Arquivo da tag: cinta modeladora

Modeladores Yoga

Por Renata Poskus Vaz

Conheci recentemente a linha de modeladores Yoga, que existe há mais de 30 anos. Pensei que a marca produzisse apenas linha pós-cirúrgica, mas descobri que eles também investiram em linhas gestante, estética, fitness e lingerie, para gordinhas e magrinhas.

O que achei de mais interessante nos modeladores Yoga é que existem nas lojas consultoras que ajudam a escolha do melhor modelador, além de um serviço de costureiras, para adaptar e adequar as peças. Isso é ótimo, já que as peças não são nem um pouco baratinhas.

Olha só os benefícios das peças Yoga, informados pela fábrica

 Auxiliam no combate e prevenção da flacidez, celulites, estrias e gorduras localizadas;
 Modelam o corpo de maneira natural e saudável, com seu simples uso diário;
 Auxiliam no pós-cirúrgico em geral, com ênfase para cirurgia plástica, além de serem indicados em várias áreas da medicina;
 Auxiliam no pós-parto, ajudando a voltar as medidas anteriores e na recuperação mais rápida;
 Possuem compressão ideal que massageia o corpo confortavelmente, ativando a circulação sanguínea, deixando o usuário mais disposto;
 Inibem a formação de quelóides;
 Conduzem a uma postura mais correta, aliviando dores nas costas;
 Auxiliam no emagrecimento, não deixando espaço para a pele ficar flácida;
 Proporcionam sensação de conforto, por meio da compressão natural que o produto oferece;
 Ao modelar o corpo, é uma peça fundamental para valorizar as formas, facilitando o uso de roupas em ocasiões especiais, como vestidos, saias, calças, entre outros;
 Pode também ser usado como uma lingerie modeladora, diariamente, em substituição a lingerie comum;
 O uso diário dos produtos Yoga é o complemento para uma vida saudável, em conjunto a alimentação saudável, prática de atividades físicas e acompanhamento médico.

Veja os produtos que eu testei:

Yoga 1

Testei esse macaquinho modelador. O bacana dessas peças é que elas têm detalhes, são delicadas, bonitas. Porém, não me adapto com esses modelos inteiriços com perninhas. Prefiro usar boddy, sem perna. Minhas amigas com coxas mais torneadas, costumam adorar esse modelo.

Também testei a bermudinha, que assim como o boddy acima tem essa rendinha fofa na barra. A bermuda foi uma excelente pedida, para ser usada por baixo da saia. Evita aquelas assaduras horríveis, que só nós mulherões conhecemos bem.

A segunda peça que testei e super aprovei foi o espartilho, que sustenta o seio, comprime a barriga e deixa uma cinturinha fina. Ah, quando eu digo que “comprime”, não é nada que machuque ou cause mal estar. Os modeladores não apertam, são confortáveis.

Veja outros modelos:

Yoga 4

yoga 2

Yoga 5

Yoga 3

Visitando o site da Yoga você pode conferir os endereços físicos das lojas em São Paulo, Grande São Paulo e Campinas. Clique aqui.

Para comprar pela internet, clique aqui

14 Comentários

Arquivado em Lingerie

Cinta, para que te quero?

Por Keka Demétrio

Você está usando uma revolucionária cinta modeladora e aparenta vestir dois números a menos, talvez até três. Sai de casa se achando a mais poderosa das mulheres, dona de curvas que desperta olhares de cobiça.  Até aí, ótimo, fico feliz por você estar se sentindo ‘ a delicia’.

Nessa de sair linda e se sentir como tal, seu poder de atração muda e não demora para que um homem interessante chegue mais perto e embale uma boa conversa. Confiante como você se sente, será natural que surja convite para um próximo encontro. E é claro, você aceita.

Dia e hora marcados, lá está você toda linda, exprimida em uma cinta que de tão justa parece que vai acontecer igual aos desenhos animados e a alma vai sair do corpo. No entanto, ela também faz com que seus medos e temores fiquem tão, ou mais, escondidos que suas gordurinhas.

Encontro vai, encontro vem, não necessariamente precisa ser depois de vários, isso só vocês decidirão, resolvem terminar o tal jantar na cama. Você não cabe em si de tanta euforia, também não é para menos, sua cinta modeladora, aquela que te deixa dois manequins e meio a menos não deixa caber mais anda mesmo, nem mesmo um grama a mais de sensações, e é nesta hora que a ficha cai e se lembra dela, a milagrosa que te molda o corpo. E agora?

Você não tem saída, tem que tirar a cinta, inclusive sem ele nem perceber, porque, convenhamos, estas cintas são sempre muito feias e broxantes (que dia vão inventar uma cinta sexy, hein mercado???), e dependendo do modelo demanda um malabarismo digno do Cirque du Soleil para ficarmos livres delas.

Mas este não é o principal problema, aliás, este é pequeno se aquela cinta foi o único motivo para que você se sentisse uma mulher digna de ser amada e desejada. Se a resposta for sim, sinto te informar que estará literalmente perdida assim que a tirar e suas dobrinhas virarem dobras de verdade. Vai puxar o lençol, apagar as luzes, recusar certas posições, vai engolir seco e ficar louca pra que as mãos atrevidas dele passem bem longe da sua barriga, por exemplo. Não vai ser capaz de dar e nem sentir prazer, porque estará tão ligada em estar nua e dois manequins e meio a mais, que o que mais deseja é que tudo acabe o mais rápido possível. O que era pra ser uma noite de amor deliciosa e digna de um homem e uma mulher que souberam despertar seus sentidos e seus instintos, transforma-se em ingrediente para afastar o moço e afundar mais ainda sua autoestima. Não lembramos que ele só está naquela cama porque soubemos despertar nele desejos, independente da famigerada cinta.

A verdade é que aprendi, e isso tem ajudado a modificar muitas coisas em minha vida, que quando damos muita atenção aos nossos defeitos, eles começam a se tornar mais evidentes do que realmente são, e isto não é só esteticamente falando. E se aquela cinta era apenas um apetrecho que você utilizava para complementar o sorriso que carrega nos lábios e o brilho de amor próprio que tem nos olhos, ele simplesmente não vai se importar, porque ele já sabe que você é especial independente de usar dois manequins e meio a mais ou a menos.

 

38 Comentários

Arquivado em Beleza, comportamento, Para Refletir, Relacionamento