Arquivo da tag: angola

Nota: Direito de imagem violado

Imagem de Tânia Almeida concedida ao Blog Mulherão e que foi usada indevidamente por jornal e empresa Angolana

Por Renata Poskus Vaz

Quero aproveitar esse espaço para manifestar minha indignação sobre um fato que ocorreu em Angola, recentemente, envolvendo o uso indevido da imagem de uma de nossas leitoras.

Brasil e Angola são nações irmãs. Muitos de nossos programas são retransmitidos lá e em outros países de língua portuguesa, o que faz com que tenhamos muitas leitoras africanas queridas, que nos conheceram por meio de reportagens na TV sobre o Blog Mulherão e o Dia de Modelo. Uma delas é Tania Almeida que, em 2009, nos concedeu uma entrevista (leia aqui).

Esta semana, Tania me contatou indagando se eu havia concedido direitos sobre a imagem dela para algum jornal ou boutique de Angola. Neguei e ela logo me explicou que um Jornal de Angola publicou uma matéria com a foto dela (veja aqui). Após indagar a jornalista, ela disse que recebeu as fotos da Empresa Mente Sana que, por sua vez, disse que recebeu as imagens de mim.

Definitivamente, tem gente que não tem mesmo vergonha na cara e mente descaradamente.

As fotos que recebo para as matérias do Blog Mulherão são divulgadas com o consentimento dos entrevistados. Nada é publicado sem consentimento prévio, com exceção no caso de celebridades mundialmente conhecidos (e sempre citamos fonte e damos crédito aos artistas).  Acontece que, ao longo de 3 anos de Blog Mulherão, algumas empresas inescrupulosas por meio de buscas no google, copiam e usam indevidamente as imagens divulgadas por nós. Não sei que nome jurídico é dado para esta ação, mas para mim, mera leiga, isso deveria se chamar furto.

Escrevo esta nota para esclarecer que não autorizamos a utilização da imagem de Tânia Almeida (até porque não tenho direitos sobre ela) e que, na segunda-feira, redigirei um termo com firma reconhecida pelas autoridades constituídas brasileiras atestando nossa conduta ilibada e afirmando que, se realmente alguma empresa obteve as imagens de Tânia por meio do Blog Mulherão foi copiando de forma ilícita, pois jamais compactuaríamos com isso.

Muito obrigada,

Renata Poskus Vaz

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Musa GG angolana fala ao Blog Mulherão sobre preconceito que sofreu em concurso de beleza

Por Renata Poskus Vaz

Em 2008, a revista Chocolate, admirada entre as jovens leitoras angolanas, organizou um concurso de beleza chamado Miss Chocotale, mas não imaginou que uma gordinha de 25 anos, 1,72m e 100 Kg seria uma das 10 finalistas. O nome dela é Tânia Almeida e criou uma saia justa entre os coordenadores da competição, que só analisaram fotos de rosto e esperavam apenas beldades magras em sua seleção.

Na foto acima, a linda angola que acompanha nosso Blog

Sem critérios de seleção, mas preconceito de sobra

O Miss Chocolate foi patrocinado por uma marca de linha de cosméticos e uma rede de perfumarias. As únicas exigências para participar do concurso eram a de se inscrever em uma das lojas e entregar uma foto em que estivesse usando os produtos da linha. E foi isso que a Tânia fez. Apoiada pela família, chamou uma amiga maquiadora, que por sua vez trouxe um fotógrafo, fez uma produção digna de modelo de capa de revista e tirou mais de 250 fotos. Depois, escolheu a predileta para a inscrição.

“Fui à perfumaria e me espantei quando a atendente deu uma gargalhada e disse que eu não poderia concorrer por estar fora dos padrões”, lamenta-se Tânia. Persistente, não se intimidou e falou com a gerente, que se desculpou pela atitude da funcionária e recebeu a sua candidatura.

Depois de um mês, Tânia recebeu a ligação da organização do concurso dizendo que estava classificada entre as 10 finalistas e que participaria de um ensaio final. “Quando chamaram pelo meu nome, olharam para a fotografia e para mim, depois olharam novamente, pareciam não acreditar que era eu”, desabafa.

à esq. foto que usou para se inscrever, à dir. foto realizada na etapa final

Uma vencedora

Em Angola, o preconceito é mais latente do que aqui no Brasil, agravado pela carência de personalidades GG e de lojas de vestuário para este púbico. Pelo que descreve Tânia, a organização da revista não esperava que uma gordinha se candidatasse a Miss. Ficaram surpresos, atônitos com a “audácia” deste mulherão. “Embora não tenha conquistado o primeiro lugar, consegui vencer o meu desafio pessoal e provei para muitas pessoas que quando queremos, independentemente do ”padrão”, nós podemos fazer. Desde então venci muitos dos preconceitos que tinha em relação ao meu corpo e melhorei bastante a minha auto estima”, fala a vencedora.

54 Comentários

Arquivado em comportamento, Preconceito