Arquivo da categoria: Culinária

Fritadeira que não vai óleo

fritadeira

Por Renata Poskus Vaz

Esse é o blog de uma comilona compulsiva, voltado para mulherões e, por incrível que pareça, nunca tinha dado dicas de comidas por aqui. rsrsrs

No último fim de semana, conversando com a top model plus size Silvia Neves, ela me contou que adquiriu uma fritadeira da Wallita que não usa óleo. Os alimentos são cozidos no ar quente que circula na “fritadeira” e, quando prontos, ficam com o aspecto e textura de fritos, com casquinha e crocantes. A batata frita, segundo Silvia, fica igualzinha a do Mc Donald´s. Perguntei se era verdade mesmo, porque dividiria com vocês, minhas leitoras lindas. Ela me garantiu que arriscou na compra da fritadeira e que se surpreendeu positivamente.

Maravilha, comer coisas com textura de fritas, mas super saudáveis porque são cozidas no vapor!

Mas o preço… Ah, é bem salgadinho. Sai por mais de R$1 mil.

Para comprar, clique aqui.

14 Comentários

Arquivado em Culinária

E lambam os beiços!

Por Eduardo Soares

A matéria-prima (cacau) era considerada por maias e astecas como o alimento dos deuses. Sua origem é mexicana mas graças ao explorador espanhol Hernán Cortés que o povo europeu conheceu os encantos deste que é um dos alimentos mais populares do mundo.

Originalmente os nativos apreciavam o chocolate em sua forma natural (amargo) mas os europeus não aprovaram o sabor e com isso foram acrescentados açúcar, canela e anis. Algumas experiências bem sucedidas depois e hoje, quase quinhentos anos pós-descoberta temos uma variedade infinita no sabor da guloseima: ao leite, branco, diet, Couverture (usado pelas confeitarias mais nobres) e claro, o (antes) reprovável (e hoje admirável) chocolate amargo.

Difícil encontrar alguém que não goste de chocolate. Tem gente que afoga as mágoas encarando (ou devorando) barras e mais barras. Outros o preferem através de sorvete (sabor napolitano,por exemplo). Os franceses elaboraram uma sobremesa infalível: juntaram chocolate, bolo e sorvete e daí nasceu o petit gateau. Nós, brasileiros, elaboramos uma espécie de bolinha salpicada com granulados. Algum puxa-saco resolveu prestar homenagens a um carismático militar que pretendia ser presidente nos anos 50 e o resultado foi o inusitado nome dado ao doce: brigadeiro. Como tudo na vida evolui, resolveram incrementar a sobremesa e hoje temos até brigadeiro com morango.

– COCE O BOLSO > As pessoas gastam cerca de US$ 7 bilhões com chocolate por ano.

– FEITO PARA AMAR > O chocolate estimula a produção de hormônios na área das emoções semelhantes aos liberados quando estamos apaixonados. Talvez por isso o alimento ele seja figura constante na lista de presentes favoritos dos namorados.

– NÃO CHORE MAIS> Ele ajuda combater a depressão, hipertensão, tumores e até o stress da TPM.

– FONTE DA JUVENTUDE > A massa de cacau tem grande poder antioxidante, mais que qualquer fruta combatendo os efeitos da idade.

– NÃO ENGORDA? > Chocolate puro tem pouca gordura e, grande quantidade de magnésio e ferro. Com a devida moderação é possível desfrutar do prazer de comer chocolate sem trazer prejuízos ao organismo.

A cultura também aderiu aos encantos do “doce pecado”. O cinema nos apresentou (o insosso) Chocolate (Johnny Depp, Juliette Binoche). Quem passou dos 40 deve lembrar-se do folclórico Willy Wonka, personagem eternizado por Gene Wilder e recentementepor Jonhy Deep em A fantástica fábrica de chocolate. Fora o premiado drama latino Como Água para Chocolate.

Para acabar com o assunto, lembrei da bobinha canção do Tim Maia: Não quero chá/Não quero café/Não quero Coca-Cola/Me liguei no chocolate/Só quero chocolate/Não adianta vir com Guaraná/Prá mim é chocolate/O que eu quero beber…  

Quer saber, vou partir para o chocolate branco. E aí, deu fome?

14 Comentários

Arquivado em comportamento, Culinária

Açúcar ou mel?

Por Dani Lima

Essa semana tomei um táxi a caminho de um compromisso e assim que o adentrei, com minha latinha de coca-cola gelada e pela metade, uma nutricionista dava entrevista na rádio que o motorista escutava, falando sobre sucos e mais sucos para o verão. Inconveniente, eu pensei, já que minha coca parecia tão mais gostosa! rs Mas uma coisa chamou a minha atenção na entrevista… a moça passou algumas receitas e indicou sempre a utilização do mel para adoçar as bebidas.

Pensei que muito se escuta falar em todos os cantos sobre os benefícios do mel em relação aos malefícios do açúcar – ainda mais o refinado – mas eu mesma, sabia bem pouco a respeito. Fiquei curiosa, fiz uma pesquisa e vim dividir com vocês! 😉

Entendendo o funcionamento do açúcar no nosso metabolismo

Quando consumimos as substâncias doces, o sistema digestivo faz a “quebra” dos alimentos, transformando-os em glicose. O sangue logo carrega essa glicose pelo corpo, que passa a ser fonte de energia para as células.

Açúcar: Refinado X Mascavo

O açúcar mascavo seria o “verdadeiro” açúcar. Naturalmente extraído do caldo da cana de açúcar, sem tratamento químico! (o que acontece com o açúcar branco/refinado) Tem sabor semelhante ao da rapadura e a coloração depende da estação da colheita da cana. Contém proteínas, cálcio, fósforo, vitamina B1, B2, sódio, potássio, magnésio, cobre e zinco. Dentre todos, seu principal componente é o ferro.

O açúcar branco é o Michael Jackson dos carboidratos hahaha seria o açúcar mascavo depois de um processo químico de branqueamento.

Justo por isso, é carente de vitaminas, uma vez que ele perde suas propriedades nutricionais ao longo do processo.

O pior, é que além de não ajudar, ele atrapalha, já que “rouba” um pouco mais do nosso estoque de vitaminas e minerais, para ser digerido e absorvido.

E na ausência desses componentes, o nível de glicemia aumenta rapidamente, fazendo nossas células ficarem com muito mais “gordura localizada” Achei essa listinha que fala dos malefícios da ingestão diária de açúcar refinado…

  • Acidificação constante do sangue: o organismo rouba cálcio dos ossos para neutralizar essa acidificação, desequilíbrio imunológico.
  • Perturbação do metabolismo glicídico: hipoglicemia, depressão e diabetes.
  • Perda lenta e constante de magnésio: infecções, câncer.
  • Perda lenta e constante de cálcio: cáries, osteoporose.
  • Perturbação do metabolismo lipídico: obesidade e arteriosclerose.

É uma loucura pensar que o açúcar nosso de cada dia possa ajudar a causar tudo isso, né? Mas pelo que pesquisei é isso mesmo. Tem que tentar deixá-lo trancafiado, rs! Até aqui, a idéia maior é abolir de vez o açúcar refinado e lançar mão do mascavo!

Muito embora, seja de conhecimento geral que o teor de carboidrato (sacarose) se equivalem nos dois açúcares. Em relação às calorias, o açúcar refinado tem 99 calorias em cada 100 gramas, enquanto o açúcar mascavo tem 90 calorias a cada 100 gramas.

Mel: a melhor solução?

Produzido pelas abelhas, o mel é um alimento de alto teor energético. Riquíssimo em elementos nutritivos, a Organização Mundial de Saúde garante que tem mais de 70 substâncias essenciais ao organismo.

Substituir o açúcar pelo mel é uma escolha super saborosa, além de muito saudável, uma vez que uma colher (chá) de açúcar fornece cerca de 40 calorias, enquanto a mesma medida de mel contém 25 calorias, além de ter um poder adoçante muito maior que o do açúcar.

Além disso, o mel fortalece o sistema nervoso, ajuda a desintoxicar, facilita a digestão, é um excelente antisséptico e antibiótico, além de ajudar na expectoração em doenças como gripe, asma, amigdalite e bronquite!

Ufa! Sem sombra de dúvidas vale a pena adotar o mel às suas receitas, ein?! Se parecer estranho à princípio, vamos tentar começar pelo cafézinho da tarde, no suquinho do café-da-manhã… vai que rola?! 😉

25 Comentários

Arquivado em Culinária, Curiosidades, Saúde

Chocolovers

Por Renata Poskus Vaz

Aqui em São Paulo o friozinho continua com força total. Mas a vontade de saborear sorvetes não diminui. Aliando este desejo ao amor pelo chocolates, que tal provar várias uma das opções da Nestlé? Tem prestígio, chokito e diplomata. Humm

 Peguem leve, hein, meninas? Nada de estrapolar e consumir vários sorvetinhos gostosos de uma vez.

7 Comentários

Arquivado em Culinária, O que rola por aí

A doce vida de Virgínia

Virgínia

Por Virgínia Claro

Lembro-me como se fosse hoje, fiz meu primeiro bolo aos 12 anos de idade, uma irmã de minha mãe a boleira da família me ensinou. Passei o dia inteiro fazendo um bolo de doce- de- leite com ameixa.  Depois, passei a fazer bolos simples, desses que a gente faz para tomar café, mas todos sempre elogiavam. Então, passei a fazer bolos para as festas de nossa casa, aniversário da mãe, do irmão. E era comum me perguntarem se eu faria bolos se comprassem os ingredientes. E assim foi.
 Trabalhei em vários lugares com carteira assinada, mas sempre com o meu trabalho extra me ajudando nas despesas. E até mesmo já forneci bolos para um Buffet.  Quando resolvi casar, decidi não trabalhar mais para ninguém. Fui mandada embora do meu último emprego 5 meses antes de me casar, então me vi desesperada, mas depois tive a serenidade de  colocar em prática o que mais gosto de fazer. 
 Comecei vendendo muito pão- de- mel de vários sabores. Saí oferecendo em cafés, restaurantes, empresas, fiz uma ótima clientela na região da Av Paulista. Então, passei para os doces finos, mini bolos, mini tortas, tudo o que fosse fácil para se vender rápido. Tenho uma amiga que vendia dentro da Tv Gazeta. Era ótimo e me ajudou muito.
 Hoje, tenho os meus clientes de festas, pois tenho parcerias e trabalhamos em conjunto. Forneço para cafés, e algumas churrascarias. Ainda não tenho firma aberta, mas trabalho muito bem, então fica fácil de ser indicada por aqueles que gostam do meu trabalho.
 A paixão com que busco melhorar a cada dia e é o ingrediente que torna o meu trabalho prazeiroso e que dá um toque muito especial em minha vida.
Sou feliz, amo a Deus acima de todas as coisas, pois Ele me ensinou a gostar de mim como sou, me deu um talento que muitos passam a vida tentando ter e não conseguem. Sou grata por tudo o que tenho e procuro sempre melhorar.
Para comprar as delícias preparadas por Virgínia, envie um e-mail para vi_vickli@hotmail.com, ou ligue: (11) 7650-1004.

bolo 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

bolo 3

 

 

3 Comentários

Arquivado em comportamento, Culinária

Curso de fondues para gordinhas que comem sem culpa

Meninas, a vantagem de ser gordinha é que, ao invés de passar dia de à base de chá verde e bolacha de água e sal, nos deliciamos com iguarias como um bom foundue.

A Show de Cozinha oferecerá, no dia 21 de julho, um curso sobre fondues. E a melhor parte: nós poderemos comer tudinho o que for preparado em aula! Delícia, né?

Para as inscritas, será uma oportunidade de nos conhecermos pessoalmente.

emkt_SDC_fondues_0609

23 Comentários

Arquivado em Culinária