Arquivo da categoria: Dança

Resultado dos 13 dias no Saison Spa

Por Renata Poskus Vaz

Enquanto voltava de Itaipava, no Rio de Janeiro, para São Paulo, na manhã de sábado, lágrimas caiam dos meus olhos. Não é exagero! Voltei de cabeça, corpo e coração limpos, pronta para recomeçar mais uma etapa de minha vida. Por mim ficaria lá por mais tempo…. Mas já estava pronta para voltar.

Antes de ir para a Saison Spa eu estava doente. Só agora consigo ver a gravidade da minha situação. Eu estava doente, muito doente! Como me permiti, mais uma vez, chegar neste estado?

Tem gente que vai para o Spa para emagrecer. Talvez eu também tenha ido inicialmente com esse motivo, mas voltei com a certeza que minha mudança, mais que física, foi espiritual.

Tive a oportunidade de fazer novos amigos que com certeza levarei para a vida inteira. Clientes da Saison Spa, como Nielson e sua esposa Carina, o querido Fábio, o divertido Jorge…

Os professores de educação física, principalmente o Paulo e o irreverente Leandro, das aulas de dança… Meu Deus, eu voltei a dançar! Como amo dançar! Como agradecer a essas pessoas por me despertarem, novamente, o prazer por coisas que eu sempre amei fazer e que havia deixado de lado em minha vida?

Fui percebendo, dia a dia, meu corpo mudando. Os ponteiros da balança quase não mudavam, mas minha silhueta estava mais enxuta, menos inchada… O resultado dos 13 dias foi o seguinte:

Peso

Cheguei com 91,3 Kg e sai com 88,9 Kg – Eliminei  2,4 Kg 

Ainda permaneço com grau de Obesidade 1. 

(Lembrando que no início de minha reeducação alimentar, uma semana antes de entrar no Spa, eu estava com 94,5 Kg . Ou seja, eliminei em 3 semanas 5,6 Kg).

Medidas

Reduzi no Spa 2 cm nas medidas de braços, busto, quadril, abdômen, pernas… De cintura reduzi 4cm.

(Ao iniciar a reeducação alimentar estava com 101 cm de cintura. Agora estou com 94 cm. Ou seja, 7 cm contando com a semana anterior e o período no Spa).

Atividades Físicas

Fiz mais de 2067 minutos de atividades físicas, uma média de 159 minutos de atividades por dia.

Coisas que não estavam no meu gráfico de evolução:

Reaprendi a comer de 3 em 3 horas, a dormir bastante, a ligar o foda-se para certos problemas. Reaprendi a conhecer pessoas, a fazer amigos, a sonhar, a descansar sem me sentir culpada ou ociosa por isso. Reaprendi a cuidar de mim, do meu corpo, do meu cabelo… E A TOMAR ÁGUA!

Vejam uma foto de antes e depois:

antes e depois

Eu e Hannah

Eu notei uma boa diferença, e vocês?

A nutricionista da Saison Spa vai me passar diversas receitas e dicas legais para uma vida mais saudável, que vou dividir com vocês aqui no Blog Mulherão. Aguardem!

22 Comentários

Arquivado em Dança, Mulherão Saúde

Vocês sabem dançar o Kuduro?

Por Renata Poskus Vaz

Geysa Gotsha, modelo plus size, vai te ensinar dançar o Kuduro. Assista e depois comente:

39 Comentários

Arquivado em Dança, Música

Espaço da leitora: Ana Beatriz

Por Renata Poskus Vaz

No último Dia de Modelo realizado em São Paulo, Ana Beatriz Novaes chamou muito a atenção de todos por seu jeito mega estiloso de se vestir. Foi ela mesma que se produziu para a nossa sessão de fotos. Quando a entrevistei, abordei assuntos relacionados à moda. Mas Bia mostrou ser especial não somente no guarda-roupa.

1) Como escolhe seus looks?

Escolho de acordo com o momento, o evento, o dia…. Estaria mentindo se dissesse que é super fácil encontrar uma roupa que caia (e caiba) bem em mim! Como toda pessoa obesa, sofro também com esses perrengues. Hoje já é mais acessível devido as inúmeras lojas plus size que temos por aí. Mas ainda é pouco! Mesmo porque os modelos existentes não são lá muito a “minha cara” e geralmente são caros! Nunca estudei moda, mas penso, às vezes, em criar uma grife com roupas mais fashionistas, contemporâneas… Sei lá, algo diferente do que costumamos ver! Quem sabe um dia.

2) Como definiria o estilo dos seus looks?

Nossa! É difícil essa! Autêntica… Singular… Fashion…. Colorida…. Look Bia talvez! kkkkkkk Não sei… Sou da área artística, então acho que eu faço minha própria moda! Não sou muito de seguir tendências, modinhas…. Uso aquilo que gosto e me faz bem. “Dizem que sou louca, por eu ter um gosto assim…” A pior coisa do mundo é você ter que vestir ou fazer algo só porque o outro diz que é legal!!!

 3) Que cuidados você toma na hora da escolha das peças?

Os cuidados que todo mundo deveria tomar! Em primeiro lugar, o conforto, pq coisa muito apertada ou larga demais não dá ! Depois, a combinação de peças e cores, estilo de roupa pra certas ocasiões… Não é pq vc tem excesso de peso que deverá se cobrir com uma burca preta, mas ao mesmo tempo, não vá colocar um micro shorts com uma blusa da sua filha de 4 anos, né!!!! Na maioria das vezes, o menos é mais! Mas em outras, necessitamos mesmo de um algo a mais e mais e mais!!!!! É claro que têm dias que nem a melhor roupa do mundo me deixa feliz! Antes que qualquer coisa, pra estarmos bem dentro de uma roupa, precisamos estar bem com nós mesmos!

4) No dia de modelo vc escolheu usar tomara que caia. Para você, gordinhas têm alguma restrição na hora de se vestir?

Amo vestidos! Acho que eles nos deixam femininas com um toque de sensualidade! A escolha do tomara que caia foi exatamente por isso! Como falei anteriormente, você tem que vestir aquilo que você gosta. Contanto que não seja algo exagerado, no seu tamanho correto, acredito que não tenha problema em uma gordinha usar um tomara que caia, uma mini saia ou talvez uma calça saruel!!!!

5) Vc sempre foi gordinha?

Sim, principalmente por causa da genética da minha família (a fat family white). Costumávamos dizer que a única magrinha em casa era minha cachorrinha!!!! Danço desde os 4 anos, mas nunca fui magérrima. Sempre sofri do famoso efeito sanfona. Dietas? Todas possíveis e imagináveis. Emagreci mais na época em tive acompanhamento do endocrinologista, com o auxilio de controladores de apetite e exercícios físicos 5 dias por semana, há quase10 anos atrás. Na real nunca segui nada muito a risca, afinal prezo a saúde, mas não sou de me privar das minhas vontades! Fiquei com uns 69 kg.

Mais magra

Quando terminei a graduação em Dança, engravidei e, sem remédios, exercícios e a base de puro repouso em casa, acabei engordando 22 Kg repentinamente. Depois não consegui voltar ao meu peso anterior. De volta ao velho efeito sanfona (engorda 2 kg e perde meio grama), ainda tive que encarar a cirurgia de uma mama acessória que surgiu por causa do aumento de peso. Essa cirurgia me deu de presente uma cicatriz enorme na axila que não me deixa usar qualquer tipo de roupa! Imagina: mãe solteira, gorda, barriga flácida, cheia de estrias, celulites e ainda com a porcaria da cicatriz! A auto estima foi parar no buraco mais fundo que pudesse existir!

Bia e a filha

A única coisa que me dava força pra seguir era minha filha! E por ela, aos poucos fui percebendo que tinha que encarar a realidade e mudar o que tanto me afligia! Voltei a dançar, sair, curtir, paquerar (e o resultado é positivo), estudar, a me respeitar e amar como sou! Me descobri mulher! Ou melhor, um baita mulherão!!! Sete anos depois continuo do mesmo modo, às vezes mais gorda, às vezes mais magra, mas com uma enorme diferença: cada vez que me olho no espelho tenho a certeza de que minhas estrias e cicatrizes são as marcas da vida de uma mulher guerreira que lutou contra tudo e todos pra conseguir realizar o sonho de ser mãe; e as celulites… Ah, as celulites significam “eu sou gostosa” em braile.

Adolescência: fase complicada na hora de se vestir

6) Vc sempre se vestiu bem?

Pelo que me recordo sim. Na adolescência foi mais complicado. Acho que todo mundo já passou pela fase calça jeans, camisetona e blusa amarrada na cintura! Que horror! Sem contar as modinhas que surgem e dali uns 5 anos olhamos nossas fotos e nos matamos de rir com as coisas que usávamos! Mas sempre costumo ouvir elogios relacionados ao meu modo de vestir e isso me deixa muito orgulhosa!!! Uma vez, uma amiga me levou no shopping, me deu uma certa quantia em dinheiro e disse: Bia, por favor compre as roupas que vc quiser, mas me deixe mais bonita e feliz! Caramba, que responsabilidade! E nesse momento percebi que não adiantava escolher o que eu gostava em mim, mas sim o que ficaria bem pra ela! Pra mim foi um grande aprendizado! Me vi como uma personal stylist! E não é que por fim a brincadeira deu certo! Adorei!

_________________________________________________________________

Quer contar a sua história no Blog Mulherão? Envie para: blogmulherao@hotmail.com. Título do e-mail: Espaço da leitora

16 Comentários

Arquivado em comportamento, Dança, Espaço da Leitora, Uncategorized

Chair dance

Por Madame Juju

Meninas, preciso dividir com vocês a minha experiência na aula de chair dance. Lá na academia que eu freqüento, resolveram lançar essa aula, como experimental, uma vez ao mês. Ouvi comentários da aula e fui me inscrever!

ADOREI, achei bem divertida e posso afirmar que cansa. Portanto acredito que exercita bem, e sem você perceber, praticou uma atividade física durante 2 horas. Dançar faz bem e é um exercício muito bom, mas não pensem que não passou pela minha cabeça algo assim: “hum… será que vou conseguir fazer todos os movimentos, toda aquela cruzada de pernas, o levanta e senta?”.

SIM!!! Passou pela minha cabeça! Mas para todos os movimentos existem adaptações, e uma professora experiente já vai dando as dicas de acordo com o passar dos movimentos. Outra coisa, não importa se somos gordinhas, baixinhas, magrinhas e altinhas, cada uma chega lá com alguma insegurança.

Percebi, no começo da aula, magrinhas que estavam tão sem graça como eu. Altinhas se familiarizando com a cadeira e cheinhas que estavam se sentindo a última coca-cola do deserto. E acreditem: é muito gostoso ver uma gordinha se sentindo a última coca-cola do deserto!

Para ser bem sincera, como já disse, no começo eu fiquei bem sem graça de passar as mãos no meu corpo e fazer caras e bocas e jogar os cabelos, dentro de uma sala cheia de pessoas desconhecidas, mas aos poucos, tanto eu como a mulherada começamos a nos soltar, e finalmente estávamos todas flertando com o espelho.

Eu sei que saí de lá inspiradíssima, querendo ensaiar mais a tal coreografia da cadeira, e claro, arrumar um namorado para eu mostrar os meus novos “skills”. Saí de lá querendo fazer aula de pole dance e de dizer para o mundo o que eu havia acabado de experimentar.

Existem, hoje no mercado, além das academias voltadas para o público feminino, também academias que ensinam as danças eróticas, assim como: o strip tease, o pole dance e a chair dance, acredito que além de exercitar e ser divertido, freqüentar uma dessas aulas é também um estímulo pro nosso ego, para a nossa auto-estima. Afinal, ter consciência corporal, descobrir o movimento ou a posição que nos faz sentir bem certamente irá influenciar na nossa postura e no “sex appeal”.

Para praticar:

São Paulo 

Eu faço academia na Formula do Market Place. Aulas de chair dance lá ainda não são oficiais, mas estamos torcendo para isso.

 Escola de Pole dance, esta escola fica na vila madalena, é voltada para o pole dance e funciona como um portal, dando endereços de vários lugares em todo o Brasil.

Rio de Janeiro

Up dance Studio

 Goiânia

Action Studio

12 Comentários

Arquivado em Dança

Espaço da leitora: Pamella Domingues

Peso X Atividade Física

Olha, você tem que fazer uma atividade física! Você precisa de uma vida ativa, não pode ser assim tão sedentária!Quem que está acima do peso e nunca ouviu esta frase? Pois é, porque as pessoas pensam que quem é ou está gordinha não faz exercícios? 

Desde que me entendo por gente, estive acima do peso. Na fase de infância isso foi super complicado, pois as crianças são cruéis e quando resolvem atacar o primeiro ponto fraco é o externo. Mas, nem preciso me estender neste assunto, pois aposto que a minha história não é diferente da de muitas de vocês.

Apesar disso, sempre me senti bonita, sempre fui vaidosa. Não saio de casa sem passar ao menos um lápis e rimel. Até para a faculdade de Ed. Física eu ia as 7hs da manhã… Maquiada! Pois é, por falar em Ed. Física é neste ponto que quero chegar. Sim, fiz faculdade de Ed. Física, mas não concluí por conta da minha dedicação à dança.

 Comecei a fazer aulas de ballet aos 5 anos de idade, além dos fatores disciplinares e de elegância que o ballet trás, o objetivo era fazer com que eu emagrecesse. Para variar, eu era a única criança “fofinha” da turma, mas a que abria o maior espacate de todas. Dancei em todos os festivais da escola na época. Entrei então no jazz, na natação, na ginástica olímpica, no tênnis e no sapateado e continuei acima do peso.

 No colégio, participava de todos os esportes e fazia aulas complementares de Vollei e Handball. Foi então que resolvi entrar na Capoeira. Emagreci bastante nessa época, porém ainda bem acima do peso. Foi quando em 2000 resolvi me matricular numa aula de Dança do Ventre, que já era encantada pelo ritmo, pela cultura, pelos trajes e movimentos há muito tempo. Me apaixonei de cara e me dediquei de corpo e alma. Emagreci também na época, acredito que mais pelo fato de precisar ficar de top e cinturão do que pela queima de calorias nas aulas. A questão da auto-estima também fez com que eu emagrecesse porque me sentia muito, muito feliz.

Estudei muito, dança, história, ritmos, movimentos até que comecei a dar aulas. Participava de todos os festivais e workshops que podia. Em 2006 realizei um dos meus maiores sonhos: Fui para o Egito estudar. Lá conheci grandes nomes da dança, bailarinas egípcias e de outros países também que são ícones para nós, bailarinas. Dancei com banda de músicos ao vivo no maior festival de dança do Cairo, passeei muito e voltei com as malas cheias de lindos trajes e com a cabeça desacreditada de tanta emoção.

Hoje a dança faz parte da minha vida e acredito que fará parte pra sempre. Aliás, a atividade física SEMPRE fez parte da minha vida e irá continuar fazendo, estando acima do peso ou não! É algo que faço para mim, para me sentir bem por dentro, para manter minha auto-estima e minha sensualidade em dia. Acredito que toda mulher precisa de algo que a faça sentir-se bem. Eu encontrei isso na dança!

25 Comentários

Arquivado em Dança, Espaço da Leitora

FWPS – Confira a apresentação de Shaide Halim na abertura do desfile

15 Comentários

Arquivado em Dança, Fashion Weekend Plus Size, FWPS

Olha só quem vai dançar (no bom sentido) no FWPS

Por Renata Poskus Vaz

Shaide Halim tem tudo para ser uma modelo plus size de sucesso: tem um belo corpo com harmoniosas medidas, é linda e fotogênica. Embora reúna todos esses predicados, o negócio dela é mesmo dançar. Iniciou no estudo do ballet clássico em 1982, mas não parou por aí. Cursou jazz, flamenco, sapateado, danças afro, tribal, brasileiras e indianas, entre muitas outras modalidades. E para nossa grande satisfação irá se apresentar no Fashion Weekend Plus Size.

Em 2009 cria a C’est Vintage Cies des Arts, grupo que resgata danças pouco exploradas atualmente, como o charleston, can can, jazz cabaret, rockabilly e outras danças antigas, além de performances pin up e burlesque.

Atualmente, Shaide Halim coordena seu estúdio de dança e demais projetos culturais, leciona na Escola Sete Véus, na Zona Norte de São Paulo (jazz, dança indiana e estilo tribal), atua como  diretora e coreógrafa da CiaHalim Estilo Tribal e C’est Vintage Cies des Artes, além de ministrar shows, cursos regulares e workshops pelo Brasil.

Veja uma das apresentações de Shaide com suas alunas:

Shaide tem um estúdio de dança na Vila Mariana, em São Paulo. Clique aqui e saiba mais.

14 Comentários

Arquivado em Artistas, Dança, Fashion Weekend Plus Size, FWPS