Arquivo da tag: amanda santana

Nova coleção plus size da Vislumbre Moda Íntima

Por Renata Poskus Vaz

A Vislumbre Moda Íntima lança sua nova coleção plus size. A modelo do catálogo é a carioca Amanda Santana. As peças desse catálogo serão apresentadas no Fashion Weekend Plus Size, que acontecerá em  agosto, no Centro de Convenções Frei Caneca.

lingerie plus size 1 lingerie plus size 2 lingerie plus size 3 lingerie plus size 4 lingerie plus size 5 lingerie plus size 6

Para acessar o Facebook da Vislumbre, clique aqui.

10 Comentários

Arquivado em Lingerie, Moda e estilo

TOP 10: As 10 modelos plus size que foram revelação em 2013

Por Renata Poskus Vaz

Não é fácil ser modelo plus size no Brasil. Muitos profissionais do mundo da moda ainda veem nossas modelos com descrédito, como se fossem amadoras. Elas precisam conviver com (e lutar contra!) diferenças de cachê em relação às modelos magras, condições dignas de trabalho, respeito ao seu direito de imagem e período de divulgação de seus trabalhos etc.

Até pouco tempo atrás, algumas modelos reinavam absolutas nesta pequena e profissional fatia do mercado plus size. Hoje, o cenário é outro. Muitas carinhas novas surgiram em 2013. Minha lista não aponta necessariamente as melhores modelos, mas as que mais se destacaram, seja em quantidade ou qualidade dos trabalhos realizados em 2013. Minha lista está em ordem alfabética.

1) Alyne Zattar

aline zattar

Aline Zattar com certeza foi um dos grandes destaques de 2013 do mundo plus size. A loira tem 1,69m de altura, 105 cm de busto, 89 cm de cintura, 123 cm de quadril e usa manequim 46. A vida pacata dessa catarinense mudou quando conquistou, no início de 2013, o título de Miss Brasil Plus Size.  De lá para cá foram dezenas de trabalhos para catálogos e revistas, além de entrevistas para a TV, como por exemplo, a que deu agora em dezembro para a renomada jornalista e apresentadora Marília Gabriela. Quem olha a desenvoltura de Aline frente às lentes dos fotógrafos não consegue imaginar que este é um mundo muito novo para ela.

Muito requisitada, Aline comprovou ainda o despreparo de algumas grifes na escolha de suas modelos. O que observei é que Aline, por sua beleza e todo o trabalho que tem feito junto à mídia, agregou muito valor ao seu nome e imagem. Um valor positivo, de mulher linda, poderosa e famosa. No entanto, algumas grifes a contrataram para trabalhos como uma simples modelo (será que realmente não sabiam quem ela era?). Aline fez 90% dos catálogos das grandes malharias plus size de Santa Catarina. Malwee, Lunender, Sulfabril, Cativa, Vínculo, entre outras. Marcas concorrentes diretas, quase todas ta região de Jaraguá do Sul, que fabricam roupas muito parecidas. Todas essas marcas usam em seus lookbooks e catálogos produções bem básicas, para destacar unicamente a roupa. Nisso, todos os catálogos que Aline fez para essas grandes marcas pareciam os mesmos catálogos.

É de propósito? A intenção dessas marcas é realmente ser confundida com suas concorrentes? Caso contrário, uma delas poderia aumentar o cachê de Aline e a contratar com exclusividade, usando inclusive seu título de Miss Brasil para ajudar a alavancar as vendas.

Fica a dica para as marcas, que criam uma identidade e não ficam parecendo cópias umas das outras e para Aline, que continuará brilhando sem ter sua imagem desgastada.

2) Amanda Santana

amanda santana

Esse negócio de conquistar uma coroa de Miss Gorda parece ajudar – e muito! – a alavancar a carreira de novas modelos plus size. Isso aconteceu também com Amanda Santana, vencedora do Miss Plus Size carioca, cuja coroação aconteceu no finalzinho de 2012.

A visibilidade conferida por meio das entrevistas e programas de televisão fizeram de Amanda uma modelo bem requisitada no Rio de Janeiro, embora poucas grifes trabalhem com moda segmentada por lá. Ela é garota propaganda da Glamour Fashion, uma popular rede GG do Rio de Janeiro. Passou a coroa recentemente, mas manteve seus contratos para 2014.

3) Babi Monteiro

julia plus

Dá para acreditar que a mocinha linda acima está prestes a completar 40 anos? Pois é, convivam com isso! rsrsr… Babi Monteiro também é relativamente nova no mercado plus size. Ela é antecessora de Aline Zattar no concurso Miss Brasil Plus Size. Imagino o quanto deve ser difícil para uma ex-miss ( é assim que se fala ou o título é eterno?) entregar a faixa e se tornar apenas só mais uma entre tantas modelos lindas. Porém, se é que algum dia Babi sentiu alguma insegurança nesse sentido, ela tirou de letra.

A modelo trabalha em um mercado bem novo, o de Brasília. Não existem quase confecções por lá. Acaba trabalhando para multimarcas e desfiles locais. Os maiores trabalhos ela faz aqui em São Paulo, como este da foto para Julia Plus e no Fashion Weekend Plus Size, em que é uma das queiridinhas e mais requisitadas pelos estilistas por desfilar com graça e elegância.

Babi é reconhecida por sua forma doce, educada e ética ao se relacionar com quem trabalha com ela.

4) Cleide Cavalcante

cleide cavalcante

Em um mercado que ainda prefere as modelos plus size com manequins do 44 ao 48, certamente você não viu Cleide estampando catálogos de moda por aí (e talvez não verá tão cedo, não porque ela não mereça, mas porque algumas grifes ainda não acordaram e ainda marginalizam as mais gordinhas). Ela fez um catálogo de moda para a marca Mulher Virtuosa, do Rio de Janeiro, e participou do Fashion Weekend Plus Size em fevereiro deste ano. A imagem de Cleide neste vestidinho justérrimo brilhante rodou o mundo. Apertado demais? Celulite demais aparecendo? Dane-se! A ideia da marca era mostrar que eles fabricam moda moderna e jovem até o tamanho 60, para a mulher que curte todo o seu corpo e que não liga para a opinião alheia e, para isso, precisavam de uma modelo que realmente representasse suas clientes. Cleide desfilou com exclusividade para essa marca.

Cleide entrou confiante na passarela, fez caras e bocas e poses super sensuais. Talvez tenha sido um dos seus poucos momentos como modelo em 2013, mas esses poucos foram de arrasar!

Fica como exemplo para as marcas de incluir também em seus catálogos modelos com manequins acima do 50. Ia ficar tão mais bonito e democrático um catálogo com uma modelo 44 e uma 54, não acham?

5) Cléo Fernandes

cleo fernandes

Cléo Fernandes conquistou o título de Miss Brasil Plus Size na mesma época de Babi Monteiro, só que em um concurso realizado por outra organização. No entanto, o concurso de Cléo não teve edição 2013 e a morena continuou com a coroa até hoje.

Talvez você ache injusto Cléo integrar uma lista de revelações, pois ela trabalha tanto e tão bem que a ideia que temos é a de que já a conhecemos há anos, não é? Nada disso. A carreira dela é recente, tem apenas 2 anos. E mesmo que não tenha se revelado em 2013, este ano serviu muito bem para reforçar a imagem que ela construiu em 2012.

Cléo é de Goiania, linda e muito profissional. Nas rádios fofocas da gordolêndia diziam que possivelmente ela seria menos requisitada para trabalhos do que em 2012, ainda mais com a chegada de novas e lindas modelos ao mercado. Porém, não é o que aconteceu.

A agenda de Cléo continua lotada, ela viaja por todo o País e, sinceramente, não sei o que ela ainda está fazendo trabalhando só no Brasil.

6) Gabriela Schio

gabriela schio

Eu coloquei esta foto sorridente em um trabalho que fez para a Pianeta, mas a modelo Gabi Schio é boa também no corão, sendo uma das modelos mais expressivas que já conheci. Faz um carão sexy de matar! Sua carreira também é relativamente nova. Ela perdia muitos trabalhos e sofria muito preconceito no meio plus size por usar manequim 44 (gente, já chega disso!). Ao chegar ao manequim 46, os trabalhos começaram a aumentar. Desfilar no Fashion Weekend Plus Size em fevereiro também contribuiu para destacar essa gaúcha de Viamão.

7) Joice Baricalla

joice

Ela é de Santa Catarina, da cidade de Tubarão. Usa manequim 46 e se destacou no último ano em trabalhos que fez pela região. Para quem não sabe, além de ser um estado nota 10 em matéria de mulher bonita, também é em Santa Catarina que estão localizadas grandes indústrias têxteis.

Foi em um trabalho para a Carmella Cloo que Joice se tornou nacionalmente conhecida. Desfilou no FWPS e, no fim deste ano, ganhou o Miss Santa Catarina. Será Joice a substituta de Aline Zattar na final do Miss Brasil Plus Size 2014?

8) Maria Luiza

luiza

A linda morena tem 24 anos, 1,73m e usa manequim 44. “Chegou chegando”, como dizem aqui por aqui. Elegante, com lindos olhos azuis, fez catálogos para diversas marcas como Eclipse Lunar e Dress Code, mas se destacou nas campanhas de lingerie de marcas conceituadas como Morisco, Intimus Fashion, Valfrance… Além de desfiles e editoriais de revistas. Os ânimos se exaltaram com a entrada de Maria Luiza Mendes para o mercado plus size. Seria ela magra demais para ser considerada plus? Então, excluí-la de nosso mercado não seria uma injustiça, já que ela tem curvas demais para o mercado tradicional? Enquanto ninguém entra em um acordo, a modelo continua trabalhando.

9) Mirele Birck

mirele birck

Sabe o mesmo concurso que elegeu Cléo Fernandes como Miss Brasil Plus Size? Foi lá que Mirele ganhou o título de Vice-miss. Nada mal perder para Cléo Fernandes!

O título de vice-miss foi obtido após muito barraco. Eu estava lá e vi meia dúzia de senhoras também participantes do concurso ofendendo Mirele. Sabe por qual motivo? Por considerarem ela magra demais. Isso mesmo! A mesma conversa de sempre. Então, para 2013, Mirele tratou de dar uma engordadinha (óbvio que não foi por querer, né? só estou botando lenha na fogueira!rsrsr) e conquistou trabalhos para marcas consagradas como Elegance e Del Rio.

10) Sylvia Barreto

Sylvia Barreto

Sylvia Barreto não iniciou sua carreira em 2013, mas merece seu lugar de destaque em nossa lista por ter elevado a qualidade do seu trabalho como modelo plus size e ser, atualmente, o rostinho da marca Kauê (uma das mais conhecidas marcas para gordinhas do nosso País). Ela faz lookbooks semanais para a Kauê, além de catálogos e diversas campanhas, mantendo um exemplo de relacionamento que esperamos ver entre modelos e marcas.

Embora não trabalhe com exclusividade para a Kauê, Sylvia evita fazer trabalhos para marcas que apresentem concorrência direta. Isso é muito bacana!

****

Deixo aqui meu amor, respeito e gratidão pelas lindas e experientes modelos que não integram essa lista de revelações, mas que mesmo com tanta concorrência continuam firmes e fortes no nosso mercado: Marcia Saad, Silvia Neves, Simone Fiuza, Bianca Raya, Alessandra Linder, Tatiana Gaião, Mayara Russi, Fluvia Lacerda, Rita Carreira, Débora Fernandes, Carla Manso, Bruna Gonzales, Thainá Fuzaro e Andreia Miura.

E meu respeito e admiração para todas as outras e não menos importantes modelos plus size que fizeram de 2013 um ano mais bonito de se ver!

28 Comentários

Arquivado em Modelo GG

A história de superação da Miss Plus Size Rio de Janeiro

Por Renata Poskus Vaz

Amanda Santana, 29 anos, manequim 48, já foi uma menina triste, vítima de bullying na infância e adolescência. Achava que o emagrecimento seria a única forma de lhe trazer a tão sonhada felicidade. Mas só depois de muito tempo ela foi perceber que a maior mudança deveria ocorrer dentro dela e não em sua silhueta. Hoje, Amanda possui dois títulos de Miss Rio de Janeiro e é um exemplo de superação para muitas meninas que esperam, um dia, resgatar a autoestima.

Confira o relato de Amanda:

“Meninas, hoje quero contar um pouco mais sobre a minha história. Faço parte de uma família onde herdei a genética da obesidade.

Minha luta com a balança começou aos 7 anos de idade. Meus pais sempre tiveram atenção com minha saúde. Fui apresentada às dietas nesse período, mesmo sem entender o porquê de ter que que emagrecer. Como toda criança, não queria saber de dietas, gostava mesmo era das guloseimas. Os anos foram passando e eu continuei engordando, chegando na adolescência, fui sofrendo as consequências de ser gordinha. Sofria bullying e sempre faltava nos dias em que tinha aula de educação física  para evitar sofrer com as brincadeiras de mau gosto.

amanda 1

Neste período de transição entre a infância e adolescência fui motivo de chacota por onde eu passava, no colégio, nas ruas, nos transportes públicos, nas lojas de roupas e até mesmo entre amigos, piadinhas de gordo não faltavam. Nisso, fui me escondendo, evitava sair de casa, já não queria ir à escola,  fui me tornando uma adolescente complexada, triste e muito insegura.

Entre meus 15 e 16 anos já era obesa mórbida e não quis uma festa de 15 anos como toda menina sonha. Eu não me via com bons olhos, me achava feia, não tinha o corpinho das minhas amigas, e vamos falar sério naquela época não era fácil encontrar uma roupa básica, imagina um vestido de festa usando manequim 54.

page

Aos 17 anos decidi dar um basta! Meus pais já tinham tentado de tudo, nutricionista, endocrinologista, psicólogo, vigilante do peso, fórmulas, shakes e dieta da sopa, tudo que se pode imaginar de dieta. Um certo dia tive um choque de realidade, percebi que a decisão de emagrecer só dependia de mim. Minha mãe sofria junto comigo. Foi então que, chorando, com uma calça manequim 54 na mão, olhei para o espelho e chamei minha mãe e falei que seria a última vez que usaria aquela calça . Minha mãe me abraçou e, em prantos, disse que estaria ao meu lado em qualquer decisão.

page 2

Minha mudança de vida foi bem radical, peguei pesado na dieta, comecei a fazer exercício físico, fui vendo o resultado e me animava cada vez mais, cada mês meu manequim diminuía,  e no período de 1 ano e meio fui do manequim 54 ao 40. Foi então que me deparei com outro dilema: a perda de muito peso em pouco tempo me deixou flácida e com excesso de pele, necessitando de cirurgia plástica reparadora.

Mesmo com a nova silhueta,  eu me via ainda gorda. Tinha uma imagem distorcida de mim mesma, me achando feia. Ainda era escrava da dieta, mas num descuido engordava alguns quilinhos. Nessa fase eu já trabalhava, não tinha tempo de fazer exercícios físico, estava “magra” e não estava feliz e continuava a pensar gordo, pois adoro comer. Percebi que ser magra não era a solução para os meus problemas. Eu não era feliz comigo mesma, independente de como estivesse, magra ou gorda, o problema estava dentro de mim.

Os anos foram se passando e eu desencanei da balança. Na fase adulta aceitei que meu biotipo não era o de uma mulher magra e me conformei com meus quilinhos a mais. Neste período comecei a me interessar pelo mundo plus size. Foram 3 anos acompanhando a evolução do mercado plus, via roupas modernas, modelos e artistas se assumindo como gordinhas, fiquei tão empolgada que sempre comentava com as amigas do trabalho e em casa com minha família.  Fui incentivada por eles a fazer um book profissional. Mesmo me achando fora dos padrões de beleza, resolvi arriscar.

Amanda 8

Para minha surpresa recebi um convite para fazer um mega trabalho para a Glamur Fashion, renomada grife do Rio de Janeiro, e aceitei na hora. Quando surgem as oportunidades não podemos desperdiçá-las, e neste trabalho dei início a minha caminhada de superações. Nunca tinha usado blusa sem manga e, meninas, a coleção era primavera/verão! A experiência foi tão boa que pensei “é isso que quero pra minha vida” e percebi que através desse trabalho havia deixado para trás todos os meus complexos.

amanda 7

Orientada por uma amiga, fiz a inscrição para o o concurso Miss Plus size Carioca, organizado por Eduardo Arauju.  Pensei que seria uma experiência muito legal e uma oportunidade para conhecer mulheres gordinhas como eu, que tiveram as mesmas dificuldades que as minhas. Achei que me faria bem e me surpreendi ao ser agraciada com o título.

amanda 6

E olha só que Deus tem feito na minha vida! Meus sonhos não pararam por aí. Recebi o segundo título agora, o Miss Rio de Janeiro 2013 da organização de Renata Issas, e disputarei a final nacional em breve. Chego a não acreditar.

Sinto-me honrada em ser representante de um segmento onde eu realmente faço parte. Digo a vocês que depois dessas experiências hoje me vejo de outra forma. Amo minhas curvas, aceito minhas gordurinhas localizadas, celulites e estrias, não sofro mais, sei que elas fazem parte de mim, meu corpo não mudou, eu que mudei, porque TODA mudança tem que ser de dentro para forahoje consigo enxergar a tal beleza que todos sempre viam em mim. Sou muito mais feliz.

Com meu relato não estou incentivando a obesidade muito menos o sedentarismo, tenho preocupação com minha saúde, cuida da minha alimentação e faço exercícios. Quando olho no espelho vejo uma mulher segura e que sabe o que quer. Tudo que passei na maior parte da vida rejeitando, hoje me trás alegrias.”

16 Comentários

Arquivado em Curiosidades, Modelo GG, Uncategorized