Arquivo da tag: cinéfilo

Protesto II

Por Eduardo Soares

Pela primeira vez neste espaço pegarei o bonde andando. Longe de mim querer comparar o estilo/padrão irretocável Keka Demétrio de escrever com o estilo rascunho-no-papel-de- pão- do Eduardo, mas nessa onda de protestos iniciado pela mineira deixarei o meu também.

Ferrucci. Nunca ouvi falar na tal marca. Conheço Ferrero Rocher, Ferrari, Ferracini (marcas citadas, aceito brindes) mas até ontem desconhecia a empresa citada pela Keka. E compartilho a queixa não apenas dela como também de várias mulheres que passam pelo mesmo transtorno.Não vou entrar numa questão que conheço pouco ou quase nada. Minha reivindicação é por algo diferente mas não menos revoltante (guardadas as devidas proporções, claro).

Como vocês sabem, sou cinéfilo de carteirinha (literalmente). E para os amantes da sétima arte qualquer dia é dia para ficar sentado de frente ao telão (com direito a espiadas no projetor de vez em quando). Mas como não estamos na parte nobre da Europa (Suiça, Dinamarca, Luxemburgo, Mônaco…), cento e quinze por cento da população brasileira precisa trabalhar para conseguir algo na vida. Ou seja, poucos são aqueles que podem se dar o luxo de frequentar o cinema entre segunda e sexta-feira. Sendo assim, resta apenas aquela sessão no final de semana…dentro do shopping lotado, cuja praça de alimentação tem mais gente que comida propriamente dita, com direito a falatório capaz de incomodar surdo, fora o esbarra-esbarra digno de noite de baile funk com cerveja a um real. PROTESTO Nº 1) Cadê os cinemas de rua? Tinha coisa melhor do que sair da sessão e respirar o ar (im)puro da cidade grande? Quem diria que um dia isso iria fazer falta. Cineminhas de bairro eram maravilhosos. Todo mundo se conhecia, havia um clima quase de interior. Se bobear, o pipoqueiro tinha lista de “penduras” dos vizinhos. Fora que a pipoca feita na rua parece ser bem melhor que a industrializada do shopping. E esta anda cada vez com menos manteiga, pombas!

A lista de queixumes está apenas começando. Pelo menos aqui no Rio de vez em quando temos esse “brinde” (embora com menos intensidade que antes) mas…PROTESTO Nº 2) A lua e as estrelas sumiram das cidades grandes ou a poluição resolveu brincar de ser um novo (e apático) céu? É preciso pegar estrada para ficarmos “joagados” numa rede de qualquer varanda de qualquer casa do interior para vermos as Três Marias? Lua Cheia, aquela que dava medo em alguns (e encantava outros)…está cada vez mais pálida, enfraquecida, como se estivesse fugindo de nós aos poucos.

A night boa é aquela cujas horas passam como se todas fossem apenas a primeira. O relógio corre feito atleta na maratona e quando você vai ver, são quase cinco da matina e daqui a uma hora você precisa trabalhar (sabe-se lá como). Você e os amigos voltam animados, contanto as histórias variadas que aconteceram minutos antes. Seria maravilhoso se…PROTESTO Nº 3) Quando estamos num momento legal não dá vontade de aumentar o som e baixar os vidros do carro? Ok, faça isso mas deixe de prontidão o telefone daquela empresa anti roubo pois as chances de um meliante aparecer com um revolver apontado na sua testa são grandes. Ainda mais na madruga. Ou seja, até para relaxar é preciso estar “preso”. Depois dizem que passarinho na gaiola canta feliz. Tá bom.

Não serei extenso na lista (embora os protestos sejam muitos). Costumo dizer que quando você vive por muito tempo em determinada região, você acaba se tornando parte dela. Sim, para ficarmos adaptados/antenados  ao mundo moderno de certa forma nos tornamos “mecânicos”. Inegavelmente, a tecnologia deixou/deixará a vida mais fria. E nós estamos incluídos nesse panorama. Exemplo? PROTESTO Nº 4) Quanto tempo faz que você não recebe uma carta? Pode ser pior: quanto tempo faz que você não escreve uma carta? Não estou dizendo que os e-mails são o que existe de pior na era dos computadores mas tinha coisa mais gostosa que ler algo escrito(não digitado), rasurado e assinado por alguém da nossa estima? Tinha carta que vinha até perfumada! Meninas, email nenhum no mundo pode oferecer essa sensação de alegria.

Pra acabar: seus filhos/sobrinhos/irmãos mais novos visitaram alguma horta ou eles o máximo que eles conhecem de natureza é através da Fazendinha do Orkut? PROTESTO Nº5!

OBS.: Ainda existe acampamento, trilhas, mochilão nas costas, essas coisas? Ou apenas sonhei que vivi isso tempos atrás?

26 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir