Arquivo da tag: pesquisa

Eu não mereço ser estuprada!

Por Renata Poskus Vaz

Nunca vou me esquecer de um dia em que assisti em um desses programas jornalísticos policiais de TV, em que um pai preso por estuprar a filha de 12 anos, disse: “não sou de ferro. Ela ficava me provocando andando pela casa de camisolinha”. Fiquei chocada com a justificativa do estuprador doente mental.

E não é a toa que ainda tem muita menina que é proibida pela própria mãe de ficar em casa de shortinhos curto, porque tem primos ou irmãos  “homens em casa”. Parece absurdo, mas isso existe! Meninas já nascem vítimas em potencial para um estupro. E as mesmas mães que as “protegem”, aceitam a probabilidade de seus filhos virarem abusadores, como se fosse coisa normal de homem, uma simples molecagem.

Mesmo quem nasce em uma família com um pouco mais de cultura e esclarecimento (não que não existam abusadores letrados!), cresce ouvindo: “vai sair com essa saia? Depois não reclama se for estuprada!”. É uma cultura que a gente quase não percebe. A gente acaba evitando sair com determinada roupa para não ouvir cantadas ou para diminui as chances de sofrer qualquer tipo de aborrecimento ou violência. Mas a verdade é que ninguém está livre de ser estuprada, com saia curta ou longa, roupas largas ou justas, todas somos vítimas de estupro em potencial.

Nesta semana pesquisa do Ipea – o Instituto de Política Econômica Aplicada, ouviu 3.800 pessoas de todo o país. Nela, 61,5% dos entrevistados disseram que as mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas e 58,5% afirmaram que se as mulheres soubessem se comportar haveria menos estupros. O mais triste nisso tudo é que as mulheres foram mais da metade dos entrevistados para a pesquisa.

É absurdo ver que essa visão também parta de mulheres. Esse preconceito tem que acabar entre nós mesmas!

A gente não tem que aceitar a ideia de que homens são animais irracionais que agem por instinto e que  não conseguem se conter ao ver uma mulher de saia curta. E que a mulher, sabendo disso, não pode “provocá-lo”. Homem tem cérebro, capacidade de autocontrole, lívre arbítrio e não detém o direito de violentar quem quer que seja, mesmo que essa mulher ou menina esteja com roupas ousadas, decotadas, curtas etc..

Estamos organizando um grande mural no Facebook com fotos de nossas leitoras segurando cartazes com a frase: “eu não mereço ser estuprada”. Ok, isso não vai acabar com a violência hoje,  mas as nossas fotos podem ajudar a conscientizar as pessoas. Participe!

Clique aqui.

Eu não mereço ser estuprada 1

eu não mereço ser estuprada 2

eu não mereço ser estuprada 3

p.s: Depois que publicamos a primeira foto no mural, o DJ Nando Portugal, após ser marcado por sua esposa, escreveu: “quem vai querer estuprar isso?”, como se fosse um favor para nós, mulheres, sermos estupradas. Como se nos sentíssemos lisonjeadas por sermos violentadas por desconhecidos. Se era uma brincadeira, como ele posteriormente afirmou, foi uma brincadeira infeliz, em um momento super inoportuno.  E o cara não pensa que isso atenta até mesmo para a carreira dele. Pois se sou um contratante, em uma festa em que vá mulheres, não vou querer a presença de um DJ que acha normal o estupro, que faça piadas com isso.

nando portugal

10 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Pesquisa indica o que os homens valorizam em uma mulher

por Keka Demétrio

Li uma matéria em um site sobre uma pesquisa sobre o que homens e mulheres buscam em seus parceiros. Além da famosa “química”, que para mim é indecifrável…aiai, e que ocupa o primeiríssimo lugar, nós mulheres valorizamos logo depois a responsabilidade financeira do sexo oposto. Gatas, sabem o que eles valorizam? Mulheres bem humoradas e felizes!

Yesss, podem ficar felizinhas da silva. Quer dizer, nem todas. Eu posso! Já que sou mesmo feliz, alegre, bem humorada e quem me conhece de verdade sabe que não é mentira (ok, estou sozinha, mas é porque DEUS tá caprichando pra mim rsrs) e sei que um monte de vocês deve estar se questionando: poxa, eu sou feliz, bem humorada e estou sozinha. Mas eu te pergunto: você é mesmo feliz, bem resolvida, bem humorada ou só representa um papel de gordinha feliz para que as pessoas não te massacrem com tanta discriminação? Existe uma grande diferença entre ser e dizer que é.

Quando começamos a dizer com o coração, realmente acreditando que somos felizes, bonitas, inteligentes, espertas, e mais um tanto de adjetivos que nos engrandece estamos dando força para que isso realmente se realize. Não tem nada a ver com mágica, com falsidades ou mentiras, tem a ver com a transformação de nossas energias em algo tangível. Isso é perfeitamente realizável. Sou a prova inconteste disso.

Quem me conhece há muitos anos sabem bem do que estou falando. Até uns 4 anos atrás eu vivia subindo ao céus com a mesma velocidade que descia ao inferno. Depressões alternadas com euforia, meses me achando o último Oasis do deserto, e depois o próprio deserto de tão seca para a vida que eu ficava. Até que um dia, eu, que sempre tive tanta fé, sempre fui alegre, divertida, percebi o que eu estava me tornando, então deixei a voz do meu coração me conduzir novamente. Comecei a acreditar que realmente eu poderia ser outra mulher, que todas as culpas que eu carregava, as minhas e as dos outros, deveriam ser vomitadas e perdoadas por mim mesma, pelo meu coração, sem procurar culpados ou desejar que alguém pagasse por qualquer coisa. Simplesmente limpeza na vida.

Meninas, trabalho meus pensamentos a todo instante. Nada do que vocês vêem eu dizer é da boca para fora, eu realmente acredito que o amor é a matéria prima para o sucesso em qualquer setor de nossas vidas. Sempre disse a vocês que somos energia pura e que nossos pensamentos são poderosos. Se emitirmos amor, receberemos amor, e sendo assim não há como as nossas lutas não obterem sucesso. Confesso que de uns tempos pra cá muitas coisas maravilhosas tem me acontecido, e um dia vou ter a alegria em compartilhar com vocês, mas ainda não é o momento, a obra não está completa. Mas minha alegria, felicidade, meu bom humor, minha fé e esperança, faço questão de dividir com todos, porque acredito firmemente que é dando que se recebe.

Vale a pena dar uma olhada no site onde li a pesquisa: Mulher 7X7

http://colunas.epoca.globo.com/mulher7por7/2011/07/25/pesquisa-brasileiros-buscam-quimica-no-amor-e-nao-toleram-trapacas/

29 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento