Arquivo da tag: gilberto amendola

Entrevista para o JT

Hora de se orgulhar da balança

Grupo de gordinhas reunidas por um blog cria o dia de Modelo Plus Size

SANY2553

Por Gilberto Amendola

Na infância, quando Renata PoskusVaz, hoje com 27 anos, brigava com coleguinhas de escola, um dos primeiros ataques que ela sofria era: “Pelo menos minha mãe não é gorda”. Um pouco mais tarde, quando tentou ser bailarina, a professora de balé exigiu um regime radical: “Para ser bailarina, é preciso ter corpo de bailarina. Tem de ser magrinha”. O ‘peso’ do peso fez com que Renata se transformasse em uma defensora aguerrida das gordinhas. Ela criou o blog Mulherão (mulherao. wordpress.com), ‘ponto de apoio’ virtual entre as garotas que estão fora da sconvenções estéticas. No site, Renata dá dicas de beleza e levanta a estima de quem pesa mais de 70 kg. E foi ali, na internet, que a jornalista lançou a ideia de criar o Dia da Modelo Plus Size. A proposta é reunir algumas leitoras do blog e promover uma grande sessão de fotos, com direito a estúdio, maquiadores e cabeleireiros profissionais. “Nos fizemos uma vaquinha entre as meninas. Arrecadamos um dinheiro e vamos oficializar o Dia da Modelo Plus Size durante a nossa sessão de fotos, que vai acontecer no sábado”, diz Renata.

O ensaio será feito com figurinos chiques e despojados, mas o ápice ficará por conta das fotos de lingerie. “Queremos mostrar que também podemos, também somos lindas. Não temos medo de ficar com pouca roupa”, fala Renata. O mercado de modelos plus size no Brasil ainda está engatinhando. 

Poucas agências trabalham com meninas de manequim superior a 44. Nos castings, elas representam menos de10% das profissionais. Aqui no País, as ‘tops plus size’ são Flávia Lacerda, Andréa Delgado e Simone Fiuza. As agências que mais trabalham com este perfil de modelo são a GgliterModels, Duets Models e Mix.

O JT foi encontrar oito meninas (entre um total de 12) que vão participar do ensaio fotográfico. No papo, elas deixaram claro que estão satisfeitas com os quilinhos a mais e que o único ‘inferno’ são os outros. “Agora mesmo eu estava em um ônibus. Sabe quem era a única pessoa que não tinha ninguém sentado ao lado? Eu! Ninguém quis sentar ao lado da gordinha. Puro preconceito”, desabafou Graziela Freitas, de 28 anos. “Isso também acontece na hora em que a gente vai procurar emprego. O empregador olha e diz que a gente não tem o perfil do lugar. Sei, sei…”.

Mesmo quem já atua como modelo e atriz– como Adriana Soviética, de 24 anos, e Nelaine Silva, de 26– sente a sombra do preconceito. “Se participo de algum desfile, as modelos magras não me consideram uma delas. Acham um absurdo. Dizem que vivem fazendo sacrifícios para manter o peso e não é justo disputar espaço com uma gordinha”, diz Nelaine. “Como atriz, eu sinto que tenho menos oportunidades por causa do meu peso.O padrão de beleza acaba restringindo o campo de trabalho, emenda Daniela.

 As meninas foram unânimes em dizer que, na televisão, as gordinhas, de fato, não conseguem bons papéis. “A gente só vê gordinha no papel de empregada. Não tem uma heroína, nós não temos figuras públicas femininas acima do peso”, reclama a dona de casa Rebecca Ceccarelli, de 30 anos. “Os homens gordinhos ainda contam com um pouco mais de sorte. Porque o gordo tem essa fama de ser ‘engraçadão’. Eles se defendem com o humor. A gente, nem isso”. fala a assistente de vendas Luciane Russo, de 33 anos.

No mundo da música, as gordinhas encontraram uma musa. Não, não é a cantora lírica Susan Boyle, mas a supercool Beth Ditto, vocalista da banda Gossip. “Ela tem atitude. As pessoas ouvem o que a Beth fala e canta. Ela também não se importa com o peso e, ainda assim, é uma estrela”, diz a coordenadora pedagógica Aline Demartino, de 21 anos. Aline vai fundo na questão da discriminação. “Sinto mais preconceito por ser gordinha do que por ser homossexual.”

Mas a postura das garotas não é só a de ficar reclamando e se abatendo com a maledicência das magrelas. “Sou carioca. Vivo no Rio de Janeiro. Lá, o culto do corpo é uma coisa esmagadora. Mesmo assim, sou feliz e me garanto com o corpo que eu tenho”,fala Daniela Lima, de 20anos.“Não achojusto a gente se privar de alguns prazeres como o chocolate, massa… Se não fizer mal para a saúde, tudo bem”, comenta Luciane. “Pelo menos um chocolate por dia eu como”, revela Aline.

Em relação aos garotos, namorados e afins, as gordinhas dizem que, na intimidade, todos dizem que adoram uma mulher mais cheinha. “A maioria gosta, gosta mesmo. Mas, na hora de fazer discurso para os amigos, dizem que nunca ficariam com uma gorda. Mentira”, entrega Luciane.“Lembro que, quando eu estava na escola, a cantada que mais me deixou feliz foi a de um garoto que me mandou um correio elegante. No bilhete, ele dizia: Gordinha, você me fascina.’ É claro que a gente acabou ficando. Homem que gosta de gordinha costuma ser muito legal”, completa.

Com a proximidade do dia do ensaio fotográfico,as meninas estão ansiosas e cheias de planos. “Já tem uma agência de modelos querendo fazer um book com as nossas fotos.Vamos nos lançar no mercado de modelos plus size. Quem sabe, se as fotos ficarem muito legais, agente também não faz um calendário 2010?”, planeja Renata.

Fonte: Jornal da Tarde (14/07/2009)

jt gordinhas

 

37 Comentários

Arquivado em Entrevistas