A gorda coitadinha

Por Renata Poskus Vaz

A gorda coitada, quando não é  aprovada para uma vaga de trabalho, logo questiona a decisão do empregador. “Ele contratou a magra porque ela é gostosa e eu sou gorda”. Isso mesmo, nunca a gorda coitada vai reconhecer que seu currículo e desempenho podem, eventualmente, ser inferiores ao de uma magra. Como se excesso de peso e competência coexistissem sem exceções. Nem toda gorda é nerd, nós sabemos disso.

Quando toma um fora, a gorda coitada logo diz que o boymagia é preconceituoso porque não gosta de gordas. Como se todo homem fosse obrigado a sentir tesão por qualquer mulher que passe na frente dele. Isso é machismo, minha amiga! Nós também não sentimos atração por qualquer cara, justo que eles também possam não sentir. Se magra toma fora, porque nós gordas  estaríamos livres disso?

Quando os amigos se afastam dela, não a chamam para o churrasco ou para a balada, a gorda  coitada logo diz que eles a excluem por ser gorda. Mas nunca lembra dos pitis que já deu por estar acima do peso, que vive reclamando da vida, que faz bico, fecha o semblante sem mais nem menos.

A gorda coitadinha também não gosta que a chamem de gorda. Gosta de ser chamada no diminutivo como: fofinha, gordinha, rolicinha, cheinha e mais um monte de “inha” que a faz cada dia mais digna de pena, dó disfarçada de carinho. Gorda bem-resolvida sabe que é gorda, se chama de gorda, não se sente intimidada, diminuída ou agredida em ser chamada do que ela é de verdade: gorda.

Já fui a gorda coitadinha. Tinha tanta dó de mim mesma que me sentia perseguida por toda a humanidade. Acreditava que só viam em mim meus quilos extras e que tudo de ruim em minha vida acontecia porque eu era gorda. Esse blog, inclusive, surgiu por conta desse complexo.

Quanto mais eu choramingava, mais era acalentada pelos que me cercavam.  E esse carinho e  piedade alheia, alimentavam cada vez mais o meu complexo de vítima. Ser a gorda coitadinha tem lá suas vantagens. Mas a realidade é que ninguém aguenta gente chata por muito tempo do lado. As pessoas te consolam, te apoiam, mas paciência tem limite. E aí você se enxerga em uma encruzilhada. Ou você levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima, adotando uma postura positiva e feliz, ou vai viver isolada, sem amigos, depressiva e infeliz.

Ver a vida de forma positiva nos permite conquistar novos amigos, amores, trabalhos, experiências… Não é nossa circunferência que nos isola do mundo, mas a forma como olhamos para nós mesmas e como nos mostramos para o mundo.

Se você quer ser vista como a gorda coitada é assim que te enxergarão. Você quer viver do respeito ou dó alheia?

41 Comentários

Arquivado em Uncategorized

41 Respostas para “A gorda coitadinha

  1. Carla

    Processo lento!
    Mas vale à pena. Magro também tem problemas!!!

  2. Mariane Vieira

    FALOU E DISSE RÊ.
    Eu sempre me fiz de coitada, e concordo, é um vicio.. quando você menos espera.. tá lá choramingando de novo.
    Agora eu me amo, amo meu corpo com todas as curvas… e sei me enxergar! Isso é o mais bacana!

    Obrigada Rê por esse blog MARAVILHOSO que nós ajuda e fala tudo aquilo que no fundo, a gente gostaria de dizer.

    Hoje é meu niver!!! E como uma gorda feliz, vou comer bolo de chocolate pra comemorar!!!!

    Um beijo! Sucesso

  3. Luany

    Muito bom texto.
    Mas o preconceito existe sim e muito. Aliás, existe com tudo e todos que fogem do padrão imposto pela sociedade e mídia. O muito magro, o gordo, o negro, o baixinho, o alto! Minha opinião?! Pobre humanidade que se apega tanto a critérios fisionômicos. Pobreza de espírito “mode on”. Afinal, no dia de amanhã vai todo mundo pro mesmo lugar né?

  4. Andréia Asunción

    Nunca pensei assim,sempre fui muito bem resolvida,já vi muitas chorando porq chamam de GORDA.
    E tô contigo.
    Gordas q não gostam q chamem de GORDAS…se amem,levante a cabeça e viva á vida,ela é única!!!
    GORDA SIM!

  5. Heloisiane Marques

    Tenho que dizer cada dia admiro mais seu trabalho, fico daqui torcendo pelo seu sucesso tudo de melhor na sua vida… Você é a DIVA….

  6. Ana k

    Concordo em parte no que você escreveu Renata,tirando na minha opinião o trecho do concurso público.Porque eles não estão nem aí se a gorda saudavel.Se ICM dela estiver acima doque eles estipulam é gordura morbida e a vaga que a gorda tanto lutou como a magra não vaí ter”inha”que a console.O processo se rasteija e não tem gorda espirítualizada que não fique triste com isso,porque não foi um QI de uma gorda saudavél a prova +a sim sua gordura que a reprovou.Eles dissem que uma questão de possivéis doenças por causa do peso que o funcionário público possa vir a ter complicações na sua função devido a saúde,jesuiii!Magros tão ficam doentes como se pode ter tanta certeza do futuro.OMG!

    • Ana k

      Erro:tão(também)

    • Renata Poskus

      Ana, em nenhum momento citei “concursos públicos”. Imagino que você se refira aos recentes casos de reprovação em concursos públicos por IMC alto etc. Mas eu falei de entrevistas de empregos. Mesmo assim, sei que mesmo em entrevistas de emprego há sim discriminação contra gordos, como há com gente feia, pobre, baixa, velha etc… O que quis deixar claro é que preconceito existe, mas às vezes ele é muito maior dentro da nossa cabeça e que a ida para um gordo não está perdida.

      Beijos

      • karlinha

        Desculpa!Renata,deixe me retificar.Realmente você não escreveu sobre concurso Público quem sitou fui eu mesma em cima do assunto posto,entrevista de emprego,correto? Obrigada!pela atenção.

  7. Carolina

    Oi gentii

    Já fui a gorda coitadinha, achava que ninguém ia gostar de mim pelo que sou.
    Mas um fato na infância foi bem interessante, na 5 série, eu, e minha amiga gorda (inha, perto da aniversariante) ouvimos que não seríamos convidadas para festa de aniversário pq eramos gordas. Oi?!?!
    E a aniversariante era eu e minha amiga juntas e mais metade de cada uma, todos da sala foram convidados, menos nós…affff
    Mas estamos sujeitos a tudo, um exemplo, sou gorda, meu mariddo é negro. Quando começamos a namorar, percebi das pessoas onde eu passava olhos de aprovação e de reprovação. Liguei o foda-se.
    Eu me preocupava muito com o que as pessoas achavam de mim por ser acima do peso, hoje não ligo mais, se me sinto bem, ninguem pode tirar isso de mim.

  8. Elizângela

    Querida, ótimo texto! Estou neste momento em um processo de deixar de ser a gorda coitadinha… Passei anos de minha vida tentando emagrecer e a pouco descobri que essa vontade me foi imposta pela sociedade. Neste momento senti vergonha e pena de mim! Como posso ter me deixando influenciar pela mídia e pelas opiniões dos outros? Eu amo minha pernas grossas, meu quadril largo, meus seios fartos! Como seria se tivesse me “livrado” de tudo isso? Não seria mais eu! Meu marido me ama, posso até dizer que me venera, porque vive conversando com cada parte do meu corpo, rs. Enfim, tô numa fase tão feliz, me amando e me cuidando tanto! Sou gorda sim, sempre fui e nunca deixarei de ser. A diferença é que descubro dia a dia que eu posso tudo que eu quiser, posso verstir o que quiser, posso fazer o que quiser… Parabéns pelo texto e pelo blog! Beijo!

  9. Janaina Ruy

    Pra variar… Perfeito…. Adorei!! Tb me identifiquei, pq tb já me senti assim… mas acho q me curei!!! (será??) kkkkkk Bjks

  10. Acho justíssimo que vc escreva um livro.
    Não um livro de auto-ajuda, mas um livro libertador…suas palavras são libertadoras, maravilhosas e positivas!
    Obrigada Renata! 😀

  11. Acho que quase todas nós já passamos por esse momento de autopiedade em alguma parte da vida, e não é legal! Ainda bem que a gente cresce, os problemas mudam, e algumas de nós vemos que não dá pra passar o resto da vida reclamando por ser gorda, ou faz um regime, ou se aceita do jeito que é!! Obrigada Renata por esses textos maravilhosos! Bjos

  12. Aressa Marque

    Gordo (a) que não aguenta brincadeira e sim, às vezes se mal gosto, se esforce para emagrecer. Bjxxx!

    • Sthefania

      Acho que todos merecemos respeito. Brincadeiras devem ser feitas num ambiente de intimidade, amizade e com o consentimento da pessoa. Caso contrário, ninguém tem o direito de apontar e rir do diferencial do outro, pois quando lidamos com gente, estamos invadindo um templo, um conjunto em que não sabemos até podemos chegar. O quê pode ser engraçado para mim pode ser ofensivo para o outro e vice versa… Ninguém precisa emagrecer, se pintar de branco ou de preto, gostar de mulher/homem obrigatoriamente para não ser alvo de piadas…só acho!

      • Renata Poskus

        Sthefania, o que a Aressa quis dizer é que é mais fácil a gente emagrecer do que esperar respeito alheio, porque brincadeiras sempre existirão. Se você for esperar que os outros mudem para ser feliz, nunca será. Acho que foi isso que ela disse. Só acho.

  13. Bruna

    Incrível! Me fez refletir sobre meu auto conceito. Adorei!

  14. Mayane Oliveira

    Nossa eu adoro ser gorda.
    É tão bom, sempre fui bem resolvida, aliás eu adorava quando alguém me chamava de gorda eu caía na gargalhada que até a pessoa que me chamou de gorda ficava sem graça. Meu namorido me ama do jeito que sou e já me disse que se um dia eu ficar magra ele me larga, ele adora as minhas curvas e olha que ele é um boymagia hein. Um dia uma pessoa me disse: – Nossa como que você consegue ser feliz sendo gorda, eu apenas respondi da forma que você não consegue sendo magra, pois a cada mordida em um sanduba fica se martirizando e se culpando por esta comendo apenas um lanchinho, sou muito bem resolvida profissionalmente pois sei da capacidade do meu currículo e da pessoa que sou, sabe Rê adoro quando você escreve esses post, levanta o astral de qualquer um. Sou gorda muito bem resolvida, e não me faço faço de coitadinha. Hahaha adoro ser gorda.

  15. Francisco Osires

    De fato, minha primeira namorada era gordinha e ela sempre me perguntava o que é que eu via nela e eu sempre respondia: “eu vejo você e tudo aquilo que você quiser ser”. Sempre brigávamos por conta de um ciúme doentio, orgulho e complexo de inferioridade e olha que ficamos juntos quase 7 anos… Mas ela foi meu abre alas para este mundo maravilhoso e que eu passei a admirar e amar das gordinhas, mas foi tenso amar alguém assim!!!

    • Renata Poskus

      Todo mundo quer ao lado alguém especial. E se a pessoa fica repetindo a todo momento que é um cocô, você passa a se perguntar se vale mesmo a pena estar com alguém assim. Não é?

  16. Mi

    O mais engraçado é quando alguém te chama de gorda e você responde: nãooooo! Sério? Obrigada por avisar, nunca tinha reparado. Quebra a reação da maioria das pessoas. rss

  17. Nossa Adorei o Texto, parabéns!! É bem verdade isso!! A gente é o que a gente quer ser e nada mais importa!
    Ser feliz acima de tudo!!!

  18. O problema não é a pessoa ser gorda é ser chata!
    Bjo.

  19. Sthefania

    As pessoas tendem a usar muletas na vida. Não conheço ninguém que, em alguma fase, não tenha se apegado a algo para justificar seus fantasmas, seus medos e inseguranças. Eu já achei que, por ser miscigenada, não conseguia namorado de pele branca por ser negra e não conseguia namorado negro por ser branca, uns lances trashs assim. Tenho vergonha de lembrar disso sabe, acho horrível e sem noção os pensamentos que já tive. Quando engordei, inconscientemente comecei a usar a desculpa dos meus fracassos, na gordura que tinha adquirido, mas consegui enxergar que estava repetindo a mesma ladainha que tinha usado anteriormente e estava ficando chata, sem noção e depressiva. Mesmo meu marido dizendo que me amava estando gorda, eu tendia a me deprimir. Daí resolvi tomar uma decisão! Não ia mais chorar e reclamar disto ou aquilo. Eu sou gorda mas tenho outros atributos assim como a vizinha é magra e tem seus defeitos, simples assim. Descobri que a vida é simples e a gente que complica. O processo da “cura” interior é lento mas eu garanto que é duradouro. Sempre fico atenta às muletas que surgem na minha vida mas também não me culpo tanto, pois somos seres humanos, em constante evolução, com erros e acertos. O quê não podemos é parar de querer melhorar, nunca. Gordo ou magro, negro ou branco, gay ou hetero, todos temos problemas…

  20. Cristiane Amorim

    Eu nunca fui magra e sempre fui desencanada com isso, acontece que depois que tive minha filha fiquei com uma barriguinha saliente, mas mesmo assim meu corpo continuou proporcional. O que comecou a me aborrecer foram alguns comentarios dos meus cunhados sobre meu peso. Eu estava com queda de cabelo e o medicamento que tomei fez com que eu inchasse um pouco, a propria medica me alertou, mas para aquela cambada (meu marido tem mais oito irmaos) eu passei a ser motivo de chacota. O pior eh que moram quase todos no mesmo quintal e cada vez que eu ia fazer uma visita eu era chamada de baleia, vaca, capivara, porca e outros nomezinhos….. por mais que vc seja bem resolvida com seu corpo tem certas coisas que magoam, eu ficava triste porque alem deme tratarem dessa forma e o mais triste ainda eh que as ofensas eram na frente de qualquer pessoa. Ah o detalhe eh que as esposas dos meus cunhados sao todas gordas tambem. Eu nao vou mais la, porque percebi que eu sou muito mais que isso, eu me amo e sou muito feliz assim como sou.

    • Sthefania

      Nossa Christiane que coisa chata em uma família assim, nem precisa de inimigos…li seu texto aqui e fiquei passada com a falta de educação e de desconfiômetro dos seus cunhados. Eu não gosto de brincadeiras sabe, acho um desserviço na vida da gente, se ela vier recheada de ofensas e fazer com que fiquemos para baixo. Mas você está certa de não frequentar mais a casa deles e, quando estiver mais forte para encontrá-los novamente, não permita que te tratem assim, era o quê eu faria. Beijos gata!

  21. Natália

    Sou exatamente como o texto descreveu…. Passada com tamanha realidade,e pior ainda,não ser a única que pensa assim!! Não imaginei que isso poderia me fazer uma persona no grata… Obrigada rê!!

  22. Fernanda

    Oi Renata.
    sempre acompanho seu blog, pois acho muito legal os assuntos que você escreve, alias tudo muito bacana. E sou bem essa ai que você descreveu. E não consigo achar meios de deixar de ser, parece que sou um caso perdido. Serio nada nunca ta bom, um dia é o rosto, no outro o cabelo e o corpo nem se fala. Mas como ninguém é 100% alguma coisa, tenho meus momentos bons, descontraídos. E sei que sou legal e que tenho potencial, etc. Mas isso não se aflora, é como se tudo isso estivesse preso dentro de mim, se espremendo, lutando pra sair. Mas a barreira é forte de mais, então me retraio e isso causa muito desconforto.
    Eu quero ser um mulherão, como você e muitas outras que se assumiram como são que se cuidam e são mulheres lindas, charmosas, que tem brilho, e luz própria. Mas quando eu olho no espelho, só consigo ver um borrão. Ai fico achando que tudo é uma merda, a vida, as pessoas. Principalmente as pessoas! Poxa pq ninguém gosta de mim? pq ninguém enxerga algo de bom em mim? Mas o problema é que nem eu enxergo! E isso esta tão internalizado em mim que não consigo enxergar uma saída. Serio me sinto perdida no escuro, não sei por onde começar essa mudança, nem como mudar.
    beijos…

  23. A maioria das gordinhas já foi coitadinhas e muitas ainda são. Porém, o que aprendi com todo esse papo de mundo Plus Size é que se amar é a coisa mais importante que existe na vida de qualquer um. Só depois que eu passei a me amar, é que eu consegui enxergar e amar também o mundo plus size.
    Esse texto diz tudo. Não se trate como coitadinha, trate-se com amor próprio. Tudo fica mais fácil assim.
    Obrigada sempre Renata, Francisco.
    Renata que nos dá seu exemplo sobre tudo. Carreira, autoestima, etc.
    E Francisco por sempre me dá forças.
    Pessoas como vocês fazem nosso amor próprio ser infinito.

  24. KKKK.. Eu tenho uma colega assim, gorda coitada, agora ela está grávida e engordou mais: está pior!! Vive dizendo: “Eu tô gorda”. E ela é bonita!

    Doce Sugestão: E daí? Eu também tô acima do peso, mas eu não deixo aquela comidinha gostosa não (obs.: e o maridão gosta). Assume amiga e seja feliz!

  25. Daniih

    amei, Renata falou e disse

  26. fabiana de almeida

    Olha adorei td que vc disse obrigada Sou gorda sim , mas tenho minhas qualidades. E eu me Amo

  27. Juliana Queiroz

    (Meu comentário anterior foi incompleto)
    Renata, entendo seu ponto de vista no texto, mas você parece ignorar a gordofobia completamente! Sim, ela existe. Além de querer jogar os peso dos pré conceitos em cima de nós, gordas. Eu não sou coitadinha, nunca fui, agora me explique o porque, sem nem abrir a boca recebo tratamento diferente quando entro em determinadas lojas? Como os caras que são seus “amigos” já deram mole para aquela amiga que eles falam mal pelas costas, mas é “gostosa”?
    Outra questão foi esse trecho:
    “Quando toma um fora, a gorda coitada logo diz que o boymagia é preconceituoso porque não gosta de gordas. Como se todo homem fosse obrigado a sentir tesão por qualquer mulher que passe na frente dele. Isso é machismo, minha amiga!”
    Não, não é machismo! Primeiramente porque mulheres não são machistas, reproduzem o discurso que lhes é imposto desde que nasceram. Segundo, você não conhece aquele cara que pega a gordinha mas não conta pros amigos? Eu sempre fui pra briga, não me mostrava abatida para ninguém, mas ignorar a dor de ouvir na infância “gorda, baleia, saco de cocô”, eu chorava sozinha, fui forte para superar, mas achei que seu texto menospreza a dor de milhares de gordas que sofreram e sofrem sim, com o bullyng até hoje.
    Se você é magra cresce ouvindo que pode ser modelo, se é gorda cresce ouvindo que tem que emagrecer, nunca somos boas o suficiente e isso gera uma insegurança e no futuro chamam de “coitadismo”. Adoro o blog, mas achei o texto um desrespeito!

    • Renata Poskus

      Acredito que você se sinta desprezada e encare como desrespeito porque te toca na ferida e, como hábito, seja mais fácil transferir a outrem sua frustração que admitir que você não quer sair da sua zona de conforto, que você chama de insegurança e eu de síndrome de coitadismo. Não estou ignorando a dor alheia, mas seria um veneno estimular que se vitimizem. Você ignora que eu também já me vitimizei e que aprendi a olhar minha vida de forma diferente. O que trago neste texto não é um ataque, uma afronta ou um deboche, mas um chacoalhão para que acordem. Chorar não adianta mais. Chorar não te trará trabalho, namorado e nem fará com que você seja tratada melhor em seu ciclo social. Primeiro você tem que mudar a sua postura e forma de encarar a vida. Você defende coisas de uma pós-graduada em coitadismo como se mulher que tivesse que ser machista mesmo por ser criada assim. Não, não tem. Recebemos influências homofóbicas, racistas, sexistas e devemos mudá-las. Acha mesmo que o ser humano nasce de uma forma e não tenha que evoluir? Achar que todo cara deva gostar de gorda é um estupro intelectual. Eu, por exemplo, não namoro loiros. Lembro dos meus tios, irmão, primos… Sinto afeição por loiros e não tesão. Imagine ser obrigada a beijar e transar com loiros para provar que não tenho preconceito?! Você fica nas rejeições que toma ou nos caras que não te assumiam e essa nuvem negra te impede de ver quantas gordas estão por aí, bem amadas por seus bonitões que as assumem. E esse coitadismo te faz crer que só gordas sofrem no mundo. Quantas mulheres magras, estilo top model, não encontram dificuldade de conseguir um parceiro sério por as considerarem bonitas demais? Por medo de serem cornos etc? Baixinha sofre, magra sofre, mulher bonita sofre, mulher feia sofre, mulher magra sofre… Você diz que foi forte para superar todo o preconceito da sua infância. Não! Você ainda não superou. Mas faço votos que supere. E que minha resposta não seja seguida de um “nunca mais venho nesse blog”, pois estamos aqui para nos ajudar.

      Renata

  28. Olga da Silva Sales

    Rê, achei seu texto de suma importância pra todas nós mulheres: gordinhas ou não!! Temos que sair da condição de vítima e ir à luta!! Sou gordinha e muito feliz!! Um abraço Rê!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s