Arquivo da tag: sogra

“Gosto de uma gordinha, mas minha família não aceita”

Por Renata Poskus Vaz

Recebemos o e-mail de um leitor pedindo auxílio para assumir perante a família o relacionamento com uma gordinha. Deixe você também a sua opinião: é possível o amor e a felicidade entre um magrinho e um mulherão?

Carta do leitor:

Eu sempe gostei de mulheres acima do peso, desde a minha adolescência. Confesso que sou apaixonado por uma gordinha. O único problema é a minha família, inclusive a minha mãe. Infelizmente ela não aceita, não permite que eu me relacione com mulheres acima do peso. Ela possui um certo preconceito contra as gordinhas. Já deixei de ficar, me relacionar com moças lindas que estavam interessadas em mim, por medo da reação e opinião dela. Sofro muito com isso desde então. Minha mãe nem suspeita da minha preferência também. Tenho receio de contar a ela. Não sei o que fazer.Vocês podem me ajudar? Sugerir uma solução para o meu problema?Dar conselhos?

Minha opinião:
 
Querido amigo leitor. Chamá-lo-ei (ui, olha como eu falo bonito!) assim para preservar a sua identidade, mas quando as coisas se resolverem e você quiser voltar aqui para nos contar, postaremos com muita satisfação o seu nome, ok?

Como não revelou a sua idade, imagino que seja um jovem rapaz. Falo isso porque quando somos mais jovens e principalmente quando moramos com nossas famílias, somos mais susceptíveis à opinião daqueles que amamos. Não queremos magoar a mãe, o pai, nem ninguém que nos quer bem. Principalmente quando repetem tantas vezes a frase: “eu sei o que é melhor para você”, que acabam até nos convencendo.

Sua mãe diz não gostar de mulheres gordas. E certamente ela deve te achar um príncipe e muita areia para o caminhão de qualquer mulher que atravesse o seu caminho (toda mãe acha isso do seu filhinho). Bom, conhecendo a capacidade que algumas mães têm em desqualificar suas noras, por ciúmes, eu posso te garantir que, no mínimo, ela sabe que você gosta de gordinhas e por isso deixa evidente o preconceito com meninas acima do peso. Se sua mãe percebesse que sua preferência fosse por negras, provavelmente manifestaria tendências racistas. Isso não quer dizer que sua mãe realmente abomine pessoas assim, apenas está vendo que o menino dela cresceu e quer evitar que ele vá para longe.

 O melhor conselho que posso te dar agora é: converse com sua mãe. Não a surpreenda levando uma gordinha para dentro de casa sem antes conversar. Soaria como uma afronta. Primeiro, fale que está apaixonado e evidencie as qualidades dela. Fale porque considera a sua garota especial, única. Aí, só depois você pode dizer: “ela é gordinha e linda, mãe. Posso trazê-la aqui para a senhora conhecê-la?”.

Quando se fala de mãe, a reação dela é imprevisível. Pode ser que ela te abrace e te apóie, como também pode ser que ela te deserde. Se a reação não for a que você espera, não fique triste, tampouco termine seu relacionamento. Assuma a sua namorada, trate-a como merece ser tratada e explique a real situação para ela. Jamais deixe de namorar alguém porque sua família não aprovaria. Lembre-se que a sua felicidade depende de você.

Estou torcendo para que sua mãe compreenda que amor não tem peso. E que todos vocês possam ser felizes para sempre!rsrs

68 Comentários

Arquivado em comportamento, Preconceito, Relacionamento

Só nos dois

O que fazer quando uma “pedra” resolve atravessar o seu relacionamento

Por Renata Poskus Vaz

Renata_Blog MulherãoNo meio do caminho tinha uma pedra… Tinha uma pedra no meio do caminho. Este trecho de um poema de Carlos Drumond de Andrade explica como ninguém o incômodo e a interferência que algumas pessoas podem tentar exercer em seu relacionamento.

Com certeza você já viveu alguma situação parecida com esses casos: você conhece um cara maravilhoso, seu príncipe encantado, aí descobre que ele tem uma mãe com síndrome de Jocasta, que não aceita perder o filho para outra mulher. Ou então, descobre que tem uma concunhada, que casou com o irmão feio da família, quando, na verdade, era o seu amado que ela queria. Há também as amigas invejosas, eternas encalhadas, que não conseguem estabelecer um relacionamento saudável com ninguém e investem em tentativas de roubar o seu amado. Isso sem contar nos fantasmas das ex-namoradas que, vez ou outra, teimam em ressurgir das cinzas, como galinhas da angola malucas e metidas à fênixs.

Está vendo? Em alguma altura da vida, você já viveu algum desses casos.

A saída? Acreditar nos laços que te unem com o seu amado. Por mais que cultuemos o desejo profundo de harmonia eterna na história de amor, só nos desgastamos quando tentamos, a todo custo, sermos aceitas por pessoas que só querem destruir a nossa relação.

Aquela história de que homem já vem com “pacote completo” é verdade. Mas se ele acreditar em você, na sinceridade dos seus sentimentos, optará em ficar ao seu lado. E você não precisará se violentar, tendo que agüentar situações e pessoas que não te agregam nada.

Um casal é feito de duas pessoas. Apenas isso. E quando ambos se respeitam e se amam, qualquer pedra no caminho vira uma pluminha que voa com o vento, para bem longe. Contratempos originados por terceiros, podem se transformar em aditivos para a relação. Obstáculos que unem ainda mais o casal. Basta apenas abrir o jogo, agir com sinceridade, confidenciar seus sentimentos mais profundos. A solução é o próprio amor.

E amor é isso. Quando existe de verdade, ninguém destrói.

15 Comentários

Arquivado em comportamento, Relacionamento