Arquivo da tag: ciumes

“Não é porque ele namora uma gorda, que vai ficar a fim de você”

Por Renata Poskus Vaz

E finalmente você começa a namorar um cara legal e muito gato. Um sujeito magro, forte, bonitão, pinta de galã da novela das oito, um perfil que provavelmente ninguém nunca fosse imaginar que um dia fosse se apaixonar por uma gordinha. Mas vocês se conheceram, se curtiram e começaram a namorar.

A  lista de amigos do cara no Facebook era vazia antes de se conhecerem. E, de repente, uma enxurrada de gordas passa a adicioná-lo. O pior é que são gordas com as quais você certamente já deve ter se cruzado nesse mundinho virtual, sem um mínimo de simpatia ou amizade entre vocês.

Do nada, elas se comportam como amigas de infância do seu gato. Curtem todas as fotos do bonitão. Todas. Deixam elogios exagerados, forçando uma intimidade que nunca existiu entre os dois.

Você já passou por isso?

Eu presencio essa situação todos os dias  com amigas desse mundo plus size. Num passe de mágica seus namorados viram objeto de cobiça alheia. E como eu mesma já passei por isso no passado,  passei a investigar o que leva mulheres a buscar incessantemente a atenção de homens comprometidos com mulheres, assim como elas, gordas.

Ilusão de que o cara tem tara por gordas

É uma ilusão pensar que há homens que namoram com bumbuns fartos, peitos gigantes e pernas grossas. Essas partes do corpo podem sim chamar a atenção de um cara a primeira vista, mas não são elas que o fazem ficar. E da mesma forma que há mulheres que preferem homens morenos, ou altos, ou mais velhos, podem sim existir homens que prefiram as gordinhas. Mas o que o faz namorar com uma é um conjunto de qualidades. Caso contrário, se fosse só por tesão, pele, não passaria de uma noite e nada mais.

O fato de um homem preferir namorar gordinhas, não faz dele um tarado adúltero, que trocará a namorada pela primeira gordinha safada oferecida que aparecer por aí. Embora gostemos de pregar que homens são todos iguais, todos safados, existe sim uma legião de caras que valorizam suas mulheres, que são fiéis.

Há outros que nunca gostaram de gordinhas e namoram uma pela primeira vez. E mesmo que terminem com a atual namorada, nada garante que se interessarão novamente por uma.

Gostar de competir e roubar o que é da outra para se sentir “menos pior”

Querer roubar namorado de outra não é um mal de gorda. É mal de mulher. E eu juro que mesmo com um espírito rancoroso, vingativo e amarguinho, não consigo acreditar que existam mulheres que se predispõe a isso. Tenho muito orgulho de dizer que jamais fiquei com ex-namorado de amiga minha, muito menos com ex de desafetos. Acredito em alma gêmea, mas nunca pensei que minha alma gêmea fosse o chinelo velho de alguém próximo.

Como diz minha irmã, em um mundo com 7 bilhões de pessoas, querer bem o bofe da amiga ou mesmo da inimiga  é um tremendo atraso intelectual, sentimental, de caráter e espiritual.

Eu demorei para perceber isso, que algumas mulheres próximas poderiam querer a todo custo o meu namorado. Mas na verdade, o que elas desejavam não era a pessoa maravilhosa que ele era, mas a relação que nós tínhamos. Elas não invejavam o fato de eu namorar ou o meu namorado como pessoa. Invejavam quem eu era quando estava com  ele. E isso não há como se copiar. O que faz um relacionamento são as duas pessoas. Ou seja,  ou você entra nesse triângulo amoroso (brincadeirinha!) ou esquece de vez, porque uma mesma pessoa se comportará de maneira diferente em outros relacionamentos.

Uma pessoa maravilhosa não te faz alguém melhor se você for alguém medíocre.

Toda relação tem um equilíbrio. É uma união e não uma compensação.

Achar que porque o cara não reclama, é porque está gostando

Homens são idiotas a ponto de não quererem criar inimizade com ninguém e negam até a morte que aquela garota que força uma intimidade está querendo alguma coisa a mais com ele. Ele sabe que não vai trair a namorada, que nenhuma biscate do mundo é capaz de separá-los, são racionais, talvez por isso não pensem que precisam excluir, bloquear ou destratar as penosas.

Nós já somos passionais, pensamos em mil e uma hipóteses sobre essas aproximações sem propósito. Pensamos no depois, no que estão pensando da gente, que vamos ficar com famas de corna, ou que há um plano maligno sendo tramado com o qual seremos surpreendidas no futuro.

Ou seja,  ele pode não reclamar por ser mesmo um banana. É claro que pode acontecer ao contrário, ele ser um grandiosíssimo filho da puta. Mas isso cabe a você sentir e descobrir.

Confiança é tudo!

É muito difícil se sentir confiante em uma situação dessas, mas façam o que eu digo, não façam o que eu faço! rsrsrs

Confiem em seus parceiros. Se o cara tiver que te trair, vai te trair. Seja com a gorda oferecida do facebook, ou com uma pessoa que você já mais viu em sua vida.

Isso não quer dizer que você precise se fazer de cega, surda e muda para mostrar que é uma mulher confiante. Chame o gato para conversar. Se ele se importar com você, vai evitar esse tipo de situação e conflito. Se ele continuar te ignorando, reveja se ele realmente se importa com seus sentimentos e se manter o relacionamento nessas condições vale a pena.

Com relação às destruidoras de lares e sentimentos alheios, se for sua amiga, corte-a. Amiga que é amiga entende os limites de qualquer amizade e não se insinua para seus namorados. Se for uma pessoa estranha, não gaste saliva.

Tenha certeza sempre que a coitada dessa história não é você. 🙂

Dica para aquelas que curtem o marido/namorado alheio

Gata, meu recado agora é para você. Não sou puritana, estou bem longe disso. Também não vou ficar vomitando aquelas histórias de que “Deus” está vendo etc. Também sei que o que vou dizer vai entrar pela sua orelha e sair pelo outro.

No entanto, no futuro, talvez você relembre das minhas palavras.

Pode parecer tentador roubar o namorado de alguém que você conhece. No fundo você tem aquela sensação de poder, se acha melhor em alguma coisa, com super poderes etc. Provavelmente você justificará a sua ação dizendo que: “se o cara gostasse dela de verdade, não daria bola para mim”. E até pode ter razão. Mas isso não quer dizer, também, que o gato vai te dar algum valor depois.

Se ele realmente te deu bola, quando estiver com você dará bola para outra. E aí a usadinha, corninha da vez, será você.

Conquistar e ser conquistada é muito bom! E fazer isso sem prejudicar ninguém, também.  É  bom viver uma história de amor em que a mocinha protagonista é você. Ninguém quer ser a vilã da sua própria história de amor.

Outra coisa importante a salientar é que pessoas infiéis ou que estejam envolvidas em uma história de infidelidade podem se prejudicar também em outras esferas sociais.  Todos os dias pessoas são despedidas por conta de interferências dessa natureza, que acabam refletindo em suas carreiras. Além disso, uma pessoa infiel no amor, ou que apoie uma traição, tem grandes chances de agir da mesma forma no trabalho, com familiares, amigos etc. Não só no amor.

Não se queime por pouca coisa. 😉

30 Comentários

Arquivado em comportamento, Relacionamento, Sexo

Beleza alheia

Por Keka Demétrio

Por mais que se aceite, que se ache bonita, uma vez ou outra vai acabar se comparando com outras mulheres. Isso é perfeitamente normal, e sinto em te informar que é óbvio que sempre existirá alguém mais bonita que você. Mas isso não é um problema, a não ser que seja tão vazia que a única coisa que conta é a beleza. O que não deve acontecer, é você ser muito menos interessante que a maioria delas, mais bonitas que você, ou não.

Preocupamo-nos demais com a questão da beleza física e nos esquecemos de que ser uma mulher interessante requer outros requisitos fundamentais como caráter, senso de humor, educação, inteligência emocional, entre tantos outros. Portanto, para de se sentir fragilizada pela beleza ou inteligência de outra mulher, se estiver frágil que seja porque ainda não desenvolveu seu senso critico e estabeleceu que irá crescer cada dia mais, valorizando as coisas boas que possui. Jamais paute sua vida, seus sonhos de conquistas pela vida dos outros, cada um é cada um, e sendo assim, sentimos, vivemos, aprendemos e evoluímos de formas diversas e diferentes.

Não se sinta diminuída porque outra mulher é mais bela. Nenhum homem que valha realmente à pena vai ficar com você depois do baile só porque era a garota mais bonita da festa, se tiver que ficar será muito mais pela luz que exala do que pelo brilho dos seus cabelos. Será muito mais pela forma como você se trata, do que pela forma como você cuida da sua pele. Portanto, ao invés de ficar se comparando com outras mulheres, avalie-se e procure evidenciar as coisas boas que possui. Quanto as ruins, se for inteligente e souber entender a si mesma, aceitar e trabalhar tudo isso, elas ficarão encobertas pela luz do seu amor próprio.

Porque, definitivamente, beleza física pode até contar, mas não se sustenta sozinha. Não é o que ele vê fisicamente em você que fará a diferença, mas o que você o faz sentir quando está ao seu lado, independente do seu corpo, cor dos seus cabelos ou o tom da sua pele.

O que vai fazer com que ele deseje estar ao seu lado é a forma como vai fazê-lo sorrir e perceber que a vida pode ser leve. É exatamente isso que vai fazer com que ele deseje compartilhar com você tudo, principalmente os maus momentos, porque são estes que nos fazem querer ficar perto de quem realmente a gente gosta, confia e que sabemos que se importa conosco.

Quando nos tornamos, e sabemos ser interessante, beleza alheia nenhuma nos ofusca. Ficamos mais seguras, donas de nossas emoções e sensações, e o homem para estar ao nosso lado tem que nos fazer sentir amadas, desejadas, queridas e especiais, mesmo que ele esteja a quilômetros de distância, porque, proximidade física é bem diferente de proximidade, intimidade e sintonia emocional.

11 Comentários

Arquivado em Beleza, comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Quem muito escolhe, acaba satisfazendo a si mesmo

Por Keka Demétrio

Quem muito escolhe, acaba sendo escolhido. Sempre ouvira esse ditado, porém não entendia ao certo o porquê de não poder escolher o que quisesse na vida, e então caiu na armadilha da pressão social e com medo de ficar pra titia casou-se com aquele moço mesmo.

Havia no gráfico do tempo uma curva onde ela via as emoções se modificando: no inicio tudo azul, depois, o comodismo foi chegando, a falta de entusiasmo tomando conta e quando perceberam estavam em um estágio de maturidade chato e rotineiro que levou a relação ao declínio.  A separação era inevitável.

Depois de tempos sem um amor, ela se viu encantada por ele. Feições séria, bonito, inteligente, culto…  e extremamente ciumento. Isso! Essa era a deixa que ela precisava para se livrar rápido do sentimento de amor que começava a fazer com que o fluxo sanguíneo acelerasse os batimentos cardíacos causando taquicardia e suor excessivos. Tinha decidido a não ser mais escrava dos sentimentos e então, mais do que nunca, passou a escolher a dedo os homens com quem deveria se relacionar. No fundo, esperava que chegasse algum e arrebatasse o seu coração já não tão novo assim. O tempo também escorria pelo vão dos seus dedos.

Sentia-se solitária, embora tivesse companhia, e por ser como era, sem coragem de assumir de verdade seus relacionamentos, era vista como egocêntrica, egoísta e arrogante. Não sabiam que no fundo ela só queria relembrar os tempos de adolescência quando seu coração subia até a boca numa mistureba emocional desenfreada. Ela tinha direito a isso. Assim pensava.

Um dia surgiu a vontade de recomeçar do nada, do zero, e decidiu acalmar o coração ansioso e volúvel. Fez a lista de predicados essenciais que ele precisaria ter. Parecia que seria como ir às compras para buscar um vestido que iria deixá-la mais bela, mas ele não estava à venda onde procurou. Porém, ela insistia em querer escolher, e batia o pé dizendo que não faria diferente.

Então, o destino, cansado de tanta teimosia, resolveu dar uma mãozinha e trouxe alguma coisa diferente no ar. Havia uma distância, na verdade a geografia nunca fora sua amiga, mas mesmo assim houve a presença de ambos. Fome e comida, carne e alma, emoção e razão, dia e noite. Era urgente o que sentiam e tudo aconteceu sem planejar, sem procurar, simples assim, só aconteceu.

Bom, ao menos é assim que ela espera que aconteça. E, pensando bem, seria uma ótima maneira para ela recomeçar a viver.

33 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento