Arquivo da tag: madame juju

Ponto G

 

 Por Madame Juju

Sabe aquele dia que você reúne as amigas e começa todo aquele papo de mulher? Aí falamos de: bolsas, sapatos, viagens, homens, comidas, relacionamentos, etc… Pois é, num desses dias, alguém disse: – “Ponto G não existe! Eu não sou frígida, mas eu fico procurando, tentando achar e não sei onde fica!!!” – logo, eu pensei: Tema pro Post!!! E lá fui eu procurar informação, que divido aqui com vocês!

Então, mulheres, não se desesperem!

O ponto G pode não existir – é o que afirma uma pesquisa realizada no King’s College em Londres. Ufa!!!

Acredito que não exista um mapa do ponto G, e com certeza, existem pessoas que se frustram procurando algo que talvez nunca encontrem. De acordo com pesquisa, quase metade das pessoas testadas não encontraram o tal pontinho. (achei interessante o estudo ser feito, também, com gemêas identicas por possuírem a mesma constituição genética, e a resposta ser diferente da esperada. Ou seja, uma tem e a outra não.)

É fato também que as pessoas são diferentes e sentem prazer em àreas diferentes, há quem seja mais sensível ao toque no clitóris, há quem prefira o estímulo da penetração (onde encontramos as tais glândulas, ou o tal emaranhado de nervos que fica atrás do clitóris). Há quem ainda não descobriu o que gosta e como gosta. Eu citei o ponto G no post sobre ejaculação feminina  assim com um ar … duvidoso… (e se for o ponto G que provoca o squirt, estimulá-lo nem é tão interessante assim -minha humilde opinião) – é bom lembrar também que não existe estudo científico que prove a existência do ponto G.

De qualquer forma, ouvi uma expressão e concordo com ela: O ponto G está na cabeça!  Temos que estar relaxadas, felizes e curtindo o momento, se estivermos encanadas, preocupadas em chegar ao orgasmo ou pensando na “morte da bezerra”, com certeza não estaremos aproveitando como deveríamos.

 Sites interessantes, fontes desse post:

Wikipedia, ponto G e Banco de Saúde.

16 Comentários

Arquivado em Sexo

FWPS: Chayene Tomiuc

Por Madame Juju

Olá Mulherões e leitores, voltei com a história de mais uma modelo que desfilou no FWPS. Apresento à vocês: Chayene Tomiuc, um mulherão de 28 anos, paulistana, viciada em navegar na internet e cuidar de suas plantinhas, que sonha em ter um sítio com muito verde e viajar para Fernando de Noronha.  Hoje Chayene trabalha como secretária executiva, e trabalha como modelo por hobby, quando pode.

 Leia a história de Chayene contada por ela:

“Desde a minha infância sempre estive acima do peso, mas para mim isso nunca foi um problema. Sempre estive rodeada de amigos e amigas, na escola era uma pessoa bem popular e fazia muito sucesso com os meninos. Também tive uma fase magra, mais ou menos no ano de 2003. Fiz uma super dieta (por conta) e dos 95 kilos fui para os 72 kilinhos, nessa epóca eu usava jeans (sem lycra) nº 42… E assim fiquei por uns 3 anos, mas depois voltei a engordar.

Linda, bem resolvida e com um namorado maravilhoso que me conheceu magra, que continuou à me amar da mesma forma depois que engordei, e sempre me apoiando em tudo, resolvi procurar na internet algo relacionado às modelos gordinhas, pois além de estar de bem comigo sempre fui louca por uma câmera, um flash, um holofote… Foi então que em 2008 achei um site chamado Criatura GG direcionado à pessoas acima do peso, com dicas de moda, dicas de lojas, entre outros asssuntos interessantes, e nesse mesmo site as meninas (e meninos também) interessadas podiam se inscrever para tentar a carreira de Modelo Plus Size. Essa foi a minha chance.

 

Chayene e o namorado

Inscrevi-me e em pouco tempo fui chamada para o primeiro trabalho. Desde então fiz um editorial de moda para esse site, já desfilei em alguns programas de TV, já desfilei a coleção e também fui modelo de prova por um tempo de uma grife GG (Kauê).

Em 2008 tive uma perda muito dolorosa. Minha vozinha faleceu. Ela era minha fã nº 1, se emocionava ao me ver na TV, me incentivava, me dava forças e me fazia acreditar que eu era uma das mulheres mais linda do mundo. Então, depois da partida dela, mesmo recebendo o apoio e amor incondicional da minha mãe e meu namorado, fiquei doente, com depressão e perdi a vontade de continuar a trabalhar como modelo. Recusei alguns convites, pensei em desistir das “passarelas”, engordei mais um pouco, fiquei mais de um ano sem fazer nenhum trabalho… Ai comecei sentir falta da vida de modelo!

Como sempre confiei infinitamente em DEUS, sabia que aquilo que tivesse que ser, seria. E em janeiro desse ano recebi um convite para um desfile na TV. Aceitei na hora e isso me fez muito bem. Redescobri o quão bem a vida de modelo me faz!

 

Chayene em desfile para Ana Lisboa no FWPS.

Chayene em desfile para Tulnitex no FWPS

Por falta de tempo e atenção perdi a chance de participar do 1º FWPS, mas quando começou as inscrições para a 2ª edição não perdi tempo, corri atrás das minhas fotos profissionais, fechei a boca para não aumentar as medidas, emagreci 5 kilos, passei nas duas fases dos testes, desfilei para 2 grifes, simplesmente uma experiência maravilhosa, inesquecível!

Para finalizar, gostaria de deixar uma frase que para mim representa muito:

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. (Chico Xavier)”

53 Comentários

Arquivado em Entrevistas, Fashion Weekend Plus Size, FWPS, Modelo GG

Pompoarismo faz bem à saúde!

Por Madame Juju

Olá Mulherões, e leitores.
Depois de escrever sobre aulas de dança erótica, mostrarei algo sobre exercícios para a nossa região pélvica. Tenho certeza que já ouviram falar sobre pompoarismo. Esta modalidade surgiu na Índia como exercícios para o ritual de fertilidade. Hoje quando se fala em pompoarismo, pensamos: Tailândia.
Na Tailândia e em outros paises orientais existem shows eróticos em que mulheres dotadas de vaginas fortes executam movimentos, fumando, apagando velinhas, tirando tampas de garrafas, estourando bexigas, entre outros “fenômenos”. Demonstrações bizarras, mas que atraem um grande número de curiosos que lotam as “casas de show”. Realmente é possível um canal vaginal forte executar estes movimentos, não se trata de truque ou ilusionismo.
Se nós exercitamos o corpo, por que não exercitar a pélvis?
Faz bem, não apenas sexualmente, mas também para a saúde. Este exercício, chamado pompoarismo, previne a incontinência urinaria, o ressecamento da vagina durante a menopausa, prepara o canal para um parto mais tranqüilo, além de ajudar na recuperação pós parto. Tudo funciona como uma musculação, começa com poucos movimentos, e com os pesinhos mais leves, assim, com o passar do tempo, se aumenta o numero de contrações e troca-se o pesinhos por outro mais pesado. Lembrando que, se houver interrupção da prática, consequentemente  haverá perda do tônus muscular.
A prática é recomendada por médicos no ocidente, desde os anos 50, quando  Arnold Kegel, um médico norte-americano, pesquisou o porque das prostitutas do oriente apresentarem menos problemas ligados a musculatura vaginal.  O ginecologista então, criou um método semelhante para suas pacientes, que ficou mundialmente conhecido como “Exercício de Kegel”.
O homem também pode praticar o pompoarismo, geralmente procurado para controlar a ejaculação precoce, com o treino alguns  homens conseguem ter orgasmos secos e determinar o momento de ejacular.
Parece que o maior beneficiado, sexualmente, nessa história toda é o homem, afinal se você resolver se tornar uma especialista na arte de pompoar, vai conseguir levá-lo a loucura, mas como eu sempre digo, nada melhor que o auto-conhecimento e a consciência corporal, para identificarmos o que gostamos e nos dá prazer.

13 Comentários

Arquivado em Saúde, Sexo

As gordinhas são as melhores na cama?

Por Madame Juju

Na semana passada, as modelos plus size Simone Fiuza, Mayara Russi, Bianca Raya e Andrea Boschim participaram do Programa SuperPop, da Rede TV. O tema do programa era: as gordinhas são as melhores na cama?

Intrigada com o tema, fui buscar mais informações. As pessoas que se aceitam e se sentem bem com o parceiro irão desempenhar melhor o papel na hora do sexo, podendo ela ser magra, gorda, baixa ou alta. Isso, claro, também vale para os homens. É preciso relaxar e aproveitar o momento. Os espelhos são para apimentar a relação, conseguir visualizar as expressões faciais de todos os ângulos, ou assistir ao próprio ato de uma forma excitante, NÃO para que fiquemos tensos, encolhendo a barriga ou tentando evitar dar uma viradinha que vá mostrar a dobrinha, ou ainda prestar atenção nos próprios músculos enquanto a outra pessoa está lá, de corpo e alma na relação.

Considerando que o excesso de peso causa problemas cardioasculares e que as nossas zonas erógenas sejam altamente irrigadas por sangue, a dificuldade de ereção para o homem pode vir a acontecer, mas atenção – não em conseqüência da obesidade, e sim da má alimentação e carência em atividades físicas.

Acredito que o sobrepeso interfere psicologicamente de um modo negativo, principalmente porque o padrão de beleza imposto é a magreza. Isso causa insegurança em alguns gordinhos e gordinhas. Mas não somos os únicos inseguros nessa vida.

tenho uma amiga magérrima que, desde os tempos de colégio, morria de vergonha ir a praia vestindo um biquíni. Eu não entendia as razões dela (estrias no bumbum). Eu, sim, tinha um problemão: 20 kilos a mais, as gordurinhas querendo saltar do biquíni.

Sabe qual a diferença dos nossos problemas??? Nenhum! O Meu probleminha não era maior que o dela, a intensidade do que acontecia conosco era a mesma, tudo aquilo nos afetava a autoestima do mesmo modo.

Volto a lembrar que as magrinhas também não são 100% seguras, sempre há alguma coisa que incomoda, em maior ou menor intensidade e afirmo: é a cabeça que devemos tratar.

É a autoestima lá em cima, a vontade de ter e proporcionar prazer que vai fazer com que nós sejamos “bons de cama”! Com saúde e disposição, melhor ainda. Por isso é importante que levemos uma vida saudável, nos alimentando, exercitando e dormindo bem.

Mudando um pouquinho de assunto, para quem quiser ou achar que esta precisando de uma injecaozinha de autoestima, tenho aqui um pedaço de um texto retirado do blog Gravataí Merengue, que defende o nosso biotipo.  

“É triste quando alguma garota linda, maravilhosa mesmo, diz que está “gorda”, e essa constatação se dá acompanhada de um estado depressivo. Não há meio de convencê-la do contrário, por mais que sua beleza seja óbvia. Em alguns casos, recorre-se a procedimentos pouco louváveis, como aqueles remédios sem noção, de efeitos colaterais desagradabilíssimos, ou maratonas de exercícios sem fim, para obter resultados quase sempre insatisfatórios…

…além disso, há realmente beleza nas gordelícias, não apenas a ideia do pecado. É evidentemente idiota a ideia de que apenas um tipo de corpo feminino seria bonito, considerando-se feios todos os demais. Tal regra, essencialmente, já nasceria equivocada. O pior de tudo é que as mulheres não apenas acreditaram na bobagem, mas adotaram a estultice como axioma. E o que temos? Gordinhas maravilhosas querem ficar magrelas e as já magras tentam ficar esqueléticas.

Sei que é péssimo sair por aí generalizando, mas homem que repara muito em barriguinha de mulher, na boa, no fundo não deve gostar de mulher. Até “aceita”, mas não GOSTA de mulher. Porque a efetiva beleza feminina possui vários aspectos, delícias, detalhes, minúcias, e definitivamente as tantas curvinhas não são defeitos, mas virtudes.”

Boa semana para todos! E voltarei em breve com outra entrevista de mais uma Modelo do FWPS!

Site interessante: Consulta de sexologia – O mais completo que eu achei, descreve as taxas hormonais de acordo com as etapas da vida. Clique aqui e leia mais.

Veja o programa SuperPop que falou sobre obesidade e sexualidade. Com participação de Mayara Russi, Simone Fiuza, Andrea Boschim e Bianca Raya.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Parte 7

Parte 8

 

18 Comentários

Arquivado em Relacionamento, Saúde, Sexo

Débora Fernandes, modelo plus size, estilista e empreendedora

Por Madame Juju

A partir de hoje vou contar para vocês quem são as modelos do Fashion Weekend Plus Size e o que elas fazem quando não estão desfilando. 

 Para começar, vou apresentar a modelo Débora Fernandes, que além de desfilar e tirar fotos, também é estilista e pretende lançar em breve sua própria marca plus size. Além disso, ela está participando de um concurso de empreendedorismo da FGV e conta com nosso apoio na votação popular. Clique aqui e vote.

Este é o video de inscrição da Débora no Desafio da FGV:

 Leia a história de sucesso de Débora, por ela mesma:

“Desde pequena minha mãe costurava roupinhas para as minhas bonecas e fantasias diferentes para mim, a cada carnaval. Isso me encantava. Quando surgiram as Spice Girls, meu sonho era ser igual a elas. Comecei a desenhar as roupas e, a cada show, me inspirava mais. Foi aí que decide trabalhar com moda.

Aos 12 anos tive uma doença no sangue que me transformou em outra pessoa. Engordei 20Kg em um mês e passei por todos os endocrinos de São José dos Campos, minha cidade natal. O sonho de emagrecer era constante, mas nada acontecia e eu tinha que levar minha vida.

Deixei a minha familia e vim morar em São Paulo. Viajei pra milhões de lugares produzindo desfiles e, em um deles, tinha uma marca plus size. A modelo faltou e a equipe ficou desesperada. Todos olharam pra mim, viram o meu corpinho 46 e me colocaram pra desfilar.

Depois, comecei a desenhar pra uma marca da vila madalena. Meu sonho de ser estilista estava realizado. Comecei também a desenhar jeans para uma fábrica do Brás , mas ainda não estava feliz totalmente. Queria emagrecer.

Após me formar e cursar empreendedorismo, tive a idéia de abrir minha própria marca, para quem sua acima do manequim 44, assim como eu.

Neste meio tempo, fui a um casting do Mega Polo, um shopping atacadista de São Paulo e fui aprovada. No dia das fotos, conheci outras modelos e passei a pesquisar a carreira de modelo plus size. Conheci o Blog Mulherão, consequentemente o FWPS e fui me animando mais ainda em abrir minha própria marca. Meu professor de empreendedorismo me insentivou a participar desses eventos para conhecer meu público alvo.

 à esquerda, com jeans Dardak e à dir. com lingerie Ness Lingerie

à esq. de maiô Acqualua e à dir. de Flight Level

Minha coleção está sendo produzida. Me aceitei com o corpo que tenho, sou estilista, sou modelo e serei empresária, em breve.

O que mais me falta pra essa ser feliz? São Paulo me faz me sentir só no meio da multidão. Montarei minha empresa em São José dos Campos, para poder comer comidinha de mamys todos os dias.rsrsrs Só consegue evoluir nos sonhos quem está bem emocionalmente.

 Gostaria de pedir a colaboração das leitoras do Mulherão. Estou participando do DESAFIO FGV. Contei minha história de sucesso e resolvi passar a minha pós graduaçao em administração pra lá . Foi aí que descobri o desafio FGV e contei minha história de sucesso pra ganhar uma bolsa de estudos. A votação vai até dia 8 de agosto ! Clique aqui e vote em mim.”

30 Comentários

Arquivado em Fashion Weekend Plus Size, FWPS, Moda e estilo, Modelo GG

Unhas

Por Madame Juju

Olá Mulherões e leitores,

Estava com saudade! Ao procurar por coisas inusitadas, descobri outra tara.

Em geral, as pessoas que se sentem atraídas por pés, sofrem uma forte atração pelas mãos também. E relacionado com as mãos, hoje vou escrever sobre o Fetiche por unhas longas.

Há quem nem note que você foi à manicure ou está de unhas feitas, por outro lado existem aqueles que veneram, admiram e podem ficar horas olhando e “babando” nas mãos bem fetinhas e, claro, há gosto para tudo: unhas claras, escuras, decoradas, curtas, longas, super longas e por aí vai.

Para quem as exibe, como eu, o fato de estarmos com as unhas perfeitas, nos faz sentir mais bonita, mais sexy, quem sabe até mais poderosa e, com certeza, juntamente com os elogios, massageiam nosso ego.

Existem até sites fetichistas especializados nesse tipo de fetiche, como Fetish Nails, responsável pela maior parte de ilustrações deste post.

Esse fetiche quase sempre vem combinado de outro, como o bondage (imobilização) ou smoking (fumando), talvez, neste caso por envolver o contato de um objeto fálico, não só nas mãos como também na boca. O que eu achei bem curioso, é o mesmo fetiche por unhas longas dos pés. Gosto não se discute… mas… ECA!!!

Como fazer para ter unhas compridas e conseguir conciliar uma vida de “mulher do lar”? Aí o mais indicado é recorrer a técnica mais usada nos EUA, unhas postiças!!! Não estragam e é super difícil de quebrar. Além de que elas não precisam ser tão compridas assim!

Fica a dica pra quem quer tentar parar de roer as unhas, cobrir as unhas roídas para uma festa ou simplesmente reconstruir uma unha quebrada.

Onde fazer aqui no Brasil?

Eu decorei as minhas unhas na Liberdade, no NAIL SHOP. Eles oferecem todo o tipo de serviço para unhas que você possa imaginar. Aí eu, MUITO CARA DE PAU, pedi um brinde pra vocês!!! (AEEEE!!!)

Vamos sortear dia 11 de agosto. Se a ganhadora for de São Paulo ela poderá escolher entre um Kit de decoraçao para unhas ou um alongamento de unhas (feito na NAIL SHOP), caso a ganhadora seja de outra Cidade, a NAIL SHOP enviará o Kit.

Para Participar:

Envie um e-mail para madamejuju.net@gmail.com

nome completo e telefone

e comece a torcer!!

Lembrando que na próxima quarta feira, temos um chat com Madame Juju, onde vamos conversar sobre apetrechos, óleos e cremes nas horas mais quentes! (sim, vai virar post depois). Mais informações, clique aqui.  

**para saber sobre alongamento de unhas em outras cidades e estados, o Empório das unhas mantém um banco de dados. É só entrar em contato com eles para obter maiores informações.

17 Comentários

Arquivado em Beleza, comportamento

Chair dance

Por Madame Juju

Meninas, preciso dividir com vocês a minha experiência na aula de chair dance. Lá na academia que eu freqüento, resolveram lançar essa aula, como experimental, uma vez ao mês. Ouvi comentários da aula e fui me inscrever!

ADOREI, achei bem divertida e posso afirmar que cansa. Portanto acredito que exercita bem, e sem você perceber, praticou uma atividade física durante 2 horas. Dançar faz bem e é um exercício muito bom, mas não pensem que não passou pela minha cabeça algo assim: “hum… será que vou conseguir fazer todos os movimentos, toda aquela cruzada de pernas, o levanta e senta?”.

SIM!!! Passou pela minha cabeça! Mas para todos os movimentos existem adaptações, e uma professora experiente já vai dando as dicas de acordo com o passar dos movimentos. Outra coisa, não importa se somos gordinhas, baixinhas, magrinhas e altinhas, cada uma chega lá com alguma insegurança.

Percebi, no começo da aula, magrinhas que estavam tão sem graça como eu. Altinhas se familiarizando com a cadeira e cheinhas que estavam se sentindo a última coca-cola do deserto. E acreditem: é muito gostoso ver uma gordinha se sentindo a última coca-cola do deserto!

Para ser bem sincera, como já disse, no começo eu fiquei bem sem graça de passar as mãos no meu corpo e fazer caras e bocas e jogar os cabelos, dentro de uma sala cheia de pessoas desconhecidas, mas aos poucos, tanto eu como a mulherada começamos a nos soltar, e finalmente estávamos todas flertando com o espelho.

Eu sei que saí de lá inspiradíssima, querendo ensaiar mais a tal coreografia da cadeira, e claro, arrumar um namorado para eu mostrar os meus novos “skills”. Saí de lá querendo fazer aula de pole dance e de dizer para o mundo o que eu havia acabado de experimentar.

Existem, hoje no mercado, além das academias voltadas para o público feminino, também academias que ensinam as danças eróticas, assim como: o strip tease, o pole dance e a chair dance, acredito que além de exercitar e ser divertido, freqüentar uma dessas aulas é também um estímulo pro nosso ego, para a nossa auto-estima. Afinal, ter consciência corporal, descobrir o movimento ou a posição que nos faz sentir bem certamente irá influenciar na nossa postura e no “sex appeal”.

Para praticar:

São Paulo 

Eu faço academia na Formula do Market Place. Aulas de chair dance lá ainda não são oficiais, mas estamos torcendo para isso.

 Escola de Pole dance, esta escola fica na vila madalena, é voltada para o pole dance e funciona como um portal, dando endereços de vários lugares em todo o Brasil.

Rio de Janeiro

Up dance Studio

 Goiânia

Action Studio

12 Comentários

Arquivado em Dança

Corsets: a volta dos espartilhos

Por Madame Juju

Bom dia Mulherões, bom dia meninos!

Para quem não sabe, eu sou fã do uso de corsets ou espartilhos. Eles afinam a cintura, melhoram a postura e levantam os seios, tudo de bom, não acham?  Sabe aquele sentimento gostoso, de poder, que você sente quando sobe naqueles saltos altíssimos das sandálias maravilhosas? É isso que eu sinto quando aperto o meu corset e finalizo o laço.

Não dá pra negar que o uso do espartilho estimula a nossa fantasia, além de acentuar as curvas ele dá um “UP” na autoestima. Agora, o melhor de tudo, é saber que usando regularmente o espartilho, podemos reduzir as medidas, remodelando o corpo de forma permanente, essa é a prática que recebe o nome de “tight lacing”.

História da peça mais charmosa de todas as épocas

O corset surgiu há muito tempo atrás, no século XVI como um artifício usado para enfatizar as formas curvilíneas, algumas mulheres os repudiavam pois achavam que eram símbolo da opressão e submissão. Já em algumas épocas “negras da história” o corset também foi usado para esconder as curvas, cobriam desde o busto até o quadril que era comprimido com a finalidade de não despertar a lascívia, abominada pela igreja.

O tempo passou. Napoleão descreveu o corset como “o assassino da raça humana”, veio a primeira guerra mundial, e o uso corsets começou a declinar. Mas a peça modeladora continuou a ser usada, também por homens, supostamente por razões de saúde, tais como sustentação da coluna, e para se obter uma postura correta. John F. Kennedy, ex-presidente norte-americano, usava um corset masculino liso, para melhorar a sua postura.

Nos anos 90, com o fetichismo em moda, alguns grandes estilistas como Gianni Versace e Jean-Paul Gaultier lançaram espartilhos futuristas e que deviam ser usados, não como roupa de baixo, mas por fora, para serem mostrados.  

Hoje o número de adeptas do tight lacing vem aumentando e existe até uma comunidade do Orkut com mais de 3mil participantes.

Atenção com a postura e a saúde

Existem cuidados que devem ser seguidos para evitar danos à saúde. A pressão causada pelo corset pode mudar os órgãos de lugar, afetar a circulação, modificar a dinâmica da respiração, entre outros. Portanto recomenda-se o uso que o uso seja acompanhado por um médico ortopedista, além de não ser usado em fase de crescimento (adolescentes) e que seja feito sob medida, é recomendado também o fortalecimento abdominal e lombar com exercícios físicos.

O efeito do tight lacing no corpo

O corset disciplinador (usado para tight lacing) não é uma peça de vestuário barata, se for, desconfie. O material usado e os cuidados não permitem que ele seja barato. Mas é duradouro, daquelas peças para a vida toda, e só não pode ficar de herança porque deve ser feito sob medida, se você emagrecer ou afinar, leve a peça para o ateliê para ajustá-la e pode continuar usando.

Eu tenho um overbust, que cobre os seios,  e um underbust, que fica abaixo deles, e esse eu uso muito mais, portanto recomendo – se for de uma cor básica, fica fácil colocar em cima de uma camisa, de uma blusa ou até de um vestido.

Os meus corsets, eu fiz com a Lili Angelica, do Fetishe Furrys. A Lili, além de ser um mulherão muito agradável, oferece como cortesia o primeiro ajuste e orienta a prática do tight lacing.  Conheço também o trabalho da Madame Sher, sei que é séria e está sempre na mídia. Estou planejando comprar um daqueles de tela, para usar embaixo da roupa, no verão.

Sugiro, que no começo, mesmo para quem não for praticar o tight lacing, usar o corset em casa, um pouco que seja, para que acostumem com o ritmo da respiração, treinem a sentar e a se levantar, porque o corset limita os movimentos e não é confortável, até que se acostume com ele.

Deixo com vocês o depoimento da Silvia, uma paulistana, publicitária, que como eu, não está fazendo o tigh lacing, mas usa o corset para sair de vez em quando, ou surpreender numa noite especial.

 “Posso afirmar com certeza que o corset mudou a minha vida. Algumas mulheres gordinhas têm a sorte de ter o corpo proporcional, mas infelizmente a minha gordura se acumula na área da cintura. Várias roupas me fazem parecer grávida. O meu colo, que é bonito, não aparecia tanto, pois a minha silueta no total não chamava atenção. Com o corset, eu fiquei com cintura e os seios ganharam destaque. Passei a fazer muito mais sucesso e a me sentir mais segura e bonita. Recomendo!”  – Silvia

33 Comentários

Arquivado em Moda e estilo

Para seu próprio prazer

Por Madame Juju

 Durante este fim de semana, conversando com a mulherada, tive a inspiração que faltava para escrever este post.

 “… a minha mãe me viu, aos 4 anos, me masturbando…” Le*

 “… Eu já havia feito sexo, mas não sabia que o clitóris estimulado me daria prazer. Descobri por acaso, com o chuveirinho….”  Ana*

 E essas frases, surgidas em bate-papos informais, me deram a vontade de conversar sobre o tal ato, formalmente chamada de onanismo ou masturbação, palavras descritas pelo dicionário como: proporcionar prazer a si mesmo.

 Fiquei surpresa em saber que de fato muitas mulheres não se masturbam. Eu acreditava que seria a vergonha de assumir o ato, mas não. Mulheres que sim, tem a vida sexual razoavelmente ativa, mas não conhecem muito do próprio corpo e talvez ainda tenham receio de explorá-lo. Então, sorte daquelas que descobrem, mesmo que por acidente, o lugar no corpo onde podem sentir prazer, afinal, além de ser prazerosa, esta prática nos traz vários benefícios.

Proporciona o auto-conhecimento do nosso corpo, aumenta a facilidade de atingirmos o orgasmo, relaxa, alivia as tensões acumuladas do dia e nos ajuda a dormir melhor, fortalece os músculos da pélvis além de melhorar a circulação sanguínea no corpo inteiro.

Conheço uma pessoa que usa o vibrador no carro, para não estressar no transito. A idéia é bem interessante, já que em São Paulo podemos passar horas dentro do carro facilmente. Ela fecha o vidro, coloca o vibrador em cima do clitóris e dirige feliz e contente.  

MAS ela carrega um vibrador na bolsa?

SIM. Hoje, no mercado de acessórios sexuais, há uma linha de vibradores disfarçados, como este da foto, dá pra carregar na bolsa tranquilamente. Então mulheres, encontrem o seu momento, o que preferem usar, façam adaptações e sejam felizes!!!

 Até a próxima!

 Cuidado: não usar objetos pontiagudos ou cortantes, ninguém quer parar no pronto-socorro por causa de uma masturbação mal sucedida.

*os nomes foram trocados

EXTRA: Queridas Leitoras, eu resolvi colocar aqui, um link que leva a uma matéria de Laís de Lima, Psicóloga e Psicanalista. Neste link ela explica para os Pais, como lidar com fato, e as razões da criança se tocar. Como sei que muitas de vocês são mamães, acredito que pode ser de grande importância. Clique aqui e leia.

 

 

16 Comentários

Arquivado em Sexo

Olá, família Mulherão!

Por Madame Juju

Bom dia Mulherões! E leitores, claro =)

Eu sou a Madame Juju, plus size model, solteira, paulistana, descendente de japoneses e, hoje, assumidamente: um MULHERÃO.

SIM, eu passei 20 anos tentando fugir desse corpo. E se esse corpo não me largou é porque ele me pertence! Foi só assumir isso que passei a ser uma pessoa mais feliz. Perdi tempo, cabelos e, principalmente, bom humor tentando ser alguém que eu não sou, além de desperdiçar energia que eu poderia estar usando para coisas mais proveitosas. Eu me sentia como uma gorda “anoréxica”, se é que vocês me entendem… Por mais magra que eu estivesse (cheguei a usar 42), eu me olhava e me sentia como quando o 48 não me serviu. Aí eu desencanava e engordava, quando olhava as fotos percebia que eu não deveria ter “chutado o balde” porque eu estava bem apesar de não me ver bem.

Hoje, oscilo entre o 44 e o 46. Tomo a minha cerveja sem neuras e como sobremesa no restaurante, estou feliz! Freqüento a academia, de 5 a 6 vezes por semana, mesmo quando bate a preguiça. E lá vai a dica: Meia hora é melhor do que NADA!!!

Full Figured Fashion Week

Foi assim que, neste ano, participei de um concurso de novos rostos no: Full Figured Fashion Week NY.  O FFFWNY  é um evento similar ao Fashion Week, porém todo o conteúdo é PLUS SIZE. Os estilistas, as modelos e até a mídia presente é especializada em PLUS SIZES. Este evento está acontecendo agora, de 16 a 19 de Junho.

 Fiquei em 8º lugar e a vencedora foi Rosie Mercado, americana, que já é modelo profissional nos EUA. Aproveito a oportunidade para agradecer a todos que votaram em mim =).

Madame Juju e o sexo

Sempre tive fascínio por sapatos, roupas de couro, vinil, borracha, lingerie, ligas, etc…  Pesquisava sobre tudo que eu achava interessante ou curioso… E assim, com essa curiosidade, todas as vezes que estou em lugares diferentes, lá vou eu visitar: Museus de Sexo, Strip Clubs, Sex shops, clubes fetichistas, feiras eróticas, etc … (Ainda não fui há um clube de swing, quando eu for, escrevo aqui! -prometo).

Falar sobre sexo é bem difícil. Se gera polêmica num blog, imagine em casa!!! rsrsrs… Ter um irmão machista e um pai japonês semi-tradicional, não é fácil para quem fala com naturalidade sobre sexo, pelos cotovelos. Não acredito que ele esteja soltando rojões de alegria. Por outro lado, a minha mãe, que foi muito reprimida, aprova o que faço, os etxtos que escrevo e sempre respeitou a minha curiosidade. Lembro-me de pedir para ela o livro: Sexo para adolescentes, da Marta Suplicy, aos 12 anos de idade.

Infelizmente, acho que tudo isso acaba afastando os homens ou possíveis relacionamentos, porque as pessoas pré-julgam mesmo e acabam por fazer a idéia errada sobre alguém que lida tão bem com a própria sexualidade. Mas parte disso é minha culpa, eu converso com uma pessoa que acabei de conhecer do mesmo jeito que converso com amigos de anos, sobre os mesmos assuntos e usando o mesmo vocabulário. Pode ser inapropriado (já estou trabalhando nisso).

Por outro lado, acho que falar com naturalidade sobre sexo pode ajudar muito num relacionamento. Acredito que um dos maiores problemas dos casais é a falta de comunicação – existe a vergonha de falar do que gosta ou como gosta. Seria bom se todos conseguissem adivinhar, certo?!

O meu objetivo é usar o espaço cedido no Blog Mulherão não só colocar em discussão assuntos polêmico como o do primeiro post, SEXO CASUAL, mas também escrever sobre comportamento, dicas e apetrechos para apimentar a relação, fetiches e/ou curiosidades que observei ou estudei, ao longo desses anos conhecendo pessoas diferentes, culturas diferentes, gostos diferentes e fuçando na internet.

Assim, se você tem um gosto diferente e quer discutir com o seu parceiro, mas está com vergonha, faça ele ler os meus textos da seguinte forma: “Olha que louca, olha só o que ela escreve! O que você acha disso? Tem curiosidade?” ou “amor, eu li num blog uma coisa que me interessou, mas tô com um pouquinho de vergonha, lê lá pra gente discutir?…”

Uma ótima semana a todos!!! XOX Quer sugerir algum tema? Utilize os comentários! Thanks

43 Comentários

Arquivado em Moda e estilo, Modelo GG, Sexo