Arquivo da tag: determinação

(Im)possível

Por Keka Demétrio

Dizem que  a diferença entre o impossível e o possível está na coragem que cada um possui.

Penso que o impossível não existe. Evidente que existem coisas que nos fogem totalmente ao controle, mas não porque somos descuidados, mas porque a vida tem lá suas determinações. E esse tal destino às vezes brinca um bocado com a gente.

Então, por falta de coragem, esmorecemos diante das dificuldades aparentes e passamos a crer nas impossibilidades. E impossibilidade é algo muito hipotético e está intimamente ligado à falta de coragem. Quer ver?

Você quer ser feliz e não tem coragem de lutar para conseguir realizar os seus sonhos. Hipoteticamente se você se atrevesse diante da vida poderia conseguir ser feliz. Mas como se sente um coitado desprovido de sorte, evidente que tudo será impossível. Até para amar a gente tem que ter coragem. E nos dias de hoje percebo as pessoas absurdamente covardes quando se fala em amor.

Embora se fale que hoje não mais se vive sob convenções sociais, muitas pessoas deixam de amar por medo de como serão vistos pelo grupo a que pertencem. É o caso, por exemplo, do magro com o gordo, do rico com o pobre, do negro com o branco, como se sentimentos fossem sentidos e percebidos de forma diferentes por qualquer um de nós.

O amor não tem peso, não tem cor, não tem classe social. Amor não possui DNA. Qualquer um que tenha a capacidade de amar vai sentir a garganta seca, os batimentos cardíacos acelerados, os olhos com um brilho diferente, vai suspirar constantemente ao se lembrar da pessoa amada, além de uma certa desatenção que toma conta e nos leva a praticar algumas atividades mecanicamente (o corpo faz, mas o pensamento nem se dá conta do que está acontecendo, vive lá, no mundo da lua, ou melhor, no mundo do amor).

Quando se tem coragem para amar, a gente se despe dos preconceitos, das amarras que nos prendem ao que as pessoas podem pensar sobre você e seu amor. Você simplesmente vive tudo o que aquele sentimento pode lhe proporcionar. A euforia, o êxtase e até a dor. Sim, porque até para sentir dor de amor é preciso ter muita coragem.

Conheço muita gente que reclama por estar sozinho dizendo que hoje em dia está difícil de arrumar um namorado, marido, companheiro, ou qualquer outra coisa do gênero, mas penso que difícil mesmo é passar a acreditar em uma relação possível ao invés de uma relação perfeita. Perfeição não existe, e se projetar no outro é o mesmo que já determinar o fim de um relacionamento que sequer começou. É muito cômodo não perceber os próprios defeitos e deixar a culpa no outro. Assim como não existe relacionamento de uma pessoa só, também não existe apenas um culpado pelo fim do “felizes para sempre”.

É preciso ter coragem para sentir e viver emoções, seja quais forem, pois cada uma delas você cria através de seus próprios pensamentos e atitudes. Então, seja determinado, modifique o que existe dentro de você e passe a criar o possível. Pois, corajoso é aquele que mesmo com os olhos turvos pelas lágrimas, consegue esboçar um sorriso, porque vislumbra dentro de si o poder para modificar a própria história.

 

47 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Determinação e superação

Por Roberto dos Santos Vaz

Aproveitando o gancho da Claudia, minha mulher, que expos seu drama a nível nacional ontem, em testemunho no final da novela “Viver a Vida”, no qual em dado momento de sua vida quase a fez sucumbir, gostaria de falar um pouco a respeito de determinação e superação:

Nenhum ser humano tem a benesse de se blindar aos contratempos que a vida vez por outra nos apresenta. Desde uma doença; a perda de entes queridos; um amor mal resolvido, um complexo, dentre outros motivos, podem expor qualquer pessoa à famosa crise de depressão.

A depressão é o desinteresse pela vida, é a forma de se desapegar da dura e cruel adversidade que aparentemente é insolúvel.

Quem nunca passou por isso? As conseqüências de uma depressão são imprevisíveis se o doente não acender a luz da esperança dentro da sua alma. Alguns apelam para a religião e se reerguem; outros se ajudam através de psicoterapias, que como um santo remédio, retornam o indivíduo ao mundo real, se não curado completamente, com mecanismos de defesa. Infelizmente há casos onde o paciente reluta em voltar à vida, e no extremo, podem até dar cabo à vida.

Nada se constrói sem trabalho; a solução para muitos e muitos males é trabalhar, produzir, estudar, amar e viver. Às vezes deparamo-nos com casos de tão simples solução, mas que para muitos são motivos suficientes para um suicídio. Ai que temos que nos fazer presentes e dividir nossa experiência e ajuda.

A determinação é o chamado máximo que temos em trazer à nossa realidade os mais fortes anseios que temos. É perceber que existem problemas, mas que somos mais fortes que eles. Determinação é sair de um estado de letargia e concretizar sonhos. Será isto impossível? Garanto que não. Quando percebemos que geramos um campo energético que altera o nosso meio, tudo é possível. A determinação é aliada da nossa vibração positiva em materializar situações e sonhos.

O ódio, o oportunismo, a pobreza de espírito, a maldade e a falta de ética, são os elementos básicos para aprofundarmos nossa miséria espiritual. Vibrar negativamente em causa própria e aos nossos desafetos gera também uma onda. Onda da destruição e da miserabilidade. É fato e inconteste. Talvez no extremo, a porta da autodestruição.

Dia destes, soube que quando a minha filha Renata fez seu testemunho ao final da novela “Viver a vida”, algumas pessoas sugeriram que seria uma farsa para autopromoção, ou uma apelação a se referir sobre a morte da mãe. Talvez por sorte, e para o crescimento espiritual, as censoras maldosas, tenham a infelicidade de passarem por algo semelhante ao que passamos, dai entendam o que é lutar por superar um trauma de perda. Vibrando dessa forma, infelizmente, será quase impossível que uma resposta da natureza não as encaminhem a algo que as façam também exercitar a superação pela dor.

A Claudia foi o que eu precisava para poder prosseguir e superar. Dessa união veio a Luiza, que é o fato motivador de continuarmos a evoluir, por termos nela a visão que realmente a vida não para.

A Renata, dia a dia, dá adeus às lembranças tristes e aos momentos de dor,  com muito trabalho e realizações.

Enfim, jamais deixamos de criar ou produzir. Todos os membros da minha família buscam no conhecimento uma forma de crescimento, visando partilhar com o nosso meio, experiências e laços de cooperação. É trabalho e preparação a vida toda.

Nada vem de graça, tudo é preparação espiritual, muita preparação pessoal e trabalho.

Somos vulneráveis ainda a quedas, mas na escola da vida, aprendemos a saltar de pára-quedas.

Recomendo a todos que leiam “O Segredo” para poder entender a força descomunal que temos.

Parabéns Claudia, Renata, Raphael, Barbara e Luiza, por serem atletas da determinação e superação.

“A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda.” – Confúcio.

15 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento