A gorda que agrada todo mundo e desagrada a si mesma

renata-poskus

Por Renata Poskus Vaz

Quantas vezes você se anulou para ser aceita na família, pelos amigos ou no trabalho? Quantas brincadeiras sem graça e que te feriram teve que aguentar? Quanto preconceito teve que suportar? Quantas vezes engoliu a sua própria opinião porque ela jamais seria aceita, respeitada? Tudo isso para ter uma vida social equilibrada, na tentativa de ser uma pessoa agradável para os outros, mesmo que desagradando a si mesma.

E aí eu te pergunto: vale à pena?  Você se sente bem sendo, aos olhos dos outros, alguém sem opinião? Alguém submisso? Alguém que não sabe dizer não e ri quando na verdade gostaria de chorar?

Não, não vale. Tenho certeza que quando coloca, à noite, a sua cabeça no travesseiro, não se sente a amiga, esposa, colega e filha perfeita. Você sabe que isso é um personagem, que existe um cérebro e muitos sentimentos por trás da gorda fofinha que você tenta encarnar.  Você se sufoca. E sofre.

Um dia esse mulherão escondido por trás do seu corpo gordo virá à tona, seja explodindo em um acesso de fúria, ou implodindo com uma depressão ou uma doença grave. Mas ela virá à tona.  Não é melhor deixar com que ela apareça, lentamente, todos os dias?

Eu me lembro que, quando pequena, era muito geniosa. Porém, recordo-me, nunca fui uma menina má. Tinha um senso de justiça e lealdade que poucas pessoas têm (modéstia à parte), não iniciava brigas, porém, não fugia delas. Definitivamente, não era uma menina fofa. Nunca fui tolerante, sempre reagi de imediato às ofensas e provocações. Isso, é claro, fez com que algumas pessoas se afastassem de mim. Sempre questionei porque a Lídia do prédio sempre tinha que ser a professora nas brincadeiras de escolinha, na nossa infância, ou porque as meninas, na juventude, insistiam em ser falsas com a Fabiana, falando mal dela pelas costas, mas aturando-a porque tinha carro para nos levar à balada. É claro que elas não gostavam disso. Não gostavam que eu lembrasse que suas atitudes poderiam não ser as mais corretas. Com o tempo, para ser aceita, comecei a fazer vistas grossas a essas injustiças. Não emitia mais minha opinião. Engolia. Suportava. E morria aos poucos.

Sim, porque não acho que seja certo sair dando voadora no peito dos outros a cada discordância de opiniões, mas ter que fingir que concordava com algo para ser aceita, não era bacana. E me calar, abriu precedente para que zombassem de mim e que não me respeitassem mais. Ok, respeito não se conquista no grito, mas se conquista com postura. E nunca com uma postura passiva.

Isso refletiu também em um de meus relacionamentos, sempre abaixando a cabeça, pedindo desculpas por erros que meu próprio parceiro cometia comigo. Sim, ele errava comigo, virava o jogo e eu, mesmo vendo claramente essa manobra egoísta, pedia desculpas só para ficar bem com ele. Mas não ficava! Essa situação só se prolongava, fazendo com que o relacionamento acabasse de qualquer forma, mais tarde, causando muito mais decepção e sofrimento.

Foi quando dei um basta. Voltei a expor minha opinião e admirar pessoas que fazem o mesmo (mesmo não concordando com elas). Não gosto de gente muito calada, que concorda com tudo, pois mesmo uma pessoa muito tímida pensa, tem sua visão particular sobre tudo e não ter acesso a isso me deixa insegura, pois ela não mostra de verdade quem ela é.

Com o meu atual trabalho, lidando com moda, mulheres e egos, decidi que ou me dedicaria a fazer amigos, ou a trabalhar. E escolhi trabalhar. É muito difícil dizer não para uma modelo em um casting. São poucas que reagem de forma positiva. A maioria fica brava comigo, mesmo dizendo a  elas a verdade de forma polida. Não, não posso mentir! Nem para mim mesma, nem para elas. Mesmo que isso me custe a ficar sozinha. Mas não fico! 

Assim como eu, quando você aprender a ouvir e a falar, nunca estará sozinha. Pode não ter mais a aceitação de 100 pessoas, mas sempre terá, ao seu lado, gente do bem, que admira amigos pensantes. Sempre existirá alguém que irá gostar de quem você é de verdade, mesmo brigando, discordando… Amigo que é amigo não vai embora só porque você não concordou com ele.

E é isso que eu espero que você, leitora, compreenda. Não omita, não minta, não sorria quando na verdade quer chorar. Não desagrade a pessoa mais importante da sua vida: você mesma.

35 Comentários

Arquivado em Relacionamento

35 Respostas para “A gorda que agrada todo mundo e desagrada a si mesma

  1. Concordo com você Renata… Fiquei triste só de saber que você não gosta de gente tímida. Sou super tímida…rsrs.. infelizmente é algo que na maioria das vezes não dá pra controlar… ainda mais quando aparece alguém assim tipo você que é agora resolvida, fala o que pensa, cheia de atitude e opinião (kkk). Infelizmente, a timidez é algo que é difícil de vencer. Por mais que tentemos… não é por maldade não, é mais por insegurança mesmo ;). Então não nos leve a mal!!! rs 😀 Bjs.

    • Renata Poskus

      Jaque, mas que tipo de insegurança você tem? De falar algo e ser reprovada por isso? Me explica?

      Beijos!

    • Renata Poskus

      Ah, e só esclarecendo… Não é que eu não goste de gente tímida, de odiar, sabe? É que da mesma forma que gente tímida tem medo de falar, de se expressar, eu tenho medo do que gente tímida pode estar pensando. rsrsrs

      • É… exatamente! Prefiro ficar calada, medo das respostas que vou receber e medo de ter que expressar uma opinião e não conseguir defendê-la… (Ok, ok… A timidez é uma doideira mesmo) rsrsrs…. Mas eu te entendi, sim. Sei que muita gente tem esse medo e insegurança perto da gente por não expressarmos direito o que pensamos ou sentimos. Até por isso a maioria dos tímidos tem poucos e às vezes nenhum amigo. Pra nós, é muito mais difícil se abrir e deixar as pessoas saberem como somos, pois na verdade, temos medo de não agradar. E o engraçado é que sabemos que isso está errado, e como seu texto mostra muito bem, isso é muito prejudicial pra nossa vida e até mesmo pra nossa saúde. Mesmo sabendo disso, é o nosso jeito, difícil de mudar.

    • Leonardo Cruz

      Todos vocês deveriam ler o livro de Augusto Cury : Nunca desista dos seus sonhos ! Tem esse problemas pessoas , ajuda muito . LEIA e sejam livres de vocês mesmos ! Abraços

  2. julielle

    Passo por isso fiko na minhaescondo minha opiniao deixo as pessoas me magoarem….agora o q ta acontecendo estou fikando com depressao nao sei o q fazer 😦

    • Renata Poskus

      Julielle, peça ajuda para um profissional. Não deixa a depressão te pegar não! O ideal é fazer terapia e também ter um acompanhamento psiquiátrico. Vc vai receber orientações, inclusive, de como enfrentar as pessoas próximas. Quando digo enfrentar não pe brigar, ofender, nem nada, mas apenas colocar sua opinião e tentar não se importar tanto se te recriminarem por isso.

      beijos

  3. LENA

    Muito bom este texto, não só as mulheres gordas (que claro é mais comum acontecer), pois tenho muitas amigas magrinhas que agem assim também, penso que a mulher deve entender que nascemos completas, não precisamos da aprovação das outras pessoas para sermos inseridas na sociedade. Eu sempre brinco com meus amigos que eu estou bem longe do estereótipo de gorda “legalzinha”, não tenho nada de boazinha e só gasto minha simpatia com quem a merece, também não abaixo a minha cabeça por medo de não ser aceita ou por medo de não conseguir um parceiro, como muitas mulheres fazem por aí. É claro que obviamente vc passa a ter um grupo de amigos menos numeroso, mas aqueles que estão ao seu lado te amam de verdade com suas qualidades e seus defeitos. Minha mãe sempre sofreu de problemas de obesidade mórbida e mesmo depois de 8 anos de cirurgia bariátrica continua uma mulher relativamente gorda e ela nunca nos permitiu (somos em 4 irmãs, todas gordas) que abaixássemos a cabeça e nos anulasse para sermos aceitas, pelo contrário formamos um belo grupo de mulheres cheias de atitude!

    • Renata Poskus

      Lena, sabe o que você me lembrou? Na faculdade, um amigo me disse: “Renata, seu problema é que você começa as suas relações amando todo mundo e se decepciona com o tempo. Eu começo odiando e só amo se me provarem que merecem”. rsrsrs.

      • Nossa, como eu me identifiquei com o seu texto e, principalmente, com essa frase do seu amigo. Entro fundo nas relações e, na maioria das vezes, me magoo muito. Hj mesmo, antes de ler o seu texto, estava super magoada com uma pessoa “amiga” do trabalho, mesmo assim, tento canalizar a minha decepção em outras coisas. Pode até ser a minha válvula de escape para enfrentar as minhas angústias e meus fantasmas, mas é a única maneira que eu encontrei para amenizar isso. Eu tenho um amigo que me chama de Polly, por causa do livro Pollyanna, por tentar enxergar o lado bom das situações e suavizar o ruim. Não sei se sou realmente uma Pollyanna pq tenho as minhas depressões pelas magoas de pessoas e suas atitudes. Se eu me escondo ou não, ainda não sei, mas mesmo assim, sempre procuro sorrir e seguir em frente.

      • Lena

        Sempre digo isso também, que de inicio não gosto de quase ninguém, só depois de um tempo que consigo demonstrar simpatia, acho que também fico esperando pra ver se merecem…bjo.

  4. O texto é perfeito!!!

    Teve uma época que acabei me permitindo viver no anonimato de opiniões, e sempre baixando a cabeça ou rindo das piadinhas sem graça que faziam sobre mim (por mais que doía, tentava rir e fingir que não me importava), resultado: fiquei com a auto-estima no fundo do poço e quase entrei em depressão!
    Depois de um tempo percebi que não precisava disso para ser amada ou ter amigos… antes ter poucos amigos que gostem de mim pelo que sou do que estar em uma sala cheia de “amigos” que só consegue ver meu tipo físico e não a minha essência!

    A frase final do texto diz tudo: “E é isso que eu espero que você, leitora, compreenda. Não omita, não minta, não sorria quando na verdade quer chorar. Não desagrade a pessoa mais importante da sua vida: você mesma.”

    Que todas nós possamos nos assumir e primeiramente nos amar =D

    Bjs

  5. rita cunha amancio

    Infelizmente vivemos num mundo de Hitlers (onde ser magro, bonito e alto é a raça pura), preconceito em todos os lugares…… acho q. isso nunca vai mudar…… as pessaas acham q. vc. sendo gorda, não tem crédito em suas atitudes, idéias, no trabalho ( as pessoas duvidam de sua capacidade), é por isso e mais um pouco q. estou com uma depressão profunda, minha estima está no dedão do pé….. estou muito infeliz.

    • Renata Poskus

      Ai,, Ritinha… Não fala assim. Tenta viver por vc, sem esperar a aprovação alheia. Eu sei que é difícil, eu também, vira e mexe, ainda me pego magoada por conta da rejeição alheia. Mas, olha, se vc se esforçar, tocar a sua vida, aos pouccos vai aprender a ligar o foda-se para tudo isso. Desculpe-me pelo palavrão, mas é o foda-se mesmo que temos que ligar! rsrsrs

      Beijos

  6. Marlene

    A baixa autoestima me fez refém durante anos,eu me sentia na obrigação de agradar todos a minha volta,não era falta de personalidade,era uma válvula de escape,só que aos poucos percebi que não era como eu imagina,que seria recíproco ,descobri que quanto mais eu fazia e buscava agradar ,mais as pessoas exigem de você? É louco isso
    Um dia reuni com minha família e disse:

    ‘ACABOU,a Marlene boazinha que faz e aceita tudo morreu,quem aproveitou,aproveitou,pra mim chega já deu,não sou obrigada,porque tenho que aceitar tudo de todos e não tenho direito de dizer NÃO”?.

    Hoje me pego pensando nas coisas que fiz a favor de pessoas que nunca moviam uma palha para mim,foi LIBERTADOR quando comecei a responder: ”Não,eu não quero ir”, ”Não quero fazer” etc…..

    E assim fui me ”transformando” aos poucos não foi da noite para o dia,tive muitas recaídas.
    A ”#RENATAFOFA24HRS”# foi uma forma divertida ,uma sacada da Renata muito boa,mais não era ela,não devemos deixar que as pessoas se achem no direito de ”violar” os seus direitos,a sua vontade.

    Hoje muitos me dizem: ”Nossa você mudou”!!!
    Eu respondo: ”Não,aquela não era eu.”

    • Renata Poskus

      Amiga, a brincadeira do Renata Fofa serviu sim para a gente discutir lá no Facebook essas questões. Aposto que muita gente que me via fofa se sentiu enganado. Não que eu não seja fofa, né? Mas 24 h por dia é dose para leão. Brincando, percebi o quanto é triste a gente ter que engolir sapo. Eu engulo no máximo girininhos. E não adianta dizerem que sou empresária, jornalista etc e que tenho que aguentar esse tipo de coisa. Antes de tudo sou ser humano. Deixei meu trabalho pq não aguentava fazer média. Hoje sou dona do meu negócio, do meu nariz e não vou me permitir sofrer por causa de ninguém, jamais.

      Beijos, amo vc!

  7. Carol

    Bravo Renata!!!! Termos que ser admiradas e ovacionadas pelo que somos, do jeito que somos, com o que podemos oferecer verdadeiramente, sem mas, sem por quês…Cada um carrega em si o dom de ser capaz e de se feliz já canta Renato Teixeira e Almir Sater…Se um dia tiver que ser alguém que não concorda, prefira o anonimato…Você é sucesso pela autenticidade, que seja assim, sempre!
    Não devemos permitir ao outro o direito de conduzir a nossa vida, a não ser que o outro seja DEUS!
    Grande beijo da gorda aqui! rs!!

  8. Mirian Oliver

    nossa nunca tinha comentado acho,mas amei o post e me sinto assim,ainda não virei o jogo de ser a boazinha que concorda com tudo,queria tanto mudar mas tenho medo,bjs e me da umas dicas,bjs!

    • Renata Poskus

      Mirian, não sei que dicas te dar. talvez, primeiramente, dvocê deva começar dando mais valor para aqueles que te escutam. Pessoas esgoístas só falam, não escutam e normalmente serão as primeiras a virar as costas para você no dia que a Mirian verdadeira explodir. Não se permita ser a mulher boazinha que agrada todo mundo pelo resto da sua vida. Beijos!

  9. Valéria de Almeida Gonçalves

    Sempre fui de opinião,mas sempre fui considerada a mais engraçada pois tenho um jeito sarcástico de colocar minhas idéias,nunca respondo uma pergunta com : Depende… afinal de contas este depende é só pra agradar os outros e não bater de frente com a opinião das pessoas,meu Sim sempre foi sim e bem resolvido e meu não sempre NÃO com o minimo de explicação ,afinal cada um pensa de uma maneira e não temos que “converter ninguém” a nós.
    Bjs Renata gosto muito deste blog,sou plus size (48),estou grávida de três meses minha barriga(de gestante) ainda não aparece mas já pego fila preferencial kkkk ,abraços!!

  10. sabrina messias

    Nossa Renata… que profundo… gostei… e sempre lembrando: colocar em prática…

  11. Cleide

    Adorei! Se as pessoas soubessem o mal que fazem a si mesmas engolindo sapo, sendo submissa, …, com certeza pensariam melhor antes de querer agradar ao mundo.

  12. Taniah

    Não somos só nós, as gordas. São todas com autoestima baixa. E nós gordas, por estarmos diferentes do padrão estabelecido como ideal peal sociedade acabamos sofrendo pressão bulynguizinho e aí achatamos nossa auto estima. Quando vc volta a se gostar, se coloca, tem orgulho de você, as coisas começam a mudar. Quando você aceita que é gorda, como uma característica e não um defeito, (como usar óculos por exemplo,) a sua condição física deixa de ser sua definição, deixa de ser o mais importante,. Aí você encontra tempo e oprotunidade de descobrir quem você é .

  13. Renata,
    Que texto bonito, tocante.
    “Não desagrade a pessoa mais importante da sua vida: você mesma.” Essa é a mais pura verdade.
    Que as mulheres encorajam-se. Somos todas perfeitas.
    Beijos

  14. Paula Regina

    Renata, ô cronica bacana, pedagógica e sensível.
    O pior é que a gente só descobre isso (“Não desagrade a pessoa mais importante da sua vida: você mesma.”) quando ficamos mais maduras e assertivas de nossa capacidade absoluta de nos adorarmos como somos.
    beijo grande.

  15. Raquel Ferrari

    Renata, como te admiro e como você fez minhas suas palavras! Para mantermos a postura correta com nós mesmas e as pessoas que nos cercam, quantas críticas são feitas! Recebi uma promoção no trabalho por meritocracia e como estou sendo julgada! De formas pessoais, infelizmente, sendo que sou tão profissional! E por gente educada: médicos, advogados… quando vc diz não seguindo ética e profissionalismo, passa de grossa, gorda e mal educada, poucas pessoas são éticas e profissionais. Mas concordo com você: preciso do meu emprego, mas quero estar de cabeça erguida, mesmo que trinta pessoas se afastem, fico com a certeza de que que o universo dá voltas e as máscaras sempre caem e mostram a verdade! Volto a dizer: adoro seu blog e compartilho de muitas opiniões semelhantes. Um beijo!

  16. Patrícia

    Eu sou adepta do “bateu, levou” . A vida me ensinou que agradar aos outros não faz eu ser mais ou menos amada. Me recuso terminantemente a fazer o que esperam que eu faça. Sou inteligente o bastante pra reconhecer meus direitos e meus deveres.E o mundo que se lasque se não concorda.Sou muito mais feliz fazendo escolhas de acordo com meus desejos e não de acordo com o desejo dos outros!

  17. Vivian

    Vcs gordinhas ainda tem chances,são bonitas.Pior sou eu negra,feia,sou logo maltratada de cara.Também sou tímida e prefiro ficar na minha,as discriminações sofridas só aumentaram minha timidez.Já tentei dar opiniões ,mas sempre fui ignorada.Vc nasceu branca,agradeça a Deus por essa sorte que teve.

    • Vivian,
      ja passei por varias coisas em minha vida,sou gorda e não sou branquinha tbem não gata ,amada eu amadureci com os anos, aprendi me olhar com os olhos de Deus,parei de ficar ao redor da aceitação dos outros,aprendi que não irei agradar todo o mundo,tdo é um treino continue insistindo se impondo de verdade,aprendi que existe pessoas maldosas,mais aprendi a encara-las,vc ja ouviu falar que pessoas felizes não fala dos outros,seja vc … Preconceito sempre vai existir,parei de colocar o foco nisso pois se não fica batido,fica chato e dificil de viver… Seja feliz gata Deus te ama tanto,aposto que tem muitas pessoas que te admiram, só basta vc se sentir bem em sua própria pele pessa ao auxilio de Deus …. Gata vc é ´perfeita aos olhos Dele… Conte comigo meu face Drielle Cristina,me procura lá … fica com Deus beijao.

  18. Olha gata mudei muito sabe, , quando tenho que chegar junto chego,para que fingir,omitir… Quando estou brava eu estou brava quando to triste to triste,e quando quero falar procuro o melhor modo para falar,temos que nos respeitar como pessoas, é muito fácil escutar as pessoas,e a pessoa que é você sempre é dificil,se aquiete se escute,não fuja dos seus medos,quando encaramos eles somem…. Ser feliz consiste sim em momentos de braveza de tristezas… Iremos passar por tristezas, mais jamais desanimaremos …Me coloco como filha de Deus,e não preciso das misérias de sentimentos,parei de mendigar amor,e aprendi que o amor de Deus me preenche… Conte comigo,fica com Deus …Drii

  19. Re,

    Eu concordo com essa atitude de se posicionar. Posicinamento está faltando na nossa sociedade; a maioria tende a ficar em cima do muro, fazendo discursos politicamente corretos, sem expor de fato o que estão pensando; e distribuindo tapinhas nas costas só para “não estragar as coisas”. Concordo com tudo isso. Mas, com relação a dizer não a uma modelo no casting, a meu ver, entra outra questão: profissionalismo. Ser modelo é trabalho, profissão, carreira (mesmo que você não se dedique exclusivamente a isso e não seja sua fonte-de-recursos-para-pagar-as-contas). Se fosse outro emprego qualquer, num processo de recrutamento, a pessoa ficaria de mimimi com o recrutador por não ter sido aprovada na seleção? Claro que não! Isso não existe! É uma atitude ridícula, infantil e, claro, de alguém que notadamente não merecia mesmo ser aprovada pois não sabe ser profissional. #prontofalei rsrs

  20. talita

    Concordo plenamente, no meu caso eu era gordinha pequena, mas no colegial eu era uma das mais bonita do colegio mesmo pequena eu me expressava e colocava minha opiniao, mais hje estou acima do peso bem gorda e e tao horrivel qndo escuto vc era tao bonita mais agora ta tao gorda pq vc nao emagrece?? E tudo que eu qro mais ficou deprimida qnto escuto esses ttipos de comentario e acabo descontando na comida, eu nao tem mais vontade de sair me escondo sempre q posso e me sinto feia e horrivel, sei que tenho que mudar e me achar liinda mais não e facil.

  21. Silvia C. R. de Mello

    Nossa Renata adorei o seu texto eu era assim: não conseguia dizer não, concordava com tudo mesmo sofrendo depois, mas agora depois de ler seu texto vou criar coragem e ter mais atitude e vou discordar, dizer não e expressar minha vontade, adoro você beijosssss!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s