dental em tamanhos GGGGG, como se apenas as magras fossem dignas de tal sensualidade fashion. Mas olha, é perfeitamente possível fazer uma calcinha que segura a minha barriguinha volumosa e, ao mesmo tempo, deixa meu bumbum livre e bonito.

Eu também curto usar calcinha da vovó, calcinha de velha, calcinha bege, calcinha larga. Mas eu tenho o direito de usar a calcinha safada também. Concordam?

Outra observação importante, caros senhores, é com relação à minha pepeca. Como eu disse lá em cima, meu corpo é todo farto. Então, qual a dificuldade em se fazer uma calcinha que, além de prender a barriguinha, deixe meu bumbum bonito e também guarde a minha pepeca em seu devido lugar? Sim, porque na verdade a calcinha foi feita para isso, né? Proteger a pepeca! E quando vocês economizam no tecido bem na parte debaixo, além de ficar com a pepeca sobrando para os lados, o que não é nada confortável, também me sinto horrorosa. E, olha, não sou nada horrorosa. Sou uma belezinha!

Bom, acho que é isso o que eu tinha para dizer.

Por favor, pensem com carinho em minha sugestão.

Muito obrigada,

Renata Poskus

35 Comentários

Arquivado em Lingerie

Conheça Tess Munster, um ícone plus size

Tess Musnter 7

Por Renata Poskus Vaz

Assim como em nosso Brasil há uma legião de plus size lindas e famosas que inspiram muitas mulheres curvilíneas, há também ícones plus size estrangeiras que dão o que falar. Uma das minhas prediletas é a americana Tess Munster.

Tess Munster 5

Tess Monster nasceu em uma pequena cidade do Mississípi, em julho de 1985 (nossa, essas meninas são todas mais jovens que eu! 😦 ). Tess era sonhadora e acreditava que sua cidade era pequena demais para seus sonhos. Tess crescia diferente das outras meninas, por conta do seu jeito e também do seu corpo, mais curvilíneo. Os valentões na escola eram implacáveis​​, mas ela mantinha a cabeça erguida em uma época que essa história de “orgulho gordo” (fat pride) ainda não era moda.

Tess Munster 3

Aos 15 anos, Tess  participou de um casting para modelos plus size em Atlanta, mas não fez muito sucesso nessa primeira tentativa. Chegou a pensar que o sonho de ser modelo plus size estava acabado.

Mas não era só de modelar que os sonhos de Tess eram feitos. Ela também adorava fazer maquiagens. Foi lendo o livro de Kevyn Aucoin ” Changing Faces”, que ela descobriu que a maquiagem poderia realmente “transformar” alguém por fora e por dentro.

Tess Munster 6

Aos 17 anos, Tess abandonou a escola por causa do bullying grave que sofria por ser gorda e diferente, fez as malas e mudou-se em todo o país com a esperança de fazer seus sonhos se tornarem realidade . Ela aperfeiçoou sua técnica como maquiadora e cabeleireira e passou a trabalhar com produções de desfiles de moda e catálogo.  Embora o fato de ter se tornado uma maquiadora de sucesso, Tess sentiu como se algo estivesse faltando em sua vida. Assim, em 2010, ela decidiu se mudar para Los Angeles, e foi aí que sua felicidade ficou completa.

Tess Munster 2

Poucos meses depois de se mudar para Los Angeles, Tess se tornou uma modelo plus size famosa. Foi finalista de concursos de beleza na TV e estampou dezenas de catálogos de moda que circularam por todo o Estados Unidos.

Tess Munster 4

“O que mais gosta em minha carreira  é a habilidade de inspirar e capacitar as mulheres em todo o mundo”. Tess espera que as meninas que são maltratadas , e as mulheres que não têm confiança enxerguem a sua beleza interior e exterior independente do peso. Tess é uma prova de que a determinação, implacabilidade e positividade pode transformar qualquer um, e que há uma vida maravilhosa além de um manequim 38.

Tess Munster 1

Quer ver mais fotos inspiradoras da Tess Munster? Dá uma fuçadinha lá no Facebook dela. Clique aqui.

5 Comentários

Arquivado em Modelo GG