Arquivo da tag: Deus

Parabéns

Por Keka Demétrio

Hoje minha boneca completa 15 anos e eu não poderia deixar de compartilhar com vocês um pouco dessa minha alegria e orgulho por ter sido presenteada por Deus com uma filha tão abençoada.

Maria Angélica, filha amada,

sei que aos poucos está soltando das minhas mãos e começando a conquistar o seu próprio espaço. Sempre tive comigo que filhos são presentes de Deus para nos ensinar o verdadeiro sentido do amor, mas que também são seres humanos que precisam de espaço e liberdade para viver, aprender e evoluir, por isto, por saber e sentir que estás sob as bênçãos e proteção de DEUS, eu, escolhida para ser chamada de mãe por você, te ofereço o meu amor incondicional e os valores necessários para que seja sempre uma mulher digna e honrada.

Às vezes, a vida vai querer te mostrar algumas dores, tristezas e decepções, mas não desanime jamais, porque nestas horas você apenas estará sendo colocada à prova para mostrar o quanto é forte e capaz, o quanto é revestida pelo poder do Espírito Santo.

15 anos é a idade dos sonhos, portanto, jamais deixe de ter 15 anos! E nunca se esqueça que os seus sonhos são teus e que ninguém tem o direito de te fazer desistir ou dizer que são impossíveis de realizar, você é a única responsável em trabalhar para conquistar cada um deles, você é a única responsável pela sua felicidade. E cada lágrima que derramar terá a intensidade que você permitir.

Pode ser também, que em outras vezes, no meio do caminho, a dúvida tome conta do seu coração, então, analise, e se já fez tudo o que lhe era possível e não deu certo, não se aflija, descanse em Deus e deixe Ele, com sua sabedoria divina, fazer o melhor para e por você.

Mas a vida não é feita apenas de dúvidas, incertezas e quedas, portanto, cuide bem dos teus olhos, os da carne e dos da alma. Os da carne, porque é fantástico podermos perceber as cores, as formas, os sorrisos, o entreabrir dos lábios para um beijo, e os da alma, porque são eles que realmente nos permite enxergar o belo no mais simples, o encanto e o canto de um riacho, a dança das nuvens no infinito do céu, ou o murmurar do vento como se fosse Deus soprando palavras de amor para nós.  

15 anos, algumas poucas partidas, mas há de chegar a hora em que você dará passos cada vez mais largos e percorrerá caminhos cada vez mais distantes, portanto, em cada partida leve a certeza de que eu estarei sempre, haja o que houver, vibrando, torcendo e acreditando na sua capacidade, no seu crescimento, na sua força e nesse amor profundo que une mãe e filha.

Feliz Aniversário!

Deus te abençoe, hoje e para todo o sempre! 

22 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Então é Natal!

Por Keka Demétrio

Foram três longas semanas sem escrever para vocês, e só eu sei o quanto era difícil começar um texto e não conseguir terminar. Muitas emoções, muitos acontecimentos maravilhosos e abençoados por Deus em minha vida nos últimos tempos e foi preciso dar uma parada para colocar coração e mente em sintonia novamente. Mas jamais poderia deixar de vir dizer que para mim o Natal é o amor de Deus emoldurado pelo nascimento do Menino Jesus. A fé que se renova nesta época do ano nos faz mais fortes, mais capazes, mais crentes de que somos sal da terra e luz do mundo. Convido a cada um de vocês, nossos queridos leitores, a se lembrarem da sensação maravilhosa que sentimos quando o amor invade nossas vidas e nos sentimos cheios do poder do Espírito Santo, e levar este sentimento de amor para todos os dias do ano. Pois quando amamos, Jesus não renasce apenas em um dia, mas em todos os dias de nossas vidas.

Clique na imagem para visualizar a mensgem.

24 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Para refletir

Por Keka Demétrio

Sou uma pessoa feliz dotada de um coração humano, portanto às vezes eu vou chorar. E quando isto acontecer não é porque perdi minha fé, mas é a forma que a vida tem para me lembrar que não sou nada sem Deus.

Booooommm dia, bom começo de semana. Lembre-se, você é o principal investimento de Deus e o que tem feito com todo o poder que ele lhe conferiu?

 

3 Comentários

Arquivado em comportamento, Devaneios da Keka, Para Refletir, Relacionamento

Vivências

por Keka Demétrio

Logo depois que acordo e oro para que Jesus deposite aos pés do Pai a minha gratidão pela benção de mais um dia, eu formulo pensamentos de incentivo a mim mesma e compartilho com meus amigos do MSN e do Facebook. Como aqui no Blog Mulherão o número de acessos é enormemente grande (sim, no meu vocabulário essa palavra existe. rsrs), e diante dos pedidos de alguns amigos para que enviassem a eles uma lista destes pensamentos, argumentando que sempre começam o dia com as palavras de incentivo da Keka (acho isso tão chik e digno de mim ahahah), me descobri egoísta por não postar aqui estes pensamentos, deixando milhares de leitores que sempre vem me oferecer tanto carinho sem me conhecerem um pouco mais e quem sabe, os ajudando também com o que sinto e vivencio, porque absolutamente tudo o que lerem abaixo se refere a mim.

Parte I

Quando paramos de lamentar o que se foi, e abrimos espaço para o novo, nos damos conta de que tudo é uma questão de amor próprio, de acreditar realmente que somos tão especiais para DEUS, que Ele nunca quer que estejamos rodeados de tudo aquilo que não seja digno de nós.

Ninguém está livre de sentir grandes dores. E elas não são de outra forma: feridas cansadas de curativos exigindo tratamento profundo. Feliz daquele que tem como remédio a fé em si e no Criador.

Quem não sabe apreciar o azul do céu, tampouco saberá apreciar o brilho dos próprios olhos.

Com o tempo, a gente vai aprendendo que assumir um compromisso por amor é totalmente diferente de quando a gente ama por compromisso. E o primeiro compromisso por amor que devemos ter é com a gente mesmo.

Quem vive apenas da realidade quase sempre está morto. Eu sonho, sonho muito! Mas mais importante que sonhar é a gente descobrir que somos capazes de realizá-los. Isso impulsiona a seguirmos sempre em frente, a levantarmos nas quedas, a acariciarmos as cicatrizes para não esquecermos que um dia fomos menores do que somos hoje.

Ofereço a você um céu do mais lindo azul para cobrir o seu dia com bençãos.

E quando voce pensa que vai tropeçar, vem um anjo e te estende as mãos. Essa é a dádiva daqueles que creem nas maravilhas de DEUS.

Porque o pensamento que comunga com o coração tem poder. Sendo assim, é preciso que o recipiente chamado coração esteja repleto de amor e boa vontade.

Sempre que eu amei eu quis dar tudo para a pessoa amada: meu tempo, meus sonhos, minha religião, e até meus beijos. Até que um dia olhei no espelho e percebi que estava tão vazia de mim mesma que eu quase não existia. Então passei a escolher melhor a boca onde ia depositar meus beijos.

Eu não tenho medo de me perder, porque isso significa que tive a coragem necessária para seguir.

Se o AMOR não te explicação, por que insistimos e querer medi-lo? Desejo que todo mundo possa amar sem fita métrica…inclusive eu.

Quando cultivamos a alegria e a fé estamos dando oportunidade para Deus agir em nossas vidas.

É assim: se você vive de acordo com o que os outros pensam vai ser apenas mais um; mas se vive de acordo com o que seu coração quer vai se destacar na multidão. E é esse atrevimento de ir contra que vai fazer com que as pessoas te respeitem pelo que você É e não pelo q você TEM.

Dois corpus nus se aquecem que é uma maravilha! Mas bom mesmo, maravilhoso mesmo, é quando duas almas se encontram, se despem e descobrem que querem e precisa aquecer uma a outra.

O melhor da vida é descobrir que dá pra sorrir muito, apesar dos pesares.

Qualquer sorriso fica mais bonito com um batom de qualidade.

Acordei egoísta. Quero tudo o que você quiser me dar. Inclusive seus sonhos.

Acho que a gente começa a perceber o valor que tem quando assume as próprias imperfeições e começa a entender q pode modificar tudo isso com amor, perseverança e muita fé. Em DEUS e em nós mesmos.

Parei de conjugar os verbos que compõem a minha felicidade no futuro e passei a conjugá-los no presente: amar hoje, sorrir hoje, beijar hoje, abraçar hoje, fazer amor hoje, brincar hoje, dizer te amo hoje, chorar de tanto rir hoje, fazer amizades hoje, enfim, SER FELIZ HOJE!!!

A solidão não deve ser vista como uma coisa triste, mas como oportunidade para convivermos com nós mesmos, e como deve ser em toda boa relação, trabalhar as diferenças, aparar as arestas. Quando pararmos de nos sentir sozinho em nossa própria cia, é pq estamos verdadeiramente prontos para receber alguém em nossas vidas.

Beijar na boca exercita um monte de músculos; fazer sexo também; mas AMAR exercita a alma. Nossa, quanta alma enferrujada vagando por aí esperando um sapo vestido de príncipe.

Quem quiser me add no face, segue o link

http://facebook.com/angelica.demetrio

Semana que vem tem mais!

Deus nos abençoe!

Beijos

27 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento, Uncategorized

Carta a uma leitora

Por Keka Demétrio

Quem me conhece, convive comigo, e até mesmo aqueles que nem convivem, mas já passaram por mim, sabem que na maior parte do tempo estou sorrindo, fazendo um gracejo, tentando deixar a vida mais leve, já que ela às vezes nos mostra aspectos meio dolorosos. Ontem recebi um e-mail de mais uma leitora questionando como faço para ser sempre feliz.

Então, ai vai a resposta: eu não sou sempre feliz. Eu tento estar sempre feliz, o que é diferente.

Costumo dizer que SER é estático, imutável, e não casa com o desenvolvimento do ser humano em sua busca pela evolução como Filho de Deus. E acredito que a felicidade é algo que precisa de movimento para se manifestar e que isso acontece de forma e intensidades diferentes no decorrer da nossa vida. Vale ressaltar que a forma como vamos absorvendo os ensinamentos pelos quais vamos passando também é fator importante e determinante na forma como sentimos a felicidade.

Não existe fórmula pronta para a felicidade. Assim como outros diversos sentimentos, ela é mais um que depende do íntimo de cada um de nós.

Quando criança o que me deixava feliz, e que me recordo com muita alegria e saudade, eram as férias na fazenda de meu avô onde todos os primos se encontravam para dias maravilhosos de passeios a cavalo, banhos de rio, brincadeiras no rego d’água que passava nos fundos da casa, as frutas comidas direto do pé e que tinham um gosto fantástico. Hoje, todas essas coisas talvez não me dariam tanta felicidade quanto, por exemplo, ler um bom livro, assistir a um bom filme, ou simplesmente ficar sentindo o vento bagunçar os meus cabelos enquanto fico admirando o céu, ouvindo uma boa enquanto procuro desenhos nas nuvens. Ok, eu ainda faço isso, e adoro! rsrs

Mas de todas as lições, a que eu aprendi com louvor e que me auxilia muito nessa busca constante em estar feliz, foi desenvolver a coragem de rir de mim mesma, de me permitir ser ridícula aos olhos dos outros, porém feliz e em paz comigo mesma. Acho que essa capacidade faz com que tornemos a vida mais gostosa, menos pesada, menos séria, e assim dá pra brincar e deixar ressoar muita gargalhada. Aliás, sou bem boa nesse quesito.

Gata, eu choro, eu sofro, eu fico triste, e às vezes tenho até vontade de desistir de tudo, mas quando percebo que DEUS me coloca em certas situações e sopra em meu ouvido: vai, resolva que eu confio em você!, me sinto abençoada, porque penso: Uau, isso é muito sério, DEUS confia em mim! E nessas horas, ao mesmo tempo em que me vejo como uma simples folha que faz parte da folhagem de uma árvore frondosa, me sinto entranhar em suas raízes e agüentar os ventos que parecem querer me arrancar. Quando tudo acaba, me vejo mais forte, mais segura e mais confiante. Portanto, mais apta ainda a estar feliz.

Parei de acreditar que a minha felicidade só existiria quando estivesse profissionalmente realizada, quando tivesse um companheiro maravilhoso ao meu lado, quando fizesse a viagem dos meus sonhos, ou realizasse um monte de outros sonhos pessoais que nem cabe relatar aqui. Passei a perceber que durante o meu dia tenho inúmeras oportunidades de me sentir feliz e que só depende de mim, das minhas escolhas. Descobri, Poe exemplo, que dizer bom dia sorrindo para mim de gente ao espelho é uma forma de me sentir feliz. Eu sei que não é fácil, mas ninguém disse que seria, e quer saber, somos tão imperfeitos, temos tão pouca fé, que se fosse fácil não enxergaríamos como felicidade.

Hoje, quando penso em felicidade não vejo como um acontecimento só, uma coisa isolada. Acho que a felicidade que queremos e almejamos tanto sentir vem de um amontoado de felicidades que vamos acumulando no decorrer da vida. No acúmulo das boas ações, nos perdões que concedemos, na fé que alimentamos e no amor que doamos.

12 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Acorda, Alice, você não está no País das Maravilhas

Por Keka Demétrio

Deus tem participado ativamente da minha vida e o que sinto é que ele é o meu porto seguro nessa caminhada, e principalmente nas horas de tormentas. Afinal, quem não as tem?

Sei que ELE sempre esteve ao meu lado, amparando e esperando o momento em que eu abriria meus sentidos para que ele se manifestasse. Com os acontecimentos estou descobrindo que existe uma grande diferença entre acreditar que DEUS está no comando e ter fé de que ELE realmente comanda tudo. Isso trás uma sensação de calmaria que nem sempre é fácil existir quando estamos tentando acabar com essas guerras internas que se apoderam da gente quando temos que tomar decisões que a principio parece querer tirar nosso chão. Conexão entre Criador e Criatura para buscar o equilíbrio entre razão e emoção mesmo sabemos que a emoção é feito vida correndo em nossas veias.

Geralmente não é fácil deixar para trás sonhos e fantasias, mesmo as que você tenha sonhado sozinha. A expectativa e a fé sobre acreditar que as coisas boas realmente virão pode ser uma faca de gois gumes para aqueles que só percebem a própria visão da situação. É preciso crer na sabedoria divina e que ele quer o melhor, não importa o resultado. Se você fez a sua parte e seus sonhos se realizaram, ótimo, corre e vai ser feliz, mas se você fez sua parte e não se realizaram, é consolador pensar que DEUS está preparando coisa melhor.

Perceber quando devemos sair de cena é fundamental par mantermos a dignidade, a cabeça erguida e o coração apenas arranhado. O que pode acontecer nesses casos é de nos tornarmos um pouco mais frios, embora eu, por exemplo, já tenha passado por tanta coisa e continuo um vulcão de emoções. Mas no fundo sei que alguma coisa pode ficar um pouco mais triste. Porém, nada que possa tirar o brilho de quem aprendeu a se virar do avesso em busca de autoconhecimento e desenvolvimento do amor próprio.

Sair de cena é acordar para outra realidade, para um novo recomeço, novas possibilidades e novos sonhos, é abrir espaço para uma nova história. Como diz minha amiga Rê Bitar: Acorda Alice, você não está no País das Maravilhas. É, não estou, mas me recuso a viver sem acreditar que maravilhas existem, ah, e como existem!

31 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Nune e Kuka

por Keka Demétrio

Dizem que ser mãe é padecer no paraíso, mas eu discordo, até porque não conheço o paraíso. Mas uma coisa eu tenho certeza: filhos são divisores de água na vida de qualquer mulher.

Não consigo me lembrar com muita clareza minhas prioridades antes de receber de Deus a missão de ser mãe. A sensação que tenho é que depois de Matheus e Maria Angélica tudo tem outro sentido, e às vezes em que errei na educação deles, talvez por excesso de zelo e amor, me pego querendo acertar cada vez mais. Afinal, quem ama educa, e não é só educar para o trato com as pessoas, mas também educar o coração e a alma. Conheço inúmeras pessoas que mal sabem manusear um talher, porém, possuem uma generosidade no trato com a vida que deixaria qualquer um de nós roxo de vergonha.

Ser mãe é diferente de tudo o que eu poderia imaginar. É uma espécie de amor incondicional e insubstituível. Quando somos pequenos e imaginamos perder nossos pais nosso coração dói que parece que vai sair do peito. Pois é, quando temos filhos e imaginamos perdê-los essa dor se multiplica que faz até mal só de pensar.  E nas vezes que discuto com meus filhos aborrecentes, depois de inúmeras tentativas de diálogo, me pego tentando controlar o ímpeto de colocá-los no colo e pedir desculpas por ter sido tão dura. Mas me lembro dos exemplos de minha mãe, me seguro, e confesso que muitas vezes choro por perceber que, assim como eu, que muitas vezes não quis ouvir as palavras de minha mãe, achando-a retrógrada e chata, eles ainda vão aprender muitas coisas através do sofrimento.

Sempre tive a visão de que não crio meus filhos para mim, e sim para o mundo. Não para um mundo qualquer, mas um que eles devem criar através de escolhas sábias e descentes, tornando seus caminhos retos e claros. Isso nem sempre é fácil, o amor que uma mãe devota aos seus filhos às vezes cega e faz tropeçar nos ensinamentos, mas Deus é testemunha de que a intenção foi baseada no tal amor sem explicação.

Às vezes fico pensando como seria minha vida sem os meninos, e confesso que mesmo diante dos percalços vividos, na dor em ver um deles triste, minha existência não teria sentido. Confesso também que sinto medo em relação ao futuro, porque antes de serem meus filhos são pessoas dotadas de natureza própria, e que mesmo se eu quisesse jamais poderia tomar para mim suas dores, e mesmo se pudesse ainda assim estaria sendo egoísta ao ceifar-lhes o direito à evolução como seres humanos.

Tenho orgulho pela mãe que sou, mas mais ainda pelos filhos que tenho. Brigamos, discutimos, mas nos amamos. Aos trancos e barrancos vamos cumprindo nossos papéis. Eu tentando ser uma mãe presente, que ama, ensina, doa, satisfaz desejos, mas que também cobra e chama na conversa sempre que se faz necessário. E eles tentando entender essa mãe meio maluca, que tenta ser descolada, compreensiva, mas que faz questão de ouvir “Benção, mãe” junto com um beijo estalado, só para poder responder “Deus te abençoe” com um abraço muuuito apertado.

Nune vai completar 15 anos e Kukinha 14, mas para mim continuam a ser aquelas crianças que um dia Deus me presenteou para que eu compreendesse que a vida é muito mais do que simplesmente riscar os dias no calendário, que ela é feita de amor, de amor de mãe. E todas as vezes em que me sinto triste e desanimada, me lembro dessas duas almas confiadas a mim e agradeço a Deus por fazer esta minha existência muito mais fácil ao me permitir sentir as dores e as alegrias ao protagonizar o papel de mãe.

31 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Dando um tempo para a alegria.

Por Keka Demétrio

Mais um dia, mais uma semana, mais um mês. Lá vamos nós para fevereiro e parece que a vida ainda não aterrissou em 2011. Penso, repenso e sei que preciso recomeçar algumas coisas, mas vou adiar tudo para amanhã, aliás, nem tudo, algumas coisas ficarão para depois de amanhã, ou quem sabe para a semana que vem. Ok, eu vivo dizendo que temos a obrigação de lutar pela felicidade o mais rápido possível, mas também acredito que esse time nas atitudes faz parte de uma reciclagem necessária para se recomeçar qualquer projeto de vida.

Tenho um monte de coisas para contar para vocês, como a viagem que fiz até Joinville para o lançamento da coleção inverno da Elegance, mas qualquer coisa que eu fale hoje sobre o assunto não terá a emoção necessária e condizente com tudo o que presenciei por lá. Então isso também vai ficar para depois. É, hoje estou naqueles dias em que, ou a gente se retrai, ou sai por aí sem eira nem beira (aff, esse ditado é bem antiguinho…rsrs). Preferi me fechar em meu quarto, o qual denomino “meu mundo”.

Hoje tô dando um tempo na minha alegria e no meu sorriso fácil. Às vezes é preciso saber se nos acostumamos em dizer que somos felizes e se nosso sorriso é mesmo sincero, ou se nos condicionamos a agir assim. Para descobrir é preciso fazer um chek list do que vivemos, do que estamos vivendo e do que queremos viver, e mergulhar um pouco na melancolia, na tristeza, ou no que quer que seja contrário aos parâmetros que temos para definir felicidade. Ninguém saberia o que é amargo se não tivesse experimentado o que é doce. Ir até o inferno é o que nos possibilita enxergar o céu.

Posso me gabar de muitas coisas em minha vida, inclusive de ter ido ao fundo do poço muitas vezes. Mas me gabo mais ainda por ter tido a fé e a coragem necessárias para subir novamente. E ter aprendido nas inúmeras quedas que sou mais forte do que suponho, e que hoje, quando caio, o desespero não toma mais conta de mim, porque aprendi a confiar mais em mim e isso tem tornado minha relação com Deus um caso de amor puro e verdadeiro.

Portanto, posso me dar o direito de ficar triste, de chorar, de rever minha vida sempre que achar necessário. E ele sabe que quando faço isso não estou reclamando ou me lamentando, mas que é, dentre tantas outras, uma forma de me conhecer e tentar ser melhor comigo mesma.

Ps: escrevi esse texto ontem de noite, e hoje, ao me olhar no espelho não deu pra conter o sorriso. Ele realmente faz parte do que sou.

46 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Derrubando a máscara do natal.

Por Keka Demétrio

E viva o Papai Noel, as luzes que enfeitam as avenidas, as promoções do comércio e a incoerência de alguns.

Nessa época, geralmente, algumas pessoas vestem a máscara do “espírito natalino” e se esquecem da habitual prática de ofensas que comete contra seus semelhantes no decorrer do ano. Acho fantástico esse clima de amor e carinho que toma conta de todos nós, mas penso que não precisamos usar máscaras e sim através da nossa evolução como seres humanos deixar que nosso coração ofereça luz todos os dias do ano.

O que será que nos impede de sermos calorosos o ano todo, de desejarmos felicidades às pessoas, de oferecermos um sorriso ou uma palavra de carinho em um dia qualquer? Por que será que deixamos escapar no ano 363 chances de nos cercarmos de amor para nos contentarmos com míseros dois dias? Como diz um amigo gato, inteligente, futuro economista e tudo de bom (meninas depois passo o e-mail dele…ahahahaha): ”Keka, vivemos em uma sociedade hipócrita e individualista, pois quando chegam os dias do feriado natalino percebemos uma repentina mudança em relação à solidariedade. Por que não somos solidários e “bonzinhos” constantemente? Isso reflete uma sociedade que vive de muita aparência e pouca essência.”

Ok, eu sei que falar é tarefa fácil, difícil é realizar, pois exige esforço sobre humano, já que somos imperfeitos demais. Às vezes deixamos de viver nossa própria vida para vivermos a vida dos outros porque não temos coragem de olharmos para dentro de nós mesmos e encararmos as escolhas erradas que fazemos, passamos a julgar os outros porque é dolorido fazer o próprio julgamento descortinando imperfeições, mentimos para o nosso coração como se fossemos capazes de esconder de nós mesmos o que carregamos na alma.

Natal é época de confraternização, mas de que adianta querermos ofertar amor ao próximo se não amamos a nós mesmos, se não reconciliamos conosco. E isso não se faz da noite para o dia, não é como uma discussão com um amigo que logo depois conversamos e voltamos às boas.

Para estar de bem consigo mesmo é preciso ter autoconhecimento, entender que não somos santos e nem demônios, mas seres em constante evolução e que a forma como renascemos todos os dias é que irá determinar o tamanho do amor que poderemos oferecer nessa época em que o FILHO de DEUS faz crescer dentro de todos nós a fé e a esperança de que somos todos irmãos.

 

14 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Por Keka Demétrio

Nunca vi alguém dizer que não tem fé. Às vezes algumas pessoas dizem que tem pouca fé, mas nenhuma fé eu nunca ouvi. Acontece que dizer só da boca pra fora é o mesmo que cuspir uma comida ruim que nunca experimentou.

Desde pequenos aprendemos que temos que ter fé em DEUS, e acho isso fantástico porque Ele é nosso maior sustentáculo e a razão de todas as coisas, porém não me lembro de alguém ter me falado que preciso ter fé em mim mesma, e que por ser obra divina já nasci com essa sementinha que precisa ser regrada diuturnamente.

Esqueceram de me contar que para eu me amar e crer na força desse amor eu antes preciso exercitar a fé em mim mesma e isso é que vai me levar a construir a minha própria história, e mesmo que em alguns momentos essa fé possa vir a diminuir por algum motivo, já que sou humana e passível de erros e influências, a história é minha e só eu tenho o direito e a capacidade de escrevê-la e modificá-la quantas vezes se fizer necessárias. 

Não vejo sentido em alguém dizer que tem fé em DEUS se não consegue acreditar em si mesmo que é sua maior obra. Como alguém pode olhar para o céu, e em oração, pedir alguma coisa se sequer agradece a maravilha de estar vivo? É controverso ter fé no Criador se você não acredita na sua criação.

Se sente triste, desanimado, sem forças para continuar, que atire a primeira pedra quem nunca se sentiu assim, e se isso te acalenta, sim, porque é incrível como nossa dor diminui quando percebemos que outras pessoas também sofrem pelo mesmo mal que está nos fazendo sofrer, problemas todos nós temos, mas o que é um problema que não uma espécie de equação que precisa ser resolvida? Nas equações da vida, algumas mais, e outras menos complicadas, a crença em si mesmo, na sua capacidade de superação e crescimento como ser humano é a fé ditando todas as fórmulas necessárias para resolver qualquer uma delas. Mas sem fé, vai continuar perdido tal qual menino quando começa a aprender equação de 2º grau.

Por que teimamos em ter fé na capacidade dos outros e quando é para nós realizarmos o primeiro pensamento é que não iremos conseguir? Sem acreditar na sua potencialidade é impossível realizar sonhos, porque é preciso combustível para manter a chama acesa quando quiserem te fazer acreditar que você é pequeno demais pra realizá-los.

Então, regue a sementinha da fé que existe dentro de você e que está louca para brotar e se tornar uma árvore frondosa que irá lhe dar abrigo nos dias em que o sol escaldante arder a sua alma. 

 

30 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento