Arquivo da tag: prazer

Sexo é bom. Sexo é muito bom

Por Keka Demétrio

Outro dia falei para Edu Soares que meu próximo texto seria sobre sexo, mas que estava sem inspiração. Ai veio a incredulidade em forma de pergunta: Você, Keka Demétrio, sem inspiração para falar sobre sexo?? Fui lendo e rindo, e a inspiração foi surgindo, porque me lembrei que nem sempre foi tão fácil falar sobre sexo, assim como não deve ter sido para a maioria das mulheres. Hoje em dia, não vejo problema algum em falar sobre o assunto, aliás, gosto bastante do tema.

Alguns anos atrás, mulheres falando sobre sexo era uma raridade, na verdade trocávamos algumas impressões e informações com as amigas mais chegadas e só. Era preciso descobrir por outros meios e pelas experiências. Porém, descobrir, buscar conhecimento, é uma coisa, porque conhecer nosso corpo e descobrir o prazer é um buraco bem mais embaixo. Sem trocadilho.

Como nos libertarmos de uma hora para outra da educação rígida e dos tabus a que fomos condicionadas desde a infância, quando sequer meninos e meninas podiam brincar juntos? E se essa menina estivesse acima do peso e além da rigidez da educação ela ainda tivesse sua autoestima abaixo de zero, como agir e reagir a isso tudo? Como faze-la acreditar que poderia se tornar uma mulher linda, desejada e com direito a sentir prazer como qualquer outra mulher, independente do seu corpo? Tarefa difícil, mas não impossível.

Quando não conseguimos trabalhar a autoestima dessas mocinhas, na primeira chance elas se jogam em relacionamentos onde o corpo é a válvula de escape para as angustias que sente por não se sentir inserida na sociedade do corpo ‘perfeito’. Presa fácil dos rapazes que se vangloriam pelo número de mulheres que conseguem levar para a cama e não pelo seu caráter, no caso aqui, duvidoso, vão passando de mão em mão buscando preencher o vazio cavado por anos e anos de autopiedade, preconceito e exclusão. O mais triste é que quando se deitam em suas próprias camas, sentem-se mais vazias do que quando acordaram, porque ao agirem desta maneira, estão esfacelando de vez o seu amor próprio.

Sexo é uma delícia, é saudável, faz bem para o corpo, para a pele, para a alma e para a vida, mas desde que você esteja fazendo com quem realmente valha a pena, que desperte em você a vontade de se sentir mulher. Sim, porque dizem que a maternidade é quem faz isto, mas devo dizer que não é somente ela, aquela sintonia, aquela química, as borboletas no estômago, o frio percorrendo a coluna quando está falando com determinado homem, são nossos instintos femininos declarando que estamos prontinhas para dar e receber prazer.

O grande problema, é, tem que existir problema, mas também tem solução, é que alguns homens são tão egoístas, egocêntricos, machistas e ridículos que tolhem suas mulheres. Castram seus desejos e sequer permitem que elas abram a boca para falar sobre sexo. Acham tudo maravilhoso com a mulher dos outros, tem fantasias com a gostosa da empresa, mas se sua esposa aparecer com uma lingerie mais sexy ele simplesmente a ignora ou diz que está ridícula. Mulheres de homens assim, e que continuam deixando eles agirem desta maneira, nunca poderão dizer que são mulheres de verdade, não só pelo prazer que nunca vão sentir, mas porque não sabem o poder que possuem para modificar a sua própria vida.

Mas graças a Deus existem homens de verdade. Homens que entendem a anatomia do nosso corpo, que possuem sensibilidade para saber o que desejamos, que nos deixam livres para falarmos o que, como, de que maneira e intensidade gostamos e queremos, que se deliciam ao nos fazer sentir mulher. Que não estão ali para reparar nas nossas celulites, estrias, flacidez ou gordurinhas, mas para descobrir nossas fantasias e dividir as suas conosco, e se for possível realiza-las vão querer fazer isto com a gente, porque sabem e conhecem a mulher que possuem dentro e fora de suas camas.

32 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Preconceito, Relacionamento

Sexo e curvas

Por Keka Demétrio

Antes da famosa revolução feminina, quando mulheres queimaram sutiãs e a invenção da pílula anticoncepcional nos ofereceu o direito de uma vida sexual ativa, nós mulheres vivíamos, sob vários aspectos, submissas e oprimidas pela sociedade machista.

Nos dias de hoje, onde estamos dominando o mercado de trabalho, somos em maior número nas universidades, decidimos onde será gasto o nosso rico dinheirinho (em 2009 despejamos 12 trilhões de dólares na economia mundial, e desse montante, 800 bilhões de reais foram injetados por nós, brasileiras lindas, gostosas e cada vez mais poderosas), quando e se teremos filhos, e onde passar as férias de verão, percebo que muitas de nós se contentam com muito pouco quando o assunto é sexo.

Algumas razões existentes nem vou comentar aqui, mas não posso deixar de dizer que diante de uma sociedade que diz que a magreza que é bonita, estamos deixando de nos preocupar com o prazer que o nosso corpo pode nos proporcionar, independente de possuir curvas a mais ou a menos, para descabelarmos com o tamanho da nossa cintura.

Penso que assim como devemos conhecer nosso interior, temos obrigação de sabermos quais partes do nosso corpo nos dá mais prazer. Tenho uma amiga mulherão que diz que odiava sua barriga até que ao fazer amor com um ex namorado ele apertou o desafeto e a fez ver constelações. Agora, todas as vezes que vai pra cama com o atual namorado ela faz questão de levar as mãos do gato direto para lá.

Sem neuras de que o moiçolo não te tocou direito porque você está acima do peso e ele não quer pegar em bainhas, homem nenhum tem a obrigação de saber onde tocar para que você arrepie até a alma, mas você pode muito bem ensinar o caminho da felicidade a ele. Porém, isso você só irá conseguir se conhecer seu corpo. Decididamente esqueça seus quilos a mais e concentre nos prazeres que vai descobrindo ao se tocar. Conheça e reconheça todos os sinais, isso não é ilegal, nem imoral e também não engorda. Aliás, sexo emagrece, principalmente quando bem feito.

Aproveite para testar seus sentidos, temos cinco que são canais que se bem trabalhados nos oferecem uma gama incrível de sensações. Esqueça tudo o que há lá fora e aproveite para descobrir um mundo novo, onde as suas dobrinhas e excessos serão apenas coadjuvantes da sua vontade de sentir e dar prazer.

Esqueça a nóia de alguns idiotas de plantão que pensam que mulher pra relacionamento sério não pode fantasiar, soltar as feras, gostar de sexo que libera os instintos e faz flutuar. Isso é babaquice de homem burro que oprime o mulherão que tem em casa, e que poderia se tornar uma baita amante, para pegar qualquer porcaria na rua.  Homens assim, na minha humilde opinião, são uns machistas que morrem de medo é de que suas gatas descubram o poder de fogo que têm.

Dica: se for pra descabelar, que seja com um gato delicioso, em uma noite, tarde, ou manhã de muito prazer. Aliás, sexo de manhã é óoootimo, dá disposição para o resto do dia e ainda te deixa com pele de pêssego. Tem coisa melhor?

101 Comentários

Arquivado em comportamento, Para Refletir, Relacionamento, Sexo, Uncategorized