Arquivo da tag:

Feliz mulherão novo!

renata 1

Por Renata Poskus Vaz

Oi, amiga! Juntas vivemos aqui no Blog Mulherão mais um ano inteirinho de dilemas, preocupações, conquistas e cuidados com a beleza e saúde das pessoas mais importantes de nossas vidas: nós mesmas. Agora o ano de 2013 chega ao fim e devemos e merecemos comemorar a passagem para 2014.

Tem gente que acha besteira comemorar a passagem de ano. Já vivi muita passagem de ano de pijama (e até dormindo!) e outras tantos bonitona, comemorando. E tenho experiência o suficiente para afirmar que devemos sim comemorar, nem que seja sozinhas.

Não importa se vai passar o réveillon em casa, na rua, na praia, com a família, amigos ou solitária. Arrume-se! Cuide de você! Arrume seu cabelo, faça uma bela de uma maquiagem e vista uma roupa nova que te deixe ainda mais linda e poderosa. Apronte-se para você. Arrume-se com a imagem que você terá orgulho de se recordar o ano de 2014 inteiro.

Agradeça as coisas boas que aconteceram em 2013, claro. Mas não esqueça de pedir. Não estou dizendo para você pedir para Deus, não estou falando de religião agora. Estou falando de pedir para você mesma. Peça para você, anote em um papel, em um diário e não conte para ninguém. Estabeleça metas, planeje-se, escolha o que de mais maravilhoso deseja passar em 2014. Isso funciona. E eu poderia passar o dia todo aqui falando sobre programação neurolinguística e o quanto repetir dezenas de vezes em pensamento o que você quer pode ajudá-la na realização dos seus sonhos, mas essa é uma longa história. Acredite em mim, peça.

Ano que vem reservo uma série de surpresas para vocês, minhas leitoras, amigas e parceiras. O Blog Mulherão fará 5 anos. Sim, 5 anos de muito sucesso. Não, não serei uma falsa modesta agora. São 5 anos de uma história muito bonita de se ver e morro de orgulho dela. Um dos primeiros blogs para mulheres plus size do nosso País, o primeiro escrito em primeira pessoa, com uma blogueira de carne e osso (mais carne do que osso, claro!) mostrando o seu dia a dia para vocês: eu. Um blog que inspirou muita gente. O ano de 2014 é nosso, garotas!

Bom, fico por aqui. Ficam meus votos de um feliz “mulherão novo” para todas vocês. O ano de enxugar as lágrimas, de partir para a luta, de não ceder às ofensas, de ser independente e realizada completamente como mulher, como um mulherão.

7 Comentários

Arquivado em comportamento

Ele é lindo. E eu?

Por Keka Demétrio

Outro dia uma amiga me procurou para falar sobre seu atual relacionamento. A principio pensei ser mais uma de suas paixonites, mas depois de breve relato comecei a ver que o negócio era sério, e complicado.

Ele não cobrava o seu passado, não se detinha nas suas curvas generosas, exceto quando dividiam a king size dele, enchia-a de mimos, era educado, gentil, às vezes meio autoritário e ciumento, mas amiga, nada é perfeito. E ela, bom, ela só sabia dizer que ele era homem demais para ela.

– Keka, imagina só, ele é lindo, inteligente, estabilizado, romântico, viajado, descolado, e tudo o mais de bom que você imaginar. E eu? Eu sinto vergonha até de dizer o que eu sou perto de tudo isso que ele é!

Confesso que me deu vontade de pegar Mary e dar umas boas palmadas, ou uns bons sacolejos para ver se ela voltava à realidade. A imagem que ela tinha dele era de um homem mais que perfeito, enquanto que ela era uma coisa qualquer jogada ao vento.

Nada do que ela dizia que ele era ou possuía o fazia melhor ou pior do que ela. Pessoas se medem pela suas atitudes, caráter, ações, e até pela forma como trata um subordinado no trabalho, no restaurante ou em qualquer outro lugar. Quem mede pessoas pela sua forma física, pela sua conta bancária, ou pelo que ela pode te proporcionar materialmente acaba se decepcionando imensamente. E é exatamente por isso que muitas uniões não dão certo, porque as pessoas se apaixonam pelo que elas imaginam que o outro seja ou tenha. Projetam seus sonhos em cima de uma perfeição que não existe. O gato em questão pode ser realmente tudo o que Mary relatou, mas ele continua humano como qualquer um de nós, portanto, passível de erros e acertos. Assim como ela.

Não culpo minha doce amiga pelo sofrimento em vão que ela mesma se submete ao alimentar esse pensamento idiota. Muitas mulheres pensam exatamente igual quando não conseguem perceber o valor que possuem para si mesmas e para a vida. Quando nossa autoestima é muito baixa qualquer porcaria é melhor do que nós, então, imagine o quão difícil é trabalhar o pensamento de que merecemos um companheiro com todos os atributos que acreditamos que realmente sejam essenciais para nos fazer felizes. A visão que temos de nós mesmos é tão destorcida e ruim que achamos que não somos merecedoras de coisas boas. Nos empolgamos com as conquistas dos amigos, mas temos medo de correr atrás das nossas.

Mary continuou seu relato cheio de indignação, como se fosse um absurdo aquele homem se interessar por ela. Ela era bela, culta, educada, inteligente, cheia de vida, transbordava alegria, seu sorriso encantava desde crianças até idosos, e o coração era proporcionalmente do tamanho do seu corpo roliço. Mas parecia não perceber que na sua simplicidade de mulher, na forma como sabia conduzir a vida era tão especial quanto ele, e sentia-se insegura demais para continuar. Iria por fim ao relacionamento. Perguntei quais os argumentos que ela iria usar, e seus olhos marejados foram a resposta.

Fiquei pensando no que dizer àquela amiga quando me lembrei de mim mesma, e as palavras saíram suaves, porém firmes: “Jamais pense que alguém é demais para você! Cultive o pensamento de que você é tão importante para Deus, que sua vida é tão bem sucedida que você só poderia merecer alguém fantástico como você mesma. Qualquer coisa que seja menos do que isso realmente não te pertence. Tudo de maravilhoso que você tem é porque você foi merecedora. Se algum dia perder é porque não teve sabedoria para manter, mas isso também não quer dizer que não possa voltar, fazer diferente e reconquistar tudo ou muito mais. Acredito que qualquer um é capaz de um recomeço fantástico quando passa a trabalhar a confiança e a fé em si mesmo e em Deus.”

E é com esse pensamento que passei a conduzir a minha vida, alimentando comigo mesma o romance mais bonito que eu poderia viver, e é assim que desejo que todas as Marys viva, apaixonando por si mesma a cada nascer do sol.

 

 

44 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Guardiões dos sonhos

Por Eduardo Soares

 “Nunca penso no futuro. Ele chega rápido demais”

“Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe provando o contrário”

As duas frases acima foram ditas por ninguém menos que Einstein e abordam respectivamente a preocupação do físico alemão em agir no presente e a crença dele em todo e qualquer tipo de sonho.

O filme “A Origem” aborda um futuro fictício onde existiriam ladrões de sonhos. Graças a Deus tal situação (ainda) é hipotética, mas imagine se fosse realidade. Caso alguém mal intencionado tivesse acesso aos seus pensamentos e anseios mais valiosos, qual seria a sua atitude? Lutar por eles até o fim, suponho. Pois bem, mesmo sem correr tal risco, porque tem gente que não luta pelos próprios sonhos até as ultimas conseqüências? O “deixar para depois” pode ser tarde demais. Pense: até pouco tempo atrás você estava cursando o segundo grau. Num piscar de olhos passamos pelo mistério envolvendo as teorias apocalípticas do ano 2000. De lá até o instante em que você lê essa linha, dez anos voaram diante da sua vida.

Acredito que o sonho seja nosso bem mais valioso. Mais até do que o amor. Desde crianças, sonhamos. Para isso, nunca precisamos pagar taxa, licença, imposto. Na idade infantil, idealizamos apenas o mundo de brincadeiras infinitas. Quando crescemos, idealizamos o mundo de realizações e assim, dentre outras coisas, fazemos parte do mundo de brincadeiras dos nossos filhos. O sonho é um elo eterno entre o desejo ardente e sua realização, tal qual uma corrente que nunca se rompe. Somos guardiões, reis e rainhas dos nossos sonhos.  Você pode relatá-los para várias pessoas, mas o acesso, a senha para abrir a caixa forte daquele sonho mais cobiçado está única e exclusivamente em suas mãos. Quem pode tirar e colocar sonhos na sua cabeça é você mesmo. Vale a pena viver por viver, sem almejar nada? Vale a pena viver sem dar sequer o primeiro passo diante do desafio? Valerá a pena olhar para trás daqui a vinte anos e ficar se lamentando ao ver que seus sonhos morreram por culpa da passividade que tomou conta da sua vida? Neste caso, o “deixar para depois” deu as caras, rasgou sua pele, beijou sua boca, e sugou toda energia que estava guardada dentro do seu querer. Restaria apenas lamentar pelo resto do resto de vida que ainda haveria. Viver de migalhas. sente-se satisfeito com isso?

Permita-se sonhar alto.  Permita-se conhecer o real significado da vida. Lute pelo tesouro mais valioso que está dentro de você.

Queira. Ouse. Vença.

Tenha fé.

Faça acontecer.

Seja diferenciado (a).

Busque pelo impossível.

Prove o sabor da conquista.

 

19 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Por Keka Demétrio

Nunca vi alguém dizer que não tem fé. Às vezes algumas pessoas dizem que tem pouca fé, mas nenhuma fé eu nunca ouvi. Acontece que dizer só da boca pra fora é o mesmo que cuspir uma comida ruim que nunca experimentou.

Desde pequenos aprendemos que temos que ter fé em DEUS, e acho isso fantástico porque Ele é nosso maior sustentáculo e a razão de todas as coisas, porém não me lembro de alguém ter me falado que preciso ter fé em mim mesma, e que por ser obra divina já nasci com essa sementinha que precisa ser regrada diuturnamente.

Esqueceram de me contar que para eu me amar e crer na força desse amor eu antes preciso exercitar a fé em mim mesma e isso é que vai me levar a construir a minha própria história, e mesmo que em alguns momentos essa fé possa vir a diminuir por algum motivo, já que sou humana e passível de erros e influências, a história é minha e só eu tenho o direito e a capacidade de escrevê-la e modificá-la quantas vezes se fizer necessárias. 

Não vejo sentido em alguém dizer que tem fé em DEUS se não consegue acreditar em si mesmo que é sua maior obra. Como alguém pode olhar para o céu, e em oração, pedir alguma coisa se sequer agradece a maravilha de estar vivo? É controverso ter fé no Criador se você não acredita na sua criação.

Se sente triste, desanimado, sem forças para continuar, que atire a primeira pedra quem nunca se sentiu assim, e se isso te acalenta, sim, porque é incrível como nossa dor diminui quando percebemos que outras pessoas também sofrem pelo mesmo mal que está nos fazendo sofrer, problemas todos nós temos, mas o que é um problema que não uma espécie de equação que precisa ser resolvida? Nas equações da vida, algumas mais, e outras menos complicadas, a crença em si mesmo, na sua capacidade de superação e crescimento como ser humano é a fé ditando todas as fórmulas necessárias para resolver qualquer uma delas. Mas sem fé, vai continuar perdido tal qual menino quando começa a aprender equação de 2º grau.

Por que teimamos em ter fé na capacidade dos outros e quando é para nós realizarmos o primeiro pensamento é que não iremos conseguir? Sem acreditar na sua potencialidade é impossível realizar sonhos, porque é preciso combustível para manter a chama acesa quando quiserem te fazer acreditar que você é pequeno demais pra realizá-los.

Então, regue a sementinha da fé que existe dentro de você e que está louca para brotar e se tornar uma árvore frondosa que irá lhe dar abrigo nos dias em que o sol escaldante arder a sua alma. 

 

30 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento