Arquivo da tag: casamento

Ele me trocou por uma mulher magra

Por Renata Poskus Vaz

Recebemos centenas de e-mails semanalmente com desabafos sobre as “amarguras”  de se estar acima do peso. Um deles me chamou muita atenção. Como a leitora pediu para não ser identificada, vou chamá-la simplesmente de amiga.

“Renata, estou muito deprimida. Meu marido, com quem eu vivia há 8 anos, me abandonou para ficar com uma mulher muito mais magra do que eu. Não sei  que fazer. Nada me tira da cabeça que ele me largou por eu estar gorda, já que eu era magra como ela quando nos casamos”.

Amiga, você não é a única mulher a terminar um relacionamento e logo ver o amado nos braços de outra. Isso é mais comum do que você imagina. Não existe um botão de liga e desliga do amor. Uma hora ele te ama loucamente e, de repente, ele desama e vai viver com outra só porque você está acima do peso. Não estou dizendo, também, que a força galinácea de certas mulheres não ajude a abalar relações. Mas, na maioria das vezes, quando se existiu amor de verdade, o fim do relacionamento é lento e quase imperceptível. Vocês vão se distanciando, se distanciando até que passam a fingir uma felicidade que não existe. Em algumas relações o amor cede lugar às brigas, conflitos ou simplesmente descaso… E isso pode durar anos até que o amor acabe de vez. A separação seria algo inevitável, mas ambos se acomodam e, muitas vezes, uma terceira pessoa é um objeto motivador para finalmente oficializar a separação. Enfatizo, apenas objetivo motivador e não a origem dos problemas.

Embora esteja com muita raiva da atual parceira dele, espero que reflita se seu excesso de peso é realmente o motivo principal da separação. Certamente, é este o motivo que você escolheu para tentar esconder um sentimento de culpa por também ter colaborado para que o seu relacionamento não estivesse 100%.

Amor não se define pelos ponteiros da balança. Se olhar bem para seu ex-marido verá que ele também deve ter mudado muito fisicamente nesses últimos anos, não é mesmo? E se o seu relacionamento já estava fadado ao fracasso era questão de tempo ele sair de casa e, com um tempo, procurar uma nova parceira, fosse magra ou gordinha. Afinal, homens não lidam bem com a solidão e precisam sempre de um rabo de saia para reafirmar a masculinidade.

Sei que, inicialmente, sua vontade será a de reconquistá-lo. Mas quando há uma terceira pessoa envolvida na história, talvez seja melhor dar um tempo. Ele fez uma escolha. E essa escolha foi partir, viver com outra e suas súplicas para ele voltar só te farão sofrer. Cuide de si mesma e recupere seu amor próprio. Você não é pior do que a atual do seu ex só por estar mais gordinha. E isso precisa estar bem claro para você neste recomeço de vida.

Você vai sofrer por dias, semanas ou até meses. Mas eu te juro que vai passar. E por experiência própria digo que, no futuro, quando você menos esperar, correrá o risco dele voltar te pedindo perdão. E se isso acontecer você já estará em outra e não terá por esse homem nada além de piedade.

30 Comentários

Arquivado em comportamento, Relacionamento

Até que a gordura os separe.

Por Keka Demétrio

Todos os relacionamentos são feitos de altos e baixos e isso é perfeitamente normal considerando-se que somos seres individuais, e mesmo que possamos compartilhar dos mesmos ideais e sonhos, cada um sente e reage à vida de forma distinta. Também não é nenhuma novidade que a questão da gordura é um prato cheio para uma relação chegar a ter mais baixos do que altos.

Vaca gorda. Depois de anos de relacionamento era assim que ele estava se referindo a esposa. Ela parecia não acreditar, mas o termo era esse mesmo: Vaca gorda. Nunca em sua vida quis tanto que o chão se abrisse sob seus pés e ela desaparecesse junto com aquela sensação que parecia consumir o resto do resto dos seus sonhos. Suas lágrimas pareciam queimar enquanto sua cabeça rodopiava. Embora tentasse coordenar os pensamentos, não conseguia se quer se manter em pé. Sentia-se um lixo.

Ela cresceu ouvindo piadinhas de mau gosto pelas formas arredondadas do seu corpo, e embora em alguns raros momentos se sentisse bonita, sua auto estima precisava de um guindaste para poder ser elevada. Foram anos e anos acumulando a sensação de se sentir um nada, alguém incapaz de despertar os sentimentos de alguém, e por isso ela mal acreditou que aquele homem tão interessante a paquerava descaradamente. Bom, o resto da história não é difícil de adivinhar, ela se apaixonou perdidamente e ficou realmente cega, surda e muda. Seus dias eram vividos em função do que ele queria e desejava, assim, pensava ela, ele nunca a deixaria, mas sem saber ela começava a viver à margem de si mesma. Não foi uma e nem duas vezes que após uma briga ela implorava perdão tomando toda a culpa para si, mendigando amor e carinho.

Viver à margem dos próprios sentimentos, carregados de medos e se auto depreciando é a melhor forma de se enfiar cada vez mais em um abismo chamado depressão. Permitir que alguém, quem quer que seja se dirija a você com ofensas é muita falta de amor próprio. E confesso, não tenho dó de quem vive assim, choramingando pela vida, lamentando as ofensas sofridas por parte do companheiro. Em nenhum relacionamento alguém é 100% culpado por todo o bem ou por todo o mal, ambos tem sua parcela de contribuição, e se ela deixou chegar ao ponto de ser ofendida por um termo tão chulo é porque ela também se trata muito mal. E sinto muito, mas quando a gente se trata mal tudo e todos à nossa volta age da mesma forma. Ação e reação, simples assim.

A baixa auto estima nos deixa vulneráveis aos relacionamentos de submissão, onde nos achamos tão ínfimos, tão nada que qualquer migalha é muitíssimo bem vinda e transformamos isso em “um grande amor”, até que um dia, pela dor, choramos pelo que nos tornamos.

Escutar piadinhas de mau gosto de estranhos é uma coisa, mas ouvir da pessoa que você jura ser o amor da sua vida dói, e não dói pouco não, dói pra c%$*&#, como toda dor de alma que se preze. Eu sei que o termo usado pelo infeliz foi pejorativo de mais, mas não pense que os termos chulos são privilégios de alguns, pois homem quando quer ofender é pior do que mulher despeitada.

Ok, eu sei que não é nada fácil ser GG em um mundo que valoriza quem é PP, mas peloamordequalquercoisa um relacionamento não é feito só das formas do corpo, e ninguém termina um relacionamento porque o companheiro está acima do peso, mas sim pelo o que essa pessoa faz em relação a estar acima do peso. Portanto, se nós mulheres não toleramos grosserias, homem nenhum suporta mulher chata, mal humorada, amarga, que só sabe reclamar da vida. E infelizmente é assim que a maioria de nós passamos a agir para depois dar uma de vítima (aff, detesto quem se faz de vítima) e dizer que foi abandonada porque estava gorda.  

 

66 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Por Renata Poskus Vaz

Na fase do namoro, a maioria dos jovens casais mora em casas separadas e a distância e expectativa pelo reencontro faz com que o eles praticamente entrem em ebulição quando se vêem. Neste caso, a saudade é praticamente um elixir da sexualidade. E é por isso que vemos tantos jovens casaizinhos no agarra-garra em pleno shopping Center, ou aquela fila de carros com vidros embaçados nas pracinhas… Eles têm pressa! Pressa porque sabem que logo cada um terá que voltar para a sua casa e só se reencontrará após dias.

Até que o casamento os separe

Com o casamento, a primeira idéia que passa por suas mentes é que poderão, finalmente, ficar sozinhos. Mas junto com a liberdade e privacidade, surgem novas responsabilidades e a correria do dia-a-dia. Com a falta de tempo, o casal deixa para fazer depois algumas coisas como: arrumar o armário, passar roupa ou, até mesmo, manter relações sexuais. Não que falte desejo… Falta tempo!

Sem perceber, passa em suas cabeças que agora que estão casados e vivendo sob o mesmo teto terão todo o tempo do mundo para transar. Para eles, adiar isso em horas ou dias não gerará prejuízo ao relacionamento. Acontece que, às vezes, os dias se transformam em semanas, depois em meses e até anos. E o casal se transforma em apenas “bons amigos”.

Quando a vida sexual da gordinha passa por crise

 

Uma de nossas leitoras escreveu a seguinte mensagem: “Enfrento uma crise em meu casamento. Meu marido perdeu o interesse sexual por mim. Por ser gordinha sou meio sem jeito pra essas coisas. Por favor, me ajudem. Estou desesperada e minha autoestima virou pano de chão.”

Temos a mania de achar que tudo o que dá errado em nossas vidas é pelo fato de sermos gordas. Como descrito no começo do texto, muitos casais, compostos por parceiros gordos ou magros, após os primeiros anos de casamento, passa por uma crise sexual. E quando se fala em crise não quer dizer que aquela situação esteja fadada ao fracasso. Muito pelo contrário. Crises acontecem para que se reveja a relação e adote medidas para recuperar o mesmo vigor de quando se era apenas um casal de namorados.

Dicas para recuperar o relacionamento

 

Diálogo, diálogo e diálogo. É necessário deixar a vergonha e constrangimento de lado para salvar uma relação. Às vezes a mulher se culpa pela diminuição do interesse sexual do parceiro, mas se conversar direitinho com ele, pode descobrir que o problema seja outro. Afinal, fatores externos também podem atrapalhar a relação. Já pensou, por exemplo, se ele estiver passando por dificuldades financeiras ou desentendimentos no trabalho, que inibem o desejo sexual masculino, mas está com vergonha de dividir isso com você? Por isso, converse.

Em contrapartida, vale investir em alguns truques para apimentar a relação. Faça a sua parte, não espere que ele tome o primeiro passo:

–  Cuide mais de você: uma mulher bem arrumada, que está sempre cuidando da saúde e da beleza, mostra que se valoriza e que também merece ser valorizada. Você pode ser gordinha, mas largada nunca! Nem sempre se pode renovar o guarda-roupa, mas não custa nada aposentar o moletom e as calcinhas rasgadas e colocar uma roupa bonitinha e uma lingerie sensual, igual você usava no namoro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Onde comprar: 1. Cinta da Camomilah/ 2. Sutiã da Yasyl/ 3. Calcinha da GG Sexy Lingeries/ 4. Camisola do Clube da Lingerie/ 5. Conjunto da Daira.

 

– Seja mais agradável: Tanto as mulheres que trabalham fora, quanto as que são donas de casa, com a correria do dia-a-dia, têm muitos problemas para contar. Aí, é só o maridão chegar em casa que logo mandamos que ele tire o lixo de casa, que coloque o filho de castigo e que ligue para cobrar favores à sogra. Tudo isso enquanto desabafa as mazelas de sua vida para ele. Ninguém agüenta tanto baixo astral! Prepare um bom jantar, esqueça algumas horas dos problemas, pergunte como foi o dia dele. Este já é um bom começo!

– Não se deprecie: Pare de dizer que é feia e gorda a todo o momento. Se reparar bem, seu marido também envelheceu, ficou careca, barrigudinho… O tempo chega para todos. Sensualidade, carisma e charme não se perde nunca. Basta apenas você reencontrar tudo isso dentro de você e colocar para fora.

Prontinho! Você pode ser uma gordinha feliz em todos os aspectos de sua vida, inclusive no seu casamento. Coloque essas dicas em prática e depois volte aqui e nos diga como está o seu relacionamento.

 

42 Comentários

Arquivado em comportamento, Relacionamento, Sexo

Espaço da leitora: Luciana Verônica

Meu vestido de noiva

Tenho 29 anos  e consegui realizar meu grande sonho que era me casar de noiva. O único problema é que o que achei que seria mais fácil, tornou-se a parte mais penosa e difícil de tudo: ESCOLHER O VESTIDO DE NOIVA.

Quando fiquei noiva, cerca de um ano antes do casamento, comecei a montar o enxoval e a me preocupar com a cerimônia. Lembrancinhas, decoração, vestido de noiva… Para mim, o vestido seria a parte mais fácil, mas me enganei, e muito!

Consegui em seis meses arrumar tudo o que era necessário para a festa, mas o vestido era uma tormenta, todas as lojas que eu entrava, nenhuma se preocupou em me mostrar modelos que se encaixassem ao meu tipo físico. Todos perguntavam a data e logo me diziam: “Porque você não faz uma dieta antes do casamento? Assim o vestido lhe caíra bem melhor”. O máximo que eu conseguia era voltar pra casa triste e já pensando em uma solução caso não tivesse o tal vestido.

Até para o meu noivo, Rafael, foi fácil achar o terno. E olha que ele também é gordinho. Só que as lojas de uma forma geral têm preconceito só com mulheres acima do peso e isto me irritava muito, e todos da mesma forma, sempre me diziam para perder peso, pois o vestido ficaria bem mais bonito, só que ninguém nunca me perguntou se eu estava feliz ou se estava tudo dando certo. Apenas me julgavam pelo corpo que tinha.

Depois de tanta vergonha que passei com gente ignorante e arrogante, com pessoas querendo me cobrar um absurdo pelo vestido, usando a desculpa de que pelo meu tamanho eles gastariam mais tecidos, eu já estava descrente que o acharia, em uma rua aqui do centro da cidade, vi em uma sacada um vestido lindo em um manequim robusto, o que me fez ganhar o dia, ao entrar no ateliê, fui muito bem atendida por uma moça, chamada Jeniffer, nome que jamais esquecerei, que muito educada, em nenhum momento me aconselhou a fazer dieta ou regime ou comprar uma cinta, ela me tratou como uma noiva “normal” como qualquer outra, ela me mostrou os modelos e me ajudou a escolher um.

De início, fiquei meio pensativa sobre o vestidão branco e sobre tudo que ouvi. Faltavam apenas dois meses para o casamento e eu estava realmente insegura quanto ao que as pessoas diziam sobre como o branco engorda. Estava toda pensativa, quando a dona da loja veio fazer a prova do vestido e me disse que eu era uma das noivas mais simpáticas e lindas que ela já tinha visto e que o vestido tinha me caído muito bem. Senti-me feliz com a escolha do tipo de decote, da tiara, das jóias, o véu e até na hora do buquê, me senti firme.

O vestido passou pela aprovação das minhas irmãs, da minha mãe. Apenas a minha cunhada (irmã do Rafa) me disse que eu estava enorme, que o vestido me deixou parecendo gorda, mas eu disse que eu não parecia gorda, que eu era gorda e me sentia linda e feliz.

A maquiagem e o cabelo são importantes, mas se sentir bem com o que está vestindo é o mais importante. Penei para achar o vestido dos meus sonhos, achei que seria uma missão fácil, afinal de contas mulheres acima do peso também casam e são felizes. E é muita ignorância as lojas de vestido de noiva acharem que toda mulher quer estar magrinha no vestido quando casa.

O Rafael me conheceu gorda, me amou gorda e me pediu em casamento gorda, porque só na hora do casamento eu iria fazer regime, por causa de um vestido?

Tudo que passei ficou para trás, quando vi os olhos do Rafael quando me viu entrando, de vestido de noiva, branco, lindo e com direito a uma calda e com um lindo véu. Recebi muitos elogios e fiquei feliz por isto e percebi que nem todo mundo é ignorante e preconceituoso e que, infelizmente, gente despeitada e ignorante sempre vai cruzar os nossos caminhos.

Senti-me realizada e até hoje vejo as fotos quase todos os dias, para me lembrar a felicidade em que nos estávamos e por termos realizado um sonho, e sei que nenhuma crítica supera a felicidade de uma mulher quando ela se sente realizada.

Enfim, todas têm direito sim, gordas ou não, de sonhar com o parceiro ideal, com a festa dos sonhos e com um vestido de noiva maravilhoso. Somos iguais e temos o direito de sermos felizes como somos.

Depoimento do maridão

A Luciana para mim é e sempre será a mulher mais linda que conheço. Apaixonei-me por ela como ela é: simples, amorosa e dedicada. No dia do casamento, quando a vi de noiva, me senti um homem feliz, pois estava formando a minha família e com a mulher que amo.

Ela estava linda, sorridente e com os olhos brilhando igual ao de uma criança, fiquei contente em ver que ela encontrou o vestido que procurava e que estava muito feliz.

Apoio ela em tudo que ela faz, porque também recebo este apoio dela e sei o quanto ela sofre por estar acima do peso. Para mim, ela é maravilhosa, mas nem todos a enxergam assim. Não ligo pro que os outros dizem, pois palavras ofensivas só prestam para nos deixar para baixo. Todas as mulheres deveriam fazer como ela e correr atrás do que querem.

63 Comentários

Arquivado em Espaço da Leitora

Vestidos de noiva para gordinhas da Impression Brasil fecham desfiles do FWPS

Por Renata Poskus Vaz

Uma grande queixa das noivas gordinhas é a escassez de lojas que oferecem vestidos de noiva tamanho GG. Era uma preocupação da Andrea que trouxéssemos esta opção para o público presente no Fashion Weekend Plus Size, então, pesquisamos lojas comprometidas em atender da melhor forma, com vestidos belíssimos e modernos, mulheres  prestes a casar e que estão bem longe do manequim 38.

A loja que escolhemos para integrar a seleção de marcas que desfilaram no FWPS foi a Impression Brasil, loja localizada na Rua São Caetano, em São Paulo, conhecida como “rua das noivas”. O desfile emocionou a platéia presente. Modéstia à parte, estávamos lindas! (sim, também  integrei o casting deste desfile).

Como ainda não me casei, fui tomada por grande emoção colocando aquele vestido branco. Meu namorado também amou e, brincando, disse para já ligar na Impression e comprar o vestido que usei no desfile para o nosso casamento, porque ficou lindo. Achei uma graça o comentário dele.

Confira os modelos:

Renata Poskus Vaz

Andrea Boschim

Mayara Russi

Mariana Passos

Adriana Mattioli

Celina Lulai

Jovianny

47 Comentários

Arquivado em Fashion Weekend Plus Size, FWPS, Moda e estilo, Modelo GG, O que rola por aí, Vestido de festa para gordinhas

Eu e você = nós

Namoro

Por Luciane Russo

Tenho uma teoria sobre relacionamentos e vou expô-la aqui o que eu acho e vocês tirem as suas próprias conclusões – mas atenção: analisem com a razão, não com o coração.

Aquela estória de que nós dois somos um: esqueça !!!!

Essa é  a pior roubada em que você pode entrar ou querer fazer com que seu par entre, vou explicar porque, com conhecimento total de causa.

Quando os dois se conhecem, é uma coisa linda, sempre juntos, agarradinhos, pra lá e pra cá, amor daqui, benzinho de lá. Ótimo! Essa é uma fase muito boa de melação que deve ser curtida ao máximo, mas quando o tempo vai passando, a paixão vai virando amor e as coisas se acalmam, devemos pensar que a vida continua e que não nascemos grudadas em ninguém, a não ser que fôssemos gêmeos siamêses colados pelo tronco – o que não é o caso – mas ai começam as divergências, pois um não quer largar o outro e não deixa que o outro viva sua vida individual, não permite que o outro se relacione com mais ninguém além de você ou vice-versa – erro gravíssimo – e me perguntarão porque, eu explico.

A partir do momento em que os dois começam a fazer esse joguinho de controle, a coisa começa a degringolar, porque vira pirraça. Você quer sair com as meninas pra conversar e ele não deixa, ai ele quer tomar um chopp com os amigos, você faz represália e isso vira uma bola de neve, uma neurose sem tamanho, desconfiando de cada passo que ele dá….xiiiii ai o caldo entorna, quanto mais você fizer isso, mas irá afastá-lo de você e se ele não pensava em traí-la, vai fazer só de raiva. Não que ele não goste de você, mas é que ser humano nenhum aguenta uma vida assim, pode até aguentar um tempo, mas quando consegue dar o grito de liberdade, dificilmente ele voltará para você ou irá querer um outro relacionamento tão cedo.

Isso serve também para o caso das mulheres, que quando conhecem um homem, ele a aprisiona, como um lindo passarinho que ele viu e se encantou mas que ele quis colocar na gaiola, uma hora esse passarinho vai perder a alegria de viver, vai parar de cantar, ficar triste até morrer.

No começo tudo é lindo, flores, amor, mas com o passar do tempo você não pode mais ficar com suas amigas ou na casa da sua mãe muito tempo que ele chia.

Ele quer que você converse com ele, mas conversar o que ???

Claro !!! Se ficam só vocês dois sempre, vão conversar o que ???

Sua vida antes agitada, divertida, cheia de amigos, vira uma prisão fria e solitária, onde você chega a triste conclusão de que seu lindo relacionamento virou um inferno.

O que eu quero dizer com tudo isso?

Quero dizer que se cada um não cultivar sua vida individual, não terá nada que compartilhar na vida a dois. Por isso a necessidade de cada um cultivar seus hobbies e amigos, pois assim terá o que dividir e conversar com o outro.

Você  me perguntarão “Ah tá, e eu vou deixá-lo sair com os amigos, vai saber o que ele vai fazer ?”

Bom, pra isso só posso te responder que, se você tem confiança em você, tá tudo certo, mesmo porque, quando uma pessoa quer trair, ela vai trair com ou sem controle e pegação no pé.

Mas não se preocupe com isso, sempre digo que a verdade é igual a cocô, uma hora bóia, ai você vê o que faz, mas transformar a vida num inferno só porque você ou ele tem medo, não é uma coisa saudável.

Então vamos viver a vida, da maneira mais zen possível, sem neuras, sem pegação no pé, no final, veremos que as coisas ficam mais fáceis e sofre-se bem menos, pois sofrer por antecipação ou deduções infundadas, ninguém merece.

Enriqueça sua vida, para que você tenha o que dividir com o seu par e com as pessoas que te rodeiam.

Seja feliz ! 

4 Comentários

Arquivado em comportamento, Relacionamento