Arquivo da categoria: Saúde

7 dias de Renata Poskus e Simone Fiuza no Spa Jardim da Serra

renata e fiuza

Por Renata Poskus Vaz

Como vocês sabem eu sou uma gordinha geração saúde. Virei rata de Spa. Tá, vai, não chega a tanto, fui apenas duas vezes para Spas,  mas amei a experiência e pretendo repetir muitas e muitas vezes.

Neste domingo, vou para o Spa Jardim da Serra, que fica na cidade de São Pedro, interior de São Paulo e que me foi recomendado por Priscila Amaroli, uma queria leitora aqui do Blog Mulherão.

Passarei 7 dias lá. Com certeza serão 7 dias incríveis. Minha companheira de Spa, Hannah Perez, infelizmente desta vez não pode me acompanhar. Mas foi por um ótimo motivo, claro, já que ela tem uma figuração na Globo na semana que vem.

Então, minha parceira nesta terceira experiência em Spa e a primeira no Jardim da Serra será  a minha amiga e modelo plus size Simone Fiuza.

Fiquem ligados pois contaremos nossa experiência aqui no Blog Mulherão, diariamente.

Sigam também nosso Instagram: @simonefiuza e @renataposkus para receber notícias fresquinhas.

4 Comentários

Arquivado em Saúde

Equilid: O dia em que meus seios incharam, incharam e quase explodiram

renata poskus_saia godê plus size

Tive que usar a mesma foto de ontem para ilustrar a matéria, sorry!

Por Renata Poskus Vaz

Antes de contar sobre o dia em que meus seios incharam, incharam e quase explodiram (melodramática, né? Em 5 anos me aturando vocês já deveriam ter se acostumado com o sensacionalismo!rsrsrs), preciso contar que andei bem deprimida e relutei muito tempo para assumir isso.  Eu achei que eu estava triste, e sabia os motivos da minha tristeza, então achava que poderia me alegrar sozinha resolvendo esses problemas.

Mas os problemas iam se resolvendo e, mesmo sem a existência deles, tranquila, e até mesmo vivendo algumas grandes conquistas profissionais, eu continuava caidinha. Sabe aquela preguiça danada? Então, agora, multiplique-a por 10. Não conseguia trabalhar, levantar da cama, fazer coisas básicas do meu dia a dia como ir ao banco ou organizar a rotina do Blog Mulherão. Não me maquiava, não penteava o cabelo… Não conseguia, simples assim. Sorte que pude contar com a ajuda de meu pai, minha sócia e amigas.

Eu me acho a boazona, que dá conta de tudo, resolve tudo.  E na maioria das vezes, modéstia à parte, sou mesmo. Mas desta vez eu fiquei bem próxima de perder essa batalha. Eu já vinha fazendo terapia e mergulhando de cabeça na espiritualidade, mas dei a última cartada: procurei um médico.

Ele me receitou Equilid (sulpirida). A bula até assusta, embora não seja tarja preta. É  um remédio que eleva o humor em pacientes deprimidos, mas pode ser usado também para esquizofrênicos e pessoas com sintomas psicóticos, em doses maiores. O médico olhou para mim e disse: “mas ele deixa a mama um pouquinho inchada, tudo bem?”.

Ah, nem liguei! Já tenho um peitão plus size do tamanho do mundo! Inchar um pouquinho, o que é que tem? ninguém ia perceber!

Ledo engano. Eu percebi. Os botões das blusas não fecham mais. Meus seios incharam muito, tanto que me sinto sufocada quando deito. Passou de um sutiã 48 para um 52 bem apertado (será que já estou no 54?rsrs). Meus seios cresceram mais de ontem para hoje! E não deveria, porque emagreci esses dias. Ou seja, meu manequim de sutiã deveria sim estar apenas no 48, ou até menor.  E quem me conhece de pertinho, sabe que tenho costas estreitas, que não comportam esse peitão todo! rsrsr

Fui ler a fundo a bula do remédio e vi que o Equlid (sulpirida) aumenta a função das glândulas mamárias. E isso inclui produzir, eventualmente, leite. Isso mesmo! Ele aumenta a produção de prolactina.

Aí, olha só a comédia. Sou super influenciável por esses efeitos colaterais das bulas de remédio. E bem após perceber o aumento do meu seio e ler a  maldita bula tinha um encontro com um gatinho. Pirei! Fiquei imaginando se de repente aquela paquera evoluísse e virasse um namoro, como eu iria explicar um belo par de seios dignos de atriz pornô de cinema norte americano jorrando leite. Não ia ser nada bonito!

Pesquisei a fundo e descobri que mães que não conseguem amamentar seus bebês tomam Equilid indiscriminadamente para aumentar a produção de leite.  Porém, pelo  leite é passado também o remédio, que pode aumentar riscos de problemas cardiovasculares no bebê, além de um montão de outros efeitos colaterais. Não vale a pena realizar o sonho de amamentar e colocar a saúde do bebezinho em risco.

Isso serve para vocês também, meninas. Não tomem remédio sem prescrição médica. Se eu divido essas coisas com vocês é porque aprendi a rir das minhas dificuldades  e, neste caso, para mostrar que sou solidária a todas vocês que eventualmente tem peitões maiores que os meus, ou que também estejam fazendo uso desse medicamento. rsrsr

Vou continuar tomando o remédio,  porque ele me deu forças para levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Enquanto isso, vou tirando onda com a nova comissão de frente e, de repente, faço mais matérias sobre decotes e sutiãs reforçados, para vocês.

🙂

13 Comentários

Arquivado em Saúde, Uncategorized

Ex-modelo plus size cria projeto de vida saudável e reúne mais de 10 mil fãs na internet

Por Renata Poskus Vaz

Olá, mulherões! Eu já falei diversas vezes para vocês, aqui no Blog Mulherão, sobre a Hannah Perez.  Ela é minha amiga (amiga de verdade mesmo, de saber meus podres e muito mais!rsrsrs). Além de minha amiga, já foi minha modelo e hoje é também minha companheira de Spas e vida saudável.

Ela me estimula a seguir uma alimentação mais saudável e juntas passamos 15 dias em um Spa no fim do ano passado.

Hannah criou uma página no Facebook em que divide com suas seguidoras a sua rotina de exercícios e alimentação e já reuniu mais de 10 mil fãs.

Neste fim de semana saiu uma matéria bem legal no Jornal Extra sobre a Hanna e seu “Projeto Panicat”, que eu quero dividir com vocês.

A Haanah é um bom exemplo de que é sim possível emagrecer com saúde e que a cirurgia bariátrica não é a única solução em casos em que a saúde do obeso mórbido está debilitada. Ah, e detalhe, antes que digam que estou virando a casaca e promovendo a magreza das minhas leitoras, a Hannah continua um mulherão. Pesa mais do que eu. 😉

Veja a matéria do Extra, clicando aqui.

emagrecer 2

emagrecer 3

emagrecer 4

 

9 Comentários

Arquivado em Saúde

Aula de ballet, jazz e stiletto para mulheres plus size em São Paulo

plus size 1

Por Renata Poskus Vaz

Eu já contei para vocês que tive meus sonhos de bailarina frustrados. Quando tinha 17 anos, minha professora de ballet disse que eu não iria me formar por ser muito gorda (e olha que eu pesava só 60 Kg na época). Eu era muito menina e, na época, não  insisti no meu sonho.

Mas o tempo foi passando e eu sempre quis voltar a dançar. E até ensaiei um retorno, fiz aulas, fui muito bem recebida por minhas amigas magrinhas, mas não conseguir acompanhar a turma. Acima do peso, meus tendões pediram socorro. Fiz uma pausa.

Procurei uma escola de ballet conceituada e pedi que fizessem um projeto que atendesse mulheres plus size, com ou sem experiência em dança e que queiram um atendimento especializado.
E consegui! Veja só  a descrição do curso:
PLUS SIZE DANCE
Com o objetivo de atender a demanda do novo perfil feminino, o Studio Corpo e Dança –Ballet Cristiane Rabelo juntamente com Renata Poskus do Blog Mulherão criou o PLUS SIZE DANCE.
É um novo Curso com aulas semanais de ballet clássico, jazz dance e stiletto, para mulheres plus size. O curso não forma profissionais, mas respeita os limites de cada aluno. Com exercícios moderados e visando principalmente a satisfação pessoal, a realização de um sonho, a superação e valorização da auto estima, além de fortalecer a musculatura de todo o corpo, corrigir a postura e desenvolver o alongamento, o PLUS SIZE DANCE prova que o peso, tamanho e forma realmente não determinam graciosidade e capacidade de transmitir emoção através da dança.
Venha participar da nova sensação!!
São 2h de aulas incluindo 3 modalidades
Turma A – acontece as terças e quintas das 19:30h as 21:30h
Turma B – acontece as segundas e quartas das 18:30h as 20:30h
Turma C – acontece aos sábados das 10h as 12h
Mensalidade R$ 314,00
Matricula grátis 15 vagas por turma. Numero mínimo para formar a turma : 5 alunas
Indicados através do Blog Mulherão ganham 30% de desconto.
As 5 primeiras inscritas ganham 50% de desconto (ou seja, R$157 mensais)
Os descontos são válidos até dezembro de 2014.
Local:  Studio Corpo e Dança – Ballet Cristiane Rabelo fica na Rua Altinópolis, 333/ Água Fria – SP/ Zona norte
Informações: (11) 2972-1073
Quem topa?

8 Comentários

Arquivado em Saúde

Retenção de líquidos? Não, você está gorda mesmo!

retenção de liquidos 1

Por Renata Poskus Vaz

Como vocês sabem, eu trabalho com modelos plus size. É comum contratar uma modelo e só na hora do trabalho percebo que ela está 2 manequins maior do que aquele que ela informou ao se candidatar para a vaga. Tenho que ser rígida. Se estou contratando uma modelo manequim 50 não posso receber uma 46 e nem uma 54. Então, indago (se bem que a resposta é óbvia, mas pergunto mais para justificar um possível corte): “engordou, fulana?” e a modelo responde: “não, é que estou para ficar menstruada e estou retendo líquido”.

A desculpa não rola. Primeiro porque modelo assume um compromisso com seus contratantes, ela precisa manter medidas para trabalhos, não pode nem engordar e nem emagrecer (poder pode, mas deve atualizar material e fornecer sempre medidas atualizadas) ou então tentar outra profissão. Muitas roupas são confeccionadas na medida exata da modelo e oscilações severas de peso, seja para baixo ou para cima, podem estragar toda uma produção. Sim, o mundo da moda é rígido e não perdoa nem as gordinhas.  Se as modelos plus size querem ser tratadas como iguais, devem se adequar à essas exigências.

Além disso, nós, mulheres, menstruamos todos os meses. Então se o inchaço é tão severo a ponto de te fazer reter líquidos todos os meses de forma tão exagerada, o melhor a se fazer é procurar ajuda médica. Afinal, uma retenção de líquidos drástica pode desencadear outros problemas graves de saúde.

Quer um exemplo?

Eu sou gorda, mas também tive uma crise séria de retenção e ainda investigo possíveis  problemas circulatórios. Este é  meu lindo pezinho (nojento!) no início do ano:

pé

Você que não  é modelo plus size, não tem um compromisso de manter medidas com ninguém. Se você não tem retenção de líquidos, ou se tem mas não o suficiente para engordar tanto em tão pouco tempo, não use isso como desculpa para o fato de estar gorda. Você não precisa mentir ou se envergonhar de ter engordado. Você  não vive do seu corpo e ninguém paga as suas contas!

Se alguém, no dia a dia, te perguntar se engordou, em uma situação que não vá fazer diferença alguma para quem está te perguntando, não se justifique como se você fosse culpada por estar acima do peso. Não invente doenças e síndromes. Você é uma mulher comum,  não é modelo, tem o direito sobre seu corpo e sua saúde. Não estou cobrando que você seja uma militante da banha, apenas não minta para os outros e para si mesma.

Você pode ficar quieta,  ignorar a pergunta, ou na lata dizer que o cara é um intrometido. Eles já imaginam o porquê de você estar gorda, só estão testando a sua sinceridade. 😉 Ninguém assume os brigadeiros que come, masbota a culpa na retenção hídrica. Seja sincera com você! O resto, é  apenas resto. 🙂

3 Comentários

Arquivado em Saúde, Uncategorized

Eu me amo, com ou sem barriga!

Por Renata Poskus Vaz

Pensei muito se postaria a foto do meu pânceps aqui. É muita exposição. Mas como querer me preservar agora se, no passado, eu comecei a fazer  sucesso com o Blog Mulherão justamente falando de minhas experiências fracassadas e vergonhosas de emagrecimento? Como por exemplo quando tomei Xenical e soltava puns cor de laranja, de pura gordura, na calcinha. Eca! rsrsrs (leia aqui)

Eu me autoesculhambei desde o início no Blog, sem medo, sem vergonha. Mas isso, no final, foi bom para mim. Afinal, cada experiência compartilhada retornou para mim em forma de incentivo e autoestima. Ou seja, mostrar meu bacon aqui ou acolá, é só mais uma experiência, uma história para contar.

Então, vamos lá. Antes de mais nada,  para quem não acompanha com frequência o Blog, ou acompanha mas perdeu postagens anteriores, tenho vivido um processo de reeducação alimentar e manutenção de hábitos saudáveis. Quero ser um mulherão saudável. Usar meu manequim 46 com saúde, porque antes eu estava doente.

Após perder mais de 10 Kg, minha saúde ficou nota 10, incluindo o adeus à esteatose hepática e aos cistos nos ovários (que podem, mas não vão voltar!). Eu havia me afastado da academia, estava cansada e um pouco apática. Voltei faz 15 dias. Meu peso não alterou em nada, mas caminhar 60 minutos todos os dias já fez uma diferença enorme no meu abdômen.

Quero deixar claro que o incômodo que uma barriga inchada me causa não é estético. Eu não odeio minha barriga, mas me amo o suficiente para ser feliz com ou sem ela. Já para minha saúde, sinaliza que estou com excesso de gordura no fígado. E como já tive um  quadro complicado de esteatose hepática,  preciso sempre prevenir.

Fiquei feliz com essa redução em 15 dias. E quis dividir com vocês (é uma pena que o pouquinho de bunda tenha ido embora junto) :p Meu peso continua o mesmo.

barriga

 

 

11 Comentários

Arquivado em Mulherão Saúde, Saúde

“Litha, você emagreceu tanto, o que você fez?”

Por Litha Bacchi

Faz mais ou menos 1 ano que muitas leitoras vêm me perguntar isso. Eu me esquivei da resposta por muito tempo. Acho que, principalmente, porque eu ainda não tava vendo eu no meu novo corpo. Eu tinha aceitado que era gorda, eu estava feliz, era a minha identidade (não que eu tenha virado magra, longe disso, era apenas um corpo que eu não reconhecia mais).

Eu não fiz cirurgia. Eu não fiz dieta. Eu não tentei emagrecer. Foi uma combinação de fatores e muitas hipóteses. Eu me mudei pra Londres em setembro/outubro de 2012 e minha vida mudou muito.

1) Eu parei de tomar pílula anticoncepcional, pois aqui não dá pra entrar na farmácia e comprar, tem que ter receita médica todo mês. Fiquei enrolando pra ir e acabei decidindo não tomar mais mesmo.

2) Tenho uma doença auto imune na minha tireoide, que melhora ou piora por motivos que nunca dá pra saber direito quais são. Pois ela deu uma melhorada depois que eu vim, eu não sei o porquê. Eu tomava 150mcg de T4 e agora eu tomo 100mcg.

3) Londres tem muito mais escadas do que Porto Alegre. Eu faço muito mais baldeação no transporte público do que em Porto Alegre. Eu não tenho mãe ou amigos com carro, e o táxi é caro, então só ando de transporte público.

4) Eu comecei a trabalhar no setor de alimentação, primeiro num fast food, depois como garçonete. A gente passa muitas horas de pé, carrega peso, sobe e desce escada, limpa tudo, etc.

5) Eu não tenho mais comida à vontade, porque sou eu que compro a minha própria comida. Antes a minha mãe mantinha a geladeira cheia, às vezes até me dava o cartão dela pra eu mesma ir no super mercado e comprar tudo o que eu queria. Por incrível que pareça, quando eu era mais gorda eu comia muito melhor. Eu vivia comprando todos os tipos de legumes, carnes, peixe, etc, e tinha uma alimentação muito variada.

Quem nunca foi solteiro morando sozinho, que jogue a primeira pedra: mas comida não é um gasto prioritário pra mim. Eu compro comida o suficiente pra me manter alimentada, e como tudo o que posso quando é de graça (trabalho em restaurante). Perto de casa uma caixinha de frango frito é 1 libra, um pacote de cookies é 59 pence. Comida congelada é baratíssimo. Mas eu como menos do que eu comia antes. Não tenho uma alimentação tão boa, mas como menos.

Eu não tentei emagrecer, a vida me emagreceu. Talvez a vida me engorde de novo. Eu parei de perder peso espontaneamente e estabilizei. E também não estou tentando perder peso nenhum. Eu absolutamente detesto falar de dieta e métodos para perder peso porque isso me traz uma sensação muito ruim da parte da minha vida onde eu não me aceitava e me sentia muito triste. Por isso eu ignorei muitas vezes quando me perguntavam, ou dei alguma resposta curta. Porque o assunto me faz mal. Resolvi escrever esse post pra esclarecer e evitar que me perguntem novamente. Espero que entendam, mas o assunto “emagrecimento” me traumatizou muito durante a vida e não é algo que eu queira conversar sobre de novo.

8 Comentários

Arquivado em comportamento, Saúde, Uncategorized