Arquivo da tag: emoção

Onde você se encaixa?

Por Keka Demétrio

 

Não sei por que a gente fica insistindo em coisas que definitivamente não vão vingar. Eita orgulho que nos faz ser idiotas e perder nosso precioso tempo.  Há um tempo, cheguei à conclusão que nem sempre é o sentimento que mais pesa quando temos que deixar um amor para trás, mas sim o orgulho ferido. Nossa, depois da descoberta do meu amor próprio, esta foi uma das descobertas mais libertadoras.

Pensa bem, quando ficamos sabendo que o tal amor da nossa vida tá com outra, ou ao menos conversando com outra, o que pensamos na hora é se a outra é mais bonita, mais inteligente, mais preparada e articulada que a gente, e mesmo que ela não seja o maldito orgulho nos faz acreditar que é. Perde-se a noção do que um relacionamento precisa para dar certo e foca-se na destruição da imagem daquela mulher, que nem é tão linda, inteligente e articulada como nós, mas que a nossa falta de inteligência emocional deixa claro que tomou nosso lugar.

É uma pena, mas é assim que a maioria de nós agimos. Quando estamos em um relacionamento, deveríamos aprender com os homens a trabalhar um pouco a nossa racionalidade. Poxa, Keka, logo você, uma romântica incorrigível, um perfeito exemplar do que é emoção vir falar sobre racionalidade? Sim, eu mesma. Sou emotiva, mas não sou burra.

Quer ver uma coisa: se o seu tal amor te largar por outros motivos que não seja outra mulher, tenho certeza de que você não vai sofrer tanto. Quando somos preteridas por outra é nosso orgulho que entra em jogo, nos sentimos diminuídas, incapazes, menos e muito menor que a tal dita cuja, mas não pensamos em momento algum que fomos pequenos ou incompetentes para administrar nosso amor. Sim, porque relacionamentos também precisam ser administrados, cuidados, revitalizados. É preciso estar atento às demandas que vão surgindo e às intempéries de uma vida a dois.

E o que tem a ver isto tudo com o fato de insistirmos em algo que não vai dar certo? Tudo. Se você está neste barco, pare, pense e pondere os seus reais sentimentos. Será que é mesmo amor, ou orgulho de mulher revestido de paixão? Se for amor, e tudo indica que não há reciprocidade, não vou dizer para não ficar triste, para não derramar algumas lágrimas, porque sei que isso vai acontecer e é até bom que aconteça, mas, por favor, seja inteligente, não perca a capacidade de amar, Deus sempre tem o melhor para quem confia Nele. E você pode fazer a sua parte colocando aquele vestido lindo e estampar nesses lábios um sorriso contagiante. Tenho certeza de que novos pretendentes não irão faltar. Apenas permita-se.

Agora, se for orgulho revestido de paixão, ative sua inteligência emocional e me diga: vale à pena sofrer por algo que você nem tem certeza se quer? Vale perder tempo, energia, e os outros gatos que estão esperando um sinalzinho seu, só porque encasquetou que tem que provar que é melhor que outra mulher? Definitivamente, não vale. E depois, existem mil maneiras de mostrarmos o nosso valor, e uma delas, aliás, uma das mais admiráveis, é sair deste tipo de situação com a elegância que só uma mulher bem resolvida e que se ama possui, de cabeça erguida, ostentando como triunfo seu amor próprio. Pense nisto.

 

 

 

 

 

 

 

28 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento

Quero Folga.

Por Keka Demétrio

Você está rodeado de gente e se sente sozinho e entediado.  Valha-me deus, porque será que nós só nos sentimos vivos se o coração estiver batendo em ritmo descompassado? Paixão, amor, tesão, atração, ou quaisquer outras cositas mais que me esqueci de colocar na lista. O mais engraçado é que o coração fica cheio de um sentimento que faz com que a vida pulse em um ritmo delicioso, mas a danada da cabeça insiste em te lembrar a todo instante que as coisas não são bem um conto de fadas, que o príncipe encantado não existe e que você vai ter sempre que lutar muito pra conseguir o que deseja.

Quero folga. Quero um bom tempo longe desses pensamentos que me fazem ter atitudes que dificultam de verdade a vida. Não quero acordar e de imediato já deixar minha cabeça mandar em meu coração. Acordar me lamentando como o dia será longo e que tenho mil afazeres inadiáveis não vai alterar os compromissos que já assumi, mas a forma como penso sobre eles pode fazer toda a diferença. Então, quero ao despertar, dar um tempo para espreguiçar longamente meu corpo, deixar as lembranças de momentos fantásticos que vivi outro dia tomar conta de mim e estampar em meus lábios um sorriso lindo, isso dá ânimo e vitalidade. Quero poder dizer bom dia para mim mesmo, afinal, sou a peça mais importante do meu próprio dia.

Vou deixar a minha emoção explicar algumas coisas para a minha razão, e que se dane o se, o por quê, o talvez, o quem sabe, quero mais é acreditar que tiro todos eles de letra, e que eu sou a dona das minhas ações e não as convenções existentes.

Definitivamente não quero matar um leão por dia. Pensar assim é aterrorizante e me dá a sensação de que realmente as coisas são muito difíceis e que sempre precisarei de um esforço homérico para viver. Eu não quero acreditar nisso, sou muito sonhadora para achar que a vida é uma eterna luta. Não quero pensar em dificuldades, quero que meu coração ensine à minha cabecinha que eles podem trabalhar em sintonia e que eu não perderei a sensatez e nem as rédeas da minha vida por causa disso, agindo assim, apenas vou deixá-la mais leve.

Quero mais é viver a vida dia após dia com o mesmo entusiasmo de uma adolescente que acabou de se apaixonar, oferecendo sorrisos, afagos, carinho, amor, e criando um conto de fadas cheinho de emoções, que é para o meu coração ficar sempre muito descompassado.

32 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento